É por isso que o Papa pode dizer que ninguém faz mais que a Igreja contra a pedofilia

closeAtenção, este artigo foi publicado 2 anos 8 meses 22 dias atrás.

Por ocasião da recente Visitação Apostólica à Diocese paraguaia de Ciudad del Este, a questão do pe. Carlos Urrutigoity veio à tona. A sua nomeação como Vigário-Geral (ocorrida em fevereiro último) provocou a fúria da opinião pública: como é possível que a um sacerdote acusado de abuso de menores (independente de ser culpado ou inocente dessas acusações – todos sabemos que essa é a caça às bruxas moderna), que pingou de diocese em diocese até se encastelar nas fronteiras do Paraguai, seja concedida a honra de exercer as funções do Bispo Diocesano? Que ele seja nomeado seu representante direto?

A cronologia dessa história precisa ficar bem clara. Primeiro, veio a nomeação do pe. Urrutigoity como Vigário-Geral de Ciudad del Este. A este fato reagiu a SNAP, uma ONG de vítimas de abuso sexual por membros do clero e devotada a expôr publicamente aqueles que ela considera “predadores”. SNAP conseguiu que um bispo americano (Mons. Joseph Bambera, de Scranton) enviasse uma carta à Santa Sé onde expunha as suas “preocupações” com a nomeação. A mídia, naturalmente, fez o maior escarcéu com a notícia. Depois, só depois, veio a Visitação Apostólica.

Disso decorrem duas coisas:

1. Com os holofotes todos voltados para o Sucessor de Pedro, é evidente que o Papa Francisco não poderia tomar outra atitude. Há um sem-número de coisas que podem ser censuradas aqui: primeiro, a imprudência de nomear Vigário-Geral um sacerdote manchado pela sombra de uma acusação de pedofilia. Segundo, a ingerência de um bispo de outro continente em uma diocese com a qual ele pouco ou nada tem a ver, tornada pública através do site de uma ONG abertamente hostil à Igreja. Terceiro, o histriônico e espalhafatoso rasgar de vestes de certa mídia, muito mais compromissada com a difamação de uma instituição séria do que com a justiça do caso concreto. Contra isso, sim, é justíssimo protestar; não contra a intervenção pontifícia.

2. A situação anterior era objetivamente daninha à imagem da Igreja Católica, única instituição do mundo da qual é lícito sempre pensar o pior possível, única ré que é sempre culpada até prova em contrário. Pouco importa que a culpa do escândalo de pedofilia não seja da Igreja e sim do degenerado mundo moderno, é como se diz no chiste: “a culpa é minha e eu ponho em quem quiser”. A atitude do Santo Padre, portanto, era não só legítima como uma verdadeira exigência de justiça. Julgar diferente disso é não dar a devida importância ao ethos anti-clerical em meio ao qual se vive nos dias de hoje.

Há poucos meses, em uma de suas entrevistas – cujas partes dignas de lembrança parecem ser unicamente as passíveis de serem instrumentalizadas em desfavor da Igreja Católica… -, o Papa Francisco se permitiu soltar esta profunda e tonitruante verdade (original aqui):

As estatísticas sobre o fenômeno da violência contra as crianças são impressionantes, mas também mostram com clareza que a grande maioria dos abusos ocorre no ambiente familiar e na vizinhança. A Igreja Católica talvez seja a única instituição pública que se moveu com transparência e responsabilidade. Ninguém mais fez mais. No entanto, a Igreja é a única a ser atacada.

Ganhou também manchete nacional: «Papa afirma que ninguém faz mais que a Igreja contra a pedofilia». E se trata de verdade evidente, tão incontestável que ninguém ousou então contradizer o Soberano Pontífice. Ora, não foi o Papa Francisco quem estabeleceu tal estado de coisas: a página sobre a resposta da Igreja ao abuso de menores está há anos no site da Santa Sé, por exemplo. No entanto, a nenhum outro Romano Pontífice foi jamais permitido anunciá-lo pelos meios de comunicação de massa seculares. Nenhuma análise do modus agendi do Papa que se pretenda séria pode olvidar fatos como esse.

Para preservar essa conquista pode ser necessário desagradar alguns; não se pode nem mesmo negar a priori a possibilidade de que terminem por ocorrer algumas injustiças de fato. Penso, por exemplo, na hipótese do pe. Urrutigoity ser inocente como sempre se declarou… O sofrimento dos justos, contudo, sempre redunda no bem da Igreja: eis um fato que católico algum pode ignorar. Vivemos num mundo que está longe de ser perfeito e, nele, a imagem tem um preço: muito desgaste teria sido evitado se a Mitra de Ciudad del Este tivesse levado isso a sério em primeiro lugar. Para além de quaisquer percalços ocorridos nos campos de batalha pela glória da Igreja, contudo, paira reconfortante uma sentença contra a qual nada podem as hostes de Satanás: diligentibus Deum omnia cooperantur in bonum (Rm VIII, 28). Amar verdadeiramente a Deus, portanto, deve ter a primazia entre as nossas preocupações. Uma vez que o consigamos, o resto não nos deve perturbar.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

9 thoughts on “É por isso que o Papa pode dizer que ninguém faz mais que a Igreja contra a pedofilia

  1. Alien

    Pois é… mais um blog que deixo de seguir… infelizmente quando minhas solicitações não são atendidas eu respeitosamente me retiro. Agradeço do fundo do coração ao Jorge Ferraz, desejo tudo de bom na sequência do seu trabalho frente à ortodoxia católica (que considero a mais correta das várias “Igrejas Católicas” que existem hoje em dia, tal são as subdivisões filosóficas/políticas na ICAR) mas seguirei em frente. Um abraço, Jorge, tudo de bom! ;)

  2. Lucas.

    O fato de promover um sacerdote,com graves acusações de abusos e desvios de conduta,expulso inclusive da própria fsspx,é realmente uma falta imensa de prudência.A igreja de Cristo,cresce da forma que sempre cresceu,por adesaõ,testemunho.O dito maquiavélico,onde os fins justificam os meios,naõ funcionam.

  3. José Santiago Lima

    Amigo Jorge, desculpe-me mas creio estar havendo certa injustiça ao se mencionar o caso do padre Urrutigoity, principalmente por parte de alguns comentaristas que desconhecem o caso. Até posso concordar em que não se deveria coloca-lo a frente de algum cargo que lhe deixasse em evidência, no entanto o motivo seria pura e simplesmente para não causar polêmicas desnecessárias e dores de cabeça ao próprio Bispo diante dos inimigos da Igreja.

    Agora, quanto ao caso em si, há farto material disponibilizado na própria internet que comprovam:

    a) Que foi a própria SANTA SÉ que recomendou a Dom Livieres que incardinasse o padre.
    b) Que a própria FSSPX desmente às acusações contra o pe. Urrutigoity, imputando-as a um único sacerdote (que tempos depois dela se apartou para abraçar o sedevacantismo radical), onde afirmam ter ficado claro tratar-se mais de rixa pessoal, sendo que a FSSPX disse nada saber que desabone o padre Urrutigoity.
    c) São bem identificadas as pessoas responsáveis pela acusação ao padre na Diocese Americana e, ao que tudo indica, são suspeitos os motivos que os fazem agir dessa forma.
    d) O padre (e seu processo) foram declarados nulos pelo Vaticano por NÃO HAVER VÍTIMA alguma o acusando. E sem vítima não há processo. Ou seja, acusação partiu de terceiros (mais especificamente de um único senhor).
    e) O sacerdote inclusive passou por avaliações psicológicas (independentes) nos EUA e Canadá, avaliações essas que descartaram qualquer indício de psicopatias ou quaisquer desordens de personalidade.
    e) Acaba de ser expedida pela justiça paraguaya (fiscal responsável pela Infância e Adolescência) documento declarando indeferido o processo para continuar as investigações contra o padre por falta de provas que sustentem a existência de atos passíveis de punição. A representante da sociedade destacou, inclusive, que os denunciantes não mencionaram uma vítima sequer, assim como outros indícios lhe faz concluir tratar-se de má intenção.

    Enfim, concordo contigo em que Dom Livieres não deveria tê-lo colocado em um cargo de tal importância e evidência, mas penso que deveria assim ter feito mais por prudência e para evitar “dar brecha” aqueles que buscam atacar a Igreja. Por isso mesmo, é triste ler comentários do tipo: “ta vendo, acolheu um pedófilo! e quer colocar a culpa da Visita no tradicionalismo da Diocese” como se estivessem a comentar sobre um caso de culpa comprovada.

  4. Pedro Henrique

    O problema da Igreja hoje é que a autoridade visível coa um mosquito e engole um elefante. Escolhe seletivamente aqueles locais mais tradicionais para ‘intervir’, onde frequentemente pela mentalidade da autoridade dominante, acaba-se por terminar em destruição.

    Onde pode-se resolver diplomaticamente e em silêncio, para não levar a incerteza, a dúvida, a desesperança e o escândalo aos fiéis – que poderiam pensar estar frequentando uma diocese que abriga padre pedófilo – opta-se pelo estardalhaço.

    E em verdadeiras igrejas locais, paroquias, dioceses inteiras, ordens religiosas, que já ultrapassaram em muito o limite da apostasia, nada acontece. Absolutamente nada. E nem se pode argumentar que nesses locais a coisa é feita em silêncio, pois não há RESULTADO nenhum comprovando que houvesse alguma ação para impedir os demolidores da Igreja, que agem livremente com permissão da autoridade visível. Ao contrário, há até ‘padres’ que haviam sido suspensos por JP II que estão sendo reabilitados.

    O que esse Papa está fazendo é demolir ainda mais uma igreja já auto-demolida por décadas. É dividi-la ainda mais permitindo que cardeais e bispos se pronunciem em matérias que JP II já deu a última palavra, provocando a divisão no colégio cardinalício, obrigando outros a refutarem aquilo que já era tido como ponto pacífico. Enquanto podia se dedicarem a coisas mais importantes, como levar Cristo até os lares das famílias que se declaram católicas, mas já não frequentam mais os sacramentos e a Missa.

    O verdadeiro problema sequer é mencionado. O que Bento XVI mencionava quase sempre, Francisco ignora por completo. E o que era tido por ponto pacífico, voltou à pauta da Igreja como se fosse questão disputada.

    Sinto vergonha de quem permite um membro da Igreja contradizer o magistério de forma tão pervertida e diabólica. E olha que se trata daqueles pontos em que João Paulo II falou com mais clareza e rigor técnico, se aproximando de como a Igreja se pronunciava antes do concílio, embora em meio a textos gigantescos e prolixos.

    O prefeito do Santo Ofício fez uma boa síntese dessas declarações num longo texto, refutando Kasper, que também, um dia, negou a existência dos demônios junto com outro cardeal alemão. Mas mesmo assim, sem a fé católica, por negarem uma verdade de fé divina, foram feito cardeais.

    Pelo menos, nós, católicos tradicionalistas, sentimo-nos confundidos quando seitas heréticas são chamadas apenas de ‘comunidades separadas’, “pois de forma alguma estão despojadas de sentido e de significação no mistério da salvação. Pois o Espírito de Cristo não recusa servir-se delas como de meios de salvação cuja virtude deriva da própria plenitude de graça e verdade confiada à Igreja católica.” Uma sentença com forte sabor de heresia. Veja bem, com forte sabor de heresia. Como se o problema dessas comunidades fosse apenas ter ‘defeitos’.

    Criou-se uma nova categoria na Igreja conciliar.

    – Comunidades separadas com defeitos.

    Já vieram com defeito de fabricação.

    Pena que nunca disseram que na sspx houvesse apenas ‘defeito’. Dela já se disse de tudo: herética, cismática, rebelde, etc.

    São as escolhas seletivas da Igreja do CV II.

    Nada de estranho.

  5. Renan

    A ACUSAÇÃO SELETIVA É A MAIOR DAS INJUSTIÇAS!
    Antes de mais nada, temos que ver o existente por detrás dessa perseguição seletiva, bem nos bastidores, camufladamente, pois é uma luta dos asseclas de SATÃ x JESUS e seus seguidores, e a questão da acusação de pedofilia na Igreja católica é algo muito manjado pois nas seitas protestantes isso é muito mais elevado entre pastores e obreiros, com sexo à vontade por aí e nada disso jamais mencionam.
    Aliás, a quantidade de padrastos, primos, tios até pais envolvidos nisso supera os padres de montão, e os relativistas pastores protestantes deveriam ser um exemplo vivo de honestidade e zero de incidência nisso!
    Porém, nesse sentido são uns frouxos e os sacerdotes católicos, por serem celibatários, deveriam ser os TARADOS POR EXCELENCIA, e só mencionar “sacerdote católico ou padre” deveria cada um associar imediatamente PEDOFILIA COMO SINÔNIMO, mas é muito ao contrario, pois as estatísticas oficiais provam o inverso.

    TIRADO PARA “APERITIVO” DOS ACUSADORES DA IGREJA CATÓLICA DO SITE MACABEUSCOMUNIDADES.BLOGSPOT.COM.BR

    1) Polícia prende pastor acusado de pedofilia no Paraná

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u125607.shtml

    2) Pastor confessa ter abusado de crianças de sua igreja em Franca

    http://ultimosegundo.ig.com.br/materias/brasil/2311501-2312000/2311718/2311718_1.xml

    3) Pastor que engravidou menina diz que assume filho

    http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI918079-EI5030,00.html

    4) Polícia prende pastor suspeito de abusar de oito meninos em PE

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u118272.shtml

    5) Evangélico é preso acusado de estuprar 12 crianças

    http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI714233-EI5030,00.html

    6) Evangélico é preso em flagrante por abuso sexual. A vítima é a filha, de cinco anos

    http://ultimosegundo.ig.com.br/materias/odia/2024001-2024500/2024348/2024348_1.xml

    7) pastor é preso acusado de estuprar adolescente

    http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI546547-EI306,00.html

    8) Preso pastor que prometia alívio em troca de sexo

    http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI546557-EI5030,00.html

    9) menina estuprada por Pastor dá entrevista

    http://br.groups.yahoo.com/group/oencostohp/message/21

    10) Pastor é preso por estuprar menina de 14 anos

    http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI542671-EI306,00.html

    11) Pastor é preso em MG sob suspeita de pedofilia

    http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI535708-EI306,00.html

    12) Pastor é acusado de engravidar fiel de 13 anos

    http://www.espacovital.com.br/asmaisnovas12112004o.htm

    Quando tiver dúvida, confira esse site e outros especialistas em mostrar pedofilia “apenas” na Igreja católica!

  6. Pingback: Roma ruge; o Papa é monarca! | Deus lo Vult!

  7. Pingback: Só a Igreja combate a pedofilia com coerência | Deus lo Vult!

  8. Pingback: * Só a Igreja combate a pedofilia com coerência. - Blog Carmadélio