Teoria da Evolução

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 2 dias atrás.

Já que os leitores do Deus lo Vult! estão discutindo sobre a Teoria da Evolução em um post que não tem nada a ver com o assunto, eu sugeriria a transposição da discussão para cá. Como “inspiração”, trago a figura abaixo, retirada do Haznos.org. É pesada, mas é um .gif muito bem feito.

evolution

Notem o detalhe: o homem está “fora” da cadeia evolucionista, pois já aparece caçando os búfalos…

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

152 thoughts on “Teoria da Evolução

  1. José

    Caro Jorge

    “Nosso Senhor pode [pode?] ter DNA haplóide. Pode ter uma “porção dupla” do DNA de Nossa Senhora. Deus pode ter simplesmente criado “ex nihil” a outra metade do DNA dele.”

    Respondendo à tua pergunta entre colchetes, cumpre em primeiro lugar frisar que a Encarnação do Verbo é um grande mistério revelado por Deus, mas não em detalhes. Portanto, em nível de detalhes, não podemos mais do que imaginar meras hipóteses, e pouco prováveis.

    Pessoalmente, tenho a impressão de que as duas primeiras hipóteses que você propõe não são verossímeis porque chocam-se com o que São Paulo diz em Hebreus 2,17; 4,15. Tenho eu a impressão de que de um homem com genoma haplóide, ou então diplóide mas 100% homozigoto (e o que é pior, com genótipo XX porém fenótipo masculino!), não se poderia dizer que assumiu a natureza humana em tudo exceto somente no pecado, pois todos os demais homens são diplóides e, no nosso caso (varões, onde Jesus Se inclui), temos cromossomos sexuais XY.

    Quanto à terceira hipótese (criação “ex nihil” de metade do DNA de Jesus), choca-se com Gálatas 4,4, que diz que Jesus nasceu DE mulher, e não somente gerado EM uma mulher, portanto 100% do corpo humano de Jesus foi formado, pela ação do Espírito Santo, a partir da humanidade de Maria Santíssima.

    A hipótese que eu particularmente imagino, sem contudo ousar afirmar que tenha sido exatamente deste modo que o Divino Espírito Santo formou, a partir do corpo de Maria, o de Jesus, é a seguinte: a duplicação do DNA é feita por várias enzimas (girase, polimerase e várias outras) num sistema extremamente complexo onde se visualiza um pouco da inimaginável sabedoria de Deus. Separam-se as duas fitas, se não me falha a memória por ação da DNA-girase, e depois a polimerase usa cada fita original como “molde” para montar as novas fitas complementares. E essa montagem é feita – aqui é que está o ponto importante – a partir de nucleotídeos pré-existentes na célula. Assim, quando a polimerase encontra, na fita molde, um nucleotídeo com adenina, coloca na fita complementar um nucleotídeo com timina, e assim por diante. Isso nas duplicações de DNA naturais.

    Mas o que o Divino Espírito Santo fez em Maria, fazendo-a conceber Jesus, foi sobrenatural. Na ordem natural, a meiose completa-se após a penetração do espermatozóide, transformando-se o ovócito em óvulo, em seguida ocorre a fusão dos núcleos e o óvulo se transforma em zigoto, inciando-se a vida humana. A hipótese que imagino é que o Espírito Santo primeiro fez com que um ovócito de Maria completasse sua meiose mesmo na ausência do espermatozóide, obtendo assim um óvulo de 23 cromossomos. Depois, talvez Ele tenha ordenado que os nucleotídeos, já existentes no óvulo e que poderiam ser usados pelas enzimas para fazer fitas complementares de DNA previamente separado, se organizassem em novos 23 cromossomos, sem a participação de enzimas e sem a mínima necessidade de molde. Um desses 23 cromossomos formados por ordem do Espírito Santo a partir de nucleotídeos pré-existentes no óvulo foi o cromossomo Y, que corresponde ao genótipo masculino.

    Fundamentos desta hipótese: a “segunda metade”, de acordo com esta hipótese que imaginei, teria sido formada por nucleotídeos pré-existentes no óvulo de Maria, logo Deus não deu sua contribuição com criações a partir do nada, mas simplesmente moldando a matéria pré-existente, em conformidade com o ensinamento de Gálatas 4,4. Seria blasfêmia imaginar que Deus não possa fazer algo que meras enzimas, criadas por Ele, podem; ou que Ele, cuja Sabedoria (que identifica-se com Jesus conforme I Coríntios 1,23-24; Sabedoria 9,18) se apresenta como “artífice” (Provérbios 8,30), tivesse a necessidade de algum molde de qualquer espécie.

    Se essa hipótese tiver alguma semelhança com o que de fato o Espírito Santo fez na Encarnação do Verbo, então Jesus de fato tomou “de Maria” Sua natureza humana, como diz São Paulo em Gálatas 4,4; e não tem nenhuma extravagância (como genótipo haplóide ou 100% homozigoto) que acrescentasse à Sua natureza humana alguma outra exceção além daquela única apresentada em Hebreus 4,15, ou seja, o pecado, única coisa que Jesus não tem em comum conosco.

  2. José

    Mas eu cheguei aqui foi pesquisando no Google para tentar entender se os neandertais descendem ou não de Adão, e se têm ou não alma espiritual e imortal…

    Só que aí vi essas colocações sobre o genótipo de Jesus, e resolvi dar meu pitaco…

    Abraço, na paz do Senhor!