Dom Raymundo Damasceno, novo presidente da CNBB

closeAtenção, este artigo foi publicado 6 anos 3 meses 14 dias atrás.

 

Foto: CNBB

Foi eleito ontem o novo presidente da CNBB: o Arcebispo de Aparecida, o Cardeal Raymundo Damasceno. “No primeiro escrutínio, dom Damasceno havia obtido 161 votos contra 91 de dom Odilo [Scherer, Arcebispo de São Paulo]. Por não ter alcançado 2/3 dos votos (182), houve a necessidade do segundo escrutínio. Dom Damasceno foi secretário da CNBB por dois mandatos consecutivos (1995-1998; 1999-2003)”.

A eleição ocorreu na 49ª Assembléia Geral da CNBB, que começou na semana passada e se estende até o próximo dia 13 de maio. Dia de Nossa Senhora de Fátima…

A Conferência tem um triste histórico de militância contra a Igreja Católica aqui nesta Terra de Santa Cruz. Esperamos [e rezamos para] que a eleição do Arcebispo de Aparecida possa, ao menos, mudar (um pouco que seja) o panorama geral do grande órgão burócratico perseguidor dos bons bispos e sufocador da Sã Doutrina.

A 49º AG termina no dia de Nossa Senhora de Fátima. Rezemos mais uma vez! Sem cansaços, despindo-nos das frustrações acumuladas ao longo dos anos. Rezemos como se fosse a primeira vez e como se fosse a última oportunidade que nós temos. Rezemos, como se fosse a única vez! Virgem Santíssima, nós ainda estamos à espera de um milagre. Rogai por nós!

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

3 thoughts on “Dom Raymundo Damasceno, novo presidente da CNBB

  1. Sérgio

    Rezemos por ele, pois o seu histórico não ajuda:

    – É um carreirista de marca maior; já foi tudo que é cargo (seja na CNBB ou no CELAM). Hoje é Cardeal da Santa Igreja e a presidência da CNBB era o unico cargo que faltava em seu curriculo. Faltava.
    – Acende vela prá tudo que é santo. Rifou d. Beni e d.Luis Gonzaga na polêmica dos panfletos em defesa da vida. Deve ser por isso que ele, e não o nuncio apostólico ou o Arcebispo de Brasilia, foi indicado para dar parabéns a Dilma na posse dela.
    – Não apoia a tradição, nem os carismáticos e nem a TL, mas utiliza de seus serviços a medida que isso o convem.

    Rezemos pela distribuição dos outros cargos.

  2. igson

    Ele pode pensar que ele é alguma coisa. Fique ele sabendo que tem é que se tocar e estar em unidade com o Santo Padre…Essa CNBB tem sido uma vergonha aos Católicos !

  3. Pingback: Curtas de Quarta – Contos do Átrio