Curtas

closeAtenção, este artigo foi publicado 6 anos 22 dias atrás.

O Ano Sacerdotal: coletânea de textos do Papa Bento XVI organizada pelo pe. Demétrio Gomes. «As páginas deste livro contêm as principais intervenções do Romano Pontífice dirigidas aos sacerdotes ao longo do Ano Sacerdotal. Constituirão, certamente, um sólido alimento para a meditação dos sacerdotes, assim como uma preciosa catequese para todos os membros da Santa Igreja acerca deste ministério sagrado». São 205 páginas, pela Editora Ecclesiae.

Fica a dica. Mais informações aqui.

* * *

Bispo mexicano afirma que o Vaticano lhe pediu explicações sobre seu apoio a um grupo gay. Trata-se de Dom Raúl Vera López.

Para quem não conhece a história: no início do mês passado apareceram alguns “fiéis” gays, com o apoio do bispo, pedindo um “matrimônio gay”. Os católicos, naturalmente indignados com este vergonhoso apoio dado por Sua Excelência, manifestaram-se pedindo um bispo católico para a diocese de Saltillo – ao que Dom Raúl respondeu oficialmente: “por fidelidade ao ministério pastoral que desempenha, (o Bispo Vera) não cessará seu dinamismo e sua voz, que procuram contribuir à construção de comunidades de fé mais viva e comprometidas e de uma sociedade mais humana”. Apareceu também um abaixo-assinado “em solidariedade” a Sua Excelência.

Pois bem, agora o Vaticano pede esclarecimentos a Dom Raúl Vera López. “Não estou contra o magistério da Igreja, nem estou promovendo a desonestidade, iria contra meus princípios promover a depravação ou a degeneração das pessoas”, disse Sua Excelência. Veremos se o compromisso do bispo de Saltillo é com o Evangelho ou com a Agenda Gay.

* * *

Jovem religiosa defende o uso público do hábito desafiando a Cristofobia. À Paris! A garota foi ao Liceu Carnot de hábito e provocou a ira dos professores laicistas. “Os jornais fizeram estardalhaço com o fato e o secretariado geral do ensino católico exigiu que a irmã Ana Verônica desse prova de ‘juízo’ e comparecesse usando roupas civis”.

A matéria acima diz que a irmã escreveu uma carta em resposta, que foi publicada pelo La Croix. Não encontrei a original. Encontrei este áudio do dia 23 de junho que minha incompetência lingüística me impede de entender a contento. No entanto, a polêmica é verdadeira. Tristes tempos em que provoca polêmica o fato de uma freira se vestir… como freira! Parabéns a Sœur Anne-Véronique. Que Nosso Senhor possa, n’Aquele Dia Terrível, testemunhar em favor desta garota que, aqui na terra, não hesitou em dar testemunho d’Ele.

* * *

– É também interessante este texto do Fratres sobre a Cruz de Cristo e os judeus. Interessante, porque o rabino de Roma parece descobrir a pólvora:

« Pois então há o risco – prossegue – de se entrar na teología da substituição e a Cruz se converte em obstáculo. O diálogo judaico-cristão corre inevitavelmente este risco, porque a idéia do cumprimento das promessas judaicas é a base da fé cristã; assim, o afirmar-se desta fé implica sempre uma idéia implícita de integração, se não de superação da fé judaica ».

De Segni continua: « a língua do diálogo deve ser comum e o projeto deve ser compartilhado. Se os termos do diálogo são baseados em cristãos indicando aos judeus o caminho da Cruz, não se entende o porque do diálogo nem o porque de Assis ».

Ora, como já dissemos e repetimos incontáveis vezes, o objetivo do “ecumenismo” e do diálogo inter-religioso não é outro que não a conversão de todos os homens à Igreja Católica, Única Igreja de Cristo e caminho necessário para a salvação. Se o De Segni não entendeu isto ainda, então ele realmente não faz a menor idéia do que é o “diálogo” ou do porquê de encontros como o de Assis.

Sim, a afirmação da Fé Católica é, ipso facto, a negação de toda e qualquer outra falsa fé, e isto é bastante evidente. Que bom que um rabino descobriu o sol ao meio-dia! Já é meio caminho andado para que ele possa agora, enfim, deixar que o Onipotente tire-lhe dos olhos o véu da cegueira e o conduza à Igreja de Nosso Senhor.

* * *

Deve-se prender mulheres por causa do aborto? Via Wagner Moura. Não vou dizer do que se trata, vejam lá. Recomendo enfaticamente a leitura. Só para dar um gostinho: «É, amiguinhos, assim é o mundo pós-descriminalização do aborto. Você aí pensando que ser contra o aborto não implica em ser contra a descriminalização do aborto uma vez que assim todos poderão ser amigos e felizes… Você é só um idiota. Obrigado».

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

7 thoughts on “Curtas

  1. Djavan

    Nós somos obrigados a continuar obedecendo bispos hereges e apóstatas como o da notícia acima? Não há nada que automaticamente os embargue? Se não, deveria haver! Isso pode significar que o modelo de Igreja que nós temos, embora apostólico, não funciona mais, o diabo arrumou um jeito de sabotá-lo! Precisamos de outro…

  2. Messias

    Valeu pelo post, Jorge.

    O caso da prisão da senhora serve como alerta das pretensões dos abortistas.

  3. Cristiano

    O mais incrível na hipocrisia de Monsenhor Veras é que ele como todos os bispos conhecem o trabalho do Apostolado Courage (inclusive a CNBB, acreditem!Muito embora para conseguirmos uma aprovação para termos Courage aqui está dificílimo), que é aprovado pelo Santo Padre exatamente porque segue exatamente aquilo que orienta a Santa Igreja.

    Mas interessante ainda é que em Guadajara,México e em diversas outras dioceses mexicanas, o Courage está presente, mas ele prefere orientar as pessoas com AMS (Atração pelo mesmo sexo) ao pecado, por respeito humano ou não sei o que, triste!

    O interessante é que o Courage não consegue a autorização para trabalhar na diocese dele, então como ele consegue afirmar de consciência limpa que: “Não estou contra o magistério da Igreja, nem estou promovendo a desonestidade, iria contra meus princípios promover a depravação ou a degeneração das pessoas”?

    Um bispo desse é um ramo que já não está ligado à videira, tristíssimo!

    E bom, a resposta da pergunta lançada no fim da nota do Jorge, para mim é clara como o dia.

  4. Daniela

    Apenas um comentário sobre o blog “Fratres in Unum”: eles são altamente tendenciosos e, muitíssimas vezes, publicam partes de textos fora de seu contexto original, para enfatizar aquilo que querem defender. Também não é possível considerar que estão em plena comunhão com a Igreja, a partir das críticas que fazem ao Papa Bento XVI, ao Papa João Paulo II (e à sua beatificação) e ao Concílio Vaticano II. Então, antes de publicar qualquer coisa dita por eles (e pelo pessoal da FSSPX), é sempre melhor verificar o conteúdo original e publicá-lo de lá. Fica a sugestão!
    No mais, ótimo post!

  5. Wilson Ramiro

    Criança Esperança????

    “A Unesco vai apoiar ótimos projetos no brazil”

    U N E S C O
    “Com relação à utilização de células-tronco de embriões humanos para pesquisas, seria desejável que não houvesse imposição moral de qualquer interesse sobre outro, seja ele científico, religioso, jurídico ou político.”

    O diretor da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) no Brasil, Vincent Defourny, enviou esta semana para a ABGLT – Associação Brasileira de gays, Lésbicas e Transgêneros, um ofício apoiando o projeto Escola sem Homofobia, que a partir de 2011 levará a 6 mil escolas públicas materiais para professores e alunos contra a discriminação aos LGBTs.

  6. Wilson Ramiro

    Criança Esperança????

    “A Unesco vai apoiar ótimos projetos no brazil”

    Escola com Criança Esperança e Affroreggae é a pior do Rio no Ideb

    U N E S C O
    “Com relação à utilização de células-tronco de embriões humanos para pesquisas, seria desejável que não houvesse imposição moral de qualquer interesse sobre outro, seja ele científico, religioso, jurídico ou político.”

    O diretor da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) no Brasil, Vincent Defourny, enviou esta semana para a ABGLT – Associação Brasileira de gays, Lésbicas e Transgêneros, um ofício apoiando o projeto Escola sem Homofobia, que a partir de 2011 levará a 6 mil escolas públicas materiais para professores e alunos contra a discriminação aos LGBTs.