A JMJ e as feridas da Igreja Militante

closeAtenção, este artigo foi publicado 4 anos 2 meses 2 dias atrás.

Certo comentarista veio aqui no blog unicamente para chamar a JMJ de “antro de perdição”, fazendo referência a esta postagem de um outro blog que traz algumas imagens, concedamos, impudentes e imprudentes do evento ocorrido em Madrid em 2011. Contra isto eu faço questão de responder antes de qualquer outra coisa: antros de perdição são certos ambientes virtuais ditos católicos, ora bolas!

Estive em Madrid em 2011 e, portanto, falo daquilo que eu vi. E o testemunho de valor e coragem que eu vi aqueles milhões de jovens darem ao mundo não se mede pelo comprimento das roupas que usavam no sufocante verão espanhol. Aliás, é preciso estar totalmente alienado da realidade para jogar fora um evento católico das proporções da JMJ por conta de meia dúzia de fotos mal-comportadas, e isso por si só testemunha o quanto faz mal certo tradicionalismo imbecil de internet e o quanto é fundamental que se afastem dele aqueles que se preocupam com a saúde da própria alma!

Estando às vésperas da Jornada do Rio de Janeiro, há não muito escrevi aqui a minha admiração por esse evento católico. E mantenho tudo o que disse: «não consigo deixar de ver essas tentativas de acabar com a credibilidade da Jornada (…) como um levante orquestrado das forças do Inferno contra um evento católico que está dando frutos para a glória de Deus e a salvação das almas». À época, eu falava dos que queriam introduzir na JMJ elementos estranhos ao Catolicismo, mas isso se aplica também a estes – mesmo católicos – que, munidos de uma visão parcial e preconceituosa do que seja o evento, ao invés de rezarem pelo bom êxito da iminente vinda do Papa ao Brasil preferem empregar o seu tempo em denegrir a Jornada Mundial da Juventude.

Os jovens que vão à Jornada não são o exército impoluto de paladinos em armadura cintilante desfilando solenemente n’alguma festividade comemorativa dos áureos tempos da Cristandade. É óbvio que eles não são e aliás nem se propõem a sê-lo. Ao contrário, são justamente os pecadores confusos destes tempos desgraçados em que vivemos, e é precisamente isto que faz com que a ação divina na JMJ resplandeça com tanta clareza que é preciso ser cego para não ver.

Reproduzo abaixo a foto que coloquei aqui em 2011, em um relato sobre a JMJ de Madrid ao qual remeto quem quiser uma segunda opinião sobre o evento, bem diferente desses vaticínios pessimistas dos neo-fariseus virtuais. A foto retrata, como falei então, um embate verdadeiro e concreto, físico até, entre inimigos da Cruz de Cristo e peregrinos da JMJ. E não se trata de um fato isolado, muito pelo contrário: coisas assim foram de uma monótona regularidade ao longo de todos aqueles dias. Na Espanha, respirava-se este clima de tensão.

Miles de personas demandan un estado laico ante la visita papal

Eu não vou nem perguntar onde é que estavam os “cruzados virtuais” (*) enquanto os jovens católicos da JMJ recebiam agressões de verdade em ruas de verdade; nem vou questionar onde se encarna melhor o espírito cruzado católico, se na menina que resiste em público a evidentes demonstrações de odium Fidei ou na blogosfera que se compraz em divulgar imagens desabonadoras de outrem. Seria até covardia fazer tais comparações. Vou somente apontar para um pequeno “detalhe” que certas pessoas – na sua ânsia paranóica por roupas curtas a denunciar – não conseguem ver:

Que um católico experiente e exercitado na prática das virtudes suporte perseguições e dê testemunho público de Cristo é coisa esperada e bem lógica até. Que o façam jovens moral e doutrinariamente confusos, é coisa inaudita que exige uma explicação. Que palavras de amor ao Papa saiam dos lábios piedosos de católicos de alma pura é natural; que brotem do coração de jovens imodestas é que é desconcertante. Que dê admiráveis mostras de Fortaleza quem medita diariamente o Sermão da Montanha é coisa banal e simples; que sejam dignos da última Bem-Aventurança (**) jovens que provavelmente não seriam sequer capazes de citá-la corretamente é fato assombroso. Que façam guerra ao mundo, a Satanás e à carne os membros das Ordens de Cavalaria católicas é a ordem natural das coisas; que lute e vença cruzadas o catolicismo medíocre é que é extraordinário.

Não há nada de excepcional nos jovens que vão à JMJ, e é precisamente nisso que reside a excepcionalidade do evento. É provável que os peregrinos católicos não sejam moralmente muito melhores do que os jovens “do mundo” junto aos quais vivem, e é justamente nesta desproporção entre as suas virtudes humanas habituais e o testemunho de Fé que naqueles dias conseguem dar que a mão de Deus se faz evidente, quase palpável. Malgrado os seus muitos defeitos, a maior parte daqueles jovens tinha algum amor à Igreja (e os que não tinham, facilmente se deixavam contagiar pelos demais), imperfeito sem dúvidas (***), mas – e isto é o importante – que Deus não rejeita se Lhe é entregue com pureza de intenção. E, por mais difícil que isso seja de entender, é fato que Deus consegue fazer maravilhas com qualquer coisa (por pequena que seja!) que Lhe ofertemos.

Aqueles jovens que estavam em Madrid estavam longe de serem perfeitos – eu sei, eu vi! Mas há mais catolicismo nas ruas espanhóis apinhadas de peregrinos do que nas amargas rodas de internet que parecem viver de espalhar o desânimo (se justo ou injusto tanto faz). Os murmuradores não suportam o cheiro purulento das feridas da Igreja Militante, mas se esquecem de que Deus faz mais com um leproso que vai à guerra do que com um batalhão de homens saudáveis que prefere ficar jogando conversa fora nos salões palacianos.

* * *

(*) Que adoram xingar muito nas redes sociais a lastimável situação da Igreja, rasgando as vestes e deplorando o miserável estado do catolicismo contemporâneo confortavelmente sentados em casa.

(**) Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim (Mt V 11).

(***) E mesmo assim muito acima da média: nenhum peregrino foi lá fazer campanha pelo aborto ou pela liberação da camisinha, por exemplo.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

27 thoughts on “A JMJ e as feridas da Igreja Militante

  1. Estenio oliveira

    Caro Jorge, defender uma idéia porque essa idéia é a sua e nao a verdade é falta de sensatez.

    Por favor…melhor, pelo amor de Deus.

    Quanta ofensa!!!
    Pagaos estivessem “na onda” da jornada defenderiam com o mesmo vigor nossas causas, as causa de Nosso Senhor.

    Não sou um ultra radical ou conservador em ultimo grau.

    Sou catolico, cheio de pecados, perseguidor da santidade.
    e me iro contra ofensas contra Deus, tão amoroso.

    Na Paz de Cristo

  2. Flávia Maria Cabral

    Caro Jorge, gostei muito das suas palavras. Não é possível julgar um evento pelas atitudes de poucos participantes. Já morei na Europa e muitos hábitos que aqui ofendem a moral, lá é muito comum! Somos frutos de uma época confusa em termos de moral, povoada de um relativismo tão bem combatido por Bento XVI. Rezo pelo sucesso da JMJ, pois sei de muitos jovens que já mudaram suas posturas e opiniões apenas com a proximidade do evento.

  3. Jorge Ferraz (admin) Post author

    Caro Estenio, confesso que não lhe entendi.

    É óbvio que defendo a JMJ porque acho correto defendê-la, e não porque “é minha idéia”. Igualmente, as idéias que eu tenho, só as tenho porque julgo serem verdade, é claro.

    E a mim parece ser cristalina verdade que condenar em absoluto um evento unicamente pela maneira como alguns dos seus participantes se vestem (ou mesmo – vá lá! – como se comportam em certas situações) é de um reducionismo absurdo e injusto, mormente quando este evento dá e tem dado incontáveis e incontestáveis bons frutos.

    Por fim, parece-me bem pouco provável que possa existir alguma situação na qual pagãos suportassem ofensas por Nosso Senhor. Na hipótese (inverossímil) de que o fizessem, as circunstâncias que propiciaram semelhante milagre deveriam ser louvadas e multiplicadas, nunca censuradas com virulência.

    E permaneço firmemente convencido de que é mais proveitoso rezar pela JMJ do que se empenhar em difamá-la na internet.

    Abraços,
    Jorge

  4. Silva Alexandre

    Muito bom o texto Jorge Ferraz, identifico-me com tudo o que você escreveu. Também estive na JMJ Madri, por amor à Igreja e em busca de cura para minhas próprias feridas pessoais. Já dizia Santo Agostinho que mais vale ir coxeando no caminho do bem do que com toda rapidez no rumo oposto.

  5. Paulo

    QUEM SABE SERIAM INFILTRADOS OU PAGOS PARA MONTAREM FARSAS CONTRA A IGREJA? Hoje em dia não se pode duvidar de nada quando se trata de acusações contra a Igreja católica; vale tudo, uma das provas que Satanás tem ódio preferencial a ela por ser a que lhe tem obstruído em muitas oportunidades de arrebanhar almas e as destinarem à perdição.
    Já notou como as seitas estão imunes aos ataques? Estão tranquilas, sossegadas, estão no itinerario “correto”…
    Basta se lembrar dos casos de pedofilia, como na Italia e Alemanha, onde o número de homens casados e até pastores protestantes é varias vezes superior; porém, pelas notícias da midia aparecem com impacto tal que sugeriria que pedofilia é sinônimo de sacerdotes católicos.
    Quando ouvirem noticiarios contra a Igreja sejam céticos, pesquisem nos locais de informações seguras para não cairem em armadilhas.
    E muita atenção ás foto-montagens e outros artificios, cujo único intuito é apenas denegrir a Igreja; afinal, os comunistas estão muito ativos mundo afora!
    Inclusive no Brasil, e com votos de dezenas de milhões de católicos(?)…

  6. Pingback: Por que sou contra a JMJ (jornada mundial da juventude)? Porque essa joça é antro de perdição! | Portanto Entretanto Todavia

  7. Renato

    Como se católicos tradicionais e sedevacantistas ensinassem comportamentos pervertidos como nessas imagens da palhaçada JMJ que por mais que você ou qualquer católico conservador popular negue, é sim um antro de perdição. Me mostre um site tradicional ou sedevacantista onde se vê essas aberrações?

    As imagens que enviei mostram isso claramente: Antro de perdição.

    Meia dúzia de fotos mal-comportadas? Você realmente está vendo bem rapaz? Eu te garanto que na época dos antepassados desses jovens, seja na Espanha ou em outro país, não importa o calor que fizesse, as pessoas devotas nas Celebrações Religiosas (não nesse antro de perdição da JMJ), estariam vestidas de forma digna e estariam se comportando de forma digna. Sim, eu jogo fora esse evento da igreja conciliar. Essa aberração JMJ é o que leva muitos a abondonar a Madre Igreja.

    Não sei se você percebeu, mas muitas das fotos são de outras JMJs. Isso mostra como a perdição das almas nesses eventos já vem de muitos anos!

    «não consigo deixar de ver essas tentativas de acabar com a credibilidade da Jornada (…) como um levante orquestrado das forças do Inferno contra um evento católico que está dando frutos para a glória de Deus e a salvação das almas».

    Agora, o católico conservador popular é um piadista.

    “À época, eu falava dos que queriam introduzir na JMJ elementos estranhos ao Catolicismo, mas isso se aplica também a estes – mesmo católicos – que, munidos de uma visão parcial e preconceituosa do que seja o evento, ao invés de rezarem pelo bom êxito da iminente vinda do Papa ao Brasil preferem empregar o seu tempo em denegrir a Jornada Mundial da Juventude.”

    Católicos tradicionais ou sedevacantistas não participam de eventos mundanos – é isso o que é essa tal JMJ – como essa tal JMJ.

    Como é que é?! Católicos tradicionais e sedevacantistas irão, na sua visão, introduzir “elementos estranhos” ao catolicismo?!

    Realmente, o rapaz é um piadista!

    Cego é aquele que não quer ver como esse evento não vai tirar os jovens dessa confusão destes tempos desgraçados, ao contrário, irá mantê-los nessa confusão e piorar a situação. Só cego não quer ver. Jovens militantes católicos? Imagina! Hoje tem que ser a balada com o Papa.

    “Reproduzo abaixo a foto que coloquei aqui em 2011, em um relato sobre a JMJ de Madrid ao qual remeto quem quiser uma segunda opinião sobre o evento, bem diferente desses vaticínios pessimistas dos neo-fariseus virtuais. A foto retrata, como falei então, um embate verdadeiro e concreto, físico até, entre inimigos da Cruz de Cristo e peregrinos da JMJ. E não se trata de um fato isolado, muito pelo contrário: coisas assim foram de uma monótona regularidade ao longo de todos aqueles dias. Na Espanha, respirava-se este clima de tensão.”

    O mais estranho é que você não mostrou as fotos que mostram os escândalos desses jovens nessas JMJs! O mais estranho é que como esses eventos levam ao mundanismo, esses jovens podem daqui a algum tempo, já que não existe santidade nessas JMJs, estarem do lado desses perseguidores! A maior prova é que essa tal JMJ acontece desde 1987 e de lá para cá a Europa, e em especial, os jovens, estão cada vez mais imorais.

    Eu não dúvido que alguns desses jovens foram acreditos. Mas pelas fotos escândalosas dá até para duvidar que, pelo mesmos aqueles dá foto, não foram agredidos.

    “Que adoram xingar muito nas redes sociais a lastimável situação da Igreja, rasgando as vestes e deplorando o miserável estado do catolicismo contemporâneo confortavelmente sentados em casa.”

    Os católicos da igreja conciliar são campeões em xingamentos e desaforos aos católicos tradicionais e sedevacantistas. Não que alguns católicos tradicionais ou sedevacantista não façam isso, mas pode acreditar: São a minoria. E onde eu estava? Rezando o Rosário para que Deus nos livre o quanto antes dessa loucura mundana da JMJ.

    Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim (Mt V 11).

    Provavelmente o Cristo que esses jovens querem seguir, é o Cristo dá Nova Era. Ai sim se explica do porque desse comportamento.

    ” mesmo assim muito acima da média: nenhum peregrino foi lá fazer campanha pelo aborto ou pela liberação da camisinha, por exemplo.”

    Na primeira JMJ de 1987, muitos lixeiros que tiveram que limpar o local depois da bagunça, confirmaram que o que encontram de camisinha dentro dos locais onde ficavam as barracas, não era brincadeira. Aliás, isso acontece aqui também no Brasil dentro dos acampamentos da Canção Nova. No Fratres In Unum comentaristas que largaram a Canção Nova (Glória a Deus), disseram que nesses acampamentos acontece muito sexo e bebedeira.

  8. Guilherme Ferreira Araújo

    “Católico sedevacantista” é uma contradição em termos, um absurdo lógico.

  9. Renato

    Guilherme Ferreira Araújo, é claro que não existe católico sedevacantista. Isso é só para diferenciar dos católicos conservadores populares.

  10. Michele Madalena

    Desculpe, Jorge, mas acho que você errou feio nesse post. É claro que é muito louvável a atitude da católica demonstrada nessa foto, de resistência ao ódio ateísta. Mas agora seria o caso de confrontar fotos por fotos? Aliás, me disseram que em Roma a JMJ é conhecida pelo nome singelo de “Woodstock católico”. Portanto a JMJ não é um mar de rosas, nem se compara às procissões piedosas de outrora. Embora, de fato, muitos jovens inocentes acabem frequentando esse evento. Ah , se o problema fossem “só” roupas curtas…não que o pecado em usar roupas imorais, bem como QUALQUER pecado deva ser negligenciado. Ai daquele que faz pouco caso de qualquer deles!
    Enfim, acho que na ânsia(pelo menos foi a minha impressão) em se mostrar diferentes dos rad-trads, tenha se mostrado mundano demais. O equilíbrio nesse caso é essencial, pois o texto passou uma certa agressividade a meu ver desnecessária.
    Enfim, acho que se deve ter muito cuidado com certas considerações. Também detesto essa agressividade de internet, mesmo porque deve-se ter cuidado com a língua!
    Paz!

  11. Sidnei

    Não dá para generalizar, é claro que em uma multidão entre 1 a 2 milhões de jovens, vai haver aqueles que não estarão nem aí para o evento, e vão dar mau testemunhos, e estes maus testemunhos, que a mídia, igrejas protestantes e até ateus vau explorar demonstrando que a JMJ não e nada mais e nada menos que um evento mundano, cheio de jovens pecadores que não estão nem aí com os compromissos com CRISTO e sua Igreja. A organização deveria começar nas paróquias os quais irão os jovens para este evento, orientar esta moçada toda a como comportar neste evento para não vir dar mau exemplo e servir de contra testemunho ao mundo, mas mesmo assim, irá acontecer escândalos, pois mesmo anunciou JESUS, que sempre haveriam escândalos, ainda mais em um evento deste, o qual haverá milhões de jovens, e jovens que não estão nem aí com o compromisso com a fé mas apenas curtir. Haverá sem dúvida, joio misturado como o trigo, só peço que demos mais atenção aos trigos e menos aos joios, pois aos joios a mídia, os protestantes e demais inimigos da Igreja darão toda atenção necessária, tão somente para desacreditar não só do evento como da Igreja toda em si.

  12. Lampedusa

    Querem cotejar essas fotos “mundanas” com milhares de fotos de milhões de peregrinos ajoelhados durante a Consagração ou durante a Adoração Eucarística na JMJ de Madrid? Ou das filas nas dezenas de confessionários instalados para esse evento?

    Quer queiram, quer não, acabam jogando no “time do diabo” aqueles que assim fazem. Provavelmente, dão munição (muito mais do que esses jovens) para os inimigos da Igreja. Conseguem até “atirar a primeira pedra”.

  13. José Vidigal

    Se a JMJ é um evento tão bom, gostaria de conhecer os bons frutos delas. Poderia fazer um post relatando os atos de virtude que ela dá origem? Os bons exemplos que existem ali, as boas palestras, missas, sermões, etc.? Porque tecer loas sem demonstrar os benefícios e atacando os que não veem com bons olhos a “woodstock católica” é um pouco contraprodutivo. O exemplo da foto que você postou é bom. A menina sendo atacada por ser católica. Se fosse morta, seria mártir e poderíamos rezar para ela. Mesmo que ela estivesse vestida imoralmente. Atacar os que não veem com bons olhos a JMJ por seu permissivismo moral e seu mundanismo não é mais ou menos o que você está criticando nessas pessoas? Seguindo seu raciocínio, não seria bem melhor rezar por essas pessoas do que atacá-las porque defendem a virtude? Desde já, obrigado por me esclarecer.

  14. Jorge Ferraz (admin) Post author

    José Vidigal, os exemplos estão por todas as partes, basta procurá-los. Todos os discursos do Papa estão no site do Vaticano, as fotos encontram-se nos sites oficiais da Jornada, os relatos de participantes (p.ex. eu próprio) multiplicam-se internet afora. Basta olhar para os lados (mesmo para a mídia laica!) que se percebe a ululante injustiça que é reduzir a JMJ ao mau exemplo de fotos meticulosamente selecionadas para escandalizar.

    Agora é óbvio que não é possível ver nada disso na atmosfera fétida de certos círculos ditos “tradicionalistas”, nos quais julga-se e condena-se sumariamente qualquer coisa que não se enquadre perfeitamente nos moldes românticos e idealizados com os quais, lá, brinca-se de medir o mundo. Sob a máscara de “defende[re]m a virtude”, eles na verdade nada fazem a não ser emporcalhar o apostolado alheio; enquanto Nosso Senhor é Aquele que não quebra o caniço rachado e nem apaga a tocha que ainda fumega, eles são exímios destruidores das varas que não lhes pareçam perfeitas, sempre vigilantes e a postos para extinguir com estardalhaço as chamas ao primeiro vacilo bruxuleante que elas dêem. Diante disso não se tem condições de fazer nada a não ser atacar, é claro, esse serviço diabólico que apenas se presta a desmoralizar a Igreja de Cristo.

    – Jorge

  15. maria marina

    “… são justamente os pecadores confusos destes tempos desgraçados em que vivemos, e é precisamente isto que faz com que a ação divina na JMJ resplandeça com tanta clareza que é preciso ser cego para não ver.”
    “… Deus não rejeita se Lhe é entregue com pureza de intenção. E, por mais difícil que isso seja de entender, é fato que Deus consegue fazer maravilhas com qualquer coisa (por pequena que seja!) que Lhe ofertemos.”

    Como é belo teu coração pleno de compaixão e assim belas e puras as tuas palavras!
    Que nosso bondoso Deus te abençoe e te faça feliz sempre!

  16. Filipe M Mattos

    Imagine-se Cristo, em certa ocasião conhecida, dizendo: “Apartai os pecadores e distribui os peixes somente aos santos da multidão”. Talvez sobrassem exatamente 5 pães e 3 peixes, fora o que os discípulos comessem. Ou então, “afastai de Mim esses pecadores miseráveis”. Muito mais certo Ele dizer “Vinde a Mim…”. Criticam, criticam e criticam, mas não vêem o óbvio: ao menos os jovens se deram ao trabalho de ir, e isso já é um ótimo começo. E, fossem só os santos na JMJ, que proveito isso teria? Por acaso não são os doentes os que precisam de remédio?

  17. Silva Alexandre

    Compacto que fiz (fotos e vídeos meus) da caminha, Vigília, Adoração e Missa em Cuatro Vientos. Vocês não imaginam o que é andar 15 km e ficar dois dias em um lugar quase sem água e nenhuma sombra, debaixo de um sol infernal…http://www.youtube.com/watch?v=Tt6lFyDM20A

    Não tenhamos medo de abrir as portas a Cristo! Viva a JMJ Rio 2013.

  18. acatequista

    Silva Alexandre, não adianta. Nas fotos do seu link, tem diversas meninas usando shorts e blusas sem manga, e isso já é o suficiente para certas pessoas verem as almas dos jovens às portas do inferno. Não conseguirão ver nada além disso. Afinal, as roupas não estão dentro do padrão das procissões piedosas de antigamente…

    Jorge, achei excelente a sua citação nos comentários sobre o Senhor que não quebra o caniço rachado e nem apaga a tocha que ainda fumega.

    Viva a JMJ Rio 2013!

  19. Fernando

    Os únicos que vejo criticar com veemência a JMJ são os rad-trads e os adeptos da tl….

    Será que os opostos se atraem?

  20. Renato

    JMJ é um lugar ótimo para se pegar, diz Regina Casé. E os jovens concordam sorrindo! Uau, quem emporcalha a Igreja mesmo?

    http://portantoentretantotodavia.wordpress.com/2013/04/25/jmj-e-um-lugar-otimo-para-se-pegar-diz-regina-case-e-os-jovens-concordam-sorrindo-uau-quem-emporcalha-a-igreja-mesmo/

    JMJ e a sua cara desfigurada. Onde há catolicismo nessa gente?

    http://portantoentretantotodavia.wordpress.com/2013/04/25/jmj-e-a-sua-cara-desfigurada-onde-ha-catolicismo-nessa-gente/

    JMJ bota Fé no samba e feijoada na quadra de escola de samba. Antro de perdição. Muito axé, ui!

    http://portantoentretantotodavia.wordpress.com/2013/04/25/jmj-bota-fe-no-samba-escola-de-samba-e-feijoada-hahahaha-antro-de-perdicao-muito-axe-ui/

  21. Jorge Ferraz (admin) Post author

    Eu até pensei em apagar a ridícula panfletagem anti-JMJ do Renato acima, mas vou manter só para deixar claro o ridículo e o desespero da cruzada às avessas em que ele e sua trupe estão se empenhando. Agora a Regina Casé (!) virou autoridade para definir o que é a JMJ e para quê ela existe, e matérias de G1 (!!) transformam-se no mais fiel e rigoroso retrato do evento católico. Meu Deus, o que essa galera anda lendo?

    Renato, eu já terminei com você. Poupe-nos desse espetáculo difamatório deplorável. Cada vez que arranjar outra foto escandalosa para postar ou outra opinião nonsense de celebridade anônima para divulgar, ao invés de fazê-lo, releia esse texto e reze pelos que em julho vamos à Jornada, que você faz melhor.

    – Jorge

  22. Renato

    Jorge, como você é piadista!

    As imagens escandalosas que eu coloquei aqui estão TODAS no site da JMJ.

    Em relação a Regina Casé, para essa esquerdista elogiar e divulgar a tal JMJ ( Fernando de 11:32, viu só! esquerdistas também gostam da JMJ) mostra até que essa mulher tem apoio do modernista Orani Tempesta.

    E é claro que eu rezarei por todos que irão ao antro de perdição. Quero que eles abram os olhos e vejam que JMJ é mundanismo.

    Chamar JMJ de Cruzada é zombar dos cristãos pegaram em armas e lutaram contra os inimigos de Cristo: Coisa que os católicos moderninhos da JMJ com quase certeza não terão coragem de fazer quando os inimigos de Deus chegarem.

    Mas só em perceber que muitos que apoiam a tal JMJ ficarem surpresos com o mundanismo desse evento através das fotos, me dá esperança de vê-los querendo defender a verdadeira Fé Católica e deixar definitivamente o pensamento da igreja conciliar de lado.

  23. Marta

    É uma ironia que certas pessoas usem justamente citações como as da atriz Regina Casé para defenderem os seus argumentos.São essas pessoas e essa mídia composta de ateus, políticos corruptos, amorais, cínicos e vendidos que ouvem? Será que não percebem o quanto estão sendo, no mínimo, incoerentes? Então, se a Casé diz que a JMJ é um bom lugar para “pegação” é porque deve ser. Agora , se centenas de católicos, bons católicos, afirmarem o contrário, de nada vale.
    De que lado estão, afinal de contas?

  24. Augusto Sousa Santos

    Não tem nem o que discutir: se o Papa apóia a JMJ, então eu vou apoiar a JMJ.
    Ou vcs querem ir contra o Papa? Que coisa mais protestante!

    “Não… Vc é protestante, cara! Que loucura!. Como vc é protestante!
    Que coisa absurda. Isso aí que vc falou é tudo heresia…
    Hersia. Eu não, eu não consigo acompanhar muito bem o que vc falou porque vcs falam de maneria Lutero”

    O choro é livre.

  25. Augusto Sousa Santos

    Pedir modos elogiáveis e pertinentes de jovens corrompidos pelo século 21 é a mesma coisa que pedir que os índios que ouviram os primeiros jesuitas estivesse todos de roupa.
    A JMJ é para evangelizar. Evangelizar é apresentar o evangelho. Se ninguém se converter com o evangelho, a culpa não é de que evangelizou. Tão simples.

  26. Adrian

    O Sr Jorge Ferraz mas uma vez distorce a realidade para tudo parecer rosa.

    Aqui ele diz que “Os jovens que vão à Jornada não são o exército impoluto de paladinos em armadura cintilante desfilando solenemente n’alguma festividade comemorativa dos áureos tempos da Cristandade. É óbvio que eles não são e aliás nem se propõem a sê-lo. Ao contrário, são justamente os pecadores confusos destes tempos desgraçados em que vivemos”.Ok que seja , mas que frutos de santidade tal evento tem dado ? A Espanha se tornou mais católica depois disso ? Houve uma onda de conversões e de santos ?

    Ainda aqui se diz que :” há mais catolicismo nas ruas espanhóis apinhadas de peregrinos do que nas amargas rodas de internet que parecem viver de espalhar o desânimo (se justo ou injusto tanto faz).”

    No fundo o sr Ferraz não suporta a verdade da crise de fé.Tudo se resume a isso.Para ele não importam as roupas indecorosas e o sensualismo desses jovens que não são transformados pela JMJ.Importa crer que tudo vai bem ou que não vai tão mal.Diante disso pouco interesa que dali não saiam ascetas e que santos não pululem depois da mesma.