Duas notícias: cirurgia fetal e “ressurreição” de um bebê

closeAtenção, este artigo foi publicado 3 anos 9 meses 19 dias atrás.

No meio das recentes polêmicas sobre o aborto em caso de estupro (saiu também na ACI), duas bonitas histórias sobre gravidez e filhos. Ambas publicadas na mídia secular.

Eu, Leitora: “Meu bebê foi operado dentro de mim”, na Marie Clarie. «A cirurgia durou quatro horas e meia. Fiquei completamente sedada. Os médicos fizeram um corte acima de onde se faz a cesárea, abriram o útero, tiraram um pouco do líquido amniótico, viraram a bebê de costas e lhe deram uma anestesia na altura da bolha. Fizeram a correção na coluna, repuseram parte do líquido retirado e costuraram novamente o útero e a barriga. Após a operação, passei 24 horas com anestesia na UTI, onde o médico me examinou e mostrou que a coluna da Lívia estava corrigida. Foi um alívio, fiquei emocionada».

Bebê considerado morto é achado com vida em capela de hospital, em G1. «A dona da funerária que atendeu à família diz não acreditar no que presenciou na capela do hospital. “A avó me ligou para buscar o corpo e eu fui. Chegando lá, encontrei o corpo da menina em cima do altar da capela. De repente, vimos que ela ergueu a perninha. Nós nem acreditamos. Ela estava respirando. Nos abraçamos e começamos gritar: ‘Ela está viva, ela está viva!'”, relata a dona da funerária, Rosiles Ferro».

São histórias bonitas que nos enchem de esperança, por ver que ainda é possível encontrar pessoas que se importam com a vida humana mesmo enquanto ela ainda é frágil e indefesa – doente até, desiludida pela medicina. Ainda há quem  seja capaz de se maravilhar com o milagre da vida.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

5 thoughts on “Duas notícias: cirurgia fetal e “ressurreição” de um bebê

  1. Marta

    Histórias como essas recuperam a nossa esperança na humanidade. Em boa hora, depois de ler as infâmias propostas pelos abortistas nos Estados Unidos. Quando li que uma das queixas dos grupos pró-aborto era a possível suspensão do procedimento em gestações acima de vinte semanas, pensei que estava diante de um erro de impressão. Infelizmente, não. Vinte semanas é a idade da criança cujas fotos foram colocadas nesse blog e que comoveu tantas pessoas! Verdadeiros monstros.

  2. Diulza Angelica dos Santos

    Realmente é uma restauração de alma e espirito neste mundo sombrio.

  3. Sandro de Pontes

    Prezado Jorge, salve Maria.

    O que dizer? Veja:

    Uhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh………………………………………..

    Abração e Santo Domingo!!!

    Sandro de Pontes

  4. Marta

    Já é uma vitória, Álvaro. Rezemos para que isso aconteça cada vez mais , em todo o mundo.