Aos que ainda pretendem votar na Dilma…

closeAtenção, este artigo foi publicado 6 anos 10 meses 9 dias atrás.

A hipocrisia cínica dos inimigos da Igreja é uma coisa realmente impressionante. Por esses dias, tomei contato com um texto publicado no “Escrevinhador”, onde o sr. Rodrigo Vianna denuncia que a “máquina conservadora” estaria de novo em ação no Brasil. Qualquer pessoa com um mínimo de senso de realidade sabe perfeitamente que não existe nenhuma “máquina conservadora” no Brasil. Ao contrário, existem os inumeráveis tentáculos do monstro comunista, rápidos em sufocar qualquer idéia minimamente dissonante da ideologia esquerdista hegemônica no cenário político brasileiro atual.

O que há de conservador no Brasil – graças a Deus – é o povo. O povo simples, que em geral é contrário – e até fortemente contrário – às tentativas esquerdopatas de remodelagem da realidade nas quais o Estado tem a criminosa mania de insistir. Não é nenhuma “máquina” que está agindo nessas eleições, provocando a sangria das intenções de votos petistas e deixando descontrolados os petralhas em particular e os inimigos da Igreja no geral – é simplesmente a verdade, enfim, vindo à tona. Ao contrário, a única “máquina” em ação é precisamente a máquina comunista de reescrita da realidade, por meio da qual – p.ex. – os guerrilheiros virtuais do PT (meio milhão!) estão empenhados em “provar” que a sra. Rousseff é pró-vida desde criancinha e o PT, na verdade, é sócio-fundador do pró-vida de Anápolis.

Mas não é mais possível continuar mentindo. Não adianta a sra. Rousseff ficar choramingando, com queixumes sem fim, afirmando estar sendo “caluniada”. Neste texto daqui, por exemplo, é possível ver uma longa lista das “calúnias” que sofre a Dilma, bem explicadinhas, com suas origens e seus fundamentos. Está tudo amplamente documentado. Os petralhas que insistem em fechar os olhos para a realidade ou são cegos, ou são vendidos.

Aos que ainda pretendem votar na Dilma no segundo turno, suplico que ponham a mão na consciência. O PT é um partido favorável ao aborto, e a defesa intransigente da vida humana é o primeiro princípio inegociável – sem o qual não é possível discutir absolutamente mais nada. Uma nação que assassina os seus próprios filhos não pode subsistir. Não importam os benefícios sociais que porventura tenham advindo ou possam ainda advir da gestão petista, se eles são comprados com o sangue de inocentes. É um preço muito alto, e não é lícito fechar os olhos para a política assassina do Partido que ora se encontra no Governo por conta de uns trocados a mais no fim do mês ou pela comodidade de um emprego público. Antes de se discutir maior distribuição de renda ou fortalecimento da soberania nacional, importa discutir o respeito incondicional à vida humana. E um país que assassina crianças é um país desgraçado, não importam os indicadores sócio-econômicos que tenha para ostentar. Se um Partido defende o assassinato de crianças – como o PT defende -, as outras propostas dele não têm nenhuma serventia. São apenas verniz para embelezar um edifício carcomido por cupins que, mais dia ou menos dia, virá abaixo.

Não adianta a sra. Rousseff dar uma de boa-moça agora, visitando o Santuário de Aparecida ou deixando-se filmar junto a casas de gestante. Não é de hoje que o PT é abortista e, portanto, não vai ser a escandalosa e cínica mudança de discurso às vésperas das eleições que vai apagar toda a história infanticida do Partido. Para ficar só em um exemplo recente, em junho passado, antes do pleito, o candidato José Serra foi sabatinado pela Folha e afirmou que liberar o aborto no Brasil seria uma carnificina. Qual foi a reação do PT? Eles, simplesmente, publicaram um texto escandaloso chamado “Carnificina é não descriminalizar o aborto: um direito da mulher, um dever do Estado”, que até o presente momento se encontra disponível no site do Partido dos Trabalhadores, e onde é feita uma obscena defesa do assassinato de crianças no ventre de suas mães:

Por isso, nós Centrais Sindicais, abaixo assinadas reiteramos nosso repúdio às palavras de José Serra e reforçamos o compromisso que assumimos na Assembléia Nacional da Classe Trabalhadora realizada no dia 1º de junho de 2010, onde as centrais assumiram a luta pela descriminalização do aborto e seu tratamento enquanto questão de saúde pública.

Não podemos aceitar que o Estado controle o corpo das mulheres e imponha a maternidade como um destino obrigatório a todas as mulheres.

Volto a dizer: os que pensam em votar na Dilma, ponham a mão na consciência. Estas questões são graves demais para serem relegadas a um segundo plano. Não é lícito conferir o próprio apoio por meio do voto a quem defende semelhantes políticas assassinas. O PT da Dilma Rousseff, que defende o assassinato de crianças, não pode receber o apoio de brasileiros de bem. Reconheço que o pleito se configura particularmente difícil; resta sempre a possibilidade de não se votar em ninguém. O que não é lícito, sob nenhuma ótica, é apoiar a continuidade do governo abortista do Partido dos Trabalhadores.

E, enquanto os petralhas esperneiam e rasgam as vestes, o povo – finalmente, e graças a Deus – é esclarecido sobre o abortismo do PT. Em Aparecida, são distribuídos panfletos pedindo votos em quem é contra o aborto. Dom Aldo Pagotto publica no youtube um corajoso vídeo onde denuncia abertamente as mazelas do PT. E até a CNBB nacional emite uma nota orientando aos católicos a só votarem em candidatos com “respeito incondicional à vida”. Vivemos tempos históricos! O momento em que cai a máscara do PT, e onde vem a público a profunda divergência existente entre os anseios do povo brasileiro e as políticas dos governantes hipócritas que o dizem representar.

Neste dia da Virgem da Conceição Aparecida, suplicamos especialmente a Ela que Se digne interceder em favor do povo de quem Ela é Senhora e Rainha. Que venha sobre nós o Seu favor poderoso, e que sejam derrubados por terra os ímpios que se apossaram do governo desta Terra de Santa Cruz. Que é também a Terra da Virgem Aparecida: ó Poderosa Senhora, reclamai o que é Vosso! Nossa Senhora Aparecida, livrai o Brasil do flagelo do comunismo. Nossa Senhora Aparecida, livrai o Brasil da maldição do aborto.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

46 thoughts on “Aos que ainda pretendem votar na Dilma…

  1. Pingback: Deus lo Vult! » O desespero dos petralhas

  2. Pingback: O desespero dos petralhas

  3. anônima

    Dilma,não fale pelas mulheres:
    Aborto nunca foi questão de saúde pública e sim de injustiça entre dois pacientes saudáveis (ou não) onde o mais fraco e indefeso, que é o bebê, é arrancado fora.

    Em entrevista ao Jô Soares (26/08/2008), Dilma Rousseff disse acreditar que, assim como ela, não exista mulher que não tenha desejado ser bailarina. Não consigo visualizar Dilma na ponta dos pés, de sapatilha rosinha e uma delicada saia de tule. Nem mesmo na sua infância. O que me atrapalha são frases como a do próprio entrevistador Jô Soares que ao ouvir sobre o sonho da candidata de ser bailarina na infância logo emenda comentando que ela passa uma imagem de “durona”.

    Aproveitando o adjetivo “durona” que o Jô Soares usou na entrevista digo que ela não está autorizada a falar em meu nome e muito menos deduzir quais eram os meus sonhos de criança. Pois, como mulher, ela me envergonha. Nem tanto pela oposição do sonho de “bailarina” com a linha “durona” que ela transmite. A oposição entre nós duas está em questões como a maternidade, a vida, o aborto, a família.
    Eu nunca tive o sonho de ser bailarina na minha infância, embora tenha aprendido no lar a apreciar arte. Seja balé, música clássica, canto gregoriano ou ainda a bela voz do meu pai cantando trechos de ópera. Mas se teve um sonho que me acompanhou desde pequenina foi o sonho de ser mãe de muitos filhos. E graças a Deus, que é tão bom, tive seis filhos maravilhosos. Meu quarto filhinho partiu quando eu estava com oito semanas de gestação. Pude ver nas imagens do ultrassom seu coraçãozinho que depois parou de bater e nos deixou. Mas ainda assim, morto, eu não tive a coragem de abandoná-lo no hospital para… experiências? Para ser jogado no lixo? Para estudantes de medicina fazerem análise? Para ser triturado nos famosos liquidificadores que batem bebês até o ponto de caldo? Não. Consciente de que ele era meu filho tanto quanto os outros cinco que estão vivos, quis dar-lhe um enterro de cristão. Solicitei ao meu médico o corpinho do bebê e fui atendida. Destaco aqui as palavras do Dr. Argeu Clóvis de Castro, meu atencioso e competente médico (principalmente na minha 5ª cesariana): “A criança é um Direito dos Pais.” Sorte minha ter um médico de tamanha sensibilidade e noções claras do que chamo de Verdadeiros Direitos da Mulher.

    Com meu bebê de apenas oito semaninhas, que teve o batismo de desejo, fui providenciar o que já passa da hora da Igreja e do governo providenciar: um lugar para enterrar pequeninos cristãos. Enterrar os mortos é uma das sete obras de misericórdia. Meu amorzinho foi enterrado após uma missa de corpo tão pequeno quanto presente. Já li e ouvi vários depoimentos de mães amorosas que ao perderem seus bebês bem prematuros sentem essa necessidade de um lugar para eles como fazem com qualquer outro falecido da família. Afinal eles são, sem sombra de dúvidas, seres humanos, desde a concepção. Em Brasília existe cemitério até para cachorrinhos, coelhinhos e outros animais irracionais. O homem que se diz “humano” e “racional” parece estar trocando as prioridades reconhecendo mais o direito a enterrar seus fofos bichinhos do que seus filhos, carne da sua carne.

    Existem mulheres e… mulheres. Que a candidata Dilma não julgue todas nós brasileiras por modelo como ela. Muitas de nós estão em lados opostos. Dilma junto ao PT, ambos já tendo entrado para a história do Brasil como o lobo-ladrão que surpreende as ovelhinhas pelas costas, pé-ante-pé, com o sol já quase se pondo e as luzes se apagando no final de 2009, Véspera da comemoração da Noite Santa do Nascimento do Menino Jesus. E o presente de Natal não foi nada que lembrasse ouro, incenso e mirra. Mas sim um plano diabólico que bem pode ser chamado de Plano Nacional do Demônio para os Humanos, multiplicado por 3 (PNDH-3). Já eu, me encontro do outro lado, junto à Igreja Católica, a todos os cristãos e aos que estão tendo a coragem de reagir diante da tentativa de implantação de leis infames como a do aborto ou que defendem experiências com embriões e mais todo um pacote fechado contra a família. Leis que se igualam às dos comunistas e nazistas que se fartaram de fazer experiências com criancinhas e adultos humanos nos seus campos de concentração. Ninguém merece. Ninguém! Seja judeu, católico, ateu, negro, branco, índio.

    Quanto às suas tentativas frustradas de enganar os eleitores com falas sem nexo: “Eu, pessoalmente, sou contra o aborto. […] Quem assinou o decreto PNDH3 foi o Lula. […] Eu desconheço estes fatos. […] Não houve encontro. Eu não concluí o curso em questão porque estava trabalhando. […]” Que a candidata não despreze a inteligência dos seus eleitores. Porque dá no que deu. Os brasileiros entenderam sua tentativa de enganá-los e mostraram isso muito bem nas urnas quando lhe tiraram o gosto da pretensa vitória no 1º turno.

    Não se afronta Deus audaciosamente como vem sendo feito. A candidata Dilma sabe perfeitamente que o que bagunçou sua pretensa vitória no 1º turno das eleições de 2010 foi o ataque às criancinhas, foi a questão do aborto, a questão da família. Suas palavras enganosas “questão de saúde pública”, não prevaleceram. Questão de saúde pública é um bebê ou muitos morrerem num mesmo hospital por causa de infecção hospitalar, por exemplo. Agora, aborto nunca foi questão de saúde pública e sim de injustiça entre dois pacientes saudáveis (ou não) onde o mais fraco e indefeso, que é o bebê, é arrancado fora.

    O Menino Jesus escapou da mão pesada de Herodes. Mas, quantas crianças morreram atravessadas pela espada dos soldados que cumpriam as “ordens do partido de Herodes”. Que o Brasil esteja livre da maldição do aborto. Que Deus nos livre de um novo Herodes com mão tão pesada. A história da humanidade registra que Herodes foi transparente na sua crueldade ordenando a matança daquelas crianças e ponto final (só faltou um “PT, saudações”). Mas Dilma Rousseff se esconde atrás de jogo de palavras até dentro da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) falseando ser contra o aborto e ainda assim sendo muito bem recebida lá. Dizendo se considerar grande “devedora da CNBB”. É com razão que Dom Bergonzini afirmou taxativamente que ele não deve obediência à CNBB. Deve obediência à Igreja, ao Papa Bento XVI e a Nosso Senhor Jesus Cristo. Ela joga a culpa no seu partido. O PT diz que o decreto foi assinado pelo Presidente Lula. Lula diz que particularmente também é contra o aborto. Mas ele não tem deficiência nos olhos, apenas em uma das mãos. Resumindo, ele assinou, Dilma se gaba de ser a continuidade do governo do assinante Lula e ambos são o orgulho um do outro e os dois causam o mesmo orgulho no PT, aquele… o partido que apresentou o PNDH3. Ou será que todos vão dizer o de sempre. Que não se conhecem, jamais se viram ou mesmo que nunca houve antes na história deste país um único encontro entre eles para a “arquitetação” do famoso plano daquele triste Natal?

    Meiguice, sonhos de bailarina, mãos que embalam um bebê no berço ou voz que canta doces cantigas de ninar noite adentro certamente não são os pontos fortes de Dilma. E muitas mulheres no Brasil estão se sentindo ofendidas ao serem representadas de forma masculina, por uma “mão pesada”, conhecida como “linha dura”, o que não condiz com muitas de nós brasileiras. Sendo assim, eu convoco as nossas doces mãezinhas, as mulheres amorosas, as mulheres meigas e que ainda sejam femininas a não votar na candidata Dilma Rousseff para que a ira santa de Deus não caia sobre a nossa nação, sobre nossas famílias. Não quero ter parte nisso. Cresci ouvindo meu sábio pai exaltando o fato de nossa bandeira nacional, além de ser linda, não conter o vermelho, cor de sangue derramado. Ainda hoje guardo na lembrança a letra da música que cantei muito no nosso lar: “Eu te amo, meu Brasil… Eu te amo… Meu coração é verde amarelo, branco, azul, anil.”

    Que os cristãos, militares, imprensa, intelectuais e todo homem de bem, todos, no segundo turno saibam negar o seu voto à Dilma fazendo ressoar ao pé do ouvido da pretensa candidata, o grito sufocado de tantas crianças inocentes abortadas e que morrem com um “grito silencioso” clamando por justiça.

    E para os que se calam fingindo não ter nada que ver com isso, gostaria de lembrar um fato. Edith Stein, filósofa judia renomada e convertida ao catolicismo, foi arrancada do mosteiro onde se encontrava e levada para ser executada no famoso campo de concentração de Auschiwtz. Em 1933 quando Hitler estava apenas começando aquilo que terminaria em matança cheia de experimentos com humanos ela escreveu ao Papa Pio XI alertando-o de que no futuro o pecado recairia sobre aqueles que tivessem silenciado. Acertadas palavras que servem perfeitamente para cada um de nós que se calar hoje, 2010. Se a Igreja em peso se levantar, não será necessário novamente, como fez o Papa Pio XII, esconder milhares de judeus em igrejas, mosteiros ou casas de famílias católicas.

    Parabéns Dom Luiz Bergonzini! Parabéns, Pastor Paschoal Piragine, Dr. Ives Gandra, Padre Paulo Ricardo, Dr. Zenóbio Fonseca, Dom Manoel Pestana Filho e… quem mais chegar! Parabéns desde já a todos aqueles que não silenciarem. Aos que fazem gravações usando um simples celular, se manifestam em nome da sua família, fazem emails e outras formas de comunicação que vão parar na internet, no You Tube, na TV, nos jornais…

    Não permitir que o aborto e outros decretos contra a família entrem no Brasil através de Dilma Rousseff, do PT ou quem quer que seja (afinal não é nada pessoal ou partidário, mas é quase) exigirá muito de nós brasileiros. Que nossas orações sejam feitas com o fervor de quem crê que tudo depende só de Deus, mas trabalha com garra, com gana. Como se tudo dependesse só das ações de cada um de nós. “Nós”, incluindo mulheres, crianças e idosos que normalmente em caso de guerra são resguardados deixando ir à frente apenas os homens, aqueles que honram as calças que vestem, mesmo que seja por baixo da batina. Afinal, eles sabem que largar crianças, mulheres e idosos expostos ao inimigo é ato de covardia!

    Márcia Vaz é escritora, mãe de cinco filhos, e sofreu perseguição por insistir em escolarizá-los em casa.

  4. Fabiano Campos

    Meus Caros,

    Sei que tenho opinião diferente das opiniões da maioria de vocês, mas gostaria que vocês me ouvissem. O problema em decidirmos que algo é verdadeiro de antemão, é que tentaremos sempre adequar a realidade ao molde que criamos.
    Creio que esta campanha de alguns setores da Igreja contra o PT tem um sentido histórico. Os comunistas não gostam da religião. Não vou entrar nos detalhes, mas o fato é que a Igreja existe há mais de 1500 anos e pouco fez para diminuir as desigualdades em nosso mundo. Muito pelo contrário, tem convivido muito bem com o poder e se mantido com ele, reformulando suas práticas, conforme necessário.
    As ideais socialistas surgiram das injustiças nos nossos meios sociais, representando os trabalhadores, minorias e os direitos das mulheres, que, como sabemos, foram por muito tempo consideradas inferiores aos homens. A discussão sobre o aborto parte do próprio movimento feminista. Sou contra o aborto, mas acredito que as questões devam ser discutidas democraticamnte. A hipótese de descriminalização do aborto é remota, conforme alguns colegas já colocaram.
    O que não é remoto, sendo já realidade, é o histórico de abusos contra menores que aconteceram e acontecem na Igreja. Quando a polêmica sobre aborto veio à tona, pensei. Alguns membros da Igreja estão sendo bastante críticos com instuitições alheias e pouco críticos com a sua própria. Os políticos mentem todo o tempo, fins que dizem justificar os meios, mas a mentira da Igreja em relação aos abusos tiveram e ainda têm conseqüências nefastas.
    Atrevo-me a citar Jesus Cristo, a quem amo de coração:
    ” Hipócrita! Tire primeiro a trave que está no seu olho e então poderá ver bem para tirar o cisco que está no olho do seu irmão.”

    Guardem em suas mentes o que lhes direi. Se Dilma vencer não haverá morte de inocentes, não mais do que já existe.

    Não sou petista, mas vivi FHC e Lula, e posso comparar os ganhos para milhões de brasileiros.

    Um abraço fraterno

    Fabiano Campos

  5. Soledade

    Fabiano,
    Que maravilha ler o seu texto. Estava eu aqui disposta a dizer coisas que sairiam com muita raiva, pois sou católica e estou muitissimo chateada com a posição da mesma, mas o que posso dizer após ler o seu texto? Apenas endossá-lo, pois foste capaz de ler meus pensamentos e ser muito mais gentil, não que a igreja esteja merecendo esta gentileza, mas afinal é nossa igreja.
    Espero que as pessoas reflitam sobre o seu texto, afinal o que a igreja está contestando não é a questão do aborto, mas a sua preferência por um candidato e o uso do nome e dinheiro dos fièis para o mesmo.
    Um abraço
    Soledade

  6. Carlos

    Fabiano, ao contrário do que diz a maluca aí de cima, seu texto é um lixo. Só repete refrão comunista. Compare o que a Igreja fez e faz pelos pobres com o que fizeram os socialistas/comunistas/petistas/abortistas.
    Os socialistas quando vencem realmente diminuem as desigualdades, porque criam só duas classes: a do governo e cupinchas (que têm tudo) e o resto do povo (que não tem nada e que vive na miséria e escravizado pela outra classe). Dá um pulinho em Cuba. Aliás, vá pra Cuba que o pariu, você e a Soledade!

  7. Jones

    Soledade, só para você saber: quando for escrever a palavra “igreja” refernico-se à Esposa de Nosso Senhor Jesus Cristo, use a letra “i” MAIÚSCULA. Assim vão começar a desconfiar que você não é católica…
    Além disso, a Igreja não está contra o pt NESTAS eleições. A Igreja, sendo *A* Igreja de Cristo, Igreja Santa, Igreja COMPROMETIDA com os ensinamentos de Cristo, sendo a Igreja (a repetição cansativa da palavra “Igreja” é proposital, viu?) obediente aos princípios da Lei Natural, SEMPRE FOI CONTRÁRIA, não somente ao pt (partido totalitário – em minúsculas mesmo), mas a todos os que compartilham de suas ideologias diabólicas.

  8. alyne

    ” Vejo muio bem escrito esse texto, não sou a favor a Dilma nem ao aborto! Mas sim que igreja nenhuma indiferente de religião tome partido politico!!! Antes de padres e bispos e etc… ficarem se preocupando com politica, deveria tirar tempo em ler um pouco mais a biblia que fica mofando nos cantos da igreja, e depois ´regam os mandamentos distorcidos… Isso sim, politica não cabe fazer aqueles que pregam a palavra de Deus. O unico candidato que eles deveria estar se preocupando em fazer politica é Deus de forma de convencer as pessoas a terem mais fé e buscar mais a Deus!!! Enquanto as igrejas não achar que são bancos e padres pastores e etc.. são abnqueiros, o mundo vai decaindo!!! Com tanto padre estrupador.. ainda se perde tempo em discutir de politica??? Vai discutir uma politica de casamento para padres e não quem deve governar o pais… ” Indiguinante!!!

  9. Osvaldo

    Eu votei na Dilma,
    Será que cometi um pecado ?
    Será que me confessando serei perdoado ?
    Será que serei excomungado? – Se for terei que procurar outra religião pois estou me sentindo como se não fosse mais católico por ter votado na Dilma.
    – Já passou um tempo depois que a Dilma foi eleita e não vi os bispos dizerem que agora vai ser liberado o aborto.
    – Será que já passou o perigo ou o perigo nunca existiu?
    – Será que o perigo era que o Serra perdesse a eleição e os bispos perderiam regalias ?
    – Quem pagou os panfletos contra a Dilma – Os bispos com o dinheiro da comunidade ou foi dinheiro sujo?
    – “A Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus” – Quem escreveu isto foi o Serra, o Edir ou é coisa de antigamente, do tempo em que existia um ditador em Roma

  10. Genivaldo Estigarribia

    Muito boa as colocações do Osvaldo, estou só aguardando a excomunhão pois também votei na Dilma e um padre sabe disto, me confessei com ele e agora aguardo a decisão, provavelmente serei excomungado, se fosse em outras épocas seria queimado vivo como faziam com os judeus na Espanha mas hoje em dia é mais facil excomungar. Pobres mentes dominadas pelo fanatismo !!!

  11. Genivaldo Estigarribia

    O que Fabiano campos escreve é exatamente o que penso e sinto sobre a igreja, padres, bispos, papa e demais membros que estão a fazer politica partidaria deveriam se preocupar mais em purificar a sua propia igreja, hoje está dificel encontrar uma paróquia que não tenha algum tipo de escandalo, alias, sempre teve, até mais do que hoje, é so ler a história dos papas que eram escolhidos entre a nobreza, só que hoje as pessoas não tem mais medo de denunciar, antigamente ninguem se atrevia porque temiam a tal de maldição para quem falasse mal de algum padre ou bispo, era um escudo que criaram para se proteger, enquanto papas e demais autoridades da igreja não admitirem que não são infaliveis será isto ai que estamos vendo.

  12. Sandra

    “anonima”

    “Márcia Vaz é escritora, mãe de cinco filhos, e sofreu perseguição por insistir em escolarizá-los em casa.”

    Ninguém sofre perseguiçãopor “insistir” em escolarizar filhos em casa.

    Nossa legislação NÃO CONTEMPLA o ensino em casa.

    Quem faz isso está cometendo um CRIME sendo certo que PODE E DEVE responder em Juízo.