Médicos brasileiros não querem ser aborteiros – Ministra das Mulheres diz que é preciso pôr “outra pessoa no lugar”!

closeAtenção, este artigo foi publicado 5 anos 5 meses 8 dias atrás.

Foi com um certo alívio que eu soube desta crítica da Ministra Eleonora Menicucci aos médicos que se recusam a fazer o aborto alegadamente legal. Ao que parece, a maior parte dos médicos ainda não eliminou por completo todos os resquícios da própria consciência e, portanto, ainda se recusa a realizar procedimentos abortivos – mesmo que digam ser legais.

O povo brasileiro é contra o aborto, e esta realidade se manifesta nos mais diversos meios: as pesquisas o demonstram, as urnas o atestam (basta ver como a sra. Rousseff perdeu em 2010 um primeiro turno (que já estava certo) tão-logo a questão do abortismo do PT entrou no debate eleitoral), as mulheres (mesmo as que já abortaram!) o revelam, os médicos (que se recusam a ser aborteiros) o demonstram. É como se, por todos os lados, a rejeição ao aborto precisasse transparecer com clareza a fim de que não reste dúvida razoável sobre o assunto. No entanto, mesmo assim, o Governo do PT continua tentando implantar esta prática criminosa no país!

A “lógica” deste governo é a seguinte: se o povo não aceita o aborto, é preciso reeducar o povo. Se as mulheres não querem abortar, é preciso induzir-lhes (coagi-las até!) a abortarem. Se os médicos não querem ser aborteiros, é preciso – disse dona Eleonora – “que esses serviços coloquem outra pessoa no lugar”. Ora, está demonstrado para além de qualquer possibilidade de dúvidas que a população brasileira é abertamente resistente às políticas macabras que o Governo do PT vem implantando no nosso país! É incrível como os nossos governantes teimam em honrar os seus compromissos escusos – assumidos com fundações internacionais e frontalmente contrários à vontade manifesta do povo brasileiro – ao mesmo tempo em que têm a cara de pau de posar de governo democrático perante a opinião pública.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

6 thoughts on “Médicos brasileiros não querem ser aborteiros – Ministra das Mulheres diz que é preciso pôr “outra pessoa no lugar”!

  1. Pingback: U$ 36 milhões para “serviços de aborto” no Brasil « Vida sim, aborto não!

  2. Pasant_99

    A lógica de qualquer país democrático seria a de aceitar a vontade da maioria. Isso mostra que nosso país deixou de ser democrático. Estamos sendo governados há tempos por comunistas.

  3. Hugo

    Pelo menos quando a lei que discriminaliza o aborto passar, teremos poucos abortos uma vez qque o povo é contra o aborto.

  4. Pingback: ATENÇÃO cidadãos pró-vida! Ato público em defesa da vida e pela criação da CPI do Aborto

  5. LILIAN CRISTINA DE CLARIS

    O DESEMPREGO VAI DIMINUIR.
    IRÃO ABRIR CURSOS NÃO DE PARTEIRAS, MAIS DE ABORTEIRAS.
    A MINISTRA VAI SER A PROFESSORA JÁ QUE APRENDEU A FAZER ABORTO EM CUBA E FEZ ESTÁGIO NELA MESMA E EM OUTRAS MULHERES, COMO PODE AINDA ESTAR NO CARGO?
    UMA ASSASSINA? UMA HOMICIDA? UMA BANDIDA?
    CADÊ OS CARAS PINTADAS QUE PUSERAM O COLLOR PRA CORRER?
    TEMOS QUE TIRAR ESTA MINISTRA A CHUTES E PONTAPÉS E JUNTAMENTE COM ELA SUA AMIGUINHA DE CADEIA, DILMA.
    CADÊ OS QUE NÃO VOTARAM NA DILMA? VAMOS TIRAR ESSES ASSASSINOS DO PODER, O COLLOR POR IMENSAMENTE MENOS FOI EXPULSO E ESSAS ASSASSINAS NÃO SÃO EXPULSAS PORQUE?

  6. Pingback: ATENÇÃO cidadãos pró-vida! Ato público em defesa da vida e pela criação da CPI do Aborto