Santa Faustina, sofrimento, sentido

[FonteContra o Aborto]

“Hoje desejei tão ardentemente rezar uma Hora Santa diante do Santíssimo Sacramento; no entanto, outra era a vontade de Deus. Às oito horas, comecei a sentir dores tão violentas que tive de me deitar imediatamente. Fiquei me contorcendo nestas dores por três horas, isto é, até às onze da noite. Nenhum remédio me ajudou, e vomitava tudo que engolia. Em certos momentos, essas dores me faziam perder a consciência.

Jesus deu-me a conhecer que, dessa maneira, participei da Sua agonia no Jardim das Oliveiras e que Ele mesmo permitiu esses sofrimentos para desagravar a Deus pelas almas assassinadas nos ventres de mães perversas. (…) Agora compreendo que sofrimento é esse, porque o Senhor me deu a conhecer… No entanto, quando penso que talvez algum dia ainda tenha que sofrer dessa maneira, tremo de terror, mas não sei se ainda alguma vez vou sofrer desta maneira; deixo isso a Deus. O que Deus quiser enviar-me, aceitarei tudo com submissão e amor. Oxalá eu possa salvar, com esses sofrimentos, ao menos uma alma do homicídio.”

Santa Faustina, Diario, 1276

“Hoje desejei tão ardentemente rezar uma Hora Santa diante do Santíssimo Sacramento; no entanto, outra era a vontade de Deus. Às oito horas, comecei a sentir dores tão violentas que tive de me deitar imediatamente. Fiquei me contorcendo nestas dores por três horas, isto é, até às onze da noite. Nenhum remédio me ajudou, e vomitava tudo que engolia. Em certos momentos, essas dores me faziam perder a consciência.

Jesus deu-me a conhecer que, dessa maneira, participei da Sua agonia no Jardim das Oliveiras e que Ele mesmo permitiu esses sofrimentos para desagravar a Deus pelas almas assassinadas nos ventres de mães perversas. (…) Agora compreendo que sofrimento é esse, porque o Senhor me deu a conhecer… No entanto, quando penso que talvez algum dia ainda tenha que sofrer dessa maneira, tremo de terror, mas não sei se ainda alguma vez vou sofrer desta maneira; deixo isso a Deus. O que Deus quiser enviar-me, aceitarei tudo com submissão e amor. Oxalá eu possa salvar, com esses sofrimentos, ao menos uma alma do homicídio.

Santa Faustina, Diario, 1276

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

4 thoughts on “Santa Faustina, sofrimento, sentido

  1. ecclesiammeam.blogspot.com

    Aproveito para anunciar meu novo blog, do qual vários seminaristas, do Brasil inteiro, contribuem com suas reflexões filosóficas e teológicas. Fizemos isso, movidos pelo pedido de nosso querido Pastor, Bento XVI que impulsiona a Evangelização pelos meios de comunicação. Agradeço as visitas. Também convido a todos anunciarem, a fim de que a Boa Nova de Jesus possa se expandir ainda mais pelos meios de comunicação.Aqui vai nosso blog: ecclesiammeam.blogspot.com

  2. karina

    Não sou santa, mas quantas vezes já chorei na beira do bercinho do meu filhos pela dor no coração em pensar nas mães que matam seus pequenos, nos pais que abandonam suas crianças, na sociedade que trata esses pequeninos como algo repugnante que merece ser descartado da nossa convivência.

    Dói demais, dói o corpo, dói o coração, dói a alma. Mas eu me refaço e peço a Deus que aquele choro chegue como uma prece aos ouvidos de uma mãe prestes a cometer uma loucura. E vou me tranquilizando à medida que penso que ao menos uma mulher há de deixar Deus tocar seu coração.

  3. Pingback: Madredeus – Oxala Oxalá (Hoping) | Abraço - abraços e beijos