Netiqueta – Política de Comentários

Como um blog voltado para a discussão de temas relacionados à Fé Católica, a política do Deus lo Vult! sempre concedeu um lugar privilegiado aos comentários dos leitores. Mais do que representarem um mero apêndice periférico à proposta do blog, os comentaristas desempenham aqui um papel fundamental e de verdadeiro protagonismo, constituinte mesmo daquilo que é e sempre foi este espaço virtual.

Os comentários são, pois, extremamente bem-vindos. São incentivados, até. Encoraja-se a participação dos leitores por meio do espaço próprio de comentários, a fim de que a contribuição deles possa tornar o blog um lugar melhor e mais rico.

Por se tratar de um blog voltado para a Apologética Católica, há (e sempre houve por aqui) comentaristas que discordam das visões apresentadas nos artigos publicados. Esta discordância é considerada sadia, positiva e até mesmo incentivável, ainda quando seja questionável a boa fé dos comentaristas. Por isso, mesmo os leitores não-católicos são bem-vindos para, respeitosamente, entrarem nas discussões e argumentarem em favor das suas posições. Naturalmente, os comentários existem para enriquecer o blog e, portanto, atitudes que estejam na contramão deste objetivo não serão toleradas. Palavrões, blasfêmias e evidente trollismo, p.ex., sempre foram e sempre serão enviados para a lixeira sem maiores discussões. O espaço de comentários existe para que haja debates e trocas de idéias; atitudes que dificultem ou impeçam a realização desta finalidade não são bem-vindas.

Algumas informações de ordem prática:

Desde março de 2012, o Deus lo Vult! utiliza Disqus para suportar os seus comentários. O sistema foi escolhido por disponibilizar funcionalidades interessantes, como facilidade de envio de comentários, criação de profiles, um sistema individual de notificação de atividades e a possibilidade de se encontrar os comentários dos usuários em outros sites na internet que utilizem o mesmo sistema, entre outras.

Por default, os comentários aparecem por ordem de publicação, com os mais recentes no topo. Esta ordem de exibição pode ser alterada pelo usuário por meio da interface: ele pode optar por visualizar primeiro os comentários mais antigos, os mais recentes, os mais populares ou os melhor classificados.

O Deus lo Vult! permite nested comments (comentários em resposta a outros comentários, visualmente exibidos abaixo e à direita do comentário respondido). Por questões de organização da interface, são permitidos até cinco níveis (um comentário original e até quatro respostas), após o que o link de “Responder” deixa de ser exibido. e após isso as respostas subseqüentes ficam com a mesma identação do último nível. Naturalmente, com freqüência são necessárias mais respostas e, para isso, é incentivada a utilização da tag “blockquote” (ver abaixo) em níveis de comentários superiores. Não há limites de comentários por post e nem limite de tempo após o qual os comentários de um artigo são fechados.

O Disqus permite aos usuários registrados que editem os seus comentários. Evitem usar esta funcionalidade; só o façam com extrema parcimônia, apenas para correção de erros tipográficos ou de formatação, ou para adição de informação correlata com a devida indicação de que se trata de um update (escrevendo “EDITADO à tal hora do dia tal” antes do trecho acrescentado, p.ex.). Prefiram acrescentar um novo comentário, a fim de manter a integridade da discussão. Em hipótese alguma alterem o sentido do que foi originalmente escrito (todos os comentários originais ficam armazenados comigo, sendo portanto recuperáveis). A má utilização desta funcionalidade implicará no banimento do usuário. Os comentários que sofreram alteração vêm sinalizados no site, que indica “Editado pelo autor x <tempo> atrás”.

P.S.: Em 22 de setembro de 2012, após alguns problemas técnicos com o DISQUS, o Deus lo Vult! deixou-o de lado e voltou a utilizar o sistema de comentários padrão do wordpress.org.

– Existem algumas diretrizes gerais para o bom andamento das discussões que devem ser seguidas:

  1. seja educado, evite argumentar ad hominem, exercite a paciência com os demais comentaristas;
  2. defenda as suas posições com objetividade, argumentando racionalmente;
  3. assuma a responsabilidade das coisas que você diz;
  4. evite iniciar outros debates quando há outros ainda inconclusos;
  5. procure, na medida do possível, ater-se ao assunto de cada post;
  6. procure condensar tudo o que tem para falar em um único comentário (evitando diversos comentários seguidos);
  7. utilize links para indicar textos maiores, evitando copiá-los e colá-los inteiros nos comentários.

– Os comentários aceitam código HTML. Os mais úteis são os seguintes:

<a> link
<b> negrito
<i> itálico
<s> riscado
<u> sublinhado

<blockquote>

quote longo

<q> quote curto

<code> código de computador
<pre> texto pré-formatado

– Quaisquer dúvidas, não hesitem em perguntar. O Deus lo Vult! agradece a colaboração de todos.

7 thoughts on “Netiqueta – Política de Comentários

  1. Alexandre Magno

    Seguindo recomendação de Jorge, estou continuando discussão usando de hiperligação. A última interação do Jorge comigo, à qual respondo agora, chegou ao quinto nível na thread.

    Movo a discussão para esta página pois ela é off-topic naquele postOs dogmas sem sentido do Espiritismo“. Apontarei este comentário lá, brevemente.

    Jorge, eu não tinha visto esta página da política de comentários. Mesmo tendo lido seu aviso sobre ela, depois eu não notei o link correspondente no final de cada artigo.

    Sim, vejo que você aproveitou várias das minhas sugestões… Obrigado! Não obstante, você não concordou com aquela minha sugestão de comportamento na consideração do disqus. Não há problema algum com isso. Você é o dono do blog! Refiro-me especificamente a isto:

    que os comentadores [comentaristas?] criem comentários nível 1 (raiz) sempre que possível, para cada assunto que possa estar isolado numa discussão própria

    Essa minha sugestão confronta com sua Diretriz Geral n. 6 (acima):

    6. procure condensar tudo o que tem para falar em um único comentário (evitando diversos comentários seguidos);

    Supondo que você não tinha percebido isso, volto a lhe perguntar: como devemos agir em relação a isso? Eu sei que, caso seja seguida a minha sugestão, a quantidade de comentários pode aumentar muito. Isso pode ou não dificultar seu trabalho de moderação. O que nos diz?

  2. Jorge Ferraz

    Na verdade, quando eu redigi o indicativo ao qual tu te referes eu pensava em comentários curtos escritos em rápida sucessão e – não raro – uns corrigindo os outros. É isso o que deve ser evitado.

    Se há razão justificada para a criação de um outro comentário nível 1 (tipo, se o assunto não tem nada a ver com o rumo tomado pela thread, mas é correlato ao post), isto pode ser feito sem problemas. Em tudo o bom senso.

    O problema com a multiplicação de comentários tratando do *mesmo* assunto não é a moderação, mas o acompanhamento da discussão depois.

  3. igor

    Prezados leitores, vamos objetivar as coisas: o articulista Maierowitch é ateu e comunista. Ainda que se diga filho de judeus, seus artigos são reiteradamente desrespeitosos para com a fé judaica e os judeus. Sobre os demais comentários aqui abaixo, creio não ser cristão fazer comentários como “judeu é judeu”, e coisas do gênero. Paro aqui. Não vou opinar sobre a fé de vocês, a qual respeito, inclusive por ter a mesma base que a minha. Apenas convido-os a terem um olhar menos preconceituoso acerca da fé e do povo judeu. Acaso vocês estudem com alguma curiosidade a religião e a ética judaica, verão que temos muito mais de convergências do que de divergências, a começar – mas não só – do “Amar D.us sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”. Fiquem com a paz do Altíssimo.

  4. Navarro

    Jorge Ferraz:
    A respeito do artigo “A quem interessa exigir a “posição oficial” da Igreja a respeito de tudo?” considero importante separar o papel da CNBB e o papel da Igreja Católica Apostólica Romana.
    A CNBB manifestou-se claramente pela reforma política do PT o que é coerente com não se manifestar pelo impeachment. Isto é, a CNBB tomou posição sobre o assunto e tem lado: o mesmo lado da organização PT. No entanto, concordo com você a respeito de que a Igreja (se fosse representada pela CNBB) não deveria manifestar-se sobre assuntos “menores”.
    Navarro

  5. EDISON MADRUGA MARTINS

    Prezado Sr. Jorge Ferraz,
    seu blog é excelente e parabéns pela iniciativa.
    Que o Bom Deus continue protegendo-o e iluminando-o.
    Edison Madruga Martins

  6. Márcio Rodrigo

    Nem pensem em deixar o blog inativo!
    Parabéns pelo trabalho.
    Paz e bem!

Deixe um comentário: