Minas Gerais: PF, PT, “crime eleitoral” e Igreja Católica

closeAtenção, este artigo foi publicado 3 anos 4 meses 4 dias atrás.

Esta eu li no Voto Católico; alguém tem mais informações sobre o assunto? Ao que parece, quatro sacerdotes foram intimados pela Polícia Federal a prestarem depoimento sobre [seu envolvimento n]a divulgação dos famosos panfletos censurados pelo PT nas eleições de outubro passado. Apenas relembrando alguns fatos:

1. O Partido dos Trabalhadores é aberta e institucionalmente abortista.

2. A sra. Rousseff é declaradamente abortista, como já disse e repetiu diversas vezes.

3. O documento da Regional Sul 1 da CNBB, como pode ser visto, não continha senão fatos públicos e amplamente conhecidos.

4. Durante as eleições, a sra. Rousseff “deu uma de doida” e tentou “desmentir” (!) o “boato” (!!) de que era favorável ao aborto, mentindo escandalosamente durante a campanha eleitoral na maior cara dura.

5. Os panfletos que foram ilegalmente apreendidos em outubro passado eram um documento oficial da Igreja Católica – que, até onde se saiba, tem pleno direito de expôr a Sua Doutrina Moral e Social.

6. Quando as circunstâncias o exigirem, os bispos “têm o grave dever de emitir um juízo moral mesmo em matérias políticas”, como disse o Papa.

É portanto estarrecedor que a GestaPTo esteja ainda empenhada em perseguir membros do clero que não fizeram senão ser fiéis à Igreja que prometeram servir. Rezemos pelos sacerdotes, rezemos pela Pátria.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

2 comentários em “Minas Gerais: PF, PT, “crime eleitoral” e Igreja Católica

  1. Messias

    A PF bem que poderia intimar a CUT que fez (e faz) descaradamente propaganda negativa aos adversários do PT com dinheiro dos trabalhadores.

    Deveria também intimar os editores de Carta Capital e Istoé que também fizeram propaganda pró PT.

  2. roberto quintas

    Jorge, se eu não me engano, na época, a Diocese de Guarulhos chegou a negar que os panfletos tivessem sido produzidos ou de autoria da Diocese.

Deixe um comentário: