O Marco Feliciano não me representa, mas o Pedro Gontijo também não

closeAtenção, este artigo foi publicado 4 anos 3 meses 16 dias atrás.

A nota da Comissão Brasileira Justiça e Paz da CNBB «sobre a eleição da Presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados» é desconcertante. Eu sinceramente nem sei o que falar. Se por um lado é justo precaver-se contra a militância política do pastor que ofende e hostiliza católicos, por outro lado é fato inconteste que as propaladas «mobilizações da sociedade civil» contra o Dep. Marco Feliciano não têm por alvo outra coisa que não a visão tradicional de Matrimônio cuja defesa ostensiva tem marcado a atuação parlamentar do referido pastor.

Alguém já disse com muita propriedade que não importa quem esteja na presidência da CDHM: se for alguém com posições claras e inegociáveis a favor do Matrimônio tradicional será alvo da mesma truculência que hoje a turba anti-democrática devota ao pastor da Assembléia de Deus. O alvo dos manifestantes não é o pastor, e sim a repulsa ao “casamento gay” que ele personifica. O resto é só cortina de fumaça para disfarçar a intolerância dos que militam para conferir direitos ao vício sodomita.

É verdadeiramente lamentável que estejamos tão mal-representados na Câmara, mas o fato é que a causa pró-família aparentemente não conta, entre os parlamentares, com muitos deputados diferentes dos que formam a assim chamada “bancada evangélica”. E se a política é a arte do possível, considero que se juntar aos que atualmente se mobilizam contra o pastor é se associar perigosamente à causa gay. É no mínimo uma irresponsabilidade sem tamanhos! Afinal de contas, parece óbvio para qualquer um que possua percepção política que a única minoria “prejudicada” na CDHM sob o Marco Feliciano será a formada pelos homossexuais que querem subverter o ordenamento jurídico brasileiro com a introdução de privilégios descabidos para a própria “classe”. Os quilombolas não serão reescravizados, as mulheres não serão espancadas, os índios não serão chacinados, os nordestinos não serão expulsos do sul do país, nada; a única coisa que se pode realisticamente esperar da atuação do Feliciano na referida Comissão será o atravancamento da agenda gay, a única coisa que ele pode politicamente fazer é frear um pouco o galope alucinado a que o gayzismo avança no Brasil.

Criticar o pastor é chutar cachorro morto, e aparentemente nem a própria CBJP se pergunta os reais motivos escusos pelos quais de repente todo mundo começou a malhar o infeliz deputado! É óbvio que o Marco Feliciano não me representa; no entanto e infelizmente, ele representa (talvez por mera vacuidade política) a visão clássica de “Matrimônio” que eu e a maioria dos brasileiros esposamos. É justo questionar a seriedade do pastor sim, mas para ser honesto é preciso questionar a seriedade de todo o sistema de governo brasileiro e da própria noção de “democracia” tupiniquim, da qual o pastor não se afasta tanto a ponto de justificar o seu sacrifício com a simultânea preservação de todo o resto do edifício podre. E, principalmente, não é justo sacrificar o matrimônio tradicional pelo fato dele ser defendido por um larápio protestante. Esta é a situação que todo mundo deve ter bem nítida na consciência antes de apoiar “manifestações” contrárias ao Feliciano na CDHM.

Sobre a CBJP, eu não me lembro de ter lido nenhuma nota do órgão quando o Jean Wyllys foi eleito relator do Estatuto do Nascituro, por exemplo. Ao sr. Pedro Gontijo, portanto, eu recomendo menos seletividade na redação de notas oficiais; e, principalmente, que ele tome o devido cuidado para não vincular as suas posições pessoais à Conferência dos Bispos da qual o órgão que ele dirige faz parte. Afinal de contas, o Marco Feliciano não me representa, é fato, mas o Pedro Gontijo também não.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

23 thoughts on “O Marco Feliciano não me representa, mas o Pedro Gontijo também não

  1. Pedro Erik

    Parabéns, pelo texto. É muito triste ver a CNBB desta forma, tão inepta na defesa do cristianismo. Uma desgraça realmente.

  2. Sidnei

    Já se falou tanto deste pastor Marcos Feliciano de ter falado mau dos homossexuais, dos afros descendente, e agora, de ter ofendido a John Lennon e os Mamonas Assassinas pela morte deles ter sido castigo de DEUS, porém, até agora, ninguém trouxe nada dele ter falado mau de nós católicos, que se for procurar aqui e acolá, provavelmente encontrarão um monte de ataques deste sujeito a Igreja Católica, e ataques que perto destes citados acima, serão muito maiores e piores que farão arrepiar até a alma. Fico na dúvida se apoio ou não apoio este sujeito, mas fica a questão, porque todos levantam apenas os ataques deste pastor a um determinado grupo e ignoram os ataques a nós católicos?, será que se ele nunca tivesse feito ataques nenhum a homossexuais, afros descendentes, beatles, mamonas assassinas, então esta tudo bem, mesmo que se ele tivesse sempre ofendidos a nós católicos, quer dizer, ofender a nós pode, mas ofender os outros, nem em pensamento, seria bom nós católicos refletirmos sobre isto, pois estou cansado de ver ataques a nossa fé vindo de crentes que não conhecem nada do que nós cremos, e o indiferentismos de muitos grupos que se ignoram a nós por completo, se ajuntam aos nossos inimigos para ajudar a baixar o porrete em nós. Ecumenismo?, para que?, se já vi mais de uma vez católicos se abrirem ao diálogo com um monte de igrejas e religiões, mas, quando dão as costas, aquente as criticas e ofensas contra nós, acredito que a Igreja Católica teria que rever isto também, ecumenismo, sim, com pessoas sérias e não com dissimulados, que por frente se fazem de amigos, mas, por trás, se puderem, são capazes de puxar o tapete só para ver o nosso tombo.

  3. Adriana

    Sidnei, muito boas as suas colocações. Estou no mesmo dilema que você.

  4. Leniéverson Azeredo

    Sidnei, Adriana, Jorge Ferraz, Pedro Erik e Giuliano, eu também não morro de amores pelo Marco Feliciano, acho que a apologética dele muito equivocada, mas vamos fazer algumas reflexões sobre isso:
    1º Nos Estados Unidos e na França, consegue-se reunir mais 300.000 pessoas para lutar e se manifestar contra respectivamente o aborto e a união civil gay. Oras, não vamos ser ingênuos que nessas passeatas só há católicos ou só há protestantes, há uma mistura. No Brasil, a gente vive um modelo de cristianismo muito dividido. Na ala protestante há as divisões entre os renovados e tradicionalistas, os calvinistas e os luteranos,os da Teologia da Prosperidade e os da Teologia “normal”, entre os bereianos e os assembleianos, enfim, um samba de crioulo doido. E entre nós católicos: Há a divisão entre os adeptos doi Rito Tridentino e os Rito do Concílio Vaticano II, entre os que preferem a doutrina social da Igreja e a Teologia da Libertação, os relativistas e os não relativistas. Enfim, dentro do protestantismo e catolicismo há tantas divisões internas que prejudicam aquilo proposto pelo evangelho de São João 17, 21 (que todos sejam um).
    Brigamos tanto defendendo nosso feudo, nossa redoma, que nos esquecemos de que o diabo está fazendo a festa com isso. E a militância das minorias, se aproveitando desse bate-boca, dessa divisão interna, se aproveita para implantar a sua agenda. Eu sei que muita gente não percebeu esse ponto.
    2ºVamos parar para pensar, se não for o Feliciano,quem estará a frente da Comissão serão os gayzistas e abortistas.Jean Wyllys, Erika Kokay, Chico Alencar e companhia. Eu reconheço que defender o mal menor é bastante temerário e complicado, mas eu creio que dentro da linha tênue, entre o nosso amor ao catolicismo e as nossas diferenças doutrinárias, devemos abrir pequenas exceções para que consigamos defender os valores cristãos.
    3º A Escolha dele a presidência e seu mandado de deputado foram legitimos, disso não podemos nos esquecer, devemos entender e respeitar. Ele representa um seguimento da sociedade, se eu não engamo ele teve 212 mil votos, quase 20 vezes mais que o Jean Wyllys. Ele não tem ficha criminal, diferente dos mensaleiros da CCJ.
    4º Quanto a questão do Jonh Lennon e Mamonas Assassinas, se sabe e essas estórias podem ser verificadas na internet, que eles igualmente já zombaram, de certa forma, o nome de Jesus. Afinal, quem foi que disse que eram mais famosos que Jesus Cristo?Devagar com o andor, minha gente.
    5º O Marco Feliciano não me representa, mas as causas que ele quer defender e, os baderneiros do PT, PSOL e PC do B não deixam, são as mesmas que nós queremos defender.Não dariamos para fazer uma trégua ou apoio?

    Bom, quanto a nota do Gontijo, é um lixo, porque ele considera a presença do Feliciano um atraso, um retrocesso, mas o que é retrocesso para ele, ser contra o casamento gay, por exemplo? Oras, gente, o Papa Francisco é contra, será que ele também acharia um retrocesso?Me poupe, a nota é um lixo e foi escrito coincidentemente quando Dom Raymundo Damasceno estava em Roma, em virtude do Conclave.Independente do que o presidente da CNBB achou ou não da nota, a Conferência tem dado exemplos desanimadores para nós. No Twitter, me perguntaram se a CNBB e o CONIC representam os católicos. Eu disse, depende de qual católico, porque a mim não representa.

  5. Renan

    HUMMMM…. ESSA TAL DE CNBB, HEM…
    QUE SAUDADE DE D LUIZ BERGONZINI!
    Nunca me deparei até ao momento com um sequer elogio à atuação da CNBB na net, muito ao contrario, repreensões à sua conduta de alto a baixo.
    Ele é uma instituição de consulta dos bispos, não os representa, embora o pareça – cada bispo é autônomo, inclusive para instalar o marxismo em sua diocese, alguns já o fizeram e se mantêem no propósito, mas repassa a impressão de os representar.
    São recorrentes as críticas a supostas ligações com a esquerdista Teologia da Libertação, com o Foro de S Paulo do Lula-Fidel-Dilma-PT-Comunismo Internacional e outras ações nada ortodoxas à fé cristã que mais se pareceria com os missionarios da DITADURA DO RELATIVISMO, e que cuidaria mais de ecologia e assuntos exteriores que da fé católica.
    Pareceria-se com a Canção Nova do ídolo dos gays Pe Fabio de Melo, dos RCCs pentecostalistas protestantes e similares e se candidataria a representar a “DITADURA DO RELATIVISMO”!
    Que está infiltrada de comunistas pareceria ser garantido, idem esses se impondo sobre os outros de pouco pulso tomando-lhes as iniciativas – os comunistas são satanistas, são filhotes de Marx que disse, dentre mais: “Quero me vingar d’Aquele que governa lá em cima” – sendo muito audaciosos e impostores.
    O Feliciano ainda coopera com os católicos que não possuem uma bancada com integrantes para os representar nas Câmara e Senado: que vergonha!

  6. Eduardo Araújo

    Leniéverson, assino embaixo seu comentário!

    Cabe lembrar, sempre, que temos com os protestantes divergências doutrinárias, não significando, necessariamente, entraves políticos. No tocante à política, aliás, compartilhamos – pelo menos, na sua maioria – as mesmas causas, as mesmas lutas, os mesmos oponentes. Não vejo, assim, no fato de Feliciano ou outro ser protestante um motivo sério para não terem nosso apoio em relação a essas bandeiras. Inclusive, também convém ressaltar: protestante ou não, são, a priori, seres humanos. Nesse sentido, não já partilhamos muitas coisas com eles?

    Além disso, que eles nos sirvam de exemplo. Penso que seria muito bom termos mais e mais jornalistas conservadores, caso de você, Leniéverson, e da Rachel Sheherezade, por exemplo. E como seria ótimo se dentre estes houvesse muitos católicos. Do mesmo modo, estendo esse anseio para a arena política, para os ministérios públicos, o meio artístico etc.

  7. Adriana

    Leniéverson, Eduardo Araújo,

    Existe um certa diferença entre os protestantes históricos e os tais pentecostais e neopentecostais. E existe mais diferença ainda entre os protestantes europeus e os daqui.
    Aqui é muito contundente o discurso anti católico. E a diferença que existe vai muito além divergências doutrinárias. Entendo que as divergências doutrinárias com toda certeza farão a diferença também no campo político, uma hora ou outra isto vai pesar.
    Observo em muitos blogs gospel como eles agem de maneira ardilosa ao divulgar matérias envolvendo a Igreja Católica, são mestres nas artes da dissimulação e da distorção. E, de maneira geral, não nos consideram irmãos em Cristo.
    Vejam só o quanto os tais pentecostais descem a lenha em nós católicos no assunto imagens e santos, discursos inflamados e desrespeitosos e sem de maneira alguma se interessar pelo Magistério da Igreja Católica. Ai, o tal do Malafaia, que vive vociferando contra os gays, num ataque de “bondade e fraternidade” tomou as dores dos católicos quando tal grupo utilizou imagens católicas numa das passeatas. Obviamente que este pastor apenas foi interesseiro a sua própria causa, ele queria insuflar a nós católicos a aderirmos a causa dele. Passado tal período, obviamente, se volta novamente contra a Igreja de Cristo.
    Só acho que nós católicos não podemos ser ingênuos, eles querem nos usar apenas para o fortalecimento deles, a causa maior é está, eles querem muito mais do que qualquer outra coisa poder temporal. De maneira alguma acho que pretendem firmar o Evangelho de Jesus Cristo ou, ainda, reconhecer que somos a Igreja de Cristo ou que, pelo menos, também somos a Igreja de Jesus Cristo (já que o conceito do corpo de Cristo para eles é diferente do que para o católico).
    Posso até estar sendo intransigente, mas acho que este é o cuidado que devemos ter, porque mais cedo ou mais tarde eles se voltaram contra nós.
    Paz de Cristo.

  8. Eduardo Araújo

    Cara Adriana, não vejo a posição dos pastores da mesma forma. Não me parece, especificamente neste caso de defesa contra a gaystapo, que eles estejam tão-somente querendo nos manipular em prol de suas doutrinas heréticas. Com licença da expressão, o buraco é bem mais embaixo.

    Não vi, por exemplo, no pronunciamento do Malafaia, nenhuma falsidade ao mencionar o desrespeito escancarado dos gayzistas aos santos (muito mais do que a imagens dos santos). Claro que não se pode ser ingênuo a ponto de concluir, a partir daí, que o pastor – ele próprio um conhecido crítico da Igreja de Cristo – voltou atrás nas estúpídas idéias protestantes sobre os santos. A ênfase dele, certamente, foi no DESRESPEITO DE GAYZISTAS ao Cristianismo, independende de ser à verdadeira Igreja de Cristo, ou a alguma denominação protestante. Neste particular, portanto, não vejo porque deveríamos escorrachar o pastor, com suposições sobre uma velada intenção anticatólica. Esta, minha cara, está do outro lado da estória, o dos ativistas gays.

    No mais, esclareço que apoiar um político – que é protestante de qualquer espécie – numa causa que nos é comum não implica, em hipótese alguma, numa mudança apologética em relação àquelas denominações. Vamos considerar o caso do Feliciano, agora. O Leniéverson foi, ao meu ver, bastante feliz nessa lembrança:

    (Leniéverson) “se não for o Feliciano,quem estará a frente da Comissão serão os gayzistas e abortistas.Jean Wyllys, Erika Kokay, Chico Alencar e companhia”

    Para mim, e certamente para o nosso jornalista católico, a contenda não é Feliciano X Católicos, numa suposta conspiração protestante, e, sim, Feliciano (cristãos) X Ativismo gay (anticristãos). O jogo, no meu entender, se resume assim.

    E não, caríssima, você não está sendo intransigente. Seu alerta é altamente válido, para os que possam confundir apoio a uma determinada causa e concordância implícita com doutrinas heréticas.

    Paz de Cristo!

  9. Sidnei

    A questão sobre este pastor não é de apoiá-lo ou não, pois se for ver pelo lado que ele defende, nós também defendemos, e por isto, seria o dever de apoiá-lo, mas o que eu chamei a atenção foi mais voltado ao fato de que ele, provavelmente, atacou diversas vezes a Igreja Católica, e nunca, mas nunca ninguém chiou por causa disto, nem a CNBB, agora porque ele pegou pesado com alguns grupo intocáveis, aí esta sendo este Deus nos acuda, o que demonstra que atacar a Igreja Católica a torto e a direito, pode, aí se juntam: evangélicos, gays, ateus, comunistas, abortistas e um cem números de pessoas, o que tornam todos eles cabeças de um monstro só, por isto fico com um pé atrás em dá apoio a este pastor, pois para mim são cobras engolindo cobras, esta é minha opinião, e respeito a quem diverge de mim. Porém uma coisa é claro, enquanto os evangélicos se organizam politicamente, até formarem bancadas no congresso, nós católicos somos todos uns tolinhos que acreditam nos políticos que se dizem “católicos” e quando chegam no congresso, fazem tudo diferente do que a Igreja ensina, iludem o povo católico com falsas promessas e não cumpre nada do que prometem, isto quando não ouso algum político falar na tribuna da câmara dos deputados ou do senado dizendo que é católico mas apoia pesquisa com células tronco, casamento gay, aborto, e por aí vai, que belos políticos católicos temos no congresso, estamos muito mau representados, isto se é que nós católicos não quisemos ser mau representados mesmo.

  10. Leniéverson Azeredo

    Sim, Adriana, eu te entendo. Eu sei que há um depósito de heresias nesses sites e blogs protestantes, mas vejam segundo eles, também vê bobagens nos nossos. Eu já tive discussões homéricas no site da Cepal, mas pense bem, Adriana e Sidnei, quem mais gosta dessa divisão, dessa briga é o diabo,é o demônio. Se nós Cristãos não conseguimos fazer algo, ter uma agenda em comum, iremos viver o cristianismo no Brasil rachado.O que eu quero dizer, não é passar a concordar com heresias, isso não, mas sabermos carminharmos juntos, em algumas temáticas, como acontece nos EUA e na França. Porque é tão dificil?

  11. Paulo Kelson

    Chamo atenção sobre a atitude da maioria do povo cristão brasileiro!

    Independente do que Marco Feliciano declarou contra a Santa Igreja Católica e esteja pagando o preço por fazer campanha a favor da terrorista Dilma, a nossa maior luta é defender o cristianismo.

    Julio Severo apresentou: Ativistas gays têm mais coragem do que os cristãos…

    “Em sua pregação no 20º Congresso do Poder do Impacto do Espírito Santo, o Pr. Marco Feliciano destacou a coragem dos ativistas gays, que não têm medo algum de expor publicamente suas crenças, até mesmo quando envolvem obscenidades e atos nojentos no meio da rua. Sua pregação foi dada na Igreja Batista do Avivamento Profético, em Salvador, na Bahia, na quinta-feira passada, 4 de abril.

    Feliciano deu como exemplo uma reunião de cinco mil evangélicos da qual ele participou. Quando ele começou a dirigir sua palavra a esse público, quatro ativistas gays se levantaram no meio da multidão, com cartazes e palavras de ordem contra ele. Qual é o cristão, indicou ele, que teria coragem semelhante?

    Enquanto estava dando esse exemplo, ele não chegou a ver cenas de protestos realizadas, na frente da Igreja Batista do Avivamento Profético, por ativistas gays ligados ao Grupo Gay da Bahia (GGB), fundado por Luiz Mott, que tem sido há anos acusado de defender a pedofilia. Com cartazes, os militantes do GGB acusavam Feliciano de “homofobia… Na pregação, cujo conteúdo vale a pena assistir e está registrado neste link http://www.youtube.com/watch?v=34XCUV0xY1M&feature=player_embedded#!

    http://juliosevero.blogspot.com.br/2013/04/ativistas-gays-tem-mais-coragem-do-que.html

    O procurador da república: Feliciano e Mott, dois pesos, duas medidas.

    “Na prática, Gurgel está agindo como se existisse um PLC 122 imperando no Brasil. De acordo com reportagem do Estadão, o “procurador disse que foram superadas visões preconceituosas e anacrônicas sobre a homossexualidade, como as que a consideravam um pecado”.

    Se a opinião de Gurgel for formalmente aceita pelo STF, a legalização do PLC 122 será desnecessária. Bastará o raciocínio descabido dele para que as pessoas sejam condenadas por “homofobia”. Feliciano está sendo colocado como teste.

    O procurador, que parece andar ocupadíssimo monitorando o Twitter de Feliciano, parece nunca ter tido tempo de ver as palavras de Luiz Mott, o líder do movimento homossexual do Brasil, defendendo a pedofilia.

    Ele também parece nunca ter visto a cena de Mott com uma estátua de menino pelado apresentando um museu erótico gay.

    Pelo menos, nunca se viu Gurgel pedindo uma ação penal do STF contra Mott.” Julio Severo.

    http://juliosevero.blogspot.com.br/2013/04/procurador-quer-que-marco-feliciano.html

  12. Paulo Kelson

    Aqui o Marco Feliciano atacando a Santa Igreja Católica Apóstólica Romana, mas ele está temoroso pela sua igreja pouco atuante, vamos mostrar o que é a Igreja de Cristo atendendo o apelo dele.

    Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é a Igreja de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade. I Timóteo, 3, 15.

    http://macabeuscomunidades.blogspot.com.br/2013/04/religiao-morta-e-fajuta-diz-pastor.html

    A juventude católica atuante:

  13. Marta

    Apesar de tudo, ainda acho preferível a união em causas comuns. Não podemos nos esquecer que essa luta é contra a ditadura de um pensamento único que se está instalando ardilosamente no país e que, cedo ou tarde, vai atingir a TODOS.

  14. vivian

    quero dar minha opinião sobre esta baboseira de NÃO NOS REPRESENTA.
    Em primeiro lugar muito lindo a Daniela Mercury aproveitar para assumir a homo agora, pegando carona com essa calhordisse, enquanto isso uma outra lésbica ( ex da namorada dela) chora e vive uma depressão. Lindo apoiar a traição não é? Seja hetero ou Homo. O traído que se dane…
    Mas o Brasil nem tem criança passando fome, mulheres apanhando, pessoas sendo mortas, propinas… Por isso sobra tempo pra gastar com essa mentira sobre nós cristãos.
    Desde quando no Brasil é crime ter opinião?
    Agora qto a representação, o Feliciano representa bem mais do que você imagina, como jornalista devia saber que a mídia ridícula de Jean criou essa historia sobre o Feliciano para ganhar mais que seus 13 mil votos ( causa do BBB).
    O Marcos Feliciano representa o pensamento de qualquer cristão( crente, católico, e outros que seguem a bíblia não somente nos versículos que lhe interessa): Amamos os Gays e não compactuamos com suas atitudes.
    Isso que estão fazendo é perseguição. Quem conhece o Feliciano sabe que o Jean usou muita maldade expondo apenas trechos sem contexto- fazendo disso um pretexto. Palavras usadas em sermões de mais de horas, onde Jean ouviu apenas minutos e publicou… Cadê o contexto Jornalistas experientes?
    Enfim nós os cristão damos Ibope e pagamos impostos como qualquer outro cidadão. Somos APENAS 42.275.440 no Brasil ( Fora os que não responderam ao censo) . Estamos calados por que sabemos que essa perseguição é ridícula, mas e se nos unirmos? Deixarmos de ver tv, deixarmos de votar, deixarmos o consumismo… Entenda bem, não é uma ameaça, apenas uma reflexão, como jornalista procurem conhecer melhor quem estão acusando. Acusando o Feliciano com essa mentira, estão acusando tb 42275440 cidadoes brasileiros.

    Toda vez que inicia essa babaquice na Tv, mudamos de canal. Teremos que virar todos gays? Podemos gostar das pessoas sem apoiar o que fazem, ou não? No entanto, existem religiões não cristãs ( que não seguem a biblia) que aceita as essas pessoas, então sigam-a.
    Deixe-nos quietos, pq seguimos a Biblia e essa babaquice de acusação infundadas já está enchendo. Desde sempre perseguiram os crentes e nunca ficamos nos fazendo de coitadinhos ou então fazendo essa tempestade.
    Acompanho seus programas desde a radio e não achei que um dia vc teria essa posição: comprar uma briga sem saber a vdd… seu programa sempre tem os dois lados da moeda não é? Bem, o Jornalista da Veja, escreveu bem sobre nossa posição.
    Infelizmente tem muita gt se baseando na babaquice de um ex BBB … Que quer legalizar a prostituição, o aborto,e outras coisas…. Enfim, estamos nos conscientizando, vamos trocar de canal, até criamos o costume de não assistir mais. Afinal ninguém dá ibope pra quem fala mal da gt. Acredito que pra vc 42275440 de telespectadores não faça diferença.
    Jornalista que não procura saber a verdade sobre o que fala é apenas sensacionalista.

    Outra coisa, Nós seguidores da Biblia não precisamos do Pastor Marcos Feliciano para nos representar, mas ficou bem claro na reunião geral do Brasil desta semana DA ASSEMBLÉIA DE DEUS – QUE TODOS OS PASTORES E SEUS SEGUIDORES APOIAM O PASTOR MARCOS FELICIANO. QUEM NÃO FOI NEM PODE OPINAR.
    E quem é contra não estudou a Biblia- usa trechos a sua mercê.

    Outra coisa, Existe na Biblia trechos de proteção que refere-se somente a quem acredita e a segue, especificamente para PASTORES, PADRES E SARCEDOTES CRISTÃOS: Porque o SENHOR defenderá a sua causa em juízo, e aos que os roubam lhes tirará a vida.Provérbios 22.23- . Deus é e sempre será o Guarda de quem verdadeiramente Lhe serve (Sl 91, 121).- “Não toqueis nos meus ungidos” (Sl 105.15)

    Vivian

    Veja se possível:
    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/a-expressao-nao-me-representa-e-uma-tolice-autoritaria-de-vies-ditatorial-e-um-emblema-da-era-da-ignorancia-mimada-e-saliente-ou-dilma-nao-me-representa-e-dai/

    http://www.canaavip.com/noticia-ler/356/alexandre-garcia-jornalista-da-rede-globo-defende-marco-feliciano

  15. Diego

    Meus Deus! Que mundo é esse em que os seguidores de Cristo se juntam aos sedutores protestantes para combater qualquer coisa. No passado, os católicos se apoiariam no papa, em Deus e na tradição. Hoje, querem viver a sombra de um pastoreco. Vergonha. NÃO, NÃO É LÍCITO NOS UNIRMOS AOS INIMIGOS PARA COMBATER OUTROS INIMIGOS! É melhor lutarmos sozinhos até o fim. Além disso, enquanto os grupos de esquerda mostram claramente suas heresias, a serpente protestante se traveste de ortodoxia para seduzir mais e mais cristãos. CHEGA!

  16. Eduardo Araújo

    Diego, ocorre que:

    1 – não se trata de “qualquer coisa” a combater. Ou será que você subestima a capacidade tirânica das militâncias gayzista, abortista, laicista etc.?

    2 – note que estamos em CAMPO POLÍTICO. Muito antes de estarmos nos juntando a sedutores protestantes – a lide aqui não é divergência doutrinária – estamos nos juntando a um parlamentar eleito legitimamente por mais de 200 mil cidadãos e conduzido à presidência de uma comissão da Câmara dos Deputados também em processo liso e dentro das regras internas daquela casa legislativa. É esse político, antes do pastor, que ora é confrontado por uma malta de agressores sem o menor respeito pela democracia, pela civilidade e pela ordem institucional. Isso, inclusive, lembra o pastor luterano Martin Niemoller, à época do endurecimento do regime nazista, década de 30, quando disse, adaptando um poema de Maiakovski:

    “Primeiro, os nazistas vieram buscar os comunistas, mas, como eu não era comunista, eu me calei. Depois, vieram buscar os judeus, mas, como eu não era judeu, eu não protestei. Então, vieram buscar os sindicalistas, mas, como eu não era sindicalista, eu me calei. Então, eles vieram buscar os católicos e, como eu era protestante, eu me calei. Então, quando vieram me buscar… Já não restava ninguém para protestar.”

    A citação acima é plenamente atual, bastando trocar “nazistas” por qualquer uma dessas militâncias truculentas e antirreligiosas.

    3 – você lembrou bem: NO PASSADO (grifo meu), os católicos se apoiariam no Papa, em Deus e na Tradição. Retificando, diria que nós católicos devemos, sim, nos apoiar, SEMPRE, na Sagrada Tradição, na Sagrada Escritura e no Sagrado Magistério.

    Todavia, você já parou para pensar um pouquinho sobre isso? O sagrado tripé que nos ampara pode sugerir – EM CIRCUNSTÃNCIAS BEM ESPECÍFICAS – a união com todo e qualquer outro ser humano, protestantes incluídos. A propósito, convém ressaltar que estes são nossos adversários de fé, não inimigos em sentido lato, como o seu texto dá a entender. E discordo de que em tais ocasiões devamos lutar sozinhos: considere o exemplo do regime nazista, anticristão em sua essência. E também antissemita. Deveria-se, então, deixar os judeus à sua própria sorte, os luteranos à sua própria sorte e esperar o mesmo deles em relação a nós?

    Me diz aqui, Diego: se num elevador estivessem um católico e um protestante e entrasse nele um assassino compulsivo,cruel e sedento de matar, aí ele se volta primeiro para o protestante^; o católico deveria fazer o quê? Deixar o assassino matar o protestante, sem nada fazer para tentar impedi-lo, afinal “não é lícito os unirmos aos inimigos para combater outros inimigos”?

    E para encerrar (meu comentário): não estou, em hipótese alguma, defendendo protestantes. Apenas considero que não estamos diante de nenhuma contenda religiosa e, assim não sendo, não vejo motivo para não nos unirmos a um parlamentar que ora enfrenta toda a truculência da tirania gayzista, com “direito” a gritarias histéricas, artistas idosas dando beijo na boca, cantora de axé tornando público o seu “casamento” com uma jornalista, e, como já vi, hoje, até adesivo em automóveis dizendo “Por um Brasil sem Felicianos”. Tudo isso me traz à mente o modus operandi nazista e a frase de Niemoller. Muito, bastante similar.

  17. Diego

    Sr. Eduardo,
    como assim? Quer dizer que as ideologias dos movimentos de esquerda – aí incluo os homossexuais – são piores do que as sustentadas por Lutero? Pois eu digo que não, ambas negam a Deus, a Igreja, ao Papa e a moral. Poderá alguém dizer: mas os movimentos de esquerda querem destruir a família. Ora todo o pensamento de esquerda, toda libertinagem, todo o modernismo nasceu no seio do protestantismo. Inclusive todo o mal presente hoje na Igreja foi penetrado pela serpente protestante e sua cabeça modernista que seduziu até o Vaticano.
    Não. Não e não. Jamais. Feliciano e toda turba protestante nada mais faz do que lutar contra um mal que eles mesmos nos impuseram.
    Em seguida o senhor diz que devo aceitar esse pastoreco (jamais de la vie – na Terra não tenho por pastor senão o Santo Padre) porque ele foi eleito democraticamente. Ora, nisso pensei: verdade, até Cristo reconheceu a autoridade de Pilatos… Mas nesse sentido, eu também deveria aceitar a eleição democrática de Jean Willys, Chico Alencar (Que por sinal teve mais voto que o São Feliciano), Ivan Valente e por aí vai. Não, ainda que todo brasileiro vote no erro, ainda que todo o mundo eleja essa corja bífida, eu não me juntarei a eles.
    E então você troca inimigos por adversário e diz afirma que é apenas isso o que os protestantes são como se essa palavra fosse um eufemismo e não sendo o Adversário de Cristo o Diabo.
    Você também diz que o Sagrado Tripé em “SITUAÇÕES ESPECÍFICAS” poderia exigir a união com todo e qualquer ser humano. Mas como é possível a luz se unir às trevas? Onde há luz não há trevas. Acreditar que luz e trevas possam se aliar é acreditar na filosofia oriental do ying yang. Como católico rejeito isso, busco a Luz de Cristo. Deo Gratias.
    E depois você diz sobre o regime nazista anti-cristão. Deixando parecer que o protestantismo é cristão. Não é. Cristão é quem segue o Cristo e seus ensinamentos. Pois bem, Cristo nos deu a autoridade petrina, nos ensinou sobre o purgatório, nos deixou 7 sacramentos, tudo negado pelos protestantes. Além de negarem a Virgindade da Mãe de Deus. Então nem Lutero nem Calvino nem Malafaia e nem Feliciano são cristãos. Em matéria de fé e moral são tão perigosos quanto o nazismo que você citou. Aliás, penso até que o discurso irracional deles tem muito do pesamento nazista.
    Por fim, você confunde minha defesa da fé e moral católica com circunstâncias diversas. Ora, claro que devemos se necessário for dar a vida por um protestante (aliás esse seria um excelente testemunho da caridade), o próprio Cristo não salvou a vida da adúltera e ganhou sua alma? Mas jamais veríamos o Cristo andando com prostitutas para destruir o pernicioso e imoral Império Romano. Sabe por quê? Porque ambos seriam igualmente imorais. Da mesma forma, a moral do Feliciano – embora, repito, seja travestida de ortodoxia – contém a mesma essência danosa que a do movimento gay.
    Sobre a sua correção ao trocar o meu “inimigos” por “adversários” tanto faz. Gosto muito também da palavra “Adversário”. E sua observação é pertinente quando diz que o meu texto pode fazer parecer que os protestantes são nossos – no seu termo – adversários. Obrigado pela correção. De fato, o adversário da Igreja é o protestantismo, doutrina sedutora, travestida de ortodoxia que traz junto de si o modernismo. Duas cabeças de uma mesma serpente.
    Por fim, quero dizer: irmãos, em matéria de fé e moral só podemos nos apegar a Igreja. O casamento, as leis, tudo o que é defendido pelos políticos protestantes não é o que defendido pela Igreja. Aliás, lutamos contra o matrimônio gay, por ser para nós este um sacramento, será o mesmo para o Queridinho Feliciano? Duvido. Feliciano – a voz da serpente protestante, Gays – a voz da serpente modernista, são em si um único mal que não podemos deixar de combater.
    HÁ MUITO MAIS EM COMUM ENTRE FELICIANO E JEAN WILLYS, DO QUE ENTRE QUALQUER UM DELES E SANTA IGREJA.

  18. Augusto Sousa Santos

    Galera, paz de Deus. A melhor definição que eu vi sobre isso foi de um cara no grupo do Facebook “Logos Apologética”. Eis a metafora:

    “A semifinal é contra os Marxistas. Católico contra Evangélico é só na final”.
    Quer dizer, se temos oponentes muito mais ferozes que os protestantes, e são nossos inimigos em comum, é tiro no pé se opor aos protestantes como prioridade enquanto que esses inimigos ainda são ameaças.
    Vamos lutar primeiro por um mundo cristão. Em seguida por um mundo católico. Parece lógico para mim.