Papa Francisco contra o livre-exame protestante das Escrituras Sagradas

closeAtenção, este artigo foi publicado 4 anos 12 dias atrás.

“Porque tudo o que se refere à interpretação da Sagrada Escritura está submetido, em última instância, à Igreja, que tem o mandato e o ministério divino de conservar e de interpretar a palavra de Deus. […] A interpretação das Sagradas Escrituras não pode ser somente um trabalho científico individual, mas sempre deve ser confrontada, inserida e autenticada com a tradição viva da Igreja. Esta norma é decisiva para precisar a relação correta e recíproca entre a exegese e o Magistério da Igreja. Os textos inspirados por Deus foram confiados à Comunidade dos crentes, à Igreja de Cristo, para alimentar a fé e guiar a vida da caridade” – Papa Francisco, obviamente repetindo a Doutrina Católica tradicional sobre o assunto, in “Papa Francesco alla Pontificia Commissione Biblica, 12 aprile 2013”, apud Fratres in Unum.

“Esta declaração, na linha de Bento XVI, não deve agradar os protestantes ou católicos contestatórios, como o suíço Hans Küng, que reivindicam o direito de interpretar livremente as escrituras” – cômica análise da mídia laica sobre as palavras do Papa, in G1.

“…” – comentários dos arautos da “hermenêutica da ruptura pontifical” entre Bento XVI e o Papa Francisco sobre o assunto.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

7 thoughts on “Papa Francisco contra o livre-exame protestante das Escrituras Sagradas

  1. Paulo Kelson

    Antes de tudo, sabei que (nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal).

    Porque jamais uma profecia foi proferida por efeito de uma vontade humana. Homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus. II Carta de São Pedro 1, 20-21.

    Há um só corpo e um só Espírito, assim como fostes chamados a uma só esperança:

    há um só Senhor, uma só fé, um só baptismo…

    Pelo contrário, vivendo um amor autêntico, cresceremos sob todos os aspectos em direcção a Cristo, que é a Cabeça.

    Ele organiza e dá coesão ao corpo inteiro, através de uma rede de articulações, que são os membros, cada um com a sua actividade própria, para que o corpo cresça e se construa a si próprio no amor. Efésios, 4, 4-5 e 15-16.

    Por isso, irmãos, permanecei firmes e conservai as (tradições) que vos ensinámos de (viva voz) ou por meio da nossa (carta). II Tessalonicenses, 2, 15.

    Se me atrasar, saberás como proceder na casa de Deus, que é a Igreja do Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade. I Timóteo. 3, 15.

    Leia mais em: http://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria/ii-sao-pedro/1/#ixzz2QI54Om4j

  2. juazeirense

    Tenho cada dia mais esperança que o Papa Francisco vai surpreender pro “bem” os que amam a Santa Igreja, e vai surpreender pro “mal” os que esperam a fundação da Torre de Babel em Roma! Rezemos pelo Papa!

  3. Márcia Faria

    Bem li que ele seria Pedro o romano, que ajudaria o povo nas tribulações,rezo para que ele seja firme e acaba com estas heresias e profanações que se cometem na Igreja de Cristo, até porque a Igreja não é um circo e nem um palco de teatro, onde se faz o que bem quer para chamar atenções!

  4. Hilton Leite

    Esqueça essa besteira de “Pedro, o Romano”, sra. Márcia Faria. Aliás, esqueça essa baboseira sobre a tal Profecia de São Malaquias:

  5. Pingback: Kerigma, A proclamação da Palavra | A mídia nunca esteve interessada em transmitir fielmente o pensamento papal