No meio das trevas do Pecado, uma Virgem resplandecia Cheia de Graça!

closeAtenção, este artigo foi publicado 4 anos 6 meses 16 dias atrás.

Hoje se celebra a Imaculada Conceição d’Aquela Mulher extraordinária que sozinha venceu todas as heresias do mundo inteiro; d’Aquela que o próprio Verbo de Deus quis ter por Mãe e, instando-nos a sermos imitadores d’Ele, estabeleceu que também a nós – e já nesta terra! – seriam concedidas as graças de tão excelsa maternidade espiritual. Se Cristo é Filho da Virgem e nós somos chamados a um convívio familiar com Ele, então somos nós todos filhos d’Ela também. Se Cristo é Filho da Virgem e nós somos irmãos de Cristo, segue-se com lógica inelutável que somos também filhos desta Sua Divina Mãe.

Hoje é a Festa da Imaculada Conceição da Virgem Santíssima, e o reverendíssimo sacerdote na homilia que eu ouvia esta manhã lembrava-nos que Deus tem uma visão positiva do homem. Deus, que tudo o que criou viu que era bom, não abandonou a Sua obra após a tragédia do Pecado Original. Já no Proto-Evangelho do Gênesis ele anuncia um Salvador que virá por meio da descendência da Mulher; em um certo sentido, a Virgem Imaculada, coroada de Graça e de Beleza, é o arquétipo de ser humano nos desígnios do Onipotente. Ela é Toda Bela e desde sempre livre da mancha do Pecado Original, Ela é a Filha Dileta de Deus Pai, a Mãe Amável de Deus Filho, a Esposa Fiel do Espírito Santo e o Templo Imaculado da Trindade Santa; nós todos, que nesta Mulher estamos tão bem representados diante do Altíssimo, alegremo-nos n’Ela, com Ela e por Ela!

O dia de hoje está profundamente associado a um dos títulos com os quais a Santíssima Virgem é louvada na Ladainha Lauretana: a Santíssima Virgem é a Estrela da Manhã, Stella Matutina. Aquela que surge no Céu da noite como um prenúncio da Alvorada, antes do nascer do sol mas como a avisar que o sol está por nascer. Assim a Santíssima Virgem, resplandecendo Imaculada no horizonte da história da humanidade antes mesmo do Cordeiro de Deus vir ao mundo para livrá-lo do Pecado. Como a anuciar-Lhe, exigindo-Lhe até, pois é do Seu Sacrifício na Cruz do Calvário que brotam todas as graças do mundo, sem excetuar nem mesmo estas com as quais a Virgem Santíssima aparece adornada no dia de hoje. E é justamente na Stella Matutina que eu penso toda vez que rememoro a Saudação Angélica, testemunho escriturístico e eloqüente da grande Festa hoje celebrada: Ave, gratia plena! No meio das trevas do Pecado, uma Virgem resplandecia Cheia de Graça. No meio do mundo que jazia sob o Maligno, uma Mulher erguia a fronte Imaculada. Na plenitude dos tempos em que a Criação esperava o Seu Salvador, a Sua Mãe Puríssima lá estava para trazê-Lo ao mundo: foi por Seu Fiat que o Verbo se fez  carne, foi pela Sua resposta generosa a Deus que o Cristo veio ao mundo, foi pelo seu Sim que nos chegou a Salvação, Jesus.

Deus Vos salve, Virgem Soberana, a Quem todos os cristãos somos infinitos devedores! Deus Vos salve, Bem-Aventurada e Imaculada Mãe de Deus, Maria Santíssima por Quem se salva todo espírito fiel! Lembrai-Vos de falar a Vosso Divino Filho coisas boas a nosso favor. E aqui, na terra, concedei-nos sempre a graça de viver e morrer cantando os Vossos louvores.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page