Nossa Senhora das Dores

Como era certa aquela intuição da bela figura espiritual francesa de Dom Jean-Baptiste Chautard, aquele que na “Alma de todo Apostolado” oferecia ao fervoroso cristão freqüentes encontros de olhar com a Virgem Maria! Sim, procurar o sorriso da Virgem Maria não é mais um piedoso infantilismo. É uma inspiração, diz o Salmo 44, daqueles que são ‘os mais ricos do povo’. Os ‘mais ricos’, entende-se, na ordem da fé, são aqueles que têm a maturidade espiritual mais elevada e sabem, por isso, reconhecer suas fragilidades e sua pobreza diante de Deus. Naquela manifestação muito simples de ternura que é o sorriso, percebemos que a nossa única riqueza é o amor que Deus tem por nós, e que passa através do coração daquela que se tornou nossa Mãe. Procurar este sorriso significa antes de tudo colher a gratuidade do amor; significa também saber suscitar este sorriso com o nosso compromisso em viver segundo a palavra de seu Filho predileto, assim como a criança tenta suscitar o sorriso da mãe, fazendo aquilo que ela gosta. E nós sabemos aquilo de que Maria gosta, graças às palavras que ela mesma dirigiu aos servos de Caná: “Façam aquilo que Ele vos disser”.
[Homilia do Papa na missa com os enfermos,
15 de setembro de 2008
Festa de Nossa Senhora das Dores
]

Após celebrarmos ontem a festa da Exaltação da Santa Cruz, hoje a Igreja celebra as Sete Dores de Maria Santíssima. A Cruz do Senhor, as Dores de Sua Mãe Imaculada. Uma bela seqüência litúrgica, que une o instrumento da nossa Redenção ao sacrifício Co-Redentor d’Aquela que soube unir as Suas Dores à Dor do Seu Divino Filho, em favor de nós.

Por quê, afinal, exaltar a Santa Cruz? Porque a Cruz é o sinal do cristão, e Cristo Crucificado nos ensinou, no alto do Calvário, o valor do sofrimento: fomos curados graças às Suas chagas (Is 53, 5). E por quê, ainda, relembrarmos as Dores de Maria Santíssima? Porque Aquela que Se conformou perfeitamente à vontade do Seu Divino Filho é-Lhe imitadora em tudo – de maneira particularíssima, na Dor. Devemos seguir os passos de Cristo junto com Sua Mãe Dolorosa. Devemos tomar a nossa Cruz a cada dia e seguir Jesus (cf. Mc 8, 34); e a Virgem, Mater Dolorosa, é a primeira a nos ensinar isso com o Seu exemplo. Neste Vale de Lágrimas, chora a Virgem, não pelos próprios pecados, mas pelos pecados dos Seus filhos; a Virgem penitente faz penitência não por Si própria – pois não tem necessidade – mas por aqueles que Ela ama maternalmente. Não conhecemos o suficiente o valor dos sofrimentos desta Senhora Imaculada em nosso favor! Somos duplamente ingratos, esquecendo-nos da Cruz de Cristo ontem exaltada e menosprezando as lágrimas da Virgem hoje vertidas por nós. Maria abraçou com prontidão a Cruz de Jesus Cristo e assumiu sem pestanejar as dores do Seu Filho, embora não tivesse pecados para Se penitenciar; e nós, que temos tantas faltas e tão grandes culpas, com que dificuldade fazemos penitência em nosso favor! Olhemos para a Virgem das Dores; que o amor desta Boa Mãe pelas nossas almas possa fazer com que as valorizemos mais. E que, pela intercessão de Nossa Senhora das Dores, nós possamos, seguindo os passos de Cristo até o Calvário, alcançarmos um dia a Bem-Aventurança Eterna à qual Ele nos chama. Amen.

* * *

Rezemos:

Litaniae Dominae nostrae Dolorum

Kyrie, eleison.
R. Christe, eleison.

Kyrie, eleison.
Christe, audi nos.
R. Christe, exaudi nos.

Pater de caelis, Deus,
R. miserere nobis.

Fili, Redemptor mundi, Deus,
R. miserere nobis.

Spiritus Sancte Deus,
R. miserere nobis.

Sancta Trinitas, unus Deus,
R. miserere nobis.

Sancta Maria,
R. ora pro nobis.

Sancta Dei Genetrix,
R. ora pro nobis.

Sancta Virgo virginum,
R. ora pro nobis.

Mater crucifixa,
R. ora pro nobis.

Mater dolorosa,
R. ora pro nobis.

Mater lacrimosa,
R. ora pro nobis.

Mater afflicta,
R. ora pro nobis.

Mater derelicta,
R. ora pro nobis.

Mater desolata,
R. ora pro nobis.

Mater filio orbata,
R. ora pro nobis.

Mater gladio transverberata,
R. ora pro nobis.

Mater aerumnis confecta,
R. ora pro nobis.

Mater angustiis repleta,
R. ora pro nobis.

Mater cruci corde affixa,
R. ora pro nobis.

Mater maestissima,
R. ora pro nobis.

Fons lacrimarum,
R. ora pro nobis.

Cumulus passionum,
R. ora pro nobis.

Speculum patientiae,
R. ora pro nobis.

Rupes constantiae,
R. ora pro nobis.

Ancora confidentiae,
R. ora pro nobis.

Refugium derelictorum,
R. ora pro nobis.

Clipeus oppressorum,
R. ora pro nobis.

Debellatrix incredulorum,
R. ora pro nobis.

Solatium miserorum,
R. ora pro nobis.

Medicina languentium,
R. ora pro nobis.

Fortitudo debilium,
R. ora pro nobis.

Portus naufragantium,
R. ora pro nobis.

Sedatio procellarum,
R. ora pro nobis.

Recursus maerentum,
R. ora pro nobis.

Terror insidiantium,
R. ora pro nobis.

Thesaurus fidelium,
R. ora pro nobis.

Oculus Prophetarum,
R. ora pro nobis.

Baculus Apostolorum,
R. ora pro nobis.

Corona Martyrum,
R. ora pro nobis.

Lumen Confessorum,
R. ora pro nobis.

Margarita Virginum,
R. ora pro nobis.

Consolatio Viduarum,
R. ora pro nobis.

Laetitia Sanctorum omnium,
R. ora pro nobis.

Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,
R. parce nobis, Iesu.

Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,
R. exaudi nobis, Iesu.

Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,
R. miserere nobis, Iesu.

Respice super nos, libera nos, salva nos ab omnibus angustiis in virtute Iesu Christi. Amen.

Scribe, Domina, vulnera tua in corde meo, ut in eis legam dolorem et amorem: dolorem, ad sustinendum per te omnem dolorem: amorem, ad contemnendum per te omnem amorem.

Credo.

Salve Regina.

Ave Maria.

Ave Maria.

Ave Maria.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

One thought on “Nossa Senhora das Dores

  1. Pingback: Fulton Sheen – Nossa Senhora da Maternidade | O Amor Te Chama