Curtas: Tragédia em Santa Maria e Renúncia do Papa

closeAtenção, este artigo foi publicado 4 anos 9 meses 2 dias atrás.

Dois pra lá e dois pra cá.

Tragédia em Santa Maria I, D. Fernando Rifan: «Comovidos e chocados, choramos os jovens da boate de Santa Maria, rezamos por eles e lamentamos as graves negligências que causaram o desastre. Mas cabe uma reflexão de caráter geral: nos noticiários após a tragédia, pôde-se conhecer a imensa quantidade de boates ou casas noturnas que pululam nas cidades e como milhares de jovens as frequentam. E, segundo o testemunho deles, tomam bebidas alcoólicas antes, durante e depois das baladas, sem falar em outras drogas que aparecem nesses ambientes. Assim fica muito difícil ter bons reflexos em situações de perigo. Sexo, bebidas, drogas etc.: é só assim que se divertem nossos jovens? É dessa maneira que teremos uma juventude responsável, sadia, honesta e feliz, da qual virá o futuro? É só no pecado que conseguem se alegrar?»

Tragédia em Santa Maria II, pe. Anderson Alves: «Mais esse tipo de perguntas mostra algo mais sério: uma espécie de ateísmo prático que toma conta do modo de pensar e de agir de uma parte da nossa população. Esse tipo de ateísmo superficial e emotivo consiste em viver como se Deus não existisse e, quando ocorre alguma tragédia, joga-se a culpa toda em Deus, para assim minimizar as responsabilidades dos verdadeiros culpados. E quem o faz, nem se dá ao trabalho de se perguntar como é possível que um Deus que não existe, seja o responsável por todas as tragédias humanas. Prefere-se crer num ateísmo prático e aparentemente cômodo no qual se procura viver em total autonomia de Deus, da verdade e da moralidade e se espera que, nas situações de risco, Deus abra milagrosamente uma “saída de emergência” para livrar ao homem de qualquer perigo.»

Renúncia do Papa IProf. Hermes Rodrigues Nery: «E a Igreja tornou-se “perita em humanidade” justamente porque tem paciência. Afinal, já são vinte séculos de percurso. E toda vez que ela foi fiel à Tradição (aos preceitos da Sagrada Aliança), a sua história foi exuberante. (…) Assim como Jesus deu o exemplo, a Igreja ergueu a humanidade a níveis elevados de civilização quando soube ser força de resistência e levantar o olhar para a destinação última do homem: estar ou não com Deus.»

Renúncia do Papa II, D. Fernando Rifan: «Ao lado do heroísmo do Beato João Paulo II de levar o sofrimento pessoal até o fim, temos o grande heroísmo de Bento XVI de renunciar por amor à Igreja, para evitar qualquer sofrimento para ela. No começo da Igreja, no tempo das perseguições, houve cristãos que resolveram ficar onde estavam e enfrentar o martírio. Exemplo de fortaleza. Houve outros cristãos, que temendo a perseguição e a própria perseverança, acharam melhor fugir da perseguição e se refugiar no deserto, para rezar e fazer penitência, longe do mundo. Exemplo de humildade. Houve santos de ambas as posturas, os que enfrentaram e os que se retiraram. Heroísmo de fortaleza e heroísmo de humildade, frutos da Fé. A Igreja é feita de heróis da Fé!»

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

3 thoughts on “Curtas: Tragédia em Santa Maria e Renúncia do Papa

  1. Fabio

    Não concordo com a visão de que uma casa noturna envolva necessariamente sexo. É claro que algumas envolvem, essas devem ser evitadas Mas considerando as outras, muita gente vai só pra dançar e se divertir…e beber por beber não tem nada de errado, visto que até Jesus bebeu nas bodas de Caná. O que não dá é pra se embriagar e perder o controle…
    Ao cristão cabe discernir o local que escolhe para se divertir. Se o local é utilizado para a venda do sexo como fim último, o cristão deve passar longe…se o cristão for a uma danceteria curtir uma música eletrônica, não tem problema algum, falar com amigos e beber um pouco…devemos tomar cuidado para não julgar nesse sentido.
    Alguns poderiam argumentar: mas no local tem pegação, o que não convem pra um cristão…ok…mas em todo lugar tem…cinemas, shows, shoppings e assim por diante. Se acha que vai cair em tentação é melhor não ir…mas daí também nem liga a TV pq hoje em dia tá impossível. Rezar e rezar sempre pedindo pureza e discernimento é a única saída.

  2. Joaquim

    Os comentários sobre a tragédia de Santa Maria foram inconvenientes. Até parecem comentários de evangélicos que culparam as vítimas por sua desgraça, como se Deus punisse quem se diverte. Os jovens tomam sim bebidas alcoólicas, queriam que bebessem o que? Suquinho de frutas? Nas circunstâncias do incêndio, fez pouca diferença se estavam sóbrios, pois foi muito rápido. Comentários desse tipo são ofensivos às vítimas e sua famílias. Se não tem nada de útil para dizer, que não fale nada. Como diz o ditado: “A palavra é prata, o silêncio é ouro”.

  3. Renan

    OS ECLESIÁSTICOS ATUAIS MAIS TERIAM PRECIPITADO A EXAUSTÃO DO SANTO PADRE!
    Interessante: tudo a ver com a situação atual dos comportamentos de muitos sacerdotes e até bispos que atraiçoaram o S Padre Bento XVI, forçando-o a renunciar precocemente, causando-lhe a exaustão.
    O S Padre conhecia todos os seus principais inimigos externos – não lhe causavam tanto estorvo – a pressão maior adveio no entanto do interior da Igreja: alguns seriam infiltrados, outros teriam deixado sublevar-se ou calaram-se, talvez a maioria, como que tacitamente apoiando as rebeldias, omissão a toda prova, e sentindo-se acuado sob restrito apoio e sem saúde adequada para confronto não teve opção: foi forçado a desistir da missão de Sumo Pontífice.
    Até creio que alguns se penitenciem após os fatos de terem contribuído com seu quinhão ao fato; mesmo os leigos que se insurgiram contra a Igreja de alguma forma ou ajudaram a eleger comunistas via voto, em muitos países de forte tradição católica, como na França, na América Latina, aqui o PT, via essencial apoio da esquerdista Teologia da Libertação e seus comunistas sacerdotes e bispos têem sua imensa porção; a grandíssima maioria só daria fé de coparticipação de uma ou outra forma apenas no Juízo Final de suas traições à Igreja e influenciado na forçada desistencia ao pontificado.
    É lamentável terem existido muitas injustas críticas, acusações e atos hostis de intolerancias provindas de cristãos ao S Padre por causa de sua fidelidade à Palavra de Deus – pretendendiam modernizá-la, melhor, mundanizá-la, transformá-la numa DITADURA DO RELATIVISMO ou ONG a serviço do assistencialismo dos comunistas – uma acusação a darem conta nesta ou na outra vida de atos de inssurreição, bastando relembrar as multis rebeldias, como: os 300 sacerdotes da Áustria exigindo mais autonomia, grupos desejando apoio ao gayzismo, outros pró aborto, outros pró 2º matrimonio apenas por incompatibilidades, grupos RCCs protestantizados, ações litúrgicas banalizadas ou sincréticas…
    Quanto à tragedia de S Maria, onde está o homem aí está o perigo; KISS: (Knights in Service Satan…), poderia não ter sido local ideal para muitos ter passado para a eternidade…