Deus e o mal

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 3 meses 11 dias atrás.

Já conhecia a história abaixo, mas não em vídeo. E também nunca a tinha visto atribuída a Albert Einstein. Em todo o caso, ainda que seja apócrifa, é uma mensagem perfeitamente correta. É a conclusão à qual chegou Santo Agostinho, contra os maniqueus: só existe Deus, sumamente bom. O que chamamos de “mal” é uma ausência – de perfeição, de ser, de ordem, em uma palavra, de Deus.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

8 thoughts on “Deus e o mal

  1. Pedro M

    Esse garoto tá meio novinho para dar respostas tão inteligentes e contundentes (mesmo sendo o Einstein, hehehe).

  2. Lucio

    Não estou vendo refutação ao ponto apresentado na postagem acima. Bela tentativa de espantalho, mas não.

  3. Lucio

    [quote]na postagem acima.[/quote]

    Arrume-se para “na reportagem inicial”.

  4. Pedro A

    O engraçado, seu Renato Gurgel, é que eu não consigo ficar feliz com a desgraça alheia, como parece ser o seu caso e o tantas pessoas “sadias”.

  5. Pingback: Tweets that mention Deus lo Vult! » Deus e o mal -- Topsy.com

  6. Pedro M

    Xará: é claro que ateus e anticlericais ficam felizes com a desgraça alheia, e ainda se acham certos. Ao contrário, se o mesmo acontece com eles, invertem o julgamento e continuam se achando certos. Isso é o efeito da falta de moral.

    Não sei como a cabeça deles não explode com tanta contradição. Ah, sim: eles não são racionais mesmo, a lógica não faz diferença alguma…