As tentativas petralhas de inversão da realidade

closeAtenção, este artigo foi publicado 6 anos 10 meses 12 dias atrás.

Os que acompanham o Deus lo Vult! devem ter percebido que, de uns dias para cá, houve uma verdadeira enxurrada de comentários petralhas tentando, a todo custo, salvar a candidatura da sra. Rousseff. Tenho publicado quase todos.O fenômeno, aliás, está se reproduzindo em toda a internet, em outros blogs, no Orkut, no Twitter, etc. Muitos são simplesmente sonsos: teve uma senhora aqui no blog que teve a ousadia de perguntar se era verdade mesmo que a Dilma é abortista, ou se isso é invenção da mídia (!). Mas que mídia, minha senhora? Só nos últimos quinze dias é que a questão do aborto – graças a Deus! – chegou na grande mídia. Nos últimos anos fomos nós – blogueiros, sites católicos ou sites de mídia alternativa (como o Mídia Sem Máscara) – que sustentamos com todas as provas o abortismo do Partido dos Trabalhadores. Ao contrário, a mídia sempre se empenhou em ocultar isso a todo custo. “Invenção da mídia” é a Dilma que aparece no Guia Eleitoral. O seu abortismo e suas ganas totalitárias são ela mesma, quando não está em campanha.

Há pelo menos dois anos eu falo, aqui no Deus lo Vult!, sobre a sra. Rousseff (e, sobre o PT em geral, há mais tempo ainda). Há muitas coisas a serem lidas, e todas devidamente documentadas. O fato do PT ser abortista não é “invenção da mídia”, é a realidade nua e crua do Partido, confessada incontáveis vezes por ele próprio. O PT é um partido intrinsecamente abortista, para além de qualquer possibilidade de dúvidas sobre este assunto, e cooperar com este partido é, ipso facto, cooperar com o seu abortismo. Quem quiser provar que o PT não é abortista vai precisar reescrever toda a história do Partido, as resoluções dos congressos, os artigos publicados no site oficial, os programas de governo, as perseguições a políticos pró-vida, tudo. Não vão ser dois minutos em uma casa da gestante, transmitidos para o Brasil inteiro, que vão apagar o passado abortista da sra. Rousseff.

Mas, como se não bastasse a tentativa (frontalmente contrária à realidade básica dos fatos) de eximir o PT do seu abortismo, há petralhas empenhados em “demonstrar” que, dos dois presidenciáveis, o abortista mesmo é o José Serra (!), e a Dilma Rousseff é uma vestal impoluta. A cretinice chegou a níveis tão estratosféricos que nem mesmo os mortos escaparam da desonestidade intelectual do petralhismo. Em um Scrap que recebi no Orkut, o sujeito dizia: “Quem é a favor do aborto? Responde aí Pe. Léo…”, e então colocava este vídeo de uma homilia do falecido sacerdote sobre o assunto.

Que o sr. José Serra tem, nas costas, a responsabilidade por ter assinado a Norma Técnica do aborto é um fato incontestável que, aliás, fomos nós católicos quem sempre denunciamos. No entanto, inverter a realidade e transformar a abortista do PT em pró-vida militante contra o velho careca abortista é empulhação demais para a minha paciência. Eu até entendo uma pessoa que, em consciência, afirme não ser capaz de votar no Serra porque ele é um candidato muito ruim. Como também entendo os que dizem que nunca perdoarão a Dilma Rousseff por forçá-los a votar no Serra. No entanto, quaisquer motivos lícitos que possam ser aventados para não se votar no candidato do PSDB aplicam-se também, e em muito maior escala, para vetar o voto na sra. Rousseff. Dizer que não vai votar no Serra porque ele assinou a Norma Técnica do aborto e, por conta disso, votar na Dilma Rousseff, é hipocrisia da pior qualidade possível.

Não importam o que digam os petralhas. As denúncias à sra. Rousseff continuam com plena validade e com igual vigor. A ex-ministra do governo Lulla sempre foi abortista e, agora que viu que estava perdendo votos por conta disso, passou a mentir descaradamente e a insinuar-se a favor da vida. Mas as pessoas têm memória e, graças a Deus, hoje em dia existe a internet para não deixar mais as coisas caírem no esquecimento conveniente. Hoje não dá mais para reescrever a história, nem para inverter a realidade.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

19 thoughts on “As tentativas petralhas de inversão da realidade

  1. Olegario

    Jorge,

    Faço coro com o comentarista acima: Ótimo texto.
    No entanto, sejamos realistas: O PT negou -e nega- até hoje a existência do MENSALÂO; logo para eles, é muito mais simples refutar a denuncia de que a Dilma seja de fato uma abortista.

    O PT mente.
    O PT é uma máquina de propagar mentiras.

    Olegário.

  2. Não Creio Em Mais Nada!

    Leiam tudo antes de julgar, pois só Deus julga, não é? Ou estou enganado?

    Ah, lá vem O Santo Tribunal Católico querer voltar ao poder e julgar os “ereges” mais uma vez. Ah, façam-me um favor, parem de se intrometer na política, pois o mundo ainda não esqueceu o que os “santos” de Roma fizeram nos séculos passados, como queimar as pessoas que tinham pensamentos modernos e evoluídos, perfeitos senso de justiça, que vocês fizeram queimar na brasa, enquanto cuspiam e os chamavam de “ímpios”.

    Qual a diferençar da Dilma ser a favor do aborto, se vocês são a favor do Deus mandar todas as criancinhas para o inferno, junto com os pobres africanos. Quem gostaria muito de ver essa gente no inferno são vocês, que sempre tiveram um prazer muito sádico em pedir ao Deus de vocês que castiguem com muita violência esses pobres seres humanos.

    Esse é o amor divino, com doenças e pragas. Ora, eu, seu fosse Deus, se alguém dissesse que eu sou mal e perverso, faria milagres e sua vida, mostrando que sou benevolente e realmente sou um ser supremo e divino, mas, na realidade (não creio mesmo) seria pedir de mais, e lá viriam as desgraças, mortes e doenças na família., como é bem acara da Bíblia, que era Torá, ensinamento/instrução em hebraico, mas até isso vocês não descobriram.

    Falem o que quiserem, excluam minha opinião, pois liberdade não existe na Santíssima Igreja Romanda do Apóstolo Paulo.

    Como conheci esse site:

    Certa vez navegava pela rede, entrei num blog sobre ajuda humanitária para o Haiti e descobri uns de vocês, quase rindo pelo “castigo” que Deus mandou naquela gente sofrida e, sinceramente, pude perceber o sadismo que vocês tem quando o Deus castiga e mata povos não cristãos, quase senti o sorrisinho de vocês. “Hum, olha lá, meu Deus trabalhando de novo!!”

    Eu costumo ficar na minha, mas depois de ver um link de vocês sobre o Haiti, agora me sinto no dever de REBATER TUDO que vocês coloquem neste, site. Ah, claro, com ênfase na própria Bíblia, mostrando aos santos romanos, como são verdadeiros ignorantes e se quer sabem algo real da Bíblia.

    Não tenho religião, mas sou humanistas. Mexeu com gente inocente, mexe comigo.

    Estou pronto para ouvir suas maldições divinas infernais, afinal, não sabem falar sem mandar ninguém para o inferno, né!

    Vamos ver agora se vocês são realmente pessoas boas e misericordiosas, como reza sua Bíblia (vocês leem, não é?) ou são como meus amigos pensam, hipócritas e sem amor humano.

    Meus amigos são ateus, estou quase lá. Vão salvar a minha alma ou me jogar fora?

  3. anônima

    O aborto e as contradições de Dilma

    Adicionado ao http://www.rainhamaria.com.br em 11.10.2010 –

    Até a palavra aborto foi retirada das últimas declarações da presidenciável petista Dilma Roussef. Para tentar afastá-la da polêmica com o eleitorado religioso, a candidata foi orientada a apenas reforçar em seus discursos que é pela defesa e valorização da vida.

    Nada de dizer que aborto é questão de saúde pública ou que a legislação atual deve ser mantida, como já falou na semana passada. O termo aborto deve ser eliminado.

    Na Secretaria Nacional de Mulheres do PT, também foi decretado o silêncio sobre o tema. A secretária Laisy Moriere informou, por meio da assessoria, que não vai falar sobre o assunto.

    Na verdade, se falar, ela corre o risco de deixar a campanha de sua candidata Dilma ainda mais enrolada em contradições. Porque as resoluções do PT deixam claro seu posicionamento favorável à prática do aborto.

    A resolução do terceiro Congresso do PT diz que o partido vai trabalhar pela “defesa da autodeterminação das mulheres, da descriminalização do aborto e regulamentação do atendimento a todos os casos no serviço público evitando assim a gravidez não desejada e a morte de centenas de mulheres, na sua maioria pobres e negras, em decorrência do aborto clandestino e da falta de responsabilidade do Estado no atendimento adequado às mulheres que assim optarem.”

    Então, a secretária calou.

    Mas também não é a primeira vez que o tema obriga integrantes da legenda a ficarem mudos. Só que tudo depende do interesse do momento.

    No ano passado, por exemplo, o diretório nacional do PT suspendeu os direitos partidários dos deputados federais Luiz Bassuma (BA) e Henrique Afonso (AC). Naquele momento, eles enfrentaram processo no conselho de ética da legenda, porque fizeram campanha contra o aborto, contrariando o que determinava a resolução do partido.

    Bassuma, indignado, trocou de legenda. Foi para o PV. Hoje eu conversei com ele. Olha o que ele acha dessas contradições no PT: “Todo dia é uma contradição. Dilma era assim como o PT a favor da legalização do aborto. Cada vez que fala do assunto, ela fala de um jeito diferente. Ela tinha de falar a verdade para o povo brasileiro. Que ela é a favor da legalização assim como o PT é. Mentir nesse momento, tentar enganar o povo para ganhar uma eleição, isso é muito feio”.

    A verdade é que antes de ser candidata, no entanto, Dilma defendia abertamente a descriminalização do aborto. Fez inclusive declarações públicas, em sabatina do jornal Folha de São Paulo em 2007 e em entrevista em 2009 à revista Marie Claire.

    Outro episódio de silêncio foi no programa de governo da petista. Na primeira versão protocolada no TSE, o assunto já era tratado de forma velada, disfarçada.

    O documento registrado no dia cinco de julho passado, dizia que “o Estado brasileiro reafirmará o direito das mulheres de tomarem suas próprias decisões em assuntos que afetam seu corpo e sua saúde”.

    Mas, na seqüência, prevendo a polêmica, o programa foi substituído, e até essa expressão foi retirada. Agora, na página do PT, o presidente do partido, José Eduardo Dutra, diz que a questão de aborto nunca esteve no programa de governo da Dilma.

    * Roseann Kennedy é comentarista da CBN. De segunda a sexta, escreve esta coluna para o Congresso em Foco.

    Dilma, a história que o PT não vai mostrar na TV

    Fonte: http://www.overbo.com.br (site evangélico)

  4. anônima

    Aborto como questão de saúde pública é dar ao estado o direito de tirar vidas, explica perito

    11.10.2010 – SÃO PAULO – Em um recente artigo, o professor e psicólogo Joel Nunes, que também é o autor do conhecido livro “Vocação”, explica o que quer dizer que, no governo Lula e na proposta da candidata Dilma Rousseff, o aborto seja tratado como “questão de saúde pública”. O perito explica que ao ser categorizado como “questão de saúde pública”, converte-se em uma obrigação do SUS (Sistema Único de Saúde) atender a grávida de até 9 meses que queira abortar pois transforma o aborto em “direito do cidadão”, e em conseqüência, um “dever do Estado”. O aborto “como questão de saúde pública” significa a concessão de poder ao Estado para controlar a quantidade de nascimentos, impondo o aborto.

    Nunes detalha que “quando o governante (ou pretendente a tal) diz que “o aborto deve ser (ou será) tratado como “questão de saúde pública”, dá também a ver (implícita ou explicitamente) que “não é uma questão de foro íntimo”.

    «Digamos que uma mulher engravide e queira “tirar” o bebê. Nas primeiras semanas ela pode fazê-lo sozinha, usando droga abortiva (“droga” e não remédio, pois este, por definição, é usado para restabelecer ou manter a saúde). A partir de 12 semanas (ou menos) ela só poderá abortar ajudada por alguém. Suponhamos aprovada a lei que tipifica o aborto não mais como crime, como faz a nossa atual Constituição do país, mas o altere para a condição de “questão de saúde pública”, quando então passa a ser permitido “durante os 9 meses de gravidez”. A mulher grávida de 9 meses resolve, por qualquer motivo, “tirar” a criança. Certamente não poderá fazê-lo sozinha, mas necessariamente terá de ter ajuda, e ajuda especializada».

    A “ajuda especializada” será o profissional qualificado na área de saúde, o médico e a enfermeira. Sendo “questão de saúde pública”, torna-se obrigação do SUS (Sistema Único de Saúde) atender a grávida de 9 meses que quer abortar”, explicou.

    Nunes também denuncia a incapacidade de objeção de consciência ao considerar o aborto como questão de saúde pública, asseverando que “o médico e a enfermeira, funcionários do SUS ou prestadores de serviço, estarão obrigados, “durante seu horário de expediente”, a fornecerem a “ajuda especializada” oferecida pelo governo, a qual constitui um “direito do cidadão”, pois “se é direito do cidadão, é dever do Estado”. Caso o médico e a enfermeira se recusem a “trabalhar”, isto é, a abortar, ficarão sujeitos a penalidades previstas em lei, como a demissão por justa causa, ocorrência que passará a constar na “fé de ofício” de cada um”.

    “A consciência ( o “foro íntimo”) dos tais funcionários, sob a lei que trata o aborto como questão de saúde pública, se torna legalmente ineficiente”, afirma José Nunes.

    “Suponhamos o caso de mulher grávida de 9 meses que não queira abortar. Como este não querer é “questão de foro íntimo”, ele não prevalecerá, não desencadeará efeitos concretos, igualzinho ocorreria com o proprietário de uma casa com piscina que se tornasse ninho de mosquitos Aede Aegypti, o mosquito da dengue”, explicou.
    “Do mesmo modo, a “objeção de consciência” ao aborto, outro nome que se dá à “questão de foro íntimo” é impotente face à decisão do poder público que determine que o aborto seja feito. Mesmo não querendo, a grávida de 9 meses terá então de abortar, uma vez que o “poder público” entenda que ela deve fazê-lo”, denuncia Nunes.

    Fonte: ACI

  5. Valdir A. C.

    Seo…
    “Não Creio Em Mais Nada!”

    Faça a favor!! Estultice tem limite!

    Vc compilou ae uma lista das bobagens mais velhas e desmentidas da história da Igreja!
    Quer ser revoltado (com Deus) inventa algo novo!!!

    Valha-me Nossa Senhora!!!

  6. Mauricio

    O texto inicial diz:
    “Que o sr. José Serra tem, nas costas, a responsabilidade por ter assinado a Norma Técnica do aborto é um fato incontestável que, aliás, fomos nós católicos quem sempre denunciamos.”

    Sempre denunciaram o PSDB pelo maior passo pró aborto dado no Brasil ? Onde ? Por favor, indique-me onde posso encontrar suas denuncias !

    “Dizer que não vai votar no Serra porque ele assinou a Norma Técnica do aborto e, por conta disso, votar na Dilma Rousseff, é hipocrisia da pior qualidade possível.”

    Hipocrisia é aceitar QUEM JÁ USOU O PODER QUE TINHA NAS MÃOS para agir pró aborto e dizer-se contrario ao Aborto !!! Isso sim é hipocrisia !!!

    Povo de Deus, não sejam co-responsáveis com o Serra pela Norma Tecnica que ele editou e que até hoje não se comprometeu, em momento algum, retirá-la.

    Sejam profetas pela metada denunciando só a Dilma/PT !!!
    Profetas pela metade = falsos profetas !

  7. Mauricio

    Antes de ser votar no Serra, leia com atenção o seguinte texto e depois vote em Serra apenas se quiser ser co-responsável pela Norma Tecnica. E depois não seja hipocrita de se dizer contra o aborto !

    Leia: http://www.providafamilia.org.br/doc.php?doc=doc12824

    E o Padre Lodi – grande defenso da vida, diz:

    “Não há problema moral em votar no PSDB. O problema está no candidato José Serra, que introduziu o aborto no Brasil, com os cofres públicos, em nível federal, em novembro de 1998, quando Ministro da Saúde, e não revogou a Norma do Aborto por ele assinada, apesar de inúmeros protestos, durante três anos. Sua culpa não é nada pequena.” […] “A Norma Técnica facilitou incomensuravelmente o aborto em série no Brasil. O aborto não foi permitido de direito, mas o foi de fato, pela Norma editada pelo Ministro José Serra.”- disponível em http://taiguaraonline.blogspot.com/2010/07/jose-serra-e-norma-tecnica-do-aborto.html

    “Assim, pois, a promessa do Sr. José Serra de que não tomaria a iniciativa pelo aborto se estivesse no Executivo é a priori inválida, dado que Serra já está em dívida com a sociedade e com as crianças brasileiras pela edição da Norma Técnica do Aborto. A pergunta que deve ser feita ao Sr. José Serra não é se ele vai tomar a iniciativa pelo aborto. A pergunta que deve ser feita é: se a Lei do Aborto for aprovada no Congresso, o senhor veta? Mais que isso, Serra deveria se comprometer – além de vetar qualquer Lei do Aborto – a reformular a Norma Técnica que ele editou! Até o momento, em questão de aborto, o Sr. José Serra não está num nível melhor que a Sr.a Dilma Rousseff.”

    Disponível em: http://www.deuslovult.org/2010/07/25/aborto-pt-psdb/

    “Para aqueles que não sabem, o abortismo não é particularidade da Dilma e do PT: o grupo pessedebista de FHC-Serra, formado também nas esteiras do comunismo, guarda largas simpatias com o abortismo e já tomou atitudes concretas em prol da bandeira (abortista), como a Norma Técnica do Aborto, aprovada pelo então Ministro da Saúde, José Serra.”

    Em 1998, o Ministro da Saúde José Serra, atual presidenciável, emanou a Norma Técnica de Prevenção e Tratamento dos Agravos Resultantes da Violência Sexual contra Mulheres e Adolescentes, que, apesar de não trazer aborto em seu título, somente trata da questão. A Norma aprovada por Serra revela o abortismo intrínseco […].

    “Graças à Norma editada por Serra, a mulher que quisesse abortar sequer necessitava de provar o estupro adequadamente, o que facilitou imensamente o morticínio em série de crianças no Brasil.”

    “A Norma editada pelo ex-Ministro José Serra também tinha um agravante: para que a mulher ‘provasse’ que foi vítima de um estupro, bastava inventar uma estória e lavrar um boletim de ocorrência em uma delegacia. Abriam-se assim as portas para a falsificação de estupros e para o aborto em série”.

    Estamos entre a Dilma e o Serra, e o “Serra é o único candidato que já assinou ordens para fazer ABORTOS, quando ministro da saúde” e o clero parece estar do lado dele, e com isso o clero está assinando com ele as ordens para fazer abortos, pois só se pronunciam contra o PT/Dilma e se omitem em se pronunciar contra o Serra.

    Para o eleitor votar consciente e não ser enganado, a primeira verdade que precisa saber é: o único candidato a presidente nestas eleições que já assinou medidas para fazer abortos foi José Serra (PSDB), quando foi Ministro da Saúde, em 1998.

    Ele assinou norma técnica para o SUS (Sistema Único de Saúde), ordenando regras para fazer abortos previstos em lei, até o 5º mês de gravidez.

    e veja também:
    http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,serra-defende-uniao-homossexual-durante-a-parada-gay-de-sp,387264,0.htm

    E tantas outras coisas….

    Dá impressão que o Serra pode editar a norma tecnica, pode ser favorável a união homossexual, etc… que os profetas pela metade só se pronunciam contra a Dilma.

  8. Jorge Ferraz Post author

    Sr. Maurício,

    Em julho passado eu escrevi aqui especificamente sobre o aborto e José Serra:

    http://www.deuslovult.org/2010/07/25/aborto-pt-psdb/

    http://www.deuslovult.org/2010/07/29/satanas-e-belzebu/

    Se o senhor olhar outros sites e blogs católicos vai ver a mesma coisa dita há ANOS. Entrando no Pró-Vida de Anápolis, a primeira coisa que o sr. vai ver é um contador dizendo [hoje]: “Hoje faz 4355 dias que o ex-Ministro José Serra assinou a Norma Técnica do Aborto em 9 de novembro de 1998”. Se o senhor buscar por “José Serra” lá, vai encontrar abundante material a este respeito.

    “Profetismo pela metade”, meu caro senhor, quem está fazendo é a militância petista cretina que anda infestando a internet.

    Sobre a hipocrisia de desqualificar o Serra na questão do aborto para justificar o voto na Dilma, mantenho cada palavra que eu disse. Como falei alhures, entendo quem vota nulo por conta do abortismo do candidato do PSDB. O que não dá para justificar – a não ser sob a mais calhorda e hipócrita ótica – é votar na Dilma por conta da Norma Técnica.

    Abraços,
    Jorge

  9. anônima

    Mauricio,leia ao artigo do Pe.Lodi do Pro vida.Serra nunca foi militante pro aborto,e ele não defende am driscriminação nem ampliação do aborto ,a Dilma sim e o PT também comprometeu com isto com a ONU.A Hilary Clinton qdo esteve aqui no Brasil ano passado EXIGIU isto para o Lula ser indicado a ser secretario geral da ONU ano que vem depois do mandato.(a verdade é esta)

    recordando:
    isto .http://fratresinunum.com/2010/03/15/hillary-clinton-no-brasil-as-mulheres-do-mundo-todo-tem-o-%E2%80%9Cdireito-pessoal-fundamental%E2%80%9D-ao-aborto/

    DOCUMENTO SOBRE ABORTO NO BRASIL E ONU:

    http://fimdostempos.net/aborto-documentado.html

  10. Carlos

    Esse Maurício é petralha infiltrado. Não percam tempo com trastes desse tipo, que só aparecem para semear a confusão.
    Entre Serra e outro candidato sem qualquer passado abortista eu ficaria com esse outro, claro.
    Mas agora a disputa é entre Serra – que assinou a norma técnica favorável ao aborto, mas que já se comprometeu a não ampliar o aborto “legal” – de um lado, e do outro lado a Dilma – que já fez aborto e que passou a vida inteira defendendo a sua legalização, e que milita num partido oficialmente aborteiro e abortista, e que só tem entre seus membros abortos morais, como Lula, Dilma, Genoíno, Paloffi, Dirceu, Marta Suplício, Prof. Luizinho…
    No PT não se acha ninguém que não seja ou ladrão, ou gay, ou sapatão, ou abortista – e a maioria é todas essas coisas juntas. E todos são comunistas também.
    E os agregados também não ficam para trás: Sarney, Collor, Barbalho, Requião… Eca!!!

    Então, seu petralha infiltrado e asqueroso, dê o fora que aqui você não engana ninguém.

    Agora é Serra mesmo! Até a virada!! Até a vitória!!! Xô, petralhada do inferno!

  11. Pingback: As tentativas petralhas de inversão da realidade

  12. mauricio

    Carlos,

    Eu já mandei uns 30 fax para autoridades em Brasilia, pedindo para que se posicioven (para que votem) contra projetos favoraveis ao Aborto. Você já fez algo assim ?
    Então eu não sou petralha infiltrado. Sou cidadão e tenho direito de ter minha opinião.

    Jorge Ferraz,

    Desculpe, quando que perguntei sobre o fato dos católicos sempre terem denunciado o Serra/PSDB, eu estava me referindo a atitudes como essas, dos três Bispos (usando o nome da CNBB) que fizeram milhoes de panfletos que foram distribuidos até aqui, em minha paróquia, uma pequena cidade do interior, ou atitudes como o Padre José Augusto que falou quem favorece o aborto é excomungado e por isso não vota no PT – falou isso pela TV, durante uma missa !!! Onde há algo semelhante com o Serra ? Algo de grande porte como uma panfletagem em muitas paróquias do Estado, contra o Serra ? Ou padre, na missa pela TV, dizendo que quem favorece o aborto é excomungado e por isso o Serra é um excomungado e por isso não vota nele, para não ser também excomungado ? Pois foi isso que fizeram contra Dilma. Eu nunca vi o Padre de minha paróquia falar contra o FHC, ou contra o Collor, ou contra o Serra. Mas contra a Dilma sim… dizendo que era posição da CNBB.
    Como puderam esquecer o que o Serra fez ????

    Você disse: “Sobre a hipocrisia de desqualificar o Serra na questão do aborto para justificar o voto na Dilma, mantenho cada palavra que eu disse. Como falei alhures, entendo quem vota nulo por conta do abortismo do candidato do PSDB. O que não dá para justificar – a não ser sob a mais calhorda e hipócrita ótica – é votar na Dilma por conta da Norma Técnica.”

    Pois eu digo que o contrário é exato e verdadeiro. Desqualificar só Dilma pela questão do aborto sendo que o Serra fez o que fez, é hipocrisia calhorda.

    O Cardeal Dom Odilo Scherer diz que “os fiéis são aconselhados a votar de modo consciente e responsável, sem campanha explícita para partidos ou candidatos.” Igualmente o vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), d. Luiz Soares Vieira, arcebispo de Manaus, afirmou em entrevista à Rádio Vaticano, em Roma, que a Igreja já está cumprindo a orientação dada pelo papa Bento XVI, […] Entre outras coisas disse: “A Igreja não tem posição partidária e o papa não está dizendo que se deve votar em um ou em outro candidato”, observou d. Luiz Vieira, acrescentando que, “como os dois candidatos (Dilma Rousseff e José Serra) têm praticamente a mesma posição diante do aborto, é complicado fazer a escolha”.

    Isso sim é correto: os dois canditados tem praticamente a mesma posição com relação ao aborto.
    Por isso repito: Desqualificar só Dilma pela questão do aborto sendo que o Serra fez o que fez, é hipocrisia calhorda, é sim ser profeta pela metade.