A Odisséia da Vida

closeAtenção, este artigo foi publicado 6 anos 9 meses 11 dias atrás.

Nos olhos há milhões e milhões de átomos, há milhões e milhões de moléculas de uma complexidade e instabilidade estonteadoras, há células e tecidos, há nervos que sentem, há músculos que movem, há vasos que alimentam, e tudo, desde as propriedades químicas e fisiológicas da citropsina até aos movimentos reflexos que asseguram o poder de acomodação do cristalino ou os movimentos sinérgicos dos globos oculares, tudo converge admiravelmente para a unidade de uma função. É esta convergência, é este princípio de unidade – que exige uma explicação, que pede uma razão de ser. E outra razão de ser não há senão admitir que a natureza construiu um órgão para ver.

Pe. Leonel Franca, “O problema de Deus”.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

4 thoughts on “A Odisséia da Vida

  1. Alex

    O vídeo mostra o desabrochar de uma vida humana a partir da fecundação do óvulo pelo espermatozóide! De fato, a vida humana, começa a partir da fecundação e o vídeo mostra bem isso.

    Vendo a cena da fecundação, quando começa a vida, pensei na questão da fecundação in vitro ou artificial. Sei que ela é moralmente inadimissível, porque usa vários óvulos fecundados, vários embriões que são eliminados por motivos técnicos que desconheço, mas são eliminados (mortos) e são vidas humanas.

    Gostaria, pois, de saber se recorrer a fecundação artificial causa excomunhão?!

  2. Alex

    De ACI Digital

    “A doutrina católica se opõe à fecundação in vitro por duas razões primordiais: primeiro, porque se trata de um procedimento contrário à ordem natural da sexualidade que atenta contra a dignidade dos esposos e do matrimônio; segundo, porque a técnica supõe a eliminação de seres humanos em estado embrionário tanto fora como dentro do ventre materno, implicando vários abortos em cada processo.”

    http://www.acidigital.com/noticia.php?id=20578