Ainda o terceiro segredo de Fátima

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 meses 25 dias atrás.

Com relação ao (recém-divulgado) texto presumivelmente escrito pela Ir. Lúcia contendo uma parte não revelada do Segredo de Fátima, vale tecer os seguintes ligeiros comentários:

– Nunca deixou de haver polêmica sobre o terceiro segredo de Fátima, nem mesmo após a divulgação da Mensagem do ano 2000; no entanto, a própria Ir. Lúcia estava viva até 2005 e não se tem registro de que ela tivesse jamais protestado contra nenhuma mutilação da mensagem que lhe fora confiada pela Rainha dos Céus. A idéia de que aquela era na verdade uma sósia da Irmã Lúcia é extravagante demais para merecer muito crédito.

– Este blog acha até possível haver uma parte não-revelada do Terceiro Segredo — uma tida talvez como espúria, não confirmada pelos videntes, entregue em momento diferente e constante em documento separado, talvez até perdido no Arquivo do Santo Ofício. Ao que me parece, não existe nenhum óbice teológico a que a Virgem Maria tenha comunicado aos videntes mais do que foi reconhecido pela Igreja como legítimo.

– Não é no entanto possível duvidar da sinceridade de São João Paulo II, que não tinha nenhum motivo especial para revelar o «segredo» no ano 2000 e, portanto, tendo decidido livremente fazê-lo, não teria por quê reter uma parte sabidamente autêntica da mensagem e mentir diante do mundo inteiro. Se ele não julgasse conveniente revelar o segredo, não precisaria tê-lo revelado — como aliás fizeram outros Papas anteriormente a ele. Não há portanto motivo algum para ocultar deliberadamente uma parte da mensagem e, ainda assim, afirmar abertamente estar divulgando a mensagem inteira. Isso não tem lógica nenhuma.

– Ou seja, se em algum momento houve um texto, digamos, “complementar” à visão do Terceiro Segredo, é de se crer que ele se tenha perdido antes de S. João Paulo II tomar conhecimento do (que era então conhecido no Vaticano como o) envelope contendo a mensagem de Fátima. É de se crer ainda, por conseguinte, que tal mensagem, ainda que possa ter sobrevivido em algum lugar (por exemplo em um manuscrito perdido da Ir. Lúcia…), é tida pela Igreja como apócrifa e não tem como ser diferente.

– Naturalmente, além disso, é perfeitamente possível (e talvez seja até o de longe mais provável) que a mensagem divulgada no ano 2000 seja mesmo o texto integral que a vidente enviou décadas atrás para Roma. O argumento do Card. Bertone é de se levar em conta (a menos, é claro, que se dê crédito à hipótese da Ir. Lúcia impostora):

Foi posta em dúvida a veridicidade da publicação integral do terceiro segredo por ela escrito por ordem do Bispo; pois bem, se a verdade fosse diferente poder-se-ia ver nos (sic) milhares de cartas de resposta que Lúcia, empenhada várias horas por dia no seu escritório pessoal, escrevia aos fiéis que a interpelavam de todas as partes do mundo.

– Independente de qualquer coisa, a aparição de Fátima — mesmo sendo uma aparição portentosa — detém o status de revelação privada e, portanto, nem acrescenta nada à Revelação encerrada com a morte do último apóstolo, nem é necessária à salvação de ninguém e, aliás, nem mesmo se lhe exige o assentimento da Fé. Uma eventual «perda» de um pedaço da Mensagem, assim, conquanto seja uma coisa profundamente de se lamentar, não infirma a indefectibilidade da Igreja Católica nem põe em risco a salvação das almas senão muito circunstancialmente.

– O manuscrito divulgada pelo Stilum Curiae, salvo grave engano, apareceu pela primeira vez no Tradition in Action. Em 2010. Foi «enviado por um de nossos leitores de Portugal», como a própria matéria afirma — a fonte é portanto apócrifa. Soa meio inverossímil e extemporâneo que a Ir. Lúcia escrevesse, em 1944, sobre o «reinado de Juan Pablo II» quando o primeiro Papa com nome duplo da história da Igreja só surgiu em 1978. Além do quê, esse negócio de transferir «a pedra angular da tumba de Pedro (…) para Fátima» não tem lá muito fundamento teológico, porque o que faz o Papa ser Papa é a sua condição de Pastor Supremo da Igreja e não o lugar onde se encontra pedra sepulcral alguma: durante o cativeiro de Avignon, por exemplo, o Papado estava na França conquanto a «pedra angular da tumba de Pedro» se encontrasse ainda no centro de Roma onde sempre esteve. Enfim.

– Tanto pelas circunstâncias em que apareceu, assim, quanto pelo seu conteúdo, é legítimo a qualquer um duvidar da autenticidade desse manuscrito.

– Finalmente, não se pode perder de vista os aspectos reconhecidamente incontroversos da mensagem de Fátima (e é este o maior risco que se corre quando se começa a dar crédito às mais desencontradas teorias sobre a ocultação do terceiro segredo):

  • é preciso rezar o Rosário todos os dias;
  • a devoção ao Imaculado Coração de Maria salva os pecadores do Inferno;
  • a comunhão reparadora nos primeiros sábados afasta a vingança de Deus pelos crimes do mundo;
  • «por fim o meu Imaculado Coração triunfará».

– Essas coisas, sim, estão ao nosso alcance fazer — e, exatamente por isso, elas são importantes para nós, elas são aquilo que a Virgem Santíssima nos pede. Nada podemos fazer pela recuperação de algum pretenso fragmento perdido da mensagem dos pastorinhos da Cova da Iria; definitivamente, isto não nos será cobrado! Agora o terço diário, sim, nós podemos rezar. Sempre que pensarmos em Fátima, portanto, mais do que com segredos e polêmicas, deveríamos nos preocupar é com a oração e a penitência que devemos fazer.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

6 thoughts on “Ainda o terceiro segredo de Fátima

  1. Vinicius

    Bastante coeso, Jorge! Essa história de uma falsa Irmã Lúcia chega a ser ridícula. Mas eu tenho uma dúvida: Sempre me perguntei por que o Segredo de Fátima era um segredo. O que há de tão perigoso no texto que as pessoas não pudessem saber imediatamente na época de sua revelação?

  2. Basto

    O terceiro segredo publicado no ano 2000 é verdadeiro, aliás foi até autenticado através de perícias forenses.
    http://visao.sapo.pt/lusa/investigadora-de-coimbra-assegura-autenticidade-de-manuscrito-de-lucia-sobre-fatima=f760946

    Para além disso, parece ser um documento completo, pois começa com uma introdução e acaba encerrado com a data da sua redação.

    Do meu ponto de vista, talvez faça mais sentido perguntarmos pelo resto do 2º segredo, a continuação das palavras da Virgem: «Em Portugal se conservará sempre o dogma da fé, etc.» que ainda faziam parte do “2º segredo”. Nesse caso ninguém teria propriamente mentido mas apenas omitido uma parte do texto que, provavelmente, entre outras coisas, deve explicar o significado da visão do 3º Segredo.

    Deste modo, parece-me mais do que evidente que existe um texto não publicado do segredo de Fátima, independentemente do nome que lhe queiram dar. Como poderíamos explicar, entre outras coisas, a existência de dois envelopes idênticos?
    https://odogmadafe.wordpress.com/2016/03/20/o-3o-de-fatima-ou-resto-do-2o/

    Já agora, e se me permite, estou convencido de que esse documento agora em análise, publicado já há vários anos por um grupo sedevacantista, é falso por várias razões, entre outras, parece-me que tem algumas nuances de português brasileiro.

  3. Jorge Ferraz (admin) Post author

    Para Roberto De Mattei, da Fundação Lepanto, não é a direita que se opõe ao papa, mas é a esquerda que quer torná-lo um símbolo. “Os movimentos de esquerda querem fazer dele um anti-(Donald)Trump porque não dispõem de outras pessoas carismáticas.”

    É a voz da razão.

Deixe um comentário: