Desmentindo o Gabriel Chalita: a Dilma é a favor do aborto SIM, deputado!

closeAtenção, este artigo foi publicado 5 anos 8 meses 17 dias atrás.

Recomendo sem fazer adendos o texto do Wagner Moura a respeito da última entrevista do Gabriel Chalita. A cretinice foi publicada ontem no Portal IG e o vídeo pode ser visto na íntegra lá. A “questão do aborto” é o terceiro tópico. O Sr. Chalita diz, expressamente, que a Dilma nunca falou ser a favor do aborto.

Como assim, Gabriel Chalita, o senhor por acaso não conhece a candidata a quem deu o seu apoio ano passado? Como o senhor fala à imprensa nacional uma coisa que desconhece? Ou será que o senhor sabe, deputado, que a Dilma afirmou, sim, com todas as letras, que era “um absurdo” não haver a descriminalização do aborto no Brasil? Por que o senhor afirma com esta cara tão limpa uma coisa que não é verdade, deputado? A quem o senhor quer enganar? A si mesmo? Ao povo brasileiro?

Vamos mostrar ao deputado Chalita a Dilma falando sobre o aborto. Melhor: vamos colocar os dois vídeos lado-a-lado: o Chalita dizendo que a Dilma nunca se disse a favor do aborto e a Dilma, imediatamente depois, dizendo taxativamente que acha um absurdo o aborto ser crime no Brasil e tem que haver a descriminalização sim. Vamos ver se o deputado vai continuar negando o que está diante de seus próprios olhos.

Não há mais espaço para a mentira em cadeia nacional, deputado! Nós não vamos deixar que os boatos petistas – estes, sim, os verdadeiros boatos, porque totalmente mentirosos – adquiram o status de “verdade” por sua descarada repetição indefinida. As posições da sra. Rousseff em particular (e do PT em geral) sobre o aborto são públicas e notórias e nem o senhor nem ninguém, Chalita, vai conseguir varrê-las para debaixo do tapete. É bom se acostumar.

E termino com as palavras do Wagner Moura, respondendo ao deputado que acha que somos um “grupo restrito” de radicais ultraconservadores fazendo um uso “desonesto” da religião na internet [é uma piada! Se nós, que estamos dizendo a verdade e agindo com coerência com a nossa Religião somos os desonestos, o que é o Chalita que profere inverdades em cadeia nacional e apóia um Partido que tem incontáveis posições políticas frontalmente contrárias ao que manda a Igreja que ele diz seguir? Somos nós os desonestos, porventura?!]:

É um erro grotesco imaginar, como faz no vídeo acima, que somos “um grupo restrito”, um monte de “fundamentalistas perigosos”, “uma parte”, “espalhadores de ódio”… A boca fala do que está cheio o coração. E de um coração que quer vingança para ter respeito de seus desafetos políticos não nos surpreende que partam tantas palavras que visam simplesmente desqualificar pessoas.

Nós somos belos, Chalita. E por certo há um perigo na beleza. O perigo da verdade! Mas em nada esse perigo se assemelha ao fundamentalismo grotesco o qual você infelizmente nos imputa.

Nós somos belos, Chalita. Somos pais, somos mães, somos irmãos, somos filhos, somos poetas, somos matemáticos, somos professores, somos esportistas, somos estudantes, somos namorados, somos jovens, adultos, idosos e crianças, somos carismáticos, somos das pastorais sociais da Igreja, somos de outras religiões, somos políticos… Somos muito mais que os rótulos de desqualificação que criam para nós e que em breve sequer servirão para enquadrar, fichar e deter a multidão que somos.

Somos a primavera, Chalita. E quem poderá nos ferir sem espalhar todo nosso perfume e nossa beleza?

Sim, Chalita, aceite. Nós somos o futuro porque queremos reproduzir no mundo a imagem d’Aquela Beleza que é tão Antiga e tão Nova, da Qual o mundo jamais se farta porque é uma imagem ínfima d’Ela e por Ela anseia. Nós somos o futuro porque queremos estar radicalmente unidos à Videira Verdadeira que dá frutos – e fora da qual não há senão sarmentos secos que são levados pelo vento. Nós somos o futuro, Chalita, porque queremos ser a casa edificada sobre a rocha – sobre a Pedra, sobre Pedro – que resiste aos assaltos das intempéries da natureza e a única que permanece de pé ao final. Nós somos o futuro, Chalita, porque não queremos nos deixar levar pela cupidez de coisas novas já incontáveis vezes condenada e que já deu incontáveis provas de não produzir senão desgraças. Nós somos o futuro porque temos ao nosso lado a promessa da Virgem em Fátima de que, ao final, o Seu Imaculado Coração triunfará. Aprenda a conviver com isso.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

7 thoughts on “Desmentindo o Gabriel Chalita: a Dilma é a favor do aborto SIM, deputado!

  1. Jordan J. Souza

    Por que alguém não avisa a esse Gabriel Chalita que ele está excomungado por dar apoio a esses comunalhas do governo?
    Pelo Amor de Deus!

  2. Marcio

    Esse repórter também é um banana – o mínimo que ele podia ter feito depois da resposta do Chalita era lembrar o vídeo da Dilma. Se não o fez, das duas uma: ou não interessava (caso típico de entrevistador que só levanta pro entrevistado cortar), ou ele não sabia. Se não sabia, é incompetente: afinal, em que planeta esse “repórter de política” estava no segundo semestre do ano passado, quando o vídeo da Dilma rodava o país inteiro nas mídias sociais?

  3. Marina S Santos

    Jorge, parabéns pelo post!!!!

    Nossa! Ao ver o rostinho do Chalita na TV quase a gente se convence de que se trata de um santo sendo perseguido pelos diabos. Mas… como bem diz um comercial: “Imagem não é nada, sede é tudo! Obedeça sua sede…”.

    Brincadeiras à parte, a verdade é essa mesma: a imagem até que nos convence pela “candura” do rosto, mas quando ele afirma os absurdos, a imagem desaparece e resta mesmo só a realidade dos fatos. O Chalita só está se complicando cada vez mais. Seria melhor ele dizer que fez errado em apoiar o PT e Dilma para ao menos brecar a queda da popularidade. Mas ele parece que não pensa. Escreve tantos livros e não consegue enxergar?

    A verdade traz uma força em si mesma, porque divina. A mentira, quando descoberta, afugenta, porque do demônio, seu Pai. Por se colocar sistematicamente ao lado da mentira, o Chalita está exalando o odor sulfuroso que afugenta. Poderíamos lançar uma campanha #VoltaChalitaparaaFéCatólica.

    Mais uma vez, parabéns!!!

  4. Wagner Moura

    Ó, quando receberem o prêmio do TOP BLOG favor levantar a polêmica!!! =)

  5. Carlos

    Caro Jorge,
    O pior é que ele vai continuar afirmando isso, porque além de ser um cínico e mentiroso profissional, vai utilizar-se do sofisma de que ser a favor da descriminalização do aborto é diferente de ser a favor do aborto.
    Esta é, aliás, a tática diversionista e hipócrita já utilizada pela própria Dilma e até pelo Lula.
    É por este caminho de hipocrisia e empulhação que vão acabar descriminalizando também todas as drogas e, quem sabe, todos os crimes.
    Mas a dita “homofobia” eles vão criminalizar, com apoio de Chalitas e cia.

  6. Leniéverson Azeredo

    O problema do Chalita se resume nesta passagem:

    “Nem todo aquele que diz, Senhor, Senhor, pertence ao Reino dos Céus, mas aquele que cumpre a vontade do Pai que está nos Céus.” (Mt 7,21)

    Pergunta: Chalita faz a vontade do Pai ou do Lulismo “Paz e amor”?

  7. Teófilo Gaúcho

    Caro JORGE:

    CHALITA disse, conforme vídeo postado neste blog: “Sou contra o aborto. Não sou contra a mulher que faz o aborto.” Interessante resposta, porque bastante reveladora. Dá a entender que ele é bonzinho e assume aquela prática do “viva e deixe viver”, máxima boa para oportunistas, acomodados e demagogos.

    Ora, se não é contra é a favor e se é a favor nada existe, nele, que o impulsione a querer que ela altere o comportamento abortista. Atenção, ser contra não é odiar! Amor ao inimigo é oportunizar-lhe a conversão e a reconciliação. É, antes, reconhecer que o outro age de modo contrário. Ser contra é discordar. Quem não discorda, por conseqüência, concorda! Entendeu? Simples!

    Cristão, CHALITA não é, com certeza! Porque aos cristãos cabe transformar o mundo! Dá para entender, agora, porque ele fala com aquele olhar de sabichão piegas e anda em reunião estável com quem pratica o Mal. Para os inimigos de CRISTO, quem pratica os Mandamentos é fundamentalista. Já progressistas são os fundamentalistas do relativismo, tais como os abortistas, que atentam contra a vida humana e elegem um critério de ocasião para determinar seu, digamos, início.

    Preste atenção em CHALITA. Na esteira do que foi dito, ele é contra o Inferno, mas não é contra o Diabo; é contra o crime, mas não é contra o criminoso; é contra a corrupção, mas não é contra os corruptos. Deste modo, dá para se declarar contra o nazismo, mas não contra HITLER, que só queria viver… Quer dizer, se implica cercear as ações e a liberdade de o criminoso fazer o mal, aí não contem com CHALITA.

    Que tipo de filosofia de vida tem esse “homem público do mundo de César”, travestido de cristão católico? Posição bem cômoda. CHALITA só é contra ideias, sempre a favor das pessoas. Assim, numa “firula” transformista, ficou bom ser mau e ficou ruim ser bom! CHALITA, ao estudar o Evangelho, parece que “faltou à aula” do Sermão Profético. Também “não veio” à aula do Julgamento do Final dos Tempos. Nem falar no último Livro de São João Evangelista! Hummm… Será que seus mestres eram adeptos da (mal)dita teologia da libertação? Será que fizeram uma “lavagem cerebral” de estilo e irrecuperável naquela cabeça?

    Ora, CHALITA não é um justo. Ao ímpio reconhece o direito de matar, porque não lhe é contra; ao inocente ou oprimido nega o direito de reclamar e defender-se dos maus, porque só admite ser contra ideias. CHALITA dá a entender que se considera mais esperto e inteligente do que o próprio CRISTO, porquanto, com esse seu “cristianismo soft” (entenda-se, “pós-moderno cristianismo de barganhas”), pensa que jamais iria se explicar no Sinédrio e muito menos ser arrastado à crucificação. É … já se sabe a quem ele entregou o espírito! Afinal, ele não é contra o Diabo … Como diz aquele adágio, “quem namora o Diabo com ele se casa” …

    OUTRO ASSUNTO: quanto aos GLS, sejamos lúcidos: o correto é o Estado propiciar e favorecer o adequado tratamento médico/psiquiátrico aos portadores de tais anomalias, para que consigam, se quiserem, sair desse estado de “normalfobia” em que se debatem, não raro sob os auspícios de alguns sedizentes “sexólogos” (como profissão, no plano rigorosamente técnico, inexistente) e oportunistas ocasionais, a quem, na verdade, parece interessar mantê-los enfermos e infelizes.