Seminário LGBT propõe a “desconstrução da cultura judaico-cristã”

closeAtenção, este artigo foi publicado 4 anos 9 meses 27 dias atrás.

Vejam o vídeo abaixo. Trata-se da fala do sr. Marcio Retamero, da “Igreja da Comunidade Metropolitana Betel”, proferida (no dia 15 de maio de 2012) no IX Seminário LGBT no Congresso Nacional. Foi transmitida pela TV Câmara. Começa a ficar legal lá pelos 2 minutos.

O sujeito usa clergyman, uma Cruz Peitoral, carrega uma bíblia e se diz teólogo. Provavelmente exerce alguma função de liderança lá na seita dele. E diz algumas coisas sobre o Movimento Gay com uma sinceridade assustadora. Ouçam lá! Transcrevo uma pequena parte do discurso dele:

Eles têm um poder de projeto, os fundamentalistas religiosos, esses desgraçados, eles tem um poder político de projeto que só tá se consolidando!

[…]

Mas eu sei que eu tô disposto a pegar em armas se preciso for (risos). Se se instalar uma teocracia no Brasil… (…) Eu quero dizer ao Jean [Wyllys] que tô aqui pra te ajudar também [n]a dessacralização do casamento, viu? Casamento civil igualitário vai dar muito trabalho, porque esta desgraça dessa palavra tá eivada de sentimento cristão.

Concluindo, assim como eu não deixo minha homossexualidade em casa quando vou ao trabalho, ao mercado ou à padaria, o professor que é cristão, que tem uma religião, que professa uma religião, e esta religião tem um discurso performativo, ou seja, ele exige desse professor, desse diretor de escola, desse aluno uma tomada de posição; assim como eu não deixo de ser gay na igreja, na padaria, no Congresso Nacional, esse cara e essa mulher também não deixam de ser cristãos no espaço público, ou na escola.

E é por isso que eu insisto e vou insistir, e eu vou escrever onde eu tiver que escrever, e vou gritar onde eu tiver que gritar: tem que passar pela religião. Tem que passar pela desconstrução dessa base judaico-teológica, essa coisa que nós chamamos de teologia inclusiva, que tem que desconstruir todos esses valores mofados que nós aprendemos até aqui. Sem a desconstrução da cultura judaico-cristã neste sentido positivo – talvez trazer uma nova, um novo tipo de Cristianismo – nós não vamos conseguir.

Eu não tenho nem muito o que comentar, tamanha a clareza com a qual este sujeito profere semelhantes absurdos sem corar de vergonha. Eis aí a confissão nua e crua: o Movimento Gay sabe perfeitamente que os seus objetivos depravados só podem ser conseguidos passando-se pela “dessacralização do casamento”, pela “desconstrução da cultura judaico-cristã” e “[d]esses valores mofados que nós aprendemos até aqui”, por meio de “um novo tipo de Cristianismo” que possa suplantar este que existe aí – que Cristo legou aos Seus Apóstolos e a Igreja ensinou a todos os povos. Todas as aspas são citações literais do sr. Marcio.

Só três comentários:

1. Concordo totalmente com este senhor quanto à necessidade de se eliminar o Cristianismo para que se possa implantar a ideologia gay numa sociedade, posto que as duas coisas são opostas e absolutamente irredutíveis. Só discordo, naturalmente, quanto ao lado em que se deve ficar neste combate.

2. Nenhum político no Brasil se elegeria nem para representante de turma se apresentasse estas barbaridades como plataforma eleitoral; de onde se vê a absurda discrepância entre a população brasileira e a sua “representação participativa democrática” no governo do país.

3. Este é o “Seminário LGBT” – já em sua nona edição! – do qual o sr. Jean Wyllys tanto se orgulha. Eis o que os nossos “representantes” andam fazendo em Brasília! Eis no que é gasto o dinheiro dos nossos impostos!

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

6 thoughts on “Seminário LGBT propõe a “desconstrução da cultura judaico-cristã”

  1. Carlos d'Amore

    Eu não deixo de ser Católico Apostólico Romano em nenhum momento, é claro e isso em acordo com minha ética e educação assim com essa pessoa não deixa de ser sodomítico em nenhuma ação de sua triste existência!

  2. Cristiano Estolano

    O “interessante” (no sentido de curioso) é o sujeito tentar colocar em pé de igualdade a sua boiolice com a fé de alguém… Vê-se logo que o gayzismo é uma nova doutrina, tão ou mais perniciosa que qualquer outra heresia…

  3. Álvaro

    Eu já tinha visto comentários sobre o vídeo em diversos blogs protestantes e católicos.Foi bom o Jorge ter tocado no assunto dos impostos porque o principal argumento deles,inclusive dos meus professores marxistas,é que “os gays pagam impostos e por isso necessitam de ter sua situação civil regularizada” e depois falam do princípio constitucional da igualdade…como lá na faculdade ninguém quer se “queimar” com o professor e ser reprovado ninguém fala nada…

  4. oandarilho01

    Conheci este vídeo pouco depois de gravado. Mergulhei no google imediatamente para descobrir o nome daquele religioso. Senti um ligeiro alívio ao descobrir que se trata de um protestante qualquer.
    Mas como a ideologia gay já está desabrochando no seio da Igreja, é sempre bom reforçar as linhas de defesa. Ofereço meu extenso artigo que refuta o manifesto de um grupo gay ilegitimamente intitulado católico: http://oandarilho01.wordpress.com/2012/05/11/contra-a-apologia-homossexual-pseudo-catolica/

  5. Gustavo

    A intolerância de alguns gays e alguns cristãos é de dar medo. Em vez de cada grupo viver no seu quadrado, ficam forçando uma rivalidade nociva para a sociedade e que não vai levar a lugar algum. Os primeiros não respeitam o direito dos segundos e os segundos lutam contra o direito dos primeiros. São tudo farinha do mesmo saco e que perdem seu tempo num atrito sem sentido e deixam de fazer o bem para o progresso da sociedade.

  6. Pingback: Deus lo Vult!: Restrospectiva 2012 | Deus lo Vult!