Verba volant, scripta manent

closeAtenção, este artigo foi publicado 6 anos 4 meses 12 dias atrás.

O título deste post é um antigo provérbio latino. Significa “as palavras voam, [mas] os escritos permanecem”. O reverendíssimo padre Alex Cordeiro, que publicara na semana passada um artigo em seu blog no qual atacava violenta e injustamente o padre Paulo Ricardo, resolveu “dar sumiço” no seu post após eu ter respondido aqui aos seus impropérios. Mesmo dizendo expressamente que não retira o que disse (como pode ser visto no tweet acima), quis apagar os registros do que dissera contra um seu irmão no sacerdócio. Quis eliminar os escritos (que permanecem), para deixar as palavras voarem e se perderem – após terem provocado todo o mal-estar que provocaram. O padre falou, falou, falou… e agora parece não querer escutar.

E isto não é justo. O estrago feito pelo péssimo artigo do pe. Alex foi público, e não pode simplesmente ser “apagado”, assim, como se nunca houvesse acontecido. As pessoas precisam assumir a responsabilidade por aquilo que dizem e fazem. Outrossim, se o sacerdote mantém tudo o que disse, não existe razão para esconder o artigo que deu origem à polêmica.

Mas, na internet, verba non volant. O cache do Google ainda mantém a página que foi tirada do ar. E, mesmo após a sua remoção, foi possível recuperar o artigo do pe. Alex que respondi anteriormente. Se a palavra proferida não tem volta, como diz o adágio, muito menos o tem o post publicado. Abaixo, segue um printscreen do artigo da forma como ele estava ainda hoje pela manhã, antes do sacerdote resolver fazê-lo desaparecer. O registro é necessário por questões de justiça e transparência. Segue, na íntegra:

Para terminar, a pequena galeria abaixo é um ligeiro apanhado do Twitter do padre (agora protegido), ao longo do dia de hoje, em sucessivas crises de caridade, de bom trato e de diálogo fraterno com as pessoas que cometeram o único crime de discordar das suas palavras agressivas contra um zeloso sacerdote católico – palavras nas quais ele, felizmente, não conseguiu dar o sumiço que desejara.

“Ratos”, “fariseus”, “doentes” e “raça de víboras” são alguns dos caridosos epítetos que o pe. Alex Cordeiro reserva para aqueles que ousam contrariá-lo e oferecer a resposta devida ao seu artigo mesquinho que tanta confusão e perplexidade provocou entre os fiéis católicos nos últimos dias. Não é uma atitude cristã atacar violenta e publicamente um sacerdote católico e, depois, não aceitar críticas. Não é uma atitude cristã despejar tantos xingamentos contra aqueles que discordam de suas atitudes e que jamais fizeram manifestações públicas que justificassem esta reação histérica. Não é uma atitude cristã jogar coisas na internet e, depois, procurar escondê-las, fazendo-se de vítima e buscando deixar o dito pelo não dito. Após tudo isso, que cada um possa julgar por si próprio se o lobo é mesmo o pe. Paulo Ricardo ou se, ao contrário, o lobo não está disfarçado de Cordeiro.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

38 thoughts on “Verba volant, scripta manent

  1. humanitatis

    Leniéverson, só destaquei que nada tenho contra a dona Andreia. Lamento apenas o que ocorre em certas dioceses do sul do país, a revelia do Papa e do Magistério.

    Abraço!

  2. Leniéverson Azeredo

    Sim, Humanitatis, mas em momento algum no meu “comment” anterior eu disse algo a respeito da Andreia.Apenas quis repercurtir o que aconteceu em na Diocese de Caxias do Sul.Outra diocese gaucha tem sofrido muita pressão para subverter o diretório pastoral litúrgico-sacramental.Trata-se da diocese de Santa Cruz do Sul, lá um casal chegou a trocar de denominação cristã, depois que a referida diocese não permitiu o casamento fora de um templo religioso por dizerem que seria mais viável pois tinham convidados hospedados em hoteis que estavam longe do templo.O casal chegou até contratar uma advogada para pressionar.Vejam matéria completa no link abaixo.
    http://www.gaz.com.br/noticia/272341-casar_no_religioso_mas_fora_da_igreja_nem_sempre_pode.html

  3. TADEU

    no anos de1970 a teologia da libertação foi quem criou divisaõ em nossa igreja dividindo-a em classes foi um tempo muito dificel para a igreja no Brasil muitos teologos com tendencia maxista e muitos padres realmente tinham a terra como ma~e dos pobres . ate um bairro foi lhe posto o nome de Filhos da Terra. Sabemos que Deus e quem governa o Universo e nada acontece sem sua permissao estudos feitos mostra que a terra esta esfriando ao contrario do que dizem. Portanto essa conversa de aquecimento não cola

  4. Pingback: Deus lo Vult! - Retrospectiva 2011 | Deus lo Vult!

  5. Rafael Coelho

    Nossa, esse site é católico? Tem certeza?
    Quanta maldade e ironia!