A Consagração do Mundo e da Rússia ao Imaculado Coração de Maria

closeAtenção, este artigo foi publicado 3 anos 11 meses 8 dias atrás.

O Papa Francisco (re)fez no último domingo, 13 de outubro, aniversário do Milagre do Sol, a Consagração do Mundo ao Imaculado Coração de Maria. A fórmula usada por Sua Santidade pode ser vista aqui.

Não há que se menosprezar, por certo, a eficácia de tal gesto; uma consagração é uma coisa sem dúvidas boa, e seria muita impiedade pensar que a Santíssima Virgem Mãe de Deus, magnânima e liberal sobre todas as criaturas, perderia esta oportunidade de derramar abundantes graças sobre o mundo. É claro que choverá bênçãos do Céu por conta dessa entrega do mundo que o Vigário de Cristo fez no início da semana à Bem-Aventurada Virgem Maria.

Não obstante, atos assim sempre remetem à mensagem de Fátima e à Consagração da Rússia que Ela pediu quando apareceu aos três pastorinhos. É bem verdade que o mundo inclui a Rússia, mas não é menos verdade que, neste caso, o todo termina por obscurecer a parte, e a referência ao mundo inteiro faz perder de vista a referência àquela nação particular. Consagrar o mundo e consagrar a Rússia não é a mesma coisa, da mesma forma que – mutatis mutandis – receber uma bênção Urbi et Orbi pela televisão não é o mesmo que ser diretamente abençoado pelo Papa após uma audiência particular.

Desde Pio XII – que parece ter sido o primeiro pontífice a inaugurar a série de consagrações do mundo que se seguiram a ele – o mundo é consagrado ao Imaculado Coração da Virgem. Nunca o nome da Rússia se ouviu nessas cerimônias. O que explica esta aparente insistência em sistematicamente evitar fazer o que Nossa Senhora pediu em Fátima?

A resposta é simples. Não se trata, aqui (ao menos não diretamente), da revelação de Fátima. Quem pediu a Consagração do Mundo ao Imaculado Coração de Maria foi a Beata Alexandrina Maria da Costa de Balazar, portuguesa, contemporânea dos videntes de Fátima e «vítima da Eucaristia». A festa litúrgica dela é precisamente no dia 13 de outubro, e portanto era certamente esta beata que o Papa Francisco tinha em mente quando, domingo passado, consagrou mais uma vez o mundo à Santíssima Virgem. Não é uma desobediência aos pedidos de Fátima. É, ao contrário, atender aos pedidos da Beata Alexandrina.

* * *

É claro que as duas consagrações – a da Rússia e a do mundo – não são excludentes. Mas elas também não se confundem. Foi o próprio Papa João Paulo II quem disse, no ato mesmo de consagrar o mundo ao Imaculado Coração de Maria, que a Virgem Santíssima ainda esperava que certos povos Lhes fossem consagrados de maneira particular. Disse-o (pelo menos) duas vezes, em 1981 e em 1984 (grifos e destaques no original).

Em 1981:

«Ó Mãe dos homens e dos povos, Vós conheceis todos os seus sofrimentos e as suas esperanças, Vós sentis maternalmente todas as lutas entre o bem e o mal, entre a luz e as trevas, que abalam o mundo, acolhei o nosso brado, dirigido no Espírito Santo directamente ao vosso Coração, e abraçai com o amor da Mãe e da Serva do Senhor aqueles que mais esperam por este abraço e, ao mesmo tempo, aqueles cuja entrega também Vós esperais de maneira particular. Tomai sob a vossa protecção materna a família humana inteira, que, com enlevo afectuoso, nós Vos confiamos, ó Mãe. Que se aproxime para todos o tempo da paz e da liberdade, o tempo da verdade, da justiça e da esperança».

E em 1984:

Mãe da Igreja! Iluminai o Povo de Deus nos caminhos da fé, da esperança e da caridade! Iluminai de modo especial os povos dos quais Vós esperais a nossa consagração e a nossa entrega. Ajudai-nos a viver na verdade da consagração de Cristo por toda a família humana do mundo contemporâneo.

Ou seja: mesmo João Paulo II acreditava que a SSma. Virgem “esperava” a consagração de alguns povos especiais, feita «de maneira particular», e isso mesmo depois do mundo já haver sido anteriormente consagrado ao Seu Imaculado Coração. As duas consagrações não são portanto idênticas, não se confundem e uma delas não “realiza” automaticamente a outra.

É digna de nota esta recusa sistemática em se fazer a consagração nominal da Rússia. Muitos teólogos da conspiração vêem nisso um dos sinais de apostasia da Igreja (ou qualquer besteira do tipo), o que não faz sentido algum e se deve rechaçar com veemência.

A mensagem de Fátima, em que pese a sua importância, é revelação particular. Ora, ninguém se torna herege por não dar crédito a uma revelação particular. Se – por – absurdo os Papas não acreditassem em Fátima, eles não seriam menos Papas por causa disso. Portanto, a não-consagração da Rússia não teria jamais o condão de conduzir a indefectível Igreja de Deus à apostasia; e, por maiores que fossem os pecados de quem se recusasse a atender um pedido da Virgem Mãe de Deus, tal pessoa continuaria perfeitamente católica.

Logo, ainda que um Papa desprezasse a mensagem de Fátima, a Igreja por ele capitaneada continuaria sendo, mesmo assim, o infalível canal dos favores de Deus, a única Arca da Salvação, e a submissão a ele continuaria sendo absolutamente necessária a cada homem que quisesse salvar a própria alma.

* * *

Parece que a Consagração de Fátima não foi feita. Foram feitas outras consagrações pedidas por pessoas santas, que deram incontestáveis frutos: após elas, o Comunismo – ao menos em suas formas mais radicais – caiu junto com o Muro de Berlim. Mas parece que falta ainda alguma coisa; parece que a Rússia espalhou, sim, os seus erros pelo mundo; parece que ela não se converteu; e, principalmente, parece que não estamos vivendo o triunfo do Imaculado Coração da Virgem.

O texto do Segundo Segredo parece corroborar esta nossa impressão. As exatas palavras de Nossa Senhora, pelo que sabemos, são estas aqui:

— Vistes o inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores, para as salvar, Deus quer establecer no mundo a devoção a meu Imaculado Coração. Se fizerem o que eu disser salvar-se-ão muitas almas e terão paz. A guerra vai acabar, mas se não deixarem de ofender a Deus, no reinado de Pio XI começará outra peor. Quando virdes uma noite, alumiada por uma luz desconhecida, sabei que é o grande sinal que Deus vos dá de que vai a punir o mundo de seus crimes, por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre. Para a impedir virei pedir a consagração da Rússia a meu Imaculado Coração e a comunhão reparadora nos primeiros sábados. Se atenderem a meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz, se não, espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja, os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sufrer, várias nações serão aniquiladas, por fim o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar-me-á a Rússia, que se converterá, e será consedido ao mundo algum tempo de paz.

São palavras que a maior parte de nós conhecemos muito bem. Não são, contudo, as únicas coisas que a SSma. Virgem disse em Fátima. Não está em nosso poder consagrar ou deixar de consagrar nação alguma. Mas há uma coisa, sim, que cada um de nós pode e deve fazer muito antes de se preocupar com a conversão da Rússia: zelar pela nossa própria conversão e pela salvação da nossa própria alma. Afinal, a Virgem Santíssima também nos mandou fazer penitência e rezar o terço todos os dias. E que importância temos dado a esses Seus rogos?

Cumpre-nos fazer o que está a nosso alcance fazer. Não caiamos na insensatez de nos preocuparmos mais com a conversão da Rússia do que com a nossa própria salvação. Afinal de contas, do Triunfo do Imaculado Coração da Virgem nós temos a certeza: Ela o prometeu em Fátima! Da salvação da nossa alma, contudo, nós não temos promessa alguma. É com isso, portanto, que nós temos que nos preocupar. É esta e não outra a parte da Mensagem de Fátima que nós temos que nos esforçar primeiramente por cumprir.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

15 thoughts on “A Consagração do Mundo e da Rússia ao Imaculado Coração de Maria

  1. Alberto

    Para mim a consagração do mundo (e da Rússia..) fez um grande efeito. Há os citados no texto, como a queda do comunismo, mas vejam também que os russos estão cada vez mais fortes no combate aos gays, que tanto lutam para destruir a família. Combate que não se vê tão forte na América. Não entendo o porque de a Rússia não ter se tornado majoritariamente católica romana. Mas pelo menos eles serem ortodoxos já os torna mais próximos do catolicismo: é algo a se notar que a Rússia não tenha caído nas garras dos pentecostais.

  2. Renato

    A queda do comunismo na Rússia foi uma fachada criada pela própria KGB. Leia artigos de dissidentes soviéticos para você se informar melhor. Um pequeno resumo para você ter uma pequena ideia do que está acontecendo:

    http://www.midiasemmascara.org/arquivos/4861-sugestao-aos-bem-pensantes-internem-se.html

    Alberto, na época do comunismo os russos também combatiam o homossexualismo. Apesar de a União Soviética ajudar a espalhar grupos homossexuais pelo Ocidente, lá na Rússia os comunas diziam que o homossexualismo era uma doença burguesa e deveria ser eliminada da cultura do país.

  3. Sergio

    O que houve foi a “queda” do comunismo como império e não como doutrina. É sabido amplamente que a disseminação do comunismo vem sistematicamente sendo feita por meio de uma revolução cultural, inclusive dentro da Igreja, antes inimiga do comunismo. Por que combater diretamente à Igreja, se dentro dela, através de movimentos/pastorais, ardilosamente enxertada pela teologia da libertação, pode-se conseguir o obejtivo comunista?

    Sobre o combate ao homossexualismo dentro do meio comunista não há uma posição: Contra ou à favor! O que existe é aquilo que ajuda a revolução ou aquilo que atrapalha a revolução. Se em alguns lugares, o homossexualismo era uma doença burguesa e deveria ser eliminada da cultura do país, em outros, os mesmos que são contra, apoiam, por exemplo, passeatas gays.

  4. Renato

    Sergio, acontece que o apoio que os esquerdistas dão aos gays só acontece em democracias liberais para a desestabilização da sociedade. Você não vai ver em um país que existe ditadura comunista, como em Cuba, os militantes esquerdistas fazendo campanha a favor da “causa gay”.

  5. lucas.

    A atitude a igreja em relaçaõ as aparições marianas,sempre foi de reserva,prudência e silencio.O cristianismo russo,está ligado históricamente a igreja ortodoxa.Como consagrar uma naçaõ que nunca foi católica romana? naõ entendo.

  6. Tito

    Sérgio e Renato = dois gays enrustidos! É impressionante como esse pessoal de extrema-direita é recalcado!

  7. Alexandre Luiz Antonio da Luz

    Caro Jorge:-

    A Rússia foi sim consagrada ao Imaculado Coração de Maria!!! Esta consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria ocorreu no dia 24/03/1984, conforme declaração do Arcebispo eslovaco, D. Paolo Hnilica, que era o “Braço Direito” do Papa João Paulo II, conforme podemos ler em:-

    http://vaticaninsider.lastampa.it/en/inquiries-and-interviews/detail/articolo/beatificazione-di-giovanni-paolo-ii-karol-wojtyla-giovanni-paolo-ii-monsignor-paolo-hnilica-90/

    Creio que ninguém poderá chamar D. Paolo de mentiroso!!!

  8. Alexandre Luiz Antonio da Luz

    Caro Jorge:-

    Eu só quis confirmar aquilo que você havia postado, só que escolhi mal as palavras!!! Todas as vezes que durmo menos de 4 horas, eu sempre faço, ou escrevo uma besteira!!! Bem, a besteira que tinha de escrever, eu já a fiz!!!!
    Um grande abraço:-

    Alexandre.

  9. Jorge Ferraz (admin) Post author

    Alexandre,

    Não se preocupe caríssimo! Intervenções que se pretendem construtivas só muito raramente são «besteiras», e certamente não foi o teu caso. É conversando que a gente se entende.

    Abraços,
    Jorge

  10. Alexandre Luiz Antonio da Luz

    Caro Jorge:-

    Naquele dia, quando li este post do seu blog, eu estava meio “bêbado” de sono e creio que dormi, quando estava para ler a parte que você mencionou as duas consagrações da Rússia ao Imaculado Coração de Maria que o saudoso e Beato Papa João Paulo II fez!!!
    Mas uma coisa aqui é importante, a declaração do Arcebispo eslovaco D. Paolo Hnilica, sobre esta questão, como uma confirmação de tudo o que você escreveu!!! Já tive debates, no Facebook, com gente, que não acredita que o Papa João Paulo II tenha consagrado a Rússia ao Imaculado Coração de Maria e com gente que acha que estas consagrações de João Paulo II não valeram ou que foram feitas de modo errado!!! É sempre bom posts como este aqui, pois servem de subsídio para futuros debates!!!

  11. Carlos

    Gente, a consagração da Rússia já foi realizada, negar isso é o mesmo que chamar Pio XII de mentiroso, pois ele mesmo confirmou que consagrou. É só ler carta apostólica “Sacro Vergente Anno” do Papa Pio XII. Ele é claro: “Noi, pertanto, affinché più facilmente le Nostre e le vostre preghiere siano esaudite, e per darvi un singolare attestato della Nostra particolare benevolenza, come pochi anni fa abbiamo consacrato tutto il mondo al Cuore immacolato della vergine Madre di Dio, così ora, in modo specialissimo, consacriamo tutti i popoli della Russia al medesimo Cuore immacolato”. (link: http://www.vatican.va/holy_father/pius_xii/apost_letters/documents/hf_p-xii_apl_19520707_sacro-vergente-anno_it.html). Ele consagrou o mundo ao Imaculado Coração e em 1952 consagrou especificamente a Rússia. Esta aí o link da carta do próprio site do Vaticano. Por que duvidar de um dos Papas mais admiráveis dos últimos séculos?
    Muitos dizem que a consagração para ser válida deveria ser feita pelo Papa e por todos os bispos do mundo ao mesmo tempo. Contudo, lendo as memórias da Irmã Lúcia, em nenhum momento vejo Nossa Senhora pedir isso (desse exato modo). Há quem diga até que a consagração devia ser feita por cada bispo em sua catedral ao mesmo tempo, Nossa Senhora não disse isso. Ela pediu para o “Santo Padre fazer, em união com todos os Bispos do Mundo” a consagração (p. 195). Estar em união nesse caso penso que seja uma união espiritual, não sou teólogo, então não vou arriscar interpretação, mas ela é clara ao dizer que quem deve fazer a consagração é o papa, e não os bispos. (as Memórias da Irmã Lúcia podem ser lidas nesse link: http://www.pastorinhos.com/livros/pt/MemoriasI_pt.pdf). A própria irmã Lúcia confirmou que a consagração já estava feita, veja-se a nota de rodapé, p. 122 das memórias.
    A Rússia se converteu? Aparentemente não né… é só vermos que lá é um dos países do mundo em que as liberdades individuais são cada vez menos respeitadas e as perseguições aos católicos (principalmente os de rito oriental) só aumentam por parte da Igreja Ortodoxa. Contudo, o comunismo caiu, e era esse o maior perigo para o mundo segundo o bispo de Leiria-Fátima, e isso que as aparições de Fátima vieram mostrar (ver a página 216 das memórias da irmã Lúcia). Cabe levar em conta que Nossa Senhora disse que a Rússia “se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz”. Talvez o tempo da conversão e da paz ainda não tenha chegado, cabe a nós rezar e pedir a Maria que venha logo esse dia, mas ela não especificou data.
    Não estou querendo ser dono da verdade, nem mostrar que sei nada, apenas estou compartilhando conhecimento e divulgando dados que até algum tempo eu ignorava, e muitos talvez não conheçam também.

  12. Alexandre Luiz Antonio da Luz

    Caro Carlos:-

    Muitíssimo obrigado por esta informação!!! Ela vai me ser muito útil!!! Tive um debate no Facebook, com um tal de Renato Bianchini Jr., ele tinha postado a foto de uma capa de um livro, cujo título é “Os Fatos Comprovam – A Rússia Não Foi Consagrada”(???), de autoria de um tal de Christopher A. Ferrara!!! Ele também divulgava um link (que eu sem querer deletei) de um site ligado a Fátima, no qual havia uma página, onde os autores deste site também declaravam que a Rússia não tinha sido consagrada!!! Este debate depois foi deletado, pois mostrei a ele as declarações de D. Paolo Hnilica!!! Agora com a sua informação e a do Jorge, se ele voltar a postar novamente a foto deste livro, terei mais subsídios para desmoralizar este livro!!! Se Você estiver no Facebook, me procure pois desejo lhe adicionar como amigo!!!
    Um grande abraço:-

    Alexandre Luiz Antonio da Luz

  13. Wanderli

    █ ▉ Este é o resumo. A Russia está quebrada. Sem dinheiro para nenhuma barganha. Ao contrário da China. Desde a Perestroica os russos não teve tempo de incrementar o seu comércio, devido a longa ressaca que o comunismo se impôs. A Síria é sinônimo de petróleo; É o que a Russia quer. Nada mais. Como tudo, é preciso de diálogo e negociações. Aonde fica acordos do BRICS. Os Estados Unidos precisam deixar estes países em paz; desenvolverem suas próprias economias. É o que penso.