Homossexuais franceses contra o “casamento” gay e a adoção de crianças por duplas gays

closeAtenção, este artigo foi publicado 4 anos 3 meses atrás.

[Fonte: infoCatólica.
Tradução: Wagner Marchiori

Trata-se de novo protesto acontecido no último domingo (24/03) na capital francesa, à semelhança daquele realizado em janeiro último, sobre o qual falamos aqui. Há uma verdadeira (e compreensível) luta midiática pelo verdadeiro número de manifestantes: segundo Le Figaro, as estimativas variam entre 300.000 e 1.400.000 pessoas. Novamente, os nossos parabéns aos franceses que tiveram a coragem de tomar as ruas de Paris – de Paris! – para protestar contra o experimento social que está convulsionando a sociedade francesa.

Na entrevista abaixo referida, é uma mulher lésbica [p.s.: de acordo com este comentário (que cita esta referência, que me pareceu verídica), ela não é lésbica, e sim mãe de família casada há vinte e cinco anos – por favor, levem isso em consideração ao ler todo o resto] que dá a sua opinião sobre o assunto – e toma posição firme e decidida contra o projeto que pretende legalizar o “casamento” gay e a adoção de crianças por duplas de sodomitas e safistas. Genial a declaração dela: se a dupla homossexual adota uma criança que perdeu seus pais biológicos, então esta criança está sendo mais uma vez privada de um pai e uma mãe. Por infortúnio da primeira vez; mas, desta, por capricho ideológico premeditado. E isto é cruel. Contra esta terrível discriminação contra as crianças nós temos que lutar. Por mais que sofismem os bárbaros. Por mais que nos agridam e nos tentem calar.]

-

«SOU FRANCESA, SOU HOMOSSEXUAL E A MAIORIA DE NÓS NÃO QUEREMOS O CASAMENTO E NEM A ADOÇÃO»

Diferentemente do que costuma divulgar a mídia, Nathalie Williencourt, uma das fundadoras do HOMOVOX, considera que a maioria dos homossexuais, incluído ela, não quer nem o matrimônio gay e nem a adoção de crianças e, portanto, não concordam com a proposta de lei do presidente da França François Hollande. Em uma entrevista concedida em 11 de janeiro ao site italiano Temp.it, Nathalie afirmou que “o par homossexual é diferente do par heterossexual por um simples detalhe: não podemos dar origem à vida”.

Williencourt afirmou com clareza: “sou francesa, sou homossexual e a maioria de nós não queremos o casamento e nem a adoção de crianças. Sobretudo, não queremos ser tratados como heterossexuais, porque somos diferentes; não queremos igualdade, mas sim justiça”.

A líder gay disse, ainda, que “cremos que as crianças têm direito a ter um pai e uma mãe, se possível, biológicos e, se possível, que se amem. Uma criança que nasce fruto do amor de seu pai e de sua mãe tem o direito de saber disso. Se os pares homossexuais adotam crianças que já estão privados de seus pais biológicos, deixá-las-ão sem um pai e uma mãe mais uma vez”.

“Os pares heterossexuais estão esperando anos sem poder adotar uma criança, e corre-se o risco de que muitos países não permitam mais adoções para pais franceses se essa lei for aprovada. China e outros países da Ásia contam com procedimentos que excluem a possibilidade de adoção por pares do mesmo sexo”.

“A paz se constrói na família e para ter paz na família é necessário dar às crianças a imagem mais natural e que mais segurança infunde para crescer e ser adulto. Isto é, a composição clássica de homem e mulher”.

Williencourt denunciou que “na França somos censurados (Homovox.com). Escuta-se sempre o lobby dos ativistas LGBT que sempre falam nos meios de comunicação, mas a maior parte dos homossexuais estão incomodados pelo fato dessa organização fazer lobby em nosso nome. Não votamos neles para que nos representem”.

Nathalie explicou que os membros do lobby gay já têm uma ferida em relação à sua homossexualidade “porque não a aceitam, reivindicam ser como os heterossexuais . Em vez disso, nosso movimento reinvidica que os homossexuais sejam tratados de forma distinta dos heterossexuais porque somos diferentes”. “Não podemos pedir igualdade porque somos diferentes. Não é a igualdade que é importante, mas a justiça. É uma desigualdade justa e uma igualdade injusta”, insiste.

Homovox é a associação que reúne o maior número de homossexuais na França. A associação foi uma das organizações gays que marcharam pela ruas de Paris no último 13 de janeiro com mais de um milhão de pessoas em defesa do autêntico matrimônio.

 

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

18 thoughts on “Homossexuais franceses contra o “casamento” gay e a adoção de crianças por duplas gays

  1. JBC

    Jorge, apesar de concordar com o fato de que é possível que alguns indivíduos homossexuais não queiram de fato ter os mesmos direitos que os heterossexuais, essa mulher citada na reportagem é uma farsante, assim como a organização que ela diz representar. Ela é casada há 25 anos e tem família! Fonte

    Abraços

  2. D. R.

    Jorge, o excelente trabalho que você, o Prof. Felipe Aquino, o Pe. Paulo Ricardo, entre tantos outros apologistas católicos (como o site Veritatis, Cai a Farsa, Fim da Farsa, Macabeus, Tubo de Ensaio, etc.), estão fazendo é de admirar e, com certeza, tem dado muitos frutos.

    Porém, infelizmente, parece que aqui no Brasil os ‘apologistas’ ateus aliados a professores marxistas, anticristãos e anticatólicos e também a documentários pseudo-históricos (como Código Da Vinci e Zeitgeist) e sites esquerdistas de divulgação científica (que divulgam, na verdade, o cientificismo), estão conseguindo o seu intento. Pois, pelos comentários que tenho lido na internet, é de espantar como eles estão convencendo muitos internautas sobre o aborto e de que Jesus não existiu ou foi apenas uma fusão de deuses mitológicos!

    Por exemplo, o site HYPESCIENCE (dito de divulgação científica) volta e meia publica artigos atacando o cristianismo e o catolicismo; na medida do possível, eu estava combatendo os ‘apologistas’ ateus (como um tal de Sr. Oiced Mocam, um ex-evangélico muitíssimo culto e mais determinado do que muitos comentaristas e apologistas cristãos); porém, de uma hora para outra, o HYPESCIENCE (que, até então, pelo menos vinha sendo democrático na liberação de comentários de ambos os lados) parou de publicar as minhas respostas ao Sr. Oiced no artigo “DEUS EXISTE? – A SUA OPINIÃO” (http://hypescience.com/deus-existe-a-sua-opiniao/) e também meus comentários em outros artigos.

    Vejam, por exemplo, algumas matérias tendenciosas recentemente publicadas no HYPESCIENCE (não sei se por causa do frenesi da mídia com a eleição do novo Papa ou por causa de um anúncio do Google “Jesus é Deus?” que está aparecendo lá) e os comentários dos leitores:

    – 5 RAZÕES CIENTÍFICAS QUE MOSTRAM PORQUE PAIS HOMOSSEXUAIS SÃO EXCELENTES”:
    http://hypescience.com/5-razoes-cientificas-que-mostram-porque-pais-homossexuais-sao-excelentes/

    – “CONTRA O ABORTO MAS A FAVOR DA PENA DE MORTE”:
    http://hypescience.com/aborto-pena-de-morte/

    – “IGREJA CATÓLICA E CIÊNCIA: UMA RELAÇÃO COMPLICADA”:
    http://hypescience.com/igreja-catolica-e-ciencia-uma-relacao-complicada/

    – “O ALTRUÍSMO DE MADRE TERESA: MITO OU REALIDADE?”:
    http://hypescience.com/o-altruismo-de-madre-teresa-mito-ou-realidade/

    – “FAZER ABORTOS PODE SER UMA ESCOLHA MORAL, SUGEREM MÉDICOS”:
    http://hypescience.com/fazer-abortos-pode-ser-uma-escolha-moral-sugerem-medicos/

    – Etc., etc., etc.

    Não podemos deixar de notar também como a grande maioria dos leitores do site positivam comentários anti-cristãos e anti-católicos, inclusive, aqueles favoráveis ao aborto, ao homossexualismo e à eutanásia!

    Infelizmente, não posso mais defender a Igreja lá neste site; pois, parece que fui banido e poucos comentaristas o fazem. Gostaria até que a Igreja Católica criasse um tipo de apostolado formado por pessoas muito cultas (tanto em história da Igreja quanto em ciências) para postar comentários nestes sites a fim de combater o terrível crescimento do ateísmo e do cientificismo entre os jovens; mesmo porque, a grande maioria dos comentaristas (a qual me incluo) não têm conhecimento ou tempo suficiente para combater os ativistas ateus.

    Infelizmente, parece que nós cristãos estamos perdendo essa guerra. Temo que, se não for tomada uma séria atitude por parte da Igreja e dos cristãos em geral, em alguns anos a maioria da população brasileira já estará convencida a favor do aborto, da eutanásia, do casamento homossexual e de sua adoção de filhos, e de outras deformidades morais pelas quais nossa sociedade está sendo constantemente bombardeada.

    Se isso que estamos vivendo não for a Grande Apostasia prevista na Bíblia, então, não sei o quê pode ser pior do que isso?!

  3. JBC

    Hehehe, tá certo. Apesar de nossas divergências, apreciou muito sua honestidade intelectual.

  4. Leniéverson Azeredo

    Eu sei que você falou uns tufos de mim, no outro post, mas o que me chama atenção é que todo mundo que pensa diferente de você é farsante. Será?Claro que não. Eu não acho sua fala a de um farsante, mas sim de um desonesto intelectual. Que alias, não é a mesma coisa.

  5. Paulo

    PREFERIREI QUE ESSES VERSOS POR SI SÓ O FAÇAM PELO QUE REDIGIRIA SOBRE O PT, IDEIAS DE ANÁLOGOS COMUNISTAS COMO AO GAYZISMO E SEUS ELEITORES COMPARTILHANDO DE TUDOI
    RETRATO DE QUEM PÕE FÉ NO DIABO!
    VERSOS PARA SE COPIAREM, SEREM MEDITADOS E GUARDADOS!
    Do aluizioamorim.blc, cantor gaúcho José Fighera Salgado.

    Que heróis são esses que ergueram massas
    Pregando o fim de alheias propriedades!
    Tramando golpes com base em mentiras,
    Ideologias de falsa igualdade!
    Que heróis fajutos, que com mil falácias
    Organizaram hordas de iludidos!
    Disseminando ódio entre as classes
    Com seus conceitos falsos e falidos!
    Que heróis de araque que até hoje guiam
    Servos que travam inúteis contendas;
    E assim militam por ruas e becos,
    E cortam cercas pra invadir fazendas!
    Que heróis bandidos que pregaram roubo
    E caridade com dinheiro alheio!
    Mas cujo bolsos de seus seguidores
    Não se abstém de os manterem cheios!
    Legado tosco o destes heróis,
    que greves tolas vão influenciando!
    Pelas escolas, poluindo livros;
    Nas faculdades, mitos se tornando!
    E os seguidores dos heróis de barro,
    Que alcançando pleno poder,
    Confiscam armas do povo que, assim,
    Nem mais a vida pode defender!
    Sagaz macabras as destes heróis,
    Cujos ideais, pátrias degeneram!
    Destroem jovens, corrompendo mentes
    Com utopias que nunca prosperam!
    São cultuados em todas as partes;
    Cidades, campus e universidades!
    E assim, aos poucos, seus servis soldados
    Calam as vozes que falam verdades!
    Triste destino o dos que lutaram
    Nas intentonas dos heróis falsários!
    Fortalecendo o perigo vermelho,
    Feito de ódio e rancor proletário!
    Pobre cabeça que acata as ideias
    De um falso herói mal-intencionado!
    Pobre do homem, que iludido entrega
    Sua devoção aos heróis errados!

  6. Álvaro

    Jorge,

    Seus textos anteriores(o do STJ e o da Gazeta do Ramalhete) sobre a adoção(homoafetiva) foram lidos pela minha professora de Direito de Família e ela discordou e fez até um artigo.Logo eu enviarei ao email do Deus lo vult.

    Em resumo,ela citou alguns comentários seus e disse que a sua argumentação é falaciosa porque os solteiros podem adotar.Resumindo..”se os solteiros podem adotar porque a “dupla homoafetiva” não poderia(argumento dela) ?

    Depois ela disse que cada vez mais o Estado procura amparar a “família tentacular” em detrimento da Tradicional…e que a sua comparação com os outros grupos sociais é falaciosa e não tem nada de seletivo e arbitrário porque o Estado pode sim entregar a criança aos grupos sociais que você citou,desde que seja fundamentada a decisão,a exceção do incesto,por se tratar de um ilícito civil.

    Resumindo é isso que importa…o resto é só besteira do tipo…”é melhor ser adotado por pederastas do que ficar em orfanatos”…enfim…parte para uma discussão abstrata e genérica…esse tipo de “argumento enlatado” e mais algumas decisões e citações doutrinárias…quem puder postar aqui jurisprudência contrária sobre a adoção homoafetiva eu tbm agradeço

  7. JBC

    Pois é Álvaro,

    E ontem foi aprovada na CCJ a PEC 99/11, que garante o privilégio às associações religiosas de proporem ADIn e ADC.

    Pensei que o Jorjão ia fazer um post atacando esses privilégios injustificáveis, já que ele se mostrou ser contra privilégios. Mas esse é o grande problema daqueles que ousam defender o indefensável: os fatos sempre trollam essas pessoas.

    Agora temos junto ao rol de privilégios das denominações cristãs no Brasil a PEC 99/11 para figurar ao lado dos privilégios como:
    * ter seus símbolos sagrados pendurados em tribunais e em casas legislativas,
    * ter o nome do seu deus inscrito nas moedas,
    * ter metade das escolas públicas tenso ensino religioso (cristão católico) obrigatório,
    * ter dinheiro a rodo para custear seus eventos,
    * ter dinheiro público para manutenção de seus templos,
    * ter o privilégios de obter passaportes diplomáticos para seus superiores,
    * ter um acordo entre Estado e Vaticano que privilegia a sua religião.

    E depois vem querer criticar os “privilégios” dos casais homafetivos de poderem se casar…

  8. Lampedusa

    “E ontem foi aprovada na CCJ a PEC 99/11, que garante o privilégio às associações religiosas de proporem ADIn e ADC.”

    Ué… não entendi onde está o privilégio. A possibilidade se estende a qualquer associação religiosa e não apenas a católicos. Se houver uma instituição de cunho nacional poderá ser budista, islâmica, umbandista ou atéia.

  9. Eduardo Araújo

    Haja imbecilidade de fanáticos antirreligiosos. Dizer que a inclusão de associações religiosas DE QUALQUER CREDO no rol das que podem ajuizar ADIn e ADC é um “privilégio” ilustra bem o grau de estupidez dessa gente.

    O que a PEC 99/2011 propõe é tão somente incluir às pessoas físicas e jurídicas elencadas no artigo 103 da CF as associações religiosas, o que é perfeitamente condizente com a manutenção da ordem jurídica e da laicidade do Estado.

    Uma das cláusulas pétreas da Constituição é a garantia fundamental de liberdade de crença, exercício de culto e proteção aos locais de cultos e a suas liturgias. Nada mais elementar, pois, que as entidades representativas desses credos possuam a possibilidade de questionar junto ao STF a constitucionalidade de medidas arbitrárias que prejudiquem a garantia fundamental. Afirmar que isso “agride o estado laico”, “institui uma teocracia”, “é um privilégio”, como berram as antas na sua fúria antirreligiosa, é um acinte grosseiro. Por que os “iluminados”, cegos de ódio contra a religião cristã, não investem, então, contra a OAB, os partidos políticos, as confederações sindicais e as entidades federais de classe, todas já constantes do artigo 103? Afinal, são “privilégios” concedidos a organizações as mais das vezes ideologicamente aparelhadas – no caso dos partidos políticos, por definição.

    O interessante é que esse DIREITO, justamente concedido às associações religiosas torna-se uma ferramenta relevante na manutenção do estado laico, ao permitir que uma entidade questione o PRIVILÉGIO de outra em seu prejuízo, assim como eventuais possíveis ações tomadas por uma religião contra outra.

    Mas como é um DIREITO CONCEDIDO A RELIGIOSOS, a imbecilidade antirreligiosa nem se detem em examinar o que de fato visa a PEC, achando que isso vai implicar nas igrejas despejando ADIn e ADC a rodo para governar o país. Ora, mas é muito engraçado, para não dizer o contrário. Quem vem usando esse expediente – impor via STF – são ninguém menos que as corjas abortista e gayzista, solapando, como é muito do seu feitio, os mecanismos democráticos para discussão de propostas de alteração da ordem jurídica vigente. Mas por que será que essa gente teme tanto a democracia, hein?

    Ademais: a inclusão das associações religiosas no artigo 103 CF não impede questionamentos, opiniões contra, livre discussão e debates SEM CRIMINALIZAR A DIVERGÊNCIA, nem, tampouco, que outras pessoas físicas ou jurídicas requisitem a mesma inclusão. Ou seja, o extremo-oposto da PLC 122/2006, uma peça de cunho totalitário que faria um Stalin corar as buchechoas, que estabelece, dentre outros dispositivos próprios de uma ditadura, o DELITO DE OPINIÃO, e cria uma casta ultraprivilegiada, intocável, cujas demandas não poderão sofre a menor contraposição sem tornar o discordante um terrível e perigosíssimo “homofóbico”. Dá para ver, claramente, em que lado se está buscando criar privilégios.

    Os demais itens são de uma carga falaciosa horrenda:

    1 – símbolos religiosos nas paredes de repartições não configuram privilégio. Primeiro, não existe a obrigatoriedade de constarem ali. Segundo, uma vez lá colocados perdem, amiúde, sua referência religiosa. Suscitar uma devoção religiosa num crucifixo instalado na parede de um tribunal é de uma cegueira e de um ódio contra a religião que poderia-se cogitar um distúrbio psicológico. Não sendo isso, seria uma ditadura de estado impregnada de sentimento antirreligioso, caso do regime nazista que, por sinal, também, pautou pela retirada dos símbolos cristãos das suas repartições públicas.

    2 – há uma lei que torna o ensino religioso em escolas públicas facultativo. Entrementes, se uma escola não a cumpre, isso é um problema de descumprimento de lei por entidade pública, passível de ser tratado e resolvido no âmbito da administração pública. Onde está, então, o alegado “privilégio”? Nenhuma instituição religiosa possui amparo legal para impor o ensino religioso em uma escola pública. Não tem sentido, assim, falar de privilégio se um desses estabelecimentos, por sua conta, desafia a lei.

    3 – Dinheiro “a rodo” para custear eventos? Só se for mesmo. Imagino que o sujeito esteja pensando nos gastos previstos pela Pref. do Rio por ocasião da JMJ. É de uma incrível estupidez! O governo municipal do Rio se ocupa, isto sim, com o retorno financeiro que terá com o evento, assim como Madri teve. Bem diverso de um panamericano, inflado com gigantes brancos superfaturados. Demais disso, mais uma vez acho interessante um gayzista questionar isso. E o generoso financiamento público de eventos gayzistas, de congressos lgbt a paradas gays? E a cobertura de gel lubrificante e cirurgias de mudança de sexo pelo orçamento do SUS? Comparando-se os dois casos, aliás (católicos e gayzistas), os religiosos ao menso constituem, AINDA, a maioria deste país e isso se reflete também na maioria de contribuintes, formadores do bolo tributário que o governo usa em tais repasses. E, por mim, religioso católico e contribuinte, prefiro que o imposto que pago não seja destinado a eventos gayzistas nem a marchas de maconha, feministas e mais do lixo da espécie.

    4 – Para finalizar e não ficar mais extenso, passo para a última baboseira. O acordo entre o Brasil e o Vaticano – alguém avise ao babaca – foi um acordo ENTRE ESTADOS. E não visou dar privilégio algum à Igreja Católica e, sim, firmar a prática do catolicismo no país, sem a interferência negativa do Estado na religião. Algo como a contrapartida do princípio de laicidade. O Estado é laico e a religião não é estatal.

  10. Geraldo

    O EPISCOPADO, SACERDOTES E POVO FRANCESES DÃO DEMONSTRAÇÕES PÚBLICAS DE CATOLICISMO ASSUMIDO!
    Somos nós os neo Judas versão século XXI? As recentes gigantes manifestações de católicos antihomossexualistas na França – não é a 1ª que criticam o esforço comunista de tentarem implodir a civilização cristã Ocidental – sendo essa uma das práticas do MARXISMO CULTURAL, agora contra o homossexualismo/ideologia gayzista com apoio do episcopado, participação de clérigos jovens e centenas de milhares de pessoas foi também uma chamada de atenção à Igreja/católicos do Brasil pela apatia e passividade gerais, anestesiamento, irreações nas homilias dos sacerdotes contra isso de forma explícita e constante – excetuam-se como sempre os muito poucos – não só em seguidas eleições do satano-marxista, material-ateísta e arquiinimigo da Igreja PT que, além das imposições do acima mais o aborto, pedofilia, paradas gays vilipendio a ícones católicos, favorável à liberação de drogas para alienar o povo, é mantido há tempos no poder por meio de dezenas de milhões de católicos alienados à fé.
    Dizia o velho comunista italiano Beria: “Sem drogas não há comunismo”, o dopping é compulsorio para os aceitarem, pois sabem que pessoas “INSTRUÍDAS, LÚCIDAS E INTELIGENTES” não os aceitam, e nós assistindo a tudo em cima do muro – do lado do mal – e os prestigiando em eleições seguidas sem reação mais contundente da Igreja a mudarmos de direção partidaria a criterio da consciencia cristã de cada um, e tais atitudes de inercia sugeriria até conivencia de alguns da cúpula hierárquica aos marxistas…
    Seríamos apenas cristãos de tradição, estatística e fachada?
    Apenas do estilo batizado, casamento e missa de 7º dia?
    Para piorar, existe a esquerdo-comunista Teologia da Libertação, associada ao PT, seita do L Boff/Gutiérrez etc., para defendê-lo e ainda a subverter muitos incautos ao comunismo, acreditando eu que o crescimento do mal provém da falta de ações missionarias mais assumidas de cada um de nós.

  11. JBC

    Olá Jorge,

    Acabei de ler um texto muito interessante do site do Bule Voador, da Liga Humanista Secular do Brasil, e achei que muitas das coisas que foram ditas ali guardam alta relação com o vocês, católicos, defendem.

    Claro, se trata de um site que veicula ideias bem diferente das de vocês. Mas leia, e se possível, traga ela para seu blog pra discussão. Gostaria muito de saber o ponto de vista de vocês sobre as ideias do texto.

    Não que eu tenha a pretensão de te pautar, mas vejo que muita gente por aqui reproduz diversos argumentos desses “caras” aí, chamados de “fariseus” pela autora do texto. E sei que vocês, católicos, também concordam com isso (que eles são fariseus, vendilhões de templo). Ou seja, vocês, sutilmente, estão indo na onda desses “caras”.

    Então, acho que é importante essa conscientização de que agora, vocês estão de mãos dadas em prol de uma suposta “defesa dos valores cristãos”. Mas na frente, se esse projeto de poder desses caras der certo, vocês são o próximo grupo na mira deles. Não tenha dúvidas disso. “Eles” não querem um “governo de Deus” com “valores cristãos”, mas sim um governo deles.

    PS: Quanto às expressões deles, eles e caras, eu me refiro a Edir Macedo (que chutou a Santa de vocês, imagine o que fará aos católicos quando chegar ao poder), Silas Malafaia, Valdomiro Santiago e R.R. Soares.

    Abraços

  12. Wilson Ramiro

    Interessante este comentário.
    “vocês são o próximo grupo na mira deles.”

    Católicos e ateus unidos contra pentecostais malvados.?!

    O neo pentecostalismo atual, nada mais é do que a aplicação da teologia da prosperidade, é apenas uma tsunami. mais forte ou mais fraca, pode fazer estrago, mas não se sustenta. O imediatismo ateu sofre muito, mas mesmo o imediatismo ateu ressurge findo o tsunami.

    Os ateus deveriam se aliar aos pentecostais, tem muito mais em comum do que imaginam.

  13. Leniéverson Azeredo

    Caro, JBC, eu conheço o Blog Bule Voador, assim como Conheço os Blogs A Capa, Paulopes, Blog do DeLuca, a Virgula, dentre outros. Todos são ligados a um grupo de ateus, que como sempre implicam com os valores cristãos, que alias me parece incomodo, um peso para você.
    Esses blogs, nitidamente implicam até com frases de santos ou imagens de Nossa Senhora, em bandeiras de municípios, porque evocam o tal de Estado Laico, mas curioso que antes desses ateus ‘chamarem’ atenção para este detalhe, ninguém se incomodou com isso.
    Quando se trata de municípios ou estados da federação, São Paulo (cidade) foi erigida em torno do solar do colégio fundado pelos jesuítas, no século XVI. Essa informação, quase esquecida, foi relembrada em virtude e consequência da Eleição do Papa Francisco pelo conclave.
    Assim como São Paulo, outras cidades, estados e bairros surgiram em detrimento do catolicismo. E essa particularidade histórica nunca incomodou alguém, só os intolerantes.
    Fora o nome de ruas, cidades e estados com nomes de santos. Além de hospitais, escolas e centros terapeuticos ligados a grupos religiosos ou dioceses. Não entendo porque essa tradição lhe afeta, JBC. Trauma? Decepção?Conta pra gente.Eu, por exemplo, gostaria de saber.

  14. JBC

    Caros, o texto que eu me referi no comentário anterior era este. Não saiu por um erro meu nas tags.

    Alien, escrevo deus com “d” minúsculo porque creio que esse é apenas mais um dentre o panteão de deuses criados pelo homem. No máximo, me disponho a chamá-lo de “Javé”, que é o seu verdadeiro nome, e que foi substituído pelas expressões “Deus” e “Senhor” nessas versões atuais da Bíblia, com o intuito de se universalizar um deus que é na verdade muito particular de tribos israelitas que habitaram o Oriente antigo.

    Quanto aos demais comentaristas, apenas conclamo todos a sermos laicistas. Para o bem de todos.

    Segundo a Bíblia de vocês, um deus me deu livre-arbítrio. Inclusive para adorá-lo ou não. Querer subverter essa característica me forçando a adotar as suas concepções religiosas é querer ir contra a palavra que vocês próprios dizem acreditar.

    Apenas isso me incomoda.

    Abraços a todos.

  15. Wilson Ramiro

    ?1?1 “Quanto aos demais comentaristas, apenas conclamo todos a sermos laicistas. Para o bem de todos.” ?!?!

    Quem disse que o laicismo é para o bem de todos???????

    Na cultura atual LAICISMO=ANTI RELIGIÃO.

    A sociedade laica que deveria aceitar todas as religiões, agora refém de certos ateus, transformasse em inimiga de credos!

  16. Leniéverson Azeredo

    “Quanto aos demais comentaristas, apenas conclamo todos a sermos laicistas. Para o bem de todos”.

    Mas é aí, que esconde um problema embutido na sociedade, ou melhor, numa parte dessa mesma sociedade. Para essa parcela da população a religião é uma IMPOSIÇÃO, até onde eu sei, Cristo nunca impôs nada, muito pelo contrário, PROPÕE. Sim, Deus nos dá livre arbítrio para amá-lO, para adorá-lO, para servi-lO, dentre outras coisas. O que talvez, acontece com algumas pessoas é uma visão traumatizada das religiões que costuma trazer mágoas, frustrações, rancores, etc. A grande maioria das pessoas que eu conheço que pensam como o JBC, tem exatamente uma ótica originada também por uma decepção generalizada, que acontece quando alguém que fazer parte de uma determinada igreja fez algo que não deveria ou falou algo truncado e isso provocou uma ferida que fica sempre exposta, não cicatriza e fica machucando o tempo todo. Há outros casos em que a pessoa foi criada num ambiente carregados de esoterismos ou ateísmos e a pessoa traz isso como uma bagagem. Há sempre motivos – mas não admitidos, por orgulho ou desfaçatez – para se ter implicar com as religiões, sobretudo a cristã, e negar a importância delas na sociedade. Em geral e eu já disse aqui “an passant” muitas vezes, que pessoas assim se mostram, de certa forma, antissociais, por que não entendem que nós cristãos somos pessoas que pagam impostos, trabalham, tomam sorvete, comem pizza, se divertem em danceterias, escutam rock ou samba, deixam seus filhos na escola e pasmem – usando o espanto deles – vão a Igreja. Portanto, há uma visão preconcebida das práticas religiosas e de quem crê em Deus.