Um conto de Carnaval

No temor de pedi-lo e na glória de tê-lo… No gozo de prová-lo e na dor de perdê-lo… No contato desfeito e no rumor já mudo… No prazer que passou… Nesse nada que é tudo. (Arlequim) * * * É tão doce sonhar!… A vida , nesta terra, vale apenas, talvez, pelo sonho que encerra. (…) não tocar a que se ama e deixar intangida aquela que resume a nossa própria vida. (Pierrot) * * * Pudesse eu repartir-me e encontrar minha calma dando a Arlequim meu corpo e a…

Read more