O que está acontecendo em sua própria vizinhança

closeAtenção, este artigo foi publicado 5 anos 6 meses 18 dias atrás.

“Logo após a Guerra terminar, o exército americano fez com que aqueles que viviam próximos aos campos de concentração passassem dentro deles. Queriam que eles vissem em primeira mão o que fazia a fumaça da chaminé dos campos aumentar, e que testemunhassem o que os líderes que eles colocaram no poder tinham feito. Reparem no comportamento calmo deles quando entraram no campo, obviamente desconhecendo o horror que acontecia em sua própria vizinhança. E veja a mudança em seus rostos uma vez que perceberam  o que de fato acontecia. Sem dúvidas há uma clínica de aborto perto de você. Talvez você deva fazer uma visita para ver o que realmente acontece por trás das suas paredes, para que você possa testemunhar em primeira mão o que está acontecendo em sua própria vizinhança”.

Fonte: “180”, aqui.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

14 thoughts on “O que está acontecendo em sua própria vizinhança

  1. Alexandre Magno

    Assisti o vídeo “180”.

    Registrando:

    Entre 5:44 e 7:14: perguntas idiotas, respostas idiotas. Para uma pergunta que inviabiliza o conhecimento não pode corresponder uma resposta que dê mais do que nada.

    Muito diferente acontece a partir dos 10:08, quando aparecem perguntas que – pelo menos – não são absurdas. Aparecem respostas mais inteligentes, que vale ouvir, ou respostas que ao menos são sinceras (do eu).

    É interessante observar que o moralista dos 12:31 perdeu a referência aos 13:13, quanto ao aborto. E perdeu de vez! A ética dele acena aos 17:00. Oh! Ele é negro; vai ver que eu sou racista e por isso estou dizendo isso! Oh!

    “Como você pode fazer esse julgamento quando a criança nem nasceu ainda?” (18:37)

    É… lembrar que Ele é Juiz, em alguns momentos faz-se necessário! Mas não está na moda.

    Jorge, muito interessante, esse seu achado.

  2. Álvaro Fernades

    Muito bom e interessante este vídeo!

    Deveria ser mostrado em palestras nas escolas e universidades!

  3. Sem. Rafael

    Vou assistir o vídeo completo daqui a pouco, mas a primeira pergunta já me causa espanto:

    – Já ouviu falar de Adolph Hitler?
    – Não.
    – Não sabe quem ele é?
    – Não.

    Parece inacreditável que existem jovens que parecem não importar com mais nada além de seu mundo virtual, a ponto de não conhecer nem mesmo um dos maiores genocidas da História. Não são, ao que parece, simples analfabetos, mas jovens em idade escolar.
    E nesse desinformação geral, os governos continuam fazendo aquilo que querem, sem que quase ninguém levante a voz…

  4. Ygor

    Eudes, eu também li o conteúdo e, segundo a informação, pode-se concluir que muitos católicos “compraram” esta mentira de um protestante caluniador. Temos que tomar cuidado com as informações que recebemos…

  5. Ygor

    Esqueci de mencionar no comentário acima: Onde digitei “conteúdo”, acrescente-se “conteúdo do link”. Perdoem a falha!

  6. Alexandre Magno

    Sem. Rafael, é possível que alguns daqueles jovens, como se diz, estivessem “de onda”, sem responder seriamente à pergunta. Talvez, em incertezas, querendo fugir da conversa.

  7. Sem. Rafael

    Assisti o vídeo há pouco. É realmente interessante como muitas pessoas dizem que aborto é um direito da mulher, o defendem como uma opção pessoal, mas na realidade só repetem o que diz a mídia, sem ter de facto a menor ideia do que estão defendendo e porquê. Basta serem apresentados aos fatos e a um pouquinho de pensamento lógico que a moral natural, escondida neles próprios, os convence rapidamente de como estão errados.

    A se guardar reservas porém – por nós católicos, sem pretender que o vídeo seja o que não é, ou seja, católico – da parte final do vídeo, que parece mostrar um certo fundamentalismo estranho ao catolicismo.

  8. Wilson Ramiro

    Sem. Rafael says:

    A se guardar reservas porém – por nós católicos, sem pretender que o vídeo seja o que não é, ou seja, católico – da parte final do vídeo, que parece mostrar um certo fundamentalismo estranho ao catolicismo.

    Caro Rafael eu não enxerguei o fundamentalismo estranho ao catolicismo que você viu, poderia ser mais claro?

  9. Sem. Rafael

    Alexandre, pode ser, mas talvez não seja tão improvável que estivessem falando a verdade. Mais comum porém é muitos conhecerem o nome, saberem sua nacionalidade, e só; conheço pessoas assim, infelizmente (para a humanidade, não pra mim).

    Wilson, me refiro à visão estreita do decálogo, sem mencionar seu perfeito cumprimento em Cristo (CatIC 2053, p. ex.). Há também a questão dos que não cumprem os mandamentos por ignorância: não podemos condená-los, só Deus pode, e é para nós uma incógnita até onde alcança Sua misericórdia em relação a eles.
    Lembremos, pois, que o autor do vídeo, como se apresenta no início, é um judeu, e portanto apresenta o decálogo de maneira judaica, nada mais natural.

    Espero ter me feito entender.
    In Pax Christi.

  10. Francisco Castro

    Eu vi fotos de João Paulo II recebendo um sinal na testa. A Tilac do Hinduísmo. E uma foto dele beijando o livro dos muçulmanos o Alcorão. E nunca estes atos foram desmentidos pelo Vaticano e nem uma explicação para estes fatos se deu, a não ser claro, a necessidade do dialogo religioso e da paz entre todos os povos, independente da Religião. Só um aviso o link não abriu quando eu cliquei nele. Aparece só o título da barra de endereço e a tela em branco.

  11. akjfakjfkaf

    Só pra dizer que li dois artigos de 2009 do blog, gostei e acabo de assiná-lo no meu Google Reader. Parabéns pelo trabalho =)