A depravação pública e o “falso moralismo hipócrita” dos cidadãos brasileiros

closeAtenção, este artigo foi publicado 5 anos 8 meses 24 dias atrás.

Foi na semana passada que eu vi a repercussão negativa que teve a Parada Gay do Acre, quando um sujeito bêbado foi fotografado simulando sexo oral em outro homem (vejam também aqui e aqui). O negócio chocou tanto que a ABGLT veio rapidamente a público protestar não contra os atos depravados dos dois participantes do evento, mas contra o “falso moralismo” dos cidadãos indignados com esta sem-vergonhice pública (e patrocinada com dinheiro público). Transformando-os em monstros hipócritas fundamentalistas e retrógrados sobre os quais recai exclusivamente a culpa do mal-estar provocado pela dupla de sodomitas, a associação só falta pedir-lhes a cabeça em uma bandeja de prata.

E assim, com a presteza de um “abracadabra”, o problema não é mais um evento cujos participantes – na mais completa falta de respeito à moralidade pública mais basilar – simulam (ou praticam) abertamente atos sodomitas. O problema é o “tamanho alvoroço” que estas coisas provocam. O problema, na verdade, é o povo brasileiro recusar-se a tratar com naturalidade uma coisa tão natural quanto dois marmanjos simulando sexo oral nas ruas! De acordo com a AGBLT, quem não concorda com a depravação homossexual é um moralista hipócrita!

Diz ainda a referida associação que isto foi um “caso isolado”. Sinto muito, mas não é o que dizem as testemunhas oculares. Por exemplo, em julho último, a Barbara Gancia (que até onde me conste não é nenhuma “militante homofóbica católica de extrema-direita”) esteve na última Parada Gay de São Paulo, e descreveu o evento de uma maneira um pouco diferente do que a ABGLT está tentando vender:

Fui cobrir o final da Parada Gay para a TVFolha e cheguei à rua da Consolação depois da chuva e da tentativa de arrastão. Encontrei um clima hostil. Metade das pessoas com quem tentei falar se recusou a mostrar a cara para a câmera e a outra fez questão de dizer que só estava ali na condição de observador. Não vi quase ninguém sóbrio. E o que tinha de gente se bulindo uma na outra?

Nesta semana, em discurso na assembleia, Myrian Rios, ex-modelo e atriz e atual deputada arrependida, confundiu gays e pedófilos. Ignorância que parece ser mais norma do que exceção.

Basta ver como agiam na parada os ditos “simpatizantes”. Eles estavam lá para arrebentar. Porque aquela é a festa dos gays e, ali, naquele território, por definição, pode tudo. Está certo que cheguei em fim de festa, mas o que eu vi na Parada Gay 2011 foi algo próximo de uma suruba ao ar livre.

Nos primeiros anos, a parada tentava ser nova-iorquina. Depois, transformou-se em zoológico. Agora, “a maior parada gay do mundo” virou possivelmente uma das maiores esbórnias do planeta. Que espelha o país conservador, sem instrução e violento que a abriga.

Enquanto isso, os revolucionários gayzistas (empenhados em forçar 190 milhões de brasileiros a aceitarem naturalmente a imoralidade sodomita) procuram minimizar os efeitos das palavras ou das imagens que mostram a sodomia em toda a sua fealdade. Na base do “não é bem assim” e das acusações de “falso moralismo”, querem a todo custo mascarar a realidade. Quando alguma coisa mais repugnante fura a cortina de purpurina cor-de-rosa levantada pela máquina de propaganda gayzista, eles se fazem de vítimas e chamam de hipócritas os cidadãos de bem que tiveram a sua sensibilidade agredida pela depravação homossexual realizada em público – na mais completa falta de respeito aos que não rezam conforme a cartilha gay e na mais cínica intolerância àqueles a quem é conveniente chamar de “intolerantes”. É uma estratégia sofisticada de engenharia social, uma máquina de propaganda de fazer inveja à de Goebbels! Continuar aceitando tranquilamente que eles ditem as regras do jogo pode custar muito caro para o Brasil.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

18 thoughts on “A depravação pública e o “falso moralismo hipócrita” dos cidadãos brasileiros

  1. Álvaro Fernandes

    Na próxima vez que forem fazer essas coisas!!!!!!Respeitem os símbolos religiosos católicos!!!!Respeitem a cruz de Cristo!!!! e respeitem os hinos e louvores evangélicos ou católicos!!!!!!!!

    Ridicularizem e fresquem com quem quiser!!!!!!!!!!!!!Mas com DEUS não se brinca!!!!!
    Deus não se deixa escarnecer!!!!!!!!!!!!!!
    Também sou contra a banalização do sexo no carnaval,mas até hoje NUNCA vi nenhum hétero frescando com DEUS nas marchinhas e blocos de Carnaval!!!!!

    E qualquer hétero que pratica “atentado violento ao pudor”(tipificado no CP) deve ser preso!!!!Estará surgindo no Brasil uma classe privilegiada?

    Senhor!!!!! Estão querendo transformar o nosso país em Sodoma e Gomorra!

  2. Álvaro Fernandes

    Jorge!

    Sei que o texto é sobre o “sexo oral simulado” na parada gay do Acre,mas irei mostrar uma argumentação fajuta “retirada da Bíblia” pelos militantes gays hoje na faculdade!!!!!
    Eles estão tentando driblar Romanos 1.26-28 onde Paulo deixa claro que o homossexualismo é pecado e eles afirmam que Paulo não condenou a relação homossexual monogâmica!!!!!

    Paulo condenou TODO e qualquer tipo de homossexualidade!

    O Novo Testamento concorda com, e confirma, a condenação do Velho Testamento da homossexualidade. Alguma passagem da Bíblia pode ser mais clara na condenação do homossexualismo do que a afirmação de Paulo encontrada no primeiro capítulo de Romanos: “Por isso, Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seu próprio coração, para desonrarem seus corpos entre si; pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e adoraram e serviram a criatura mais do que o Criador, o qual é bendito eternamente. Amém. Por essa razão Deus os entregou a paixões infames. Pois até mesmo as mulheres mudaram o modo natural pelo que é contra a natureza. Do mesmo modo os homens, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, homens com homens cometendo o que é torpe, e recebendo em si mesmos a penalidade devida pelo seu erro. E por haverem desprezado o conhecimento de Deus, o próprio Deus os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem coisas inconvenientes… os quais, sabendo do justo juízo de Deus, de que aqueles que praticam tais coisas são passíveis de morte, não somente as fazem, mas também aprovam os que as praticam” (Rm 1.24-28,32).

    Defensores do comportamento homossexual tentam driblar Romanos 1 alegando que Paulo estava condenando somente a luxúria e promiscuidade homossexual e não as amáveis e monogâmicas relações homossexuais. O problema com essa interpretação pró-homossexual é que Paulo nem sequer sugere tal idéia no texto. Essa idéia, que era pra estar no texto, claramente não está lá. Paulo era um expert em complexos problemas éticos. Sua condenação abrange todas as formas de comportamento homossexual: seja promiscuo, seja monogâmico. Se a homossexualidade é permissível sob certas condições, então a mentira, assassinato, difamação, e outros pecados listados por Paulo também são permitidos sob certas condições? Poderia um apologista do homossexualismo argumentar que o sexo com cabras e ovelhas é permitido desde que o relacionamento seja amoroso e monogâmico?

    Outros apologistas dizem que Paulo estava somente se referindo à prostituição cultica grega. Mas o texto não diz nada sobre a prostituição cultica grega. Paulo estava focado sobre o que acontece quando as pessoas enxotam Deus de seus pensamentos e adoram ídolos. Paulo estava discutindo o comportamento pessoal moral. Quando as pessoas abandonam Deus, seu comportamento pessoal se torna perverso. Se Paulo condenou somente a prostituição ritual grega, então porque a igreja primitiva condenou todas as formas de homossexualismo? Por que é que toda congregação de igreja cristã e todas as denominações cristãs condenaram todas as formas de homossexualismo durante quase dois mil anos? Foi só nos anos 1970 que o homossexualismo começou a receber aceitação na sociedade. E não é acidental que as igrejas que mudaram suas visões geralmente façam parte de denominações liberais que rejeitaram a autoridade divina da Bíblia. Se Cristo e os apóstolos aceitaram a homossexualidade monogâmica, então por que ela foi universalmente condenada na igreja apostólica?

    A tentativa mais sagaz de repudiar a condenação de Paulo da homossexualidade é a teoria da pederastia. Essa visão afirma que Paulo, seguindo a cultura grega, somente estava condenando a exploração sexual e emocional de jovens por parte de homens. Esta visão assume que Paulo era somente um produto da cultura grega pagã de seu tempo. Mas a Bíblia claramente ensina que Paulo escreveu sob a sobrenatural direção do Espírito Santo (2Pe 3.15-16). Para entender a visão de mundo de Paulo, não se deve olhar para a Grécia ou Roma pagãs, mas para o Velho Testamento, os ensinos de Jesus Cristo e dos outros apóstolos. A condenação de Paulo da homossexualidade é totalmente consistente com, e uma continuação da, lei de Deus revelada a Moisés. A pederastia é errada e é condenada por Deus porque é uma forma ou tipo de homossexualidade. É também pecaminosa e perversa porque é uma forma de sexo fora dos laços do matrimônio legal, monogâmico e heterossexual. O homossexualismo é perverso, não interessa a idade dos participantes. A idéia de que pelo fato de dois homens terem alcançado a idade de 18 anos, Deus aprova o sexo oral e anal que eles fazem é absurda. Paulo condena tal pensamento perverso e tolo há muito tempo: “Mas sabemos que a lei é boa e aquele que a utiliza de modo legítimo, mas sabeis disto: que a lei não foi feita para o que é íntegro, mas para os transgressores e rebeldes, para os irreverentes e pecadores, para os ímpios e profanos, para os assassinos de pais e mães, homicidas, para os fornicadores, para os sodomitas , raptores de homens, para os mentirosos, para os perjuros, e para tudo quanto seja contrário à sã doutrina” (1Tm 1.8-10).

  3. Álvaro Fernandes

    Deixarei o recado para os gaysistas que irão reclamar dos meus posicionamentos,pois alguns reclamraram nos blogs evangélicos!

    Vivemos em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.

    Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato” (inciso IV) e “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença” (inciso IX).

    Além disso, cabe salientar que a proteção legal do meu comentário também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que “é inviolável a liberdade de consciência e de crença”.

    Ressalto também o disposto no Art. 220 – A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo, não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

    §1° – Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto no art. 5°, IV, V, X, XIII e XIV;

    §2° – É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística. (os grifos não constam do original)

    Fonte: Constituição do Brasil

    – Sobre direitos autorais, baseamo-nos na lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege (Capítulo IV, artigo 46º):

    Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:

    III – a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e a origem da obra.

    Fonte: http://www.planalto.gov.br

    – Sobre a liberdade de crença religiosa, de debates teológicos e críticas:

    Quanto à questão religiosa, o art. 208 do CP aponta para a “tutela do direito que o homem goza de ter sua crença e professar uma religião” (Noronha, 2003, p.40), tendo por “objeto jurídico: a liberdade de crença e o exercício dos cultos religiosos, que não contrariem a ordem pública e os bons costumes” (Damásio, 2005, p.724). Sob os dizeres de Delmanto, o “objeto jurídico tutelado é o sentimento religioso”, (Delmanto, 2002, p.453); e, de certa forma, indo além do basicamente evidente, vale destacar o ensino de Mirabete:

    Protege-se […] o sentimento religioso, interesse ético-social em si mesmo, bem como a liberdade de culto. Embora sejam admissíveis os debates, críticas ou polêmicas a respeito das religiões em seus aspectos teológicos, científicos, jurídicos, sociais ou filosóficos, não se permitem os extremos de zombarias, ultrajes ou vilipêndios aos crentes ou coisas religiosas (Julio Fabrini Mirabete – Manual de Direito Penal. 2005, p.404)

    É preciso dar destaque ao entendimento de Mirabete que, de modo bastante objetivo faz separação entre a saudável divergência de opiniões, idéias, doutrinas e os entendimentos teológicos, de atitudes de desagravo, tais como: zombarias, ultrajes e vilipêndios. Desse modo, enquanto é lícita a defesa de idéias e doutrinas em contraposição com outras divergentes, não é uma atitude lícita achincalhar (Ridiculizar, ridicularizar; escarnecer) pessoas ou denominações com expressões pejorativas e ofensivas.

    Fonte: [ A Liberdade de Expressão e a Responsabilidade – Pr. Solon ]
    Para um conhecimento jurídico mais amplo, recomendo a leitura de todo o texto através do link acima.

    – Vale ressaltar que, no “contexto teológico”, alguns termos não são considerados ilícitos, tais como: misticísmo, heresia, falso profeta, escarnecedor, ímpio, lobos, falso pastor, etc., uma vez que a Bíblia estabelece para o Cristão vários parâmetros de julgamento de comportamentos. Sendo comprovado biblicamente o teor da afirmativa, é válida a utilização de tais termos.

    Portanto, no contexto jurírico – em síntese – é permitido o debate de idéias, as polêmicas, as críticas a respeito das religiões e seus aspectos teológicos, e demais assuntos, desde que não ocorram ofensas pessoais e crimes contra a honra, tais como: calúnia (que é a acusação falsa de crime), difamação (que é a imputação a alguém de fato ofensivo à sua reputação, ) e a injúria ( que é a ofensa à dignidade ou ao decoro de outrem).

    – Sobre criticar o homossexualismo:

    TJ – RJ ENTENDE QUE CRITICAR O HOMOSSEXUALISMO É UM DIREITO(Parte da decisão)

    “Não se pode negar aos cidadãos heterossexuais o direito de, com base em sua fé religiosa ou em outros princípios éticos e morais, entenderem que a homossexualidade é um desvio de comportamento, devendo ser reprimida, não divulgada ou apoiada pela sociedade […] Trata-se de direito à liberdade de pensamento, de religião e de expressão”.

    Bom! Se quiserem !!!!Eu trago a decisão aqui na íntegra!!!!!
    Por isso nem adianta dizer no meu email(nem sei como conseguiram!!!!) que vão me processar!!!!!
    Podem me processar!!!!!!!
    EU SOU LIVRE !!!!!!! E só deixo de postar sobre o homossexualismo se o Jorge não permitir!!!´porque o blog é dele!!!!!!!!!!

  4. Ygor

    Caro Jorge,

    O que houve com o seu blog às 23:50, aproximadamente, no dia 30/11/11? Ao entrar, me deparei com nova aparência, tipo textos na frente deixando uma transparência da paisagem ao fundo. Minutos após tudo voltou como era. O que houve?

  5. manoel carlos

    tem Bispo ou igreja catolica no Acre?
    vi essa mateia na igreja episcopal anglicana do recife, na qual o pastor deles fez várias críticas.
    penso que so exitem catolicos de figurinha neses lugares.
    porca miséria.

  6. manoel carlos

    a a colonia salesiana vai abrir suas portas aos anglicanos apra fazerem um retiro: meditação, leituras, orações e talvez suas missas…
    bonito, muito bonito esse ecumenismo. Quem convida é robson cavalcanti, o “bispo” deles.

  7. Ygor

    Estamos olhando, Jorge!

    Detalhe:os comentários recentes não aparecem desde então.

  8. Álvaro Fernandes

    Próxima quinta haverá o debate e votação sobre a lei da mordaça gay!!!!!

    http://www.verdadegospel.com/campanha-contra-o-pl122/

    Quanto ao que me perguntaram sobre o Bolsonaro!!!!!

    É só lerem a CF /88 (art59) e verão que deputados no exercício da profissão não respondem por crime de opinião.Eles possuem imunidade e eu não disse que concordo com TODAS as opiniões dele!

  9. Leniéverson Azeredo

    “É só lerem a CF /88 (art59) e verão que deputados no exercício da profissão não respondem por crime de opinião.Eles possuem imunidade e eu não disse que concordo com TODAS as opiniões dele!”

    Concordo com isso que vc disse, o problema é o PT e os outros partidos de base comunista entender isso que é tão lógico.

  10. Alexandre Magno

    Respondendo à pergunta “Você acha que sua atitude pode servir para que sejam intensificadas as críticas contra os gays?”, o cabeleireiro carioca Carlos Duarte, 56 anos, declara:

    «O rapaz sugeriu a foto e eu aceitei. Jamais imaginei que ele iria publicar aquela foto nas redes sociais. Ele foi muito sem vergonha, safado. Não é um pessoa confiável pra ninguém. Até pensei em mover uma ação na justiça conta ele, mas logo desisti dessa idéia. Não vale a pena.»

  11. Leniéverson Azeredo

    Olá, minha gente, veja o que acabo de encontrar na net sobre esse ocorrido e qual a interpretação fazer do mesmo?

    Padre defende presidente dos homossexuais por atos obscenos da Parada Gay
    Fonte: http://www.vozdoacre.com/portal/11/padre-defende-presidente-dos-homossexuais-por-atos-obscenos-da-parada-gay/

    O Reitor da Catedral e Coordenador da Pastoral Diocesana em Rio Branco, Padre Mássimo Lombardi, pediu nesta quarta-feira (23) que o presidente da Associação dos Homossexuais do Acre (AHAC), Germano Marino, não seja acusado pelos atos libidinosos praticados por dois homens durante a Parada Gay acriana realizada no último domingo (20) em Rio Branco, capital do Estado.

    “Absurdo o que aconteceu na Parada Gay. Atos de pessoas taradas, carentes e frustradas. Mas não acusem o Germano”, disse o padre católico.

    A imagem de simulação de sexo oral em via pública gerou polêmica e repercutiu nacionalmente após três matérias publicadas pelo Blog da Amazônia, do Terra Magazine, de autoria do jornalista acriano Altino Machado. O conteúdo foi republicado por diversos sites religiosos, principalmente, por portais evangélicos, sendo o assunto mais comentado do mês pelos leitores brasileiros do Blog da Amazônia.

    Governador Tião Viana ameaçou retirar apoio do governo ao evento.

    Como poderíamos interpretar a fala do Padre?Dá margens para muitas interpretações.

  12. Álvaro Fernandes

    Leniéverson!
    O Brasil está precisando de jornalistas cristãos urgentes!!!!!!

    O Jornal O Povo daqui do Ceará é um exemplo da mídia gaysista anti-cristã!

    Há um tempo atrás esse “bendito” colunista soltou umas

    pérolas contra a Igreja católica e agora eles sabem que o projeto da lei da mordaça gay será votado próxima quinta,eles dispararam contra o Pastor Malafaia e contra os líderes religiosos(incluindo o da CNBB) que foram para o debate!

    Esse ridículo jornalista nos chama de fundamentalista pseudo-religioso,mas não suporta a crítica nas suas colunas!!!!!

    http://www.opovo.com.br/app/colunas/cenag/2011/12/02/noticiacenag,2346880/e-hora-de-fazer-barulho.shtml

    O nome da coluna é “Hora de Fazer Barulho” e o colunista conclama o público gay a ligar para o Senado e Bombardear o alô senado de emails e não votarem em “fundamentalista religiosos” nas próximas eleições!

    Que Deus nos proteja da mídia gaysista!!!!!

    Quem quiser enviar emails para os Senadores…é só entrar no site do Senado Federal ou então mandarem emals para estes senadores da CDH(Comissão de Direitos Humanos).

    http://www.verdadegospel.com/campanha-contra-o-pl122/

  13. Eduardo Araújo

    Álvaro, tem toda a razão quanto ao jornal citado. Já fui assinante dele, mas depois que o V. Meneses assumiu a editoria, o jornal degringolou para a esquerda (o referido é marxista até à medula e um pouco além desta).

    Por outro lado, em se tratando de militância gayzista, mais ostensivo até que o O Povo é a Tv Diário. Nem seria para esperar menos de uma subsidiária do grupo Verdes Mares, ligado ao Sistema Globo. O jornalismo da Diário é escandalosamente pró-governo petista e – como está cada vez mais acontecendo – distorce as notícias quando tratando de gays.

    É, rapaz, a coisa tá feia e é só o começo …

  14. Álvaro Fernandes

    Eduardo,aqui no Ceará o único jornal sério é o impresso Diário do Nordeste concorrente do O POVO,pois até onde eu sei o mesmo é extremamente imparcial,mesmo pertencendo ao holding da família Edson Queiroz…