“Instrução para os católicos do Brasil quanto à distribuição dos panfletos da CNBB Sul 1” – por prof. Carlos Ramalhete

closeAtenção, este artigo foi publicado 6 anos 10 meses 4 dias atrás.

Instrução para os Católicos do Brasil

quanto à distribuição dos panfletos da CNBB Sul-1

Caros irmãos em Cristo:

Pedimos a gentileza de fazer chegar a quantas pessoas puderem estas valiosas instruções de bons Bispos da Igreja, que apontam os perigos que hoje corre o Brasil.

É possível que venham inimigos da Igreja afirmar que ela não tem o direito de se manifestar em público, especialmente em período eleitoral.

Não é verdade. O papel dos Bispos é de ensinar, santificar e reger. Reger significa justamente apontar o caminho, apontar os perigos, identificar os enganos com que o Inimigo tenta prevalecer.

O que os Bispos e os padres têm o dever de ensinar, contudo, não é a opinião pessoal deles, mas o que a Igreja ensina. E a Igreja ensina que entre os crimes que bradam aos Céus por vingança está o assassinato de um inocente.

O aborto é o assassinato de um inocente.

O aborto é um crime que brada aos Céus por vingança.

Quando há manobras políticas contrárias aos desejos da imensa maioria da população brasileira no sentido de tornar legítimo um tamanho crime, é dever da Igreja, dever dos Bispos, dos padres e de cada fiel manifestar-se contra o Mal e apontar que se aproxima o lobo vestido em pele de cordeiro.

Não se trata de algo de foro privado; não se está falando de algo que seria feito por uma pessoa sozinha, na escuridão de um quarto fechado sem atingir a mais ninguém, mas do assassinato sistemático de milhares de crianças inocentes. É dever da Igreja fazer o possível e o impossível para evitar que tamanho horror seja tornado algo permitido em lei no Brasil. A voz da Igreja deve soar, já que não soam as vozes das crianças. A voz da Igreja deve soar, para que não sejam caladas pela morte as vozes das crianças.

Há, infelizmente, dentro da hierarquia da Igreja, alguns maus Bispos e maus padres que, movidos por interesses escusos, aliaram-se às forças do Inimigo. Não é novidade: entre os Doze Apóstolos estava Judas, que vendeu Nosso Senhor.

Cabe a cada um de nós reconhecer a voz do verdadeiro pastor: é a voz que defende a vida, é a voz que não se cala na defesa daqueles que não têm voz.

Não é uma voz que se levanta em louvores aos poderosos, e trata a vida das crianças como um detalhe. Não é uma voz que fala de economia, e se cala sobre o bárbaro assassinato de inocentes indefesos. Pedimos, assim, que levem a todos a voz dos bons pastores, a voz dos que
procuram, com humildade, diminuir-se para que cresça Cristo. Cristo, não este ou aquele político ou partido. Cristo, não esta ou aquela linha
política. É Cristo que importa, é a vida que deve ser defendida. As ovelhas reconhecem assim a voz do seu pastor.

A exemplo do Papa Pio XII, no ano de 1948 na Itália quando fez comitês e enviou mais de 300.000 Católicos de casa em casa para esclarecer a população italiana alertando quem era o partido comunista, para se levantar contra todo o mal que nos assombra, convocamos todos os Brasileiros de boa vontade a distribuir os Panfletos da CNBB Sul-1.

Onde distribuir?

1. Caixas postais das casas

2. Nas escolas

3. Semáforos em hora de grande movimento

4. Universidades

5. Nas portas das Igrejas, principalmente *após* as Missas de maior público

Como entregar os panfletos dentro das Igrejas pode ser considerado crime eleitoral, recomendamos a entrega dos panfletos somente do lado de fora das Igrejas.

Não podemos nos deixar de lado o nosso dever.

Não podemos esquecer que a Santa Madre Igreja nos ensina, no Catecismo da Igreja Católica:

§2246 “Faz parte da missão da Igreja emitir juízo moral também sobre as realidades que dizem respeito à ordem política, quando o exijam os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas, empregando todos os recursos – e somente estes – que estão de acordo com o Evangelho e com o bem de todos conforme a diversidade dos tempos e das situações”

Do mesmo modo, encontramos no Compêndio da Doutrina Social da Igreja Católica, publicação oficial da Igreja:

571 O empenho político dos católicos é freqüentemente posto em relação com a <<laicidade>>, ou seja, a distinção entre a esfera política e a religiosa. Tal distinção <<é um valor adquirido e reconhecido pela Igreja, e faz parte do patrimônio de civilização já conseguido>>. A doutrina moral católica, todavia, exclui claramente a perspectiva de uma laicidade concebida como autonomia da lei moral: <<A “laicidade”, de fato, significa, em primeiro lugar, a atitude de quem respeita as verdades resultantes do conhecimento natural que se tem do homem que vive em sociedade, mesmo que essas verdades sejam contemporaneamente ensinadas por uma religião específica, pois a verdade é uma só>>. Buscar sinceramente a verdade, promover e defender com meios lícitos as verdades morais concernentes à vida social — a justiça, a liberdade, o respeito à vida e aos demais direitos da pessoa — é direito e dever de todos os membros de uma comunidade social e política.

Quando o Magistério da Igreja se pronuncia sobre questões inerentes à vida social e política, não desatende ás exigências de uma correta interpretação da laicidade, porque <<não pretende exercer um poder político nem eliminar a liberdade de opinião dos católicos em questões contingentes. Entende, invés — como é sua função própria — instruir e iluminar a consciência dos fiéis, sobretudo dos que se dedicam a uma participação na vida política, para que o seu operar esteja sempre ao serviço da promoção integral da pessoa e do bem comum. O ensinamento social da Igreja não é uma intromissão no governo de cada País. Não há dúvida, porém, que põe um dever moral de coerência aos fiéis leigos, no interior da sua consciência, que é única e unitária>>.

382 Quando o poder humano sai dos limites da vontade de Deus, se autodiviniza e exige submissão absoluta, torna-se a Besta do Apocalipse, imagem do poder imperial perseguidor, ébrio <<do sangue dos santos e dos mártires de Jesus>> (Ap. 17, 6). A Besta tem a seu serviço o <<falso profeta>> (Ap. 19, 20), que impele os homens a adorá-la com portentos que seduzem. Esta visão indica profeticamente todas as insídias usadas por Satanás para governar os homens, insinuando- se no seu espírito com a mentira. Mas Cristo é o Cordeiro Vencedor de todo poder que se absolutiza no curso da história humana. Em face de tais poderes, São João recomenda a resistência dos mártires: dessa maneira, os fiéis testemunham que o poder corrupto e satânico é vencido, porque já não tem ascendência alguma sobre eles.”

A Instrução Libertatis conscientia, publicada sob o reinado do Papa João Paulo II e retomando as grandes chaves de leitura da Doutrina Social da Igreja, asseverou:

“Nesta missão, a Igreja ensina o caminho que o homem deve seguir neste mundo para entrar no Reino de Deus. Por isso, sua Doutrina abarca toda ordem moral e, particularmente, a justiça, que deve regular as relações humanas. […] Quando propõe sua doutrina acerca da promoção da justiça na sociedade humana ou exorta os leigos ao engajamento, segundo sua vocação, a Igreja não excede seus limites […] Na mesma linha, a Igreja é fiel à sua missão, quando denuncia os desvios, as servidões e as opressões de que os homens são vítimas; quando se opõe às tentativas de instaurar, seja por oposição consciente, seja por negligência culposa, uma vida social da qual Deus esteja ausente, enfim, quando exerce seu julgamento a respeito de movimentos políticos que pretendem lutar contra a miséria e a opressão, mas são contaminados por teorias e métodos de ação contrários ao Evangelho e ao próprio ser humano.” (Idem, p. 1122)

Portanto, o Católico não deve votar em um partido que tenha um comprometimento formal com a legalização do aborto, uma vez que o tema atinge o bem natural maior – que é a vida – dos mais indefesos, os nascituros.

Defender posição em sentido contrário, ao votar em partido que deseja legalizar o aborto, é tornar-se cúmplice do assassinato de inocentes.

Desde o 1º Catecismo Cristão (Didaché), datado do ano 90-100, ensina a Igreja: ‘não matarás criança por aborto, nem criança já nascida’ (…) Já Tertuliano no ano 220: “É homem o que deve tornar-se homem, tal como o fruto inteiro está contido na semente” (Apologética, cap.9)

A condenação foi reafirmada em diversos Concílios no decorrer dos séculos: Concílio de Ancara (ano 314, cânone 20); Concílio de Lérida (ano 524, cânone 2); Concílio de Constantinopla (ano 629, cânone 91); Concílio de Worms (ano 829, cânone 35). Também através de Bulas: Ephenatom (ano 1588), Sedes Apostólica, do Papa Gregório XIV (ano 1591) e Sedes Apostólica do Papa Pio IX (ano 1869) e assim, sempre, no exercício Perene do Sagrado Magistério.

Dentro desta mesma doutrina, reiterada aos longo dos últimos dois milênios, e antes disso em meio ao Povo do Antigo Testamento, está a nossa ação, está a sua ação.

Devemos agir, sim, e fazer chegar a todos o conhecimento do que está em jogo.

Não podemos permitir que supostamente em nome dos “trabalhadores” seja legalizado o assassinato de inocentes. Não podemos permitir que o povo brasileiro seja, mais uma vez, enganado por lobos em pele de cordeiro.

Descobertos, eles dizem que é “boato”, tentam enganar o povo e ocultar os inúmeros pronunciamentos oficiais do partido em favor da legalização irrestrita do aborto, permitindo o assassinato de crianças prestes a nascer, brincar, sorrir.

Não é boato. É a mais triste verdade, comprovada em documentos oficiais do partido, em filmagens de declarações da candidata, em apoios financeiros de organizações abortistas.

Ouçamos a voz da sabedoria da Igreja. Ouçamos a voz do Senhor. Ouçamos a voz que clama, pedindo que seja feita justiça e que nunca, no Brasil, possa alguém assassinar uma criança com amparo legal.

Ajude.

Distribua os panfletos.

Faça a sua parte.

Seja um brasileiro digno do nome de cristão.

Na festa de São João Mártir,

Prof. Carlos Ramalhete.

Por favor copie e divulgue.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

22 thoughts on ““Instrução para os católicos do Brasil quanto à distribuição dos panfletos da CNBB Sul 1” – por prof. Carlos Ramalhete

  1. Pingback: Deus lo Vult! » Distribua os panfletos censurados pelo PT!

  2. Vera Lucia

    A igreja deveria estar preocupada com as milhares de pessoas que passam fome todos os dias. E com os pedofilos que se instalam dentro de suas congregações.
    Este manifesto é tão baixo e vil, quanto todos que os estão distribuindo. Isto nada tem a ver realmente com o aborto. Isto vem de ódio. E este ódio esta sendo profanado por quem se diz a favor do amor. Contraditório.

  3. Lia

    Vera, perfeita sua colocação! Penso exatamente a mesma coisa. Estão se utilizando do assunto aborto para colocar pra fora todo o ódio e preconeito existentes. Isso não tem nada a ver com os mandamentos deixados por Jesus.

  4. jonas

    Talvez eu pudesse resumir minha indignação com voces dizendo um monte palavrões. Mas não farei isso para não descer ao nivel de voces, pois o que voces escreverem ai em cima só encontra enquivalencia em dicionário de palavrões. E eu tentarei ser mais leve.

    Filhinhos: hoje Jesus Cristo chorou, pois voces, em cima de coisas que só existem na cabeça de voces, exortam pessoas a errarem em suas opções. Hoje Jesus Cristo chorou, pois voces em cima de coisas que só existem na cabeça de vocês, ameaçam seres humanos carentes, necessitados de amor e de alento, de vestes e de alimentos. Hoje Jesus Cristo chorou, pois voces em cima de coisas que só existem na cabeça de vocês, caluniam, difamam, infernizam a vida de pessoas de bem. Pessoas cristãs e não eclesiais, é bom que se diga.

    Voltem para seus claustros, onde vocês podem chafurdar a vontade nas porcarias engendradas por suas mentes doentias e perversas.

    Voltem para seus monastérios e desfilem uns em frente aos outros com seus brocados e bordados a fio de ouro numa demonstração ignóbil de soberba e vaidade.

    Embriaguem-se, sorvendo em taças de ouro custeado por seus pobres fiéis, goladas de seus vinhos de uvas socadas com pés enlameados de seus proprios excrementos, façam lá na escuridão de seus cubiculos suas orgias dementes.

    E deixem-nos aqui fora sob a luz do sol, respirando a liberdade e a fraternidade.

  5. Carlos

    Cala a boca, Lia fome-zero!
    E lave bem essa boca antes de pronunciar o nome de Jesus!
    E avisa pra essa jumentinha aí de cima que os padres pedófilos estão todos apoiando o Dilmão sapatão. Porque gay apóia sapatão. E vocês “duas” apoiam o sapatão… Xi…

  6. Marina Santos

    Em resposta à Vera, gostaria de ponderar algo. Existem pessoas, como parece ser o caso seu, Vera, que, não concordando com uma posição, mas percebendo que trata-se de algo verdadeiro e cristalino, não ousam combatê-la frontalmente. Neste caso, como o aborto realmente é sanguinário, “pega mal”, dizer que se é favorável a ele. Então, o que sobra diante disso? Argumentos como o que você colocou: “Ah, a Igreja deveria combater os pedófilos, a miséria etc, etc”. É lógico que isso é verdade. Ela deve combater TUDO o que é mau. Não dá para entender como o fato dela combater o aborto vá “impedi-la” de combater a pedofilia, a miséria etc. Está entendendo a falta de lógica na argumentação?”Façamos isso sem deixar de fazer aquilo”.

    Parabéns a todos os que estão distribuindo o panfleto. Esse é um legítimo exercício de cidadania. Se a maioria da população brasileira é anti-legalização do aborto, deve conhecer claramente o compromisso partidário do PT com essa causa. Ou não?

    Marina

  7. Ricardo

    Ainda bem que a Vera Lucia e a Lia aí em cima usando toda a autoridade que receberam de Deus ONTEM, vem a público pra desautorizar toda a história dos ensinamentos dos Papas (Sucessores de São Pedro, 1º Bispo de Roma). É claro que quase 2000 anos de ensinamentos dos Papas e da Igreja não valem nada. As 2 aí de cima sabem mais que tudo isso, elas acham que o aborto não é tão mau assim e que pode-se apoiar e votar em candidato que defenda o aborto. Magistério da Igreja? que coisa antiga, elas devem pensar.

  8. jonas

    Sujeitos, esse assunto do começo da vida – a fecundação pelo espermatozoide no óvulo- é apenas um marco estabelecido pela Igreja, poderia ser antes ou depois. Para mim a vida começou muito antes,pois se aos meus ancestrais foi dado o poder da procriação e ao longo do tempo eles usaram esse poder ( coisa que padrecos acham imunda e fazem de conta que se recusam a fazer) isso pode significar que minha vida já andava por ai em meio ao vai e vem desse mundão. Pensem por voces mesmos ao menos um segundo. E percebam que pela diferença de um milésimo de segundo pode ser que nenhum de nós existisse. Se não houvesse uma sintonia fina em todos os elementos criados por Deus e que rondam o Universo desde sempre pode ser que não existissimos. Vai dai que é bem provavel que Deus já tenha criado muito antes do que sonha a nossa vã filosofia todas as condições para que existissimos. A fecundação do ovulo pelo espermatozoide é mero detalhe.

    Agora vamos todos pra caminha fazer naninha, senão papai do céu chora.

  9. Jorge Ferraz Post author

    Jonas,

    Em primeiro lugar, a fecundação como marco inicial da vida do indivíduo humano é um dado científico incontestável, e não um “marco estabelecido pela Igreja”. Aliás, não sei de onde foi que o senhor tirou semelhante absurdo.

    Em segundo lugar, o ato sexual entre os cônjuges é santo, como a Igreja sempre ensinou, e de novo não sei de onde o senhor tirou a besteira de que fosse “imundo”.

    Em terceiro lugar, não sei se o senhor percebeu, mas este post daqui não tem, absolutamente, nada a ver com nada que o senhor falou.

    – Jorge

  10. Lia

    Marina, o problema é que, nesse caso, infelizmente, a polêmica sobre o aborto (embora seja de suma importância) está a atrapalhar a visão dos eleitores sobre outros pontos de crucial importância para o país. Apesar de ser contra o aborto, não creio que seja a opinião de um presidente que vá pesar, decidir ou piorar a situação atual, que, como todos devem saber, é lamentável. E mais, nesse ponto específico, ambos os candidatos tem posições bastante semelhantes, além de ambos (isso não se pode negar) sofrerem a influência do próprio partido. Acho hipócrita votar no Serra por conta de tal argumento, como já falei aqui inúmeras vezes. Ele está se lixando pra isso, sua própria esposa já fez um aborto (acredito que sob seu consentimento) e, mesmo com a notícia explodindo Brasil afora, a mesma não chegou a negar pessoalmente. Repito, ele está se lixando pra isso. Acho que nós, como Igreja, como cristãos, temos meios outros de lutar contra o aborto em si, através de uma campanha de conscientização e apoio e não simplesmente mantendo-o como crime. Isso é quase nada, pois não impede, nem aqui, nem em qualquer país, que o aborto seja praticado.
    Então, ao invés de resumir uma eleição presidencial a isso, deve-se fazer a própria parte.

  11. Ana

    Lia

    Você acha que despedaçar uma criança no ventre da mãe deve deixar de ser crime?

    Então, você tem mesmo é que concordar com a ideologia petista, expressa em várias ocasiões, a mais recente, o decreto “presidencial” 7.037/2009, o famoso PNDH3.

    Se o mais importante é evitar a morte dos bebês, em quê a descriminalização dessa monstruosidade pode diminuir a ocorrência dessa mesma monstruoisdade?

    Só numa mente atordoada pela ideologia socialista.

    Querer igualar a influência que o PT e o PSDB exercem sobre seus membros não é honesto, vai.

    O fiel da balança é exatamente o PT e suas resoluções, seus decretos presidenciais, seu esforço governista para liberalizar completamente a prática criminosa e assassina do aborto neste país.

    (O APELO dos Bispos da CNBB, impresso no folheto, traz isso de forma resumida. Impressionante! Parece que condenam sem ler, porque não desmentem nenhum dos considerandos do texto.)

    Eu sei, há a Norma Técnica. É grave, sim. Mas o texto do pe. Lodi, um dos líderes, senão o maior, pró-vida no Brasil fala melhor do que qualquer outra coisa (não deixem de ler!):

    http://www.providaanapolis.org.br/votonulo.htm

    Um governo tucano-serrista pode até ser pior. Mas não se tem como saber, infelizmente.

    O que podemos fazer é comparar os oito anos de governo de cada partido.

    E aí o eleitor vai ver que, se sairmos da questão do aborto, a mais importante, o PT leva ainda mais desvantagem.

    Verá, por exemplo, quem tentou calar a Imprensa, atitude típica de partidos que desejam a ditadura pra já.

    A Imprensa baixava a lenha em FHC, mas, ao contrário de hoje, em que ela é chamada de golpista pelos partidários do PT, louvavam-se aqueles ares democráticos, que a permitiam atuar com liberdade.

    O PNDH 3 é só a tentativa mais recente. Desde seus primeiros dias de governo, Lula e o PT tentam amordaçar a Imprensa.

    Agora, pôr na frente de questões essenciais para um católico alguns benefícios econômicos ou sociais (duvidosos até quanto à autoria, já que a maioria é apenas a continuidade da social-democracia tucana) não é
    digno nem de fazer nem de se aconselhar.

    Não querer votar em Serra é compreensível. Mas fazer propaganda para a ideologia assassina do PT é pavoroso demais.

    Quanto ao boato, se fosse sobre Dilma, aposto que os defensores dele diriam que, além de jogo sujo, era coisa do passado e que todo mundo tem direito a ser perdoado, o que está certo. E, como ficou claro, não há como fazer disso um argumento para votar no PT.

  12. Ana

    Veja você, dona Vera, o “Apelo” dos bispos tem um tom firme, vigoroso, de condenação da política abortista, mas, em nenhuma parte, ele se refere aos candidatos como pessoas “vis” ou “baixas”, como faz a senhora conosco.

    Isso me leva a pensar que a sua indignação com a “profanação do ódio” é mais do que um erro acidental de grafia.

    A dona Lia deve achar que o 5º Mandamento não tem nada a ver com Jesus.

    E ainda tem um Jonas. Esse Jonas deve ter passado uns três anos apertado dentro de um beta… e saiu de lá um tanto confuso.

  13. Leniéverson Azeredo Gomes

    Pelo jeito de comentar vc parece uma “católica” pelo direito de decidir.Que papo é esse de que o aborto não é tema crucial?O Direito a vida não é Crucial.Lutar por aquilo que acreditamos é crucial.Acho que vc não é cristã de fato.

  14. Carlos

    Aos petralhas que se fazem de legalistas, aconselhando-nos a sermos fiéis cumpridores das leis e das decisões judiciais, mesmo que iníquas, coloco o seguinte dilema:

    Todo santo dia o TSE aplica uma multinha mixuruca no Lula, porque todo santo dia o Lula usa o horário em que deveria estar despachando no Planalto, ou usa instalações públicas, em favor de sua candidata horrorosa. Está todo dia em cima de um palanque acompanhando seu canhão raivoso.

    A coisa é tão escandalosa – típica de uma republiqueta de bananas – que o TSE acaba aplicando a multa, muito embora a contragosto.

    O Lula recebe a notificação da multa, dá uma gargalhada, toma mais uma dose no gargalo mesmo, e corre para o palanque seguinte.

    Aí nenhum dos moralistas reclama. Aí todo petralha acha isso bonitinho.

    Por que a Polícia Federal não prende o Lula?

    Que país é esse??

    Agora, eu não posso obedecer a um bispo leal e distribuir um panfletinho que, sem citar nome de candidato, recomenda aquilo que a Igreja sempre recomendou: que não se vote em abortista. Se eu fizer isso, vou preso.

    Assim não dá. Só me resta responder, mais uma vez:

    PETRALHAS, VÃO PRA CUBA QUE OS PARIU!!!

  15. Leniéverson Azeredo Gomes

    Eu queria partilhar o que uma pessoa que se diz católica, lá de João Pessoa, terra do dom Aldo Pagotto, da minha lista de MSN e ORkut mandou para mim.Coisas que a grande imprensa não divulga!!!

    “Olá pessoal,

    Mais vai um esclarecimento sobre os boatos plantados sobre a candidata Dilma.
    Leia , e por favor repassem aos seus amigos.

    Boa noite; Abraço

    XXXXXX

    Nome da CNBB está sendo usado para enganar fiéis, diz nota

    Viomundo 7 de outubro de 2010 às 9:54h

    Em nota oficial, a Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP) manifestou preocupação com a ação de muitos grupos que, em nome da fé cristã, “têm criado dificuldades para o voto livre e consciente”. “Esses grupos continuaram, inclusive, usando o nome da CNBB, induzindo erroneamente os fiéis a acreditarem que ela tivesse imposto veto a candidatos nestas eleições. Continua sendo instrumentalizada eleitoralmente a nota da presidência do Regional Sul 1 da CNBB, fato que consideramos lamentável, porque tem levado muitos católicos a se afastarem de nossas comunidades e paróquias”.

    da Carta Maior

    Nota da Comissão Brasileira Justiça e Paz

    O MOMENTO POLÍTICO E A RELIGIÃO

    “Amor e Verdade se encontrarão. Justiça e Paz se abraçarão” (Salmo 85)

    A Comissão Brasileira Justiça e Paz (CBJP) está preocupada com o momento político na sua relação com a religião. Muitos grupos, em nome da fé cristã, têm criado dificuldades para o voto livre e consciente. Desconsideram a manifestação da presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil de 16 de setembro, “Na proximidade das eleições”, quando reiterou a posição da 48ª Assembléia Geral da entidade, realizada neste ano em Brasília. Esses grupos continuaram, inclusive, usando o nome da CNBB, induzindo erroneamente os fiéis a acreditarem que ela tivesse imposto veto a candidatos nestas eleições.

    Continua sendo instrumentalizada eleitoralmente a nota da presidência do Regional Sul 1 da CNBB, fato que consideramos lamentável, porque tem levado muitos católicos a se afastarem de nossas comunidades e paróquias.

    Constrangem nossa conciência cidadã, como cristãos, atos, gestos e discursos que ferem a maturidade da democracia, desrespeitam o direito de livre decisão, confundindo os cristãos e comprometendo a comunhão eclesial.

    Os eleitores têm o direito de optar pela candidatura à Presidência da República que sua consciência lhe indicar, como livre escolha, tendo como referencial valores éticos e os princípios da Doutrina Social da Igreja, como promoção e defesa da dignidade da pessoa humana, com a inclusão social de todos os cidadãos e cidadãs, principalmente dos empobrecidos.

    Nesse sentido, a CBJP, em parceria com outras entidades, realizou debate, transmitido por emissoras de inspiração cristã, entre as candidaturas à Presidência da Republica no intento de refletir os desafios postos ao Brasil na perspectiva de favorecer o voto consciente e livre. Igualmente, co-patrocinou um subsídio para formação da cidadania, sob o título: “Eleições 2010: chão e horizonte”.

    A Comissão Brasileira Justiça e Paz, nesse tempo de inquietudes, reafirma os valores e princípios que norteiam seus passos e a herança de pessoas como Dom Helder Câmara, Dom Luciano Mendes, Margarida Alves, Madre Cristina, Tristão de Athayde, Ir. Dorothy, entre tantos outros. Estes, motivados pela fé, defenderam a liberdade, quando vigorava o arbítrio; a defesa e o anúncio da liberdade de expressão, em tempos de censura; a anistia, ampla, geral e irrestrita, quando havia exílios; a defesa da dignidade da pessoa humana, quando se trucidavam e aviltavam pessoas.

    Compartilhamos a alegria da luz, em meio a sombras, com os frutos da Lei da Ficha Limpa como aprimoraramento da democracia. Esta Lei de Iniciativa Popular uniu a sociedade e sintonizou toda a igreja com os reclamos de uma política a serviço do bem comum e o zelo pela justiça e paz.

    Brasília, 06 de Outubro de 2010

    Comissão Brasileira Justiça e Paz, Organismo da CNBB

    *Matéria originalmente publicada no site Vi o mundo

    Mas será que são boatos mesmo?

  16. Leniéverson Azeredo Gomes

    Sim, jorge, mas essa pessoa se diz ligada a pastoral da juventude lá em João Pessoa e distribuiu o e-mail para uma legião de pessoas.Isso é um reflexo claro de q, o racha da CNBB tem suas consequencias imediatas.Veja bem, mesmo o bispo dela, no caso o Dom Aldo não apoiar a dilma, os Bispos rebeldes acabam gerando precedentes relativistas.

  17. marcio

    Mas afinal de contas… Se eu estiver distribuindo esse panfleto posso ir preso? Ou posso ter o material apreendido???

    O que devo fazer se petistas vierem querer levar os panfletos dizendo que estou cometendo um crime? Porque se eles desconfiarem eles virão com paus e pedras nas mãos e LITERALMENTE.

    Tem gente distribuindo por ai? Se tiver conte como está sendo e quais as maiores dificuldades para a gente ja se preparar. Por favor.

  18. katiaseo

    Respondendo à Vera Lucia says:

    18 October 2010 at 10:37 am

    A Paz de Cristo! Não existe nenhuma contradição na Igreja divulgar aos seus fiéis a orientação quanto a sua doutrina. E a DOUTRINA da IGREJA é clara, segundo O Papa Bento XVI, o aborto é homicídio de inocentes e é um crime que causa abominação aos olhos de Deus, assim como o homossexualismo que são duas práticas defendidas pelo PROGRAMA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES do qual dona Dilma Rousseff faz parte e é mentora intelectual do PNDH-3, porque o PRESIDENTE QUE VOCÊ ELEGEU NÃO TEM ENVERGADURA INTELECTUAL para bolar um plano tão SATÂNICO! EU DIRIA ATÉ QUE ELE SERVE MAIS COMO BOI DE PIRANHA PARA AS TREVAS DE SATANÁS UM VERDADEIRO FANTOCHE NAS MÃOS DO CAPETA!

  19. Robson

    Atenção tão comentando que se alguem for pego distribuindo o panfleto pode ser preso, gostaria de saber como proceder se a polícia me abordar.

  20. Giselle

    Salve Maria!
    Os católicos não podem se calar nem ficar só na defesa virtual,tem que partir pro combate.Pena que nem todos “católicos” entendem isso,e aí afff lá vem esse povo da “Civilização do amor” falando pelos cotovelos! Desconhecer a Sã Doutrina da Igreja dá nisso!A Igreja tem sim que orientar seus fiéis em tudo.Nem dá pra discutir com gente assim.
    Lia,Vera Lúcia,vão orar em línguas e deixem a defesa da Sã Doutrina com católicos reais.