Bebê ameaçado de morte

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 11 meses 10 dias atrás.

Renata tomou a vacina de rubéola no último dia 9, dentro da Campanha Nacional de Vacinação contra a doença, que termina no próximo dia 12 (sexta-feira), sem saber que estava grávida (…) e não quer nem pensar na possibilidade de ter um filho com algum tipo de má-formação. Por isso acredita que o aborto é a melhor opção.

– Quando descobri que estava grávida, procurei uma médica num posto de saúde. Ela me disse que os riscos de o bebê nascer com problemas são muito pequenos, e me encaminhou para o pré-natal de alto risco. Mas eu não quero ficar me torturando durante nove meses para ver se a criança é normal. Não me perguntaram se eu estava grávida na hora de tomar a vacina. A campanha na televisão não falava nada sobre isso. Só me perguntaram se eu tinha alergia a ovo. Vou procurar uma clínica clandestina.
[O GLOBO, 09 de setembro de 2008 – grifos meus]

A vacina anti-rubéola não apresenta problemas se for aplicada em gestantes, diz a mesma matéria d’O GLOBO e também o site oficial da campanha de vacinação (q. 28). A informação não convence quem leia a questão seguinte (a q. 29) ou quem gaste um tempinho procurando na internet:

A única contra-indicação [da vacina contra a rubéola] é para mulheres grávidas ou com suspeita de gravidez.
(Diário de Natal, 10 de setembro de 2008)

Embora nenhum defeito congênito tenha sido relatado em mulheres que fizeram a vacina  [anti-rubéola] durante a gestação, não é aconselhável a vacinação durante a gravidez, devido aos riscos teóricos por tratar-se de vírus atenuados.
(“Gravidez Segura” – UFRGS)

Caso a mulher não esteja imunizada, ela deve receber essa vacina [anti-rubéola] e não engravidar até seis meses após sua aplicação. A vacina não deve ser aplicada na gestante.
(G1, 31 de agosto de 2008)

No entanto, o [maior] problema não é tanto a irresponsabilidade do Ministério da Saúde em não avisar que a vacina é contra-indicada para as mulheres que estão grávidas (e, neste sentido, a queixa da Renata é justa); o que é revoltante é uma mulher dizer na imprensa nacional que vai matar o seu filho, procurando uma clínica de aborto clandestina, e ninguém fazer nada!

Assassinato de crianças é crime. A Renata diz publicamente que vai cometer um crime. A esta altura, pode ser até que já tenha cometido. E vai ficar tudo por isso mesmo? Perdeu-se completamente o senso moral, a ponto de uma mulher chegar à imprensa para dizer que vai abortar? Revoltante. Peço a todos uma ave-maria pelo bebê que corre risco de vida. E mais uma pela mãe assassina. Que Deus tenha misericórdia de nós.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page
Tagged on: , ,

4 thoughts on “Bebê ameaçado de morte

  1. Ivan F Filho

    Abortar é matar. A vítima é sempre um ser humano (bebê) indefeso e inocente.
    O DOM DA VIDA
    A vida humana começa no momento da concepção, momento sagrado em que Deus dá a vida a um novo ser humano.
    Com apenas 18 dia após a concepção o pequeno ser humano já possui um coração bombeando sangue a todo seu frágil corpinho e um cérebro que começa a se especializar cada vez mais. com apenas 8 semanas (quase 2 meses), o bebê já possui todos os sistemas corporais funcionando, até mesmo impressões digitais. MÃE, SEU BEBEZINHO possui um coração, possui um cérebro, possui uma alma, tem sentimentos, emoções como qualquer outro bebê já nascido e é SEU FILHO(A), inocente e indefeso. MÃE, AME SEU FILHO(A) E PROTEJA-O
    “NÃO MATARÁS“
    Abortar é matar covardemente um bebezinho em gestação, frágil, indefeso e inocente.
    Deus é quem dá a vida a cada ser humano desde o primeiro instante da concepção e ninguém tem o direito de matar uma vida humana inocente.
    Deus é misericordioso mas é também justo e não deixará de exercer Sua Justiça. Deus pedirá contas de todo sangue inocente derramado. E assim como existe o Paraíso existe também o inferno, ambos são eternos, para sempre. O crime do aborto, além de matar um inocente, pode levar as almas dos culpados à perdição eterna no inferno. MÃE, AME E PROTEJA SEU FILHINHO(A). SE NÃO QUER ASSUMÍ-LO DOE-O PARA ALGUEM QUE QUEIRA MAS NÃO O MATE! Tantos pais gostariam de ter filhos e não conseguem engravidar! MÃE, não se preocupe, confie em DEUS e busque sempre a vontade dEle que Ele providenciará o que for preciso.

  2. Beth Braga

    Estou sofrendo por antecipação! Engravidei 3 dias após ter tomado a vacina da rubéola. A irresponsabilidade do ministério da saúde e das enfermeiras é tanta, que não publicaram nem me avisaram que teria que esperar um tempo para engravidar. Hoje, perturbada e com medo que a criança nasça com problemas, pergunto: como poderei criá-la e dar confortos especiais com um salário de professora do estado de Minas Gerais? Mas acredito muito em Deus e nem penso em aborto! Pois assassinar um ser indefeso que ainda nem viu a luz do dia, é o pior dos crimes! Espero que a criança seja saudável. E espero que os governantes preocupem mais em divulgar informações de conscientizaçao pela saúde e pela vida pensando nas consequências possíveis e não somente em marketing de campanha política! Lembrem -se, a justiça divina irá lhe cobrar isso um dia! Isso é certo.

  3. Jorge Ferraz

    Caríssima sra. Beth Braga,

    A senhora não precisa se preocupar. Na verdade, não há evidência alguma de que as mulheres grávidas que tomaram a vacina contra a rubéola, ou que engravidaram pouco tempo após tomá-la, venham a ter filhos com problemas.

    Faça os seus exames pré-natais normalmente, e confie em Deus, que tudo dará certo. Na verdade, as mães que cogitam assassinar os seus filhos por uma possibilidade de que eles “venham a nascer com problemas” são demônios transvestidos de mulheres, indignas do nome de “mãe” que carregam. Rezemos por estas.

    Que Deus abençoe a senhora e sua família.

    Abraços,
    Jorge

  4. Guiomar Soares

    o aborto não é a opção certa para uma mulher e nem para ninguém, pelo contrário,ela está cometendo um grave pecado sem direito ao perdão. por matar um ser humano.