De volta…!

closeAtenção, este artigo foi publicado 2 anos 10 meses 2 dias atrás.

O meu período sabático forçado parece, graças ao bom Deus, já findo. Já retornei às minhas atividades corriqueiras – pessoais, profissionais, acadêmicas – e, por isso, não há mais razão para continuar impondo ao Deus lo Vult! o mesmo ritmo lento que vinha sendo sua característica desde o final do ano passado. Já me é possível voltar e, portanto, importa que eu esteja aqui de volta. Ainda há muito o que se fazer, e ainda me parece que eu tenha uma pequena contribuição a dar à luta em defesa de Nosso Senhor. Acho que ainda tenho dois grânulos de incenso a queimar em sacrifício. Que ardam.

Ano novo, vida nova. O blog completou em maio último o seu sexto aniversário; entramos no ano VII. É um número bonito e significativo. Ano novo, vida nova, cara nova: já há algum tempo quero dar um ar mais clean ao blog, mais voltado à leitura dos textos, mais palatável em meio a esta nossa tão poluída internet moderna. Outro dia eu comentava com não-sei-quem que o problema da internet indexada voltou a ser o do excesso de informação irrelevante. Quando surgiu, o Google resolveu maravilhosamente o problema; mas agora me parece que ele já não está conseguindo filtrar o conteúdo como fazia dez anos atrás…

Cara nova, políticas novas: doravante, pautar-me-ei mais pela qualidade dos textos do que pela mera meta de atualizações diárias. Nestes tempos de redes sociais, não há mais necessidade de posts meramente citando outros posts; para isso serve a página do Facebook (sigam lá). O conteúdo aqui pode até tornar-se mais escasso, mas será inédito e melhor trabalhado: com isso me comprometo.

Pretendo, também, fazer-me mais presente aos comentários; o aprofundamento permitido pela ferramenta de interação com os leitores continua sendo um dos eixos norteadores deste apostolado. Contudo, procurarei ser também mais criterioso: se o texto principal não é espaço para mera reprodução de conteúdo, tampouco a área de comentários deve ser usada para simples divulgação do que quer que seja. Mais uma vez, a esse fim melhor se presta a página do FB ou o email do blog ([email protected] – sim, eu o leio todos os dias). Isso naturalmente não é uma regra rígida a ser aplicada de maneira férrea; use-se o bom senso. Mas que se procure utilizar melhor esse canal de produção colaborativa de conteúdo. Firmemos o compromisso de fazer da internet um lugar mais agradável.

Vida nova, cara nova, políticas novas… mas o mesmo objetivo de sempre, que é o de colocar a serviço de Cristo e da Santa Madre Igreja os dons que recebi da Divina Providência. Como sempre me esforcei por fazer; melhor, espero, do que tenho conseguido realizar até então. Ajude-me Deus.

De volta…! Quem diria? No meio das tantas atribuições que já possuo, essa eu faço questão de manter ainda mais um pouco sobre os ombros. O espaço é precioso demais para ser abandonado; deu muito trabalho abri-lo para, agora, deixá-lo desguarnecido. Sim, para a alegria de alguns e decepção de muitos, estamos de volta, com efetivo imediato. Que rufem os tambores. Podem soltar as feras.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

13 thoughts on “De volta…!

  1. Lampedusa

    Jorge,

    Que grande notícia! Eis um leitor que nunca deixou de seguir o Deus lo Vult e assim continuará agora com mais alegria!

  2. Eduardo Araújo

    Jorge, muito feliz pelo retorno. Deo Gratias!!!!

    Gostei de saber que não deixará este espaço desguarnecido, pois tenho reparado que muitos donos de outros ótimos blogues acabaram por abandoná-los em favor do facebook. Ocorre que há muitos e muitos que não possuem e nem se interessam em possuir perfil no facebook. Além do mais, sei de muita censura que acontece nesse meio por conta de divgergências ideológicas, de que dou exemplo a página do Meu Professor de História Mentiu Para Mim.

    Enfim, andiamo, caríssimo!

  3. Jailson

    Ótima noticia!

    Mesmo o blogue sem atualizações, eu o visitava todos os dias.

    Jailson

  4. Demerval Jr

    Eu, entre os “poucos” alegres… ;) Louvores à Deus! Bendita seja Nossa Senhora do Bom Sucesso!

  5. Alien

    Jorge, é só comigo ou o teu blog ficou mais “simples”? Cadê aquela belíssima imagem do Vaticano, por exemplo? No mais, abraços!

  6. Renan

    AUX ARMES, como disse!
    As eleições estão próximas e nada melhor que dar um lembrete desde já aos distraídos católicos que costumam acreditar no “canto da sereia”.
    Lembram-se da antiga propaganda do “Lulinha paz e amor”, mas por trás a bandeira vermelhada do martelo, da destruição; da foice, da morte; sob a “luz” da estrela de 5 pontas que é o pentagrama satânico?
    VOTAR EM PARTIDOS COMUNISTAS COM O ABORTO COMO PROGRAMA OFICIAL DE GOVERNO GERA EXCOMUNHÃO AUTOMÁTICA DA IGREJA AO CATÓLICO CIENTE DESSE VETO!
    Os partidos políticos que têm o aborto como plano oficial de governo como PT, PC do B, PSOL, PSTU, PV, PCB, PCO etc. – aos católicos que já foram informados, leram isso – geram-lhes pois excomunhão automática da Igreja, apesar disso os apoiam, se associam ou votam, além disso, os 10 últimos papas até Bento XVI têm duras condenações aos marxistas, simpatizantes e apoiadores.
    Aliás, em visita a Erfurt, antiga Alemanha Oriental, o saudoso Bento XVI intitulou aos irmãos gemeos filhos do mesmo pai e mãe, os comunistas/nazistas/fascistas de “chuvas ácidas”; ao comunistas “pestes vermelhas” e aos nazistas e fascistas de “pestes negras”.
    O papa Leão XIII: Os comunistas, socialistas e niilistas são uma peste mortal que como a serpente… Encicl. QAM
    Em 1949, a Congregação do Santo Ofício – hoje Congregação para a Doutrina da Fé – publicou um documento para solucionar as dúvidas dos fiéis da Igreja Católica:
    1 – É permitido aderir ao partido comunista ou favorecê-lo de alguma maneira?
    Não. O comunismo é de fato materialista e anticristão; embora declarem às vezes em palavras que não atacam a religião, os comunistas demonstram de fato, quer pela doutrina, quer pelas ações, que são hostis a Deus e à verdadeira religião e à Igreja de Jesus Cristo.
    2- É permitido publicar, divulgar ou ler livros, revistas, jornais ou tratados que sustentam a doutrina e ação dos comunistas ou escrever neles?
    Não, pois são proibidos pelo próprio direito (remissão ao Codex Iuris Canonici, CIC, 1.399, de 1917).
    3 – Fiéis cristãos que consciente e livremente fizeram o que está em (1) e (2), podem ser admitidos aos sacramentos?
    Não, seguindo os princípios ordinários determinando a recusa dos sacramentos àquele que não tem a disposição requerida. Fiéis cristãos que professam a doutrina materialista e anticristã do comunismo, e sobretudo os que as defendem e propagam, incorrem pelo próprio fato, como apóstatas da fé católica, na excomunhão reservada de modo especial à Sé Apostólica?
    Sim.
    Em 1959, a Congregação do Santo Ofício complementou as determinações fixadas anteriormente: Questão. É permitido aos cidadãos católicos, ao elegerem os representantes do povo, darem seu voto a partidos ou a candidatos que, mesmo se não proclamam princípios contrários à doutrina católica e até reivindicam o nome de cristãos, apesar disto se unem de fato aos comunistas e os apoiam por sua ação?
    Não, segundo a diretiva do Decreto do Santo Ofício de 1º. de Julho de 1949, n.1 [3865]. [2].
    Embora faça referência ao Código de Direito Canônico de 1917, as orientações publicadas pela então Congregação do Santo Ofício não foram revogadas com o Código de 1983, que no cânon 1364, §1, reza: O apóstata da fé, o herege ou o cismático incorre em excomunhão latae sententiae.
    Portanto, de acordo com a questão n. 4 e sua respectiva resposta (Documento de 1949), o fiel cristão que “professa”, que “defende” e “propaga” o Comunismo – esteja ele filiado a partidos, organizações ou instituições nominalmente comunistas ou às que, embora não estampem tal insígnia, preservam no seu interior as teses comunistas [3]; ou que vota nos candidatos comunistas ou em seus aliados (Documento de 1959) – este fiel está automaticamente excomungado [4].
    Mas, para que haja a excomunhão imediata é necessário que o fiel tenha a consciência de que a sua conduta é condenada pela Igreja Católica e que, mesmo ciente, persista no erro – em outras palavras, é necessário haver “contumácia”, obstinação, teimosia.

  7. Pingback: Exemplos de maus comentários | Deus lo Vult!