Quatro anos de um dos Papas mais odiados da história

closeAtenção, este artigo foi publicado 9 meses 4 dias atrás.

Hoje é um dia importante. Quatro anos atrás, numa quarta-feira, celebrávamos a fumata bianca expelida pela chaminé da Capela Sistina e pouco tempo depois, ansiosos, ouvíamos pela TV secular o secular anúncio do Habemus Papam. Era o (então desconhecido) cardeal Jorge Maria Bergoglio, qui sibi nomen imposuit Franciscum.

Quatro anos após o fato, olhando em retrospectiva, creio que se pode dizer — ao contrário do que parece à primeira vista — que estamos diante de um dos Papas mais odiados da história da Igreja. Sim, é certo que a mídia anticatólica, os católicos progressistas e os não-católicos enaltecem [aquilo que acreditam ser] o Papa Francisco; no entanto, só o enaltecem naquilo que não é católico. A condescendência com o homossexualismo. A ordenação de mulheres. A comunhão dos adúlteros. O louvor ao socialismo. O indiferentismo religioso. Et cetera, et cetera. Ora, não se pode dizer que seja realmente movido por amor quem tanto se esmera para divulgar uma imagem tão desabonadora assim de outrem!

Os inimigos da Igreja falam muito do Papa Francisco, é verdade, e falam dele em tom laudatório, é verdade também; mas o que elogiam no Papa são qualidades que envergonham e ofendem qualquer fiel. O Papa não é amado por ser católico, mas precisamente o contrário: quem diz amar o Papa — ao menos quem o diz com espalhafato, nas redes sociais e na mídia anticlerical, quem diz amar Francisco quando até ontem odiava Bento XVI — só o faz por acreditar ver no Papa características que contradizem certos aspectos, digamos, pouco populares da Fé Católica. Por que “amam” o Papa Francisco? Porque ele não acha que todo mundo precise ser católico, porque ele acredita que baste a cada um fazer o que acredita ser certo, porque ele acha que a Igreja não deve se meter no casamento gay, e porque aliás ele acredita que os gays devem ser incluídos na Igreja, porque é a favor dos padres casados e da ordenação de mulheres, porque quer acolher os divorciados recasados, porque é contra a cúria vaticana, contra Temer, contra Trump… Em suma, por que “amam” o Papa Franciso? Por tudo e qualquer coisa, exceto aquilo que faz um papa — qualquer Papa — ser o líder máximo da religião católica.

Estas pessoas não amam realmente o Papa Francisco. E não o amam por uma razão dupla: primeiro que não se afeiçoam ao Papa de verdade, senão a uma sua caricatura grotesca; segundo porque atribuem a ele características que são desabonadoras e difamatórias para qualquer católico. Não é portanto verdade que os anticlericais tenham passado a amar o Papa: os anticlericais continuam odiando o Papa. Apenas o fazem agora por outro meio.

Em contrapartida, muitos dos católicos — o resquício de católicos de verdade, conscientes do que significa o Catolicismo e da crise pela qual atravessa a Igreja — debandaram tristemente para o ódio escancarado e a perseguição aberta ao Soberano Pontífice. Engolem da maneira mais acrítica possível as maiores barbaridades que os inimigos da Igreja dizem a respeito do Papa: dão mais crédito ao burburinho do mundo que à oração de Nosso Senhor para que a Fé de Pedro não desfalecesse. Acreditam em tudo o que se diz de depreciativo sobre o Papa Francisco, e o divulgam e alardeiam, contribuindo assim para o fortalecimento da má fama de Sua Santidade. Eis porque o atual Pontífice é um dos mais odiados de todos os tempos: porque aos odiadores tradicionais — que o continuam odiando — somaram-se multidões de católicos que, fazendo coro aos anticlericais, vêem no Papa mais o Anticristo que o Cristo-na-Terra.

Bento XVI era odiado pelo mundo, mas amado por parte significativa dos católicos tradicionais. Francisco continua odiado pelo mundo e é também odiado por grande parte destes católicos que — com toda a razão — opõem-se à mundanização do Catolicismo mas enxergam no Papa mais um inimigo que um aliado. No final das contas, quem é que ama o Papa Francisco pelo que ele é, e não pelo que [acredita que] ele representa? Quase ninguém. É o mais solitário e abandonado dos Papas!

E não se justifique o próprio ódio sob a alegação de que o Papa não ajuda a desfazer a imagem errada que têm dele. São Valentino também é um dos santos menos amados do mundo, apesar de milhões de pessoas celebrarem alegremente o Valentine’s Day a cada 14 de fevereiro. São Francisco de Assis também é um dos santos mais impopulares da história, a despeito de a “Oração de São Francisco” ser mais conhecida que o Hino Nacional. Não é privilégio do Papa Francisco ter uma imagem pública destoante da que se espera de um católico de verdade.

Além disso, o esforço exigido para desfazer o senso comum é hercúleo e não pode ser exigido de ninguém — muito menos de um Papa, aliás, a quem absolutamente ninguém pode ditar a melhor forma de governar a Igreja. Se Sua Santidade poderia ser mais claro e não o é, disto ele haverá de prestar contas ao Altíssimo e não aos leigos católicos da internet sedizente tradicionalista. Eventuais defeitos dos superiores não elidem o dever de submissão dos subordinados, e nem muitíssimo menos justificam a falta de respeito cada vez mais generalizada que se tem tristemente observado nos últimos quatro anos.

Finalmente, para vender a sua imagem do Papa-que-não-é-católico, os inimigos da Igreja praticam o cherry-picking mais descarado. Jamais divulgam aquilo que o Papa diz e faz de católico, mas conferem grande alarde a tudo que se possa mal interpretar. Um exemplo entre muitos, os que defendem a comunhão dos adúlteros dizem que isto é um ato de «misericórdia» pastoral, com o qual a Igreja deve temperar a «justiça» inflexível das normas canônicas. Mas o Papa Francisco, há menos de um mês, comentando o Evangelho de S. Mateus, deu-nos esta belíssima lição:

“Jesus não responde se é lícito [para um marido repudiar a própria mulher] ou não; não entra na lógica casuística deles. Porque eles pensavam na fé somente em termos de ‘pode’ ou ‘não pode’, até onde se pode, até onde não se pode. É a lógica da casuística: Jesus não entra nisso. E faz uma pergunta: ‘Mas o que Moisés vos ordenou? O que está na vossa lei?’. E eles explicam a permissão que Moisés deu de repudiar a mulher, e são eles a cair na própria armadilha. Porque Jesus os qualifica como ‘duros de coração’: ‘Foi por causa da dureza do vosso coração que Moisés vos escreveu este mandamento’, e diz a verdade. Sem casuística. Sem permissões. A verdade.”

[…]

“(…)Depois, uma pessoa de mentalidade casuística pode se perguntar: ‘Mas o que é mais importante em Deus? Justiça ou misericórdia?’. Este também é um pensamento doente… o que é mais importante? Não são duas: é somente uma, uma só coisa. Em Deus, justiça é misericórdia e misericórdia é justiça. Que o Senhor nos ajude a entender esta estrada, que não é fácil, mas nos fará felizes, a nós, e fará felizes muitas pessoas”.

Tradução: Canção Nova

Não existe oposição entre misericórdia e justiça! A misericórdia verdadeira não pode senão ser justa, e a justiça verdadeira é ela própria misericordiosa. A idéia de conferir sacramentos de vivos a pecadores formais sob a justificativa da misericórdia, portanto, é uma falsa idéia, é «um pensamento doente». Que duro golpe nos divorcistas! Quem, no entanto, dos “admiradores” do Papa Francisco, prestou atenção a esta homilia, preocupou-se em divulgar este ensinamento…?

Faz quatro anos que o nome «Francisco» ecoou a partir da sacada da Basílica de São Pedro. E, infelizmente, parece que temos bem pouco a comemorar na efeméride. Hoje, mais até do que naquele (já longínquo) ano de 2005, «[a] Igreja parece-nos uma barca que está para afundar, uma barca que mete água por todos os lados» (Via-Sacra no Coliseu, IX Estação). Que o Altíssimo Se compadeça de nós e, volvendo o olhar para o nosso sofrimento, levante-Se — o quanto antes! — para pôr fim às nossas tribulações.

V. Oremus pro Pontifice nostro Francisco.

R. Dominus conservet eum, et vivificet eum, et beatum faciat eum in terra, et non tradat eum in animam inimicorum eius.

Oremus. Deus, omnium fidelium pastor et rector,famulum tuum Franciscum, quem pastorem Ecclesiae tuae praeesse voluisti, propitius respice: da ei, quaesumus, verbo et exemplo, quibus praeest, proficere: ut ad vitam, una cum grege sibi credito, perveniat sempiternam.

Per Christum, Dominum nostrum.
Amen.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

25 thoughts on “Quatro anos de um dos Papas mais odiados da história

  1. Wilson Ramiro

    É uma situação interessante da falácia do espantalho que a grande mídia criou, não criam uma figura distorcida da realidade “espantalho” para poder malhar, mas criam uma figura ainda mais distorcida para realidade para amar. Quando batem em um espantalho odiável, batem em um erro que não existe na realidade, mas à ela querem atribuir, de forma mais terrível agora criam um espantalho com características que são contra a realidade e divulgam seu amor a estas “qualidades” impossíveis, este novo espantalho “amado” é mais prejudicial que o outro.

  2. Domingos de Oliveira

    Humanamente falando,quatro anos de um retumbante desastre!

  3. Wilson Ramiro

    Com frequência eu não entendo o que Deus pretende quando permite que altos cargos, religiosos ou governamentais sejam ocupados por pessoas cujos: “pensamentos palavras e omissões”, me parecem duvidosos. Não raro eu, me encontro rotulando e condenando, não os personagens terrestres pelo seus atos, mas o próprio Deus.

    Ainda não me converti adequadamente, mas o esforço continua.

    Se Deus colocou papas e bispos, presidentes, reis e governadores ruins apenas para que EU seja convertido, começo a entender o amor que ele tem por mim.

    De minha parte “arrogante mas delicioso”.

  4. Adriano

    Os antipapistas encontraram a forma definitiva de destruição do papado: um tipo de superpapismo mas que se dirige a uma caricatura do Papa. Seria genial se não fosse demoníaco.

  5. Wilson Ramiro

    Apenas um dúvida, em cima do texto.

    ‘Foi por causa da dureza do vosso coração que Moisés vos escreveu este mandamento’,

    ?? Sendo duro de coração e/ou apropriando-se de um mandamento,… pode-se dar carta de repúdio para a mulher? Ou Moisés deu um mandamento condenatório aos judeus?

  6. JR LS

    Maldito “politicamente correto”, conseguiu cegar a todos. O antipapa Francisco está implodindo a igreja e a maioria tá batendo palminhas pra ele.

  7. Diogo HF

    {Eventuais defeitos dos superiores não elidem o dever de submissão dos subordinados, e nem muitíssimo menos justificam a falta de respeito cada vez mais generalizada que se tem tristemente observado nos últimos quatro anos.}

    Falta de respeito OK. A primeira parte: ERRADO. Se os superiores estão errados, não devemos obedecer. Não no sentido de seguir o erro X ou Y. E Santo Tomás e todos os Doutores da Igreja dizem que, se houver pecado público e perigo para a Fé, o inferior se torna superior. E, neste caso, pode e deve julgar. Para que o mal não se espalhe.

    {Finalmente, para vender a sua imagem do Papa-que-não-é-católico, os inimigos da Igreja praticam o cherry-picking mais descarado. Jamais divulgam aquilo que o Papa diz e faz de católico, mas conferem grande alarde a tudo que se possa mal interpretar.}

    Verdade que mentem e deturpam. Mas achar NORMAL que um Papa, em seu magistério ordinário, diga 5 verdades e 2 GRAVES MENTIRAS que colocam em risco a Fé, é coisa de HOMEM AVESTRUZ. Que não quer ver. Não se trata de ser “bondoso ou não bondoso” com o Papa atual… A Igreja não pode ser vista dessa forma HUMANA. Como se o Papa fosse um PENSADOR. Um chefe de governo HUMANO que pode errar, pode ensinar erros e ok, faz parte da vida humana.

    Ele é o Papa……. esse pessoal está analisando de maneira HUMANA a Igreja, como se Ela não fosse DIVINA. Como se fosse a coisa mais comum do mundo um Papa ensinar, ainda que em seu magistério ordinário, ERROS GRAVES que promovem a apostasia. Vejam que da análise HUMANA da Igreja não escapam nem muitos grupos tradicionais….

    O pior nem é somente essa análise MUNDANA do Sumo Pontífice da Igreja. Como se ele fosse um chefe de um estado qualquer. Como se o Espírito Santo não estivesse VIVO na Igreja.

    Mas o EXEMPLO que eles citaram ABAIXO como algo de “muito bom e justo” que o Papa teria dito não colabora EM NADA à tese do site. Ao contrário. É um argumento contra o Papa… Cito o texto do Papa que eles consideraram MARAVILHOSO. E que, no mínimo, é novamente ambíguo, no contexto tratado (adultério, novo casamento, Sagrada Comunhão etc).

    {… Depois, uma pessoa de mentalidade casuística pode se perguntar: ‘Mas o que é mais importante em Deus? Justiça ou misericórdia?’. Este também é um pensamento doente… o que é mais importante? Não são duas: é somente uma, uma só coisa. Em Deus, justiça é misericórdia e misericórdia é justiça. Que o Senhor nos ajude a entender esta estrada, que não é fácil, mas nos fará felizes, a nós, e fará felizes muitas pessoas”.

    Em Deus, justiça é misericórdia e misericórdia é justiça. Que o Senhor nos ajude a entender esta estrada, que não é fácil, mas nos fará felizes, a nós, e fará felizes muitas pessoas”.}

    Só esse site não viu que o discurso do Papa aí está mais para doutrina protestante que Católica.

    Há duas formas de justiça em Deus. A justiça que JUSTIFICA o pecador, que coincide, nesse caso, com a misericórdia. Mas há OUTRO ASPECTO da justiça em Deus, que é a PUNITIVA. Punir o pecador. E, no caso, usar isso para relativizar o adultério é grave.

    http://www.deuslovult.org/2017/03/13/quatro-anos-de-um-dos-papas-mais-odiados-da-historia/

  8. Heitor Souza de Carvalho

    Caro Jorge,

    Mais uma excelente reflexão e um esforço católico em tentar entender o que se passa com o pastor supremo da Igreja.

    Bem, da minha parte, já faz um tempo que não acredito que os papas são tão inocentes e sem noção da realidade, nem sempre a solidão deles – e é uma missão solitária per si- é falta de compreensão. Cabe a nós, rezarmos com maior intensidade para que Deus socorra a fé do papa e ele nos confirme, como nos atos dos apóstolos no episódio da prisão de São Pedro. Talvez não saibamos qual a estratégia do Papa Francisco, como o Bento XVI procurava deixar claro, por isso foi boicotado, mas inocente ele não é. Para o bem ou para o mal, o tempo dirá.

    Que Deus nos socorra!

  9. Sérgio

    Vida longa ao Papa Francisco…..

    Rindo dá cara de vocês …. Tradicionalistas fanáticos…. Porcos capitalistas….

  10. Lampedusa

    Isso me lembra a ‘tática’ de muitos dos ‘new-atheists’ de criar um deus que não é O crido pelos crentes e depois demonstrar que ele não existe…

  11. Isac

    O que se percebe no geral por aí entre as pessoas tendo opiniões de conservadores do sucedido no Vaticano é que o papa Bento XVI era apreciado pelos tradicionais, era um declarado anti comunista, anti imigração do Islã, porém odiado e bastante perseguido sem treguas pelos liberalistas, como pela esquerdista TL, marxistas, midia globalista e todos do relativismo atual, incl charges dele até no Charlie Hebdo!
    Também, em seu tempo faziam todo tipo de ameças de levarem ele e a Igreja aos tribunais internacionais por varios motivos, como por “acobertar” a pedofilia; no entanto, os protestantes bastante mais incidentes nesses casos, nada contra eles – tratava-se de perseguição seletiva contra ele e a Igreja.
    Até as operações do Banco do Vaticano foram bloqueadas via SWIFT e imediatamente retornaram após sua saída(?) pirotécnica!
    Ao contrario, após a entrada do papa Francisco pareceria ele ter caído no gosto dos esquerdistas pelos respaldos que lhes dá, até recebendo esses trastes e inimicíssimos da Igreja católica dentro do Vaticano – L Boff, ele é um dos nossos – globalistas, gentalha dos movimentos sociais de varios países – tipo comuno-anarquista MST e similares vermelhos doutros países que são, à realidade, as “milicias comunistas”, além de muitos sodomo-abortistas – Emma Bonino, Elton John e revistas apologizadoras desses depravados!
    Doutro lado, não chamaria à atenção certos altos hierárquicos que eram mantidos à distancia pelo papa Bento XVI, assim como certos procedimentos, caso de D Vicenzo Paglia que teria permitido profanar recente e gravemente com desenhos sodomistas a Casa do Senhor Deus e deveria ser duramente repreendido, senão banido!.
    E a questão de reabilitação do heresiarca Lutero, dispensam-se comentarios, havendo varios cardeais e bispos, assim como sacerdotes inconformados com isso e mais outros seus ensinamentos – estão com razão – caso da facilitação em certos casos da S Comunhão para adúlteros!
    Para se ter uma ideia, *D Thomas J Tobin de Rhode Island acha que as confusões da A laetitia seriam propositais pelo papa Francisco e outras mais…
    *Claire Chrétien LifeSiteNews 08/07/16

  12. Marcio Monteiro

    Concordo plenamente Jorge!
    Só um detalhe: Francisco, ao contrário do que você escreveu, é a muito tempo um dos santos mais populares da história. Para termos uma ideia do que isso significa, no início deste século, uma grande e famosa revista americana (acho que foi a TIME, mas não tenho certeza…), fez uma enquete entre os seus milhões de leitores para saber quem eles consideravam a personalidade do milênio que havia se encerrado a pouco. O vencedor? Sim, ele mesmo, São Francisco!! (em um país onde os católicos não são maioria…a revista depois publicou um resumo da história do santo, bem fiel, sem retoques, mostrando inclusive o quanto ele era realmente impopular no início, por causa de suas colocações, mas depois de muito tempo, ele “virou o jogo”, e é hoje, sem dúvida, muito popular, como atesta o resultado surpreendente da própria enquete da revista).

    PAX!

  13. JB

    Quanto exagero, Jorge!

    Primeiro, Francisco não é vítima de uma fatalidade cósmica e nem se conjurou contra ela uma cabala. Ele simplesmente colhe o que plantou. A situação atual decorre unicamente de suas ações e omissões.

    Segundo, a maioria das pessoas não pertencem aos dois polos que você descreveu. A maioria das pessoas não são nem liberais nem tradicionalistas. Aliás, a maioria das pessoas nem sabe o que esses termos significam. E, sim, ao contrário do que você diz, a maioria das pessoas gosta de Francisco e gosta pelos motivos certos (porque é o Papa, oras). É só sair à rua e perguntar ao povo.

    Terceiro, Ninguém pode exigir nada de Francisco. Mas é lícito solicitar, como um súdito faz a seu soberano, esclarecimentos a respeito de como melhor o servir. Os quatro cardeais que submeteram os dubia a Francisco com certeza não o odeiam. De fulano se perguntar por que Francisco não fala mais claramente ou de ciclano se perguntar por que Francisco tanto prestigia cardeais e bispos liberais, simplesmente não se segue que fulano e ciclano não se submetam ao Romano Pontífice e nem muito menos que o odeiem.

  14. Ygor

    Jorge, a meu ver você “carregou muito na tinta”, pois apenas alguns católicos reclamam do Papa. E estes não me parecem odiar o Papa. Aposto que se amanhã o Papa responder aos dubia e demonstrar ortodoxia católica, os que o criticam irão apoiá-lo.
    Em toda Santa Missa rezamos (querendo ou não) pelo Papa e esperamos que ele haja como papa. Se há dúvidas, ninguém mais indicado para saná-las do que o Papa.

    Eu penso que o Papa Francisco, para coroar sua postura humilde, deveria agir como “O servo dos servos” e nos tirar das trevas da incerteza sobre várias polêmicas dentro da Igreja. Até porque o único que faz e não dá satisfação a ninguém do que fez é Deus, pois é o Rei do Universo.

  15. Wilson Ramiro

    Deus decide

    Defendo o papa Francisco por ele ser uma ferramenta na mão de Deus, já está na hora da Igreja católica “implodir”, como deixou claro o papa Bento XVI.

    Se restarão as pequenas comunidades não dá para saber, Bento XVI acredita que sim.
    Nenhum católico se sentirá desamparado, a dor e a perseguição serão grandes, mas a fé será muito maior. O mundo, a parte que não é de Deus, tomará posse do grande vazio que lhe espera.

    O anjo da morte do desespero e da depressão exterminará muitos, alguns que não são de Deus ficarão para provocar a dor nos que são de Deus, os maus subsistirão da dor dos bons. Isto já está ocorrendo, é novidade apenas para os infantis.

    Não serão os católicos que chorarão pelos pedaços das catedrais demolidas, quando então as luzes das catedrais se apagarem, o frio, as trevas e a desolação infinita dos corações tomarão formas, como pesadas pedras conduzidas dentro do peito de seus algozes.

    A árvore do conhecimento, a mesmíssima árvore, presente em todos os dias de nossas vidas, comível, agora depois de provar da árvore, o homem é capaz de dizer: “Deus você está nu!!”, a loucura humana não está apenas em não creditar que Deus existe, ela não acredita que o humano exista. Somos agora capazes de julgar um profeta de Deus, conforme nosso conhecimento, porque somos capazes de julgar Deus conforme “nossa” árvore. E ainda com esta “árvore do conhecimento”, a “sociedade” pode destruir e reconstruir o Deus fez, mas agora não mais à imagem e semelhança dEle, e sim à semelhança de espantalhos. Os homens criaram espantalhos de religião, espantalhos de Deus, e unidos a todos os demônios, constroem os espantalhos de humano, coisas sem características humanas, como sexo, amor e dignidade.

    Que o papa Francisco viva, que seja feita a Vossa vontade, de Deus, no céu e na terra, amém.

  16. Juliano costa

    CAROS IRMÃOS TRIDENTINOS.

    Há um ditado que diz que: “PARA UMA PESSOA QUE TEM UM MARTELO NA CABEÇA, TUDO O QUE ELA VÊ, SE PARECE PREGO”. Vocês ultra-conservadores, tradicionalista tem um marte na mente – leis, regras, normas, doutrina. Você precisam disso para viver. Isso pode, isso não pode. Vocês precisam de uma segurança para viver e saber se estão certos ou não. Portanto, para vocês quando um Papa diz: fora da Igreja não tem salvação vocês tem a confiança que como já são católicos não precisam se preocuparem com a salvação. A religião não funciona assi. O que é a religião? Jesus veio nos ensinar como podemos nos RE-LIGAR novamente ao Pai. O homem perdeu Deus no paraíso e Jesus veio nos mostrar o caminho de volta para o Pai. Qual é esse caminho? Para vocês ultraconservadores, tradicionalista é o cumprimento da lei, das normas, das regras. Os Fariseus, saduceus, escribas e doutores da lei QUE ERAM OS CONSERVADORES E TRADICIONALISTA do Judaismo, pensavam exatamente assim. Jesus mostrou outra lógica. A Transformação interior: Ele disse: “Quem quiser me seguir renuncie a si mesmo” isto é RENUNCIAR AO EGO, A ARROGÂNCIA, VAIDADE. Se o grão não morrer…Quem não se tornar como um destes pequeninos. Jesus ensinou o caminho da transformação interior. A HUMILDADE, a transformação interior. EU PRECISO MUDAR. Lembram da parábola Fariseu e do Publicano. É um retrato fiel, de um tradicionalista e um humanista. Para vocês tradicionalista não,uma pesso precisa acreditar e cumprir as leis, regras, normas. Rezar em latin, ser católico, assistir a missa, confessar-se, e seguir as normas, comunhão de joelhos, as mulheres usar véus etc, etc. Os fariseus ficavam escandalisado que Jesus e os discípulos não lavavam as mãos como de costumes. Assim são vocês.Quando a religião ica só na razão, ela nos transforma em FUNDAMENTALISTAS -regras, leis, normas. Assim são os Talibãs, o Estado Islâmico (eles são os conservadores do islâ). Assim são os fundamentalistas evangélicos que seguem a bíblia na risca e nos acusam de adorar estátus e assim são os conservadores católicos. Cada religião tem seus conservadores radicais. POR ISSO VOCÊS ODEIAM O PAPA FRANCISCO. Ele é de outra escola. A religião para ele é um caminho de encontro consigo mesmo e com Deus. Deus é uma experiência. Não se entende Deus pela razão, mas pelo coração, pela experiência. Ora para eu me encontrar com Deus devo primeiramente me encontrar comigo mesmo. Conhecer meus pecado e defeitos. Se eu conheço meus pecados e defeitos eu passa a ter mais compreensão com os o0utros e por isso eu acolho os gays, os descasados, os separados, os das outras religiões. Como para vocês a religião É SO ESTUDAR, CONHECER isso fica na razão e a lógica da razão é outrra – certo ou errado. Ou é ou não é. O Papa FRancisco relfete a luz de Deus para o mundo. Pensem nisso.

  17. Isabela

    Mais odiado por quem vê nele uma ameaça ao status que pode perder dentro da igreja.. Mto antes de Francisco, já tinha a mundanização da igreja, ou não? Vai me dizer agora, que pedofilia e desvio de dinheiro nunca teve antes de Francisco? No nosso dia a dia dentro de Paróquia, não vemos os que os padres e bispos fazem e desfazem do povo? Espírito Santo não está na Igreja Humanizada, Moderna, não é culpa de Francisco não, e sim dos Padres que mtas vezes insinuam ou escancaram que Espírito Santo é balela! Seria Papa Francisco e São Francisco, impopulares por dar mais atenção ao povo do que à oração? Ah me poupem! Jesus não faria mta coisa diferente de Francisco, não.

  18. MARIANA

    Nao se trata de …ODIAR!! NÃÀO!!

    Se trata de ter….PENA!! COMISERAÇAO!!

    Trata-se de um ESCÂNDALO…certo palavreado de D.Bergoglio…!! ESCANDALO!
    Ele fala…escreve…coisas inadmissíveis para um…REPRESENTANTE DE CRISTO na
    Terra!!
    Realmente..chega-se a duvidar do seu Diplo
    ma de TEOLOGIA!!

    Há um “site” católico..dirigido por PADRES muito bem preparados…cultos….estudiosos
    e…Fiéis a JESUS….que já catalogaram cerca de. 160 HERESIAS E BLASFEMIAS pro
    feridas por esse “religioso” argentino!!
    Realmente….DEUS é muiiiiiiito Misericordio
    so!! Esse senhor JORGE MARIO ja deveria–
    ele sim!!!—ser ….EMÉRITO….por falta de
    perfil correto para o Cargo que exerce!
    Amem.

  19. padre carlos eduardo

    Como diz o ditado, os insetos procuram as lâmpadas que tem LUZ.

  20. padre carlos eduardo

    As vezes para seguir Jesus, alguns criam coisas que nem Jesus fez, e nem faria…

  21. Daniel Robert

    Os Hereges Sedevacantistas estão a adorar este Papado, agora podem justificar suas heresias com apoio dos Católicos.

  22. João Marcos

    Pra mim, nossa geração está muito mal acostumada a grandes papas. O século XX, apesar de suas dificuldades, foi um período de Papas importantes. E, recentemente, tivemos papas que tem seu lugar de honra garantidos na história de modo positivo, como João Paulo II e Bento XVI. Quando chega um que nem de longe possui o peso filosófico, teológico e pastoral desses dois, estranhamos. Agora é a hora de, mesmo não entendendo, amar a Igreja, amar o Papa e fazer aquele trabalho de formiguinha para permanecermos fiéis a Cristo. Confesso, tá difícil, mas Deus deve ter algum propósito pra isso tudo… do contrário, só resta o desespero e a apostasia.

  23. José de Souza

    Tenho certeza absoluta q ele ñ é perfeito da mesma forma q nenhum dos outros foram, mas vejo no papa Francisco alguém q se aproxima mais do pensamento e da prática de Jesus Cristo.

Deixe um comentário: