Dom Beni: declaração sobre o “Apelo aos brasileiros”

closeAtenção, este artigo foi publicado 6 anos 10 meses 1 dia atrás.

Gravado hoje [18/10/2010].

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

8 thoughts on “Dom Beni: declaração sobre o “Apelo aos brasileiros”

  1. Pingback: Declaração de Dom Beni acerca das eleições | Inter-Esse

  2. Sandra

    Caro Jorge Ferraz,

    A mentira espalha-se.

    Ontem, o senador mais votado por São Paulo na história do país, ontem no Roda Viva, afirmou que é contra o aborto mas a favor da despenalização!

    Ou seja, continua crime mas sem penas ou limites!!

    Veja a diabólica manipulação das palavras a que nenhum dos cinco jornalistas ali apontou nem inquiriu por algum esclarecimento.

  3. roberto quintas

    tudo muito “bonitinho”, mas o bispo se esquece que debaixo dessa capa de “liberdade de expressão e opinião” está, na verdade, a imposição de uma vontade autocrática, tendenciosamente tentando influenciar a escolha dos brasileiros – e isso é crime eleitoral.
    há tempos que o estado e a Igreja estão separados. aquilo que a Igreja acha bom não pode nem deve ser necessariamente aquilo que o estado deve achar bom.

  4. Leniéverson Azeredo Gomes

    Roberto, o que vc chama de imposição é a opinião oficial da igreja que é contra ao aborto.Se você é a favor ou não, eu não sei, mas a igreja tem o direito de orientaros fieis sim.

  5. Eduardo Araújo

    Bem próprio de um ridículo anti-religioso e analfabeto funcional confundir OPINAR com IMPOR.

    Aliás, quem está querendo IMPOR algo são precisamente esses laicistas bobalhões, doidos para IMPOR o silêncio a uma instituição religiosa e depois posarem de paladinos da liberdade de expressão e da separação entre Estado e Igreja.

  6. Elizeu Grifo Rezende

    Senhores porque só agora em hora de eleição se faz tanta propaganda afavor do aborto e de tabela ajudar determinado candidato a ser eleito.
    Vê-se claramente que a igreja não tem tido a força espiritual necessária para convencer seu adeptos a um clamor tão necessário.
    Devo dizer que o caminho do aborto foi construido através do aborto religioso em favor da idolatria, inquisição, bebida e fumo. Que nunca foram levado a sério pela igreja.
    O ritualismo exarcebado sem a égide de uma vida mais consagrada levando em conta, principalmente, a doutrina dos apóstolos.
    Hoje, a igreja pena por aquilo que resignou em favor do dissimulacro de mais religião do que fé.
    Por fim o povo se vê mais enganado por seus líderes espirituais que já não falam mais em nome de Deus, mas nome de instituição que dizem representar Deus.
    Que os cristãos sejam instruidos sobre a ética do voto e do candidato, mas seem orientados em quem votar é extravagância politiqueira religiosa ou religiosa politiqueira.
    Só o Senhor é Deus. Ele é soberano. Não temos de qualquer força que pretenda usurpar seu poder pela vida.