Papa – crise mundial

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 10 meses 16 dias atrás.

Um amigo economista contou-nos que há, na segunda página do caderno de economia do Estado de São Paulo, uma coluna diária com “frases de impacto” curtas proferidas por algum economista ou analista econômico, e que estas frases costumam ser bem selecionadas. Acho que é a esta página que ele se refere. E, na edição de hoje, quem aparece com frase e foto é o papa Bento XVI. A frase é a seguinte:

“A crise financeira mundial mostra que a fé em Deus triunfará sobre a vida destinada à busca da riqueza material”.

Papa Bento XVI, discursando sobre a futilidade dos bens materiais

Interessante! Eu já havia visto na BBC uma matéria relacionada a isso, inclusive com comentários muito bons. Fui procurar a íntegra deste discurso do Santo Padre, e não o encontrei em português; provavelmente, as palavras do Papa foram colhidas desta meditação aos bispos participantes do Sínodo sobre a Palavra de Deus, que foi publicada em forma de reportagem, e não de íntegra. A íntegra está em italiano. No entanto, é curioso notar que o Papa não estava falando sobre crises de mercado, e sim sobre a palavra de Deus, em um comentário ao salmo 118(119). São palavras do Santo Padre [tradução livre]:

No fim do Sermão da Montanha, o Senhor nos fala das duas possibilidades de construir a casa da [nossa] própria vida: sobre a areia e sobre a rocha. Sobre a areia constrói quem constrói somente sobre coisas visíveis e tangíveis, sobre o sucesso, sobre a carreira, sobre o dinheiro. Aparentemente estas coisas são a verdadeira realidade. Mas tudo isso um dia passará. Vemo-lo agora, na quebra dos grandes bancos: este dinheiro desapareceu, não é nada. E assim todas essas coisas, que se parecem com a realidade verdadeira sobre a qual [se] assentam, são realidades de segunda ordem. Quem constrói a sua vida sobre essas realidades, sobre a matéria, sobre o sucesso, sobre tudo aquilo que parece [= que é aparência], constrói sobre a areia. Somente a Palavra de Deus é fundamento de toda a realidade, é estável como o Céu e ainda mais do que o Céu, é a [própria] realidade. Portanto devemos mudar o nosso conceito de realismo. Realista é quem reconhece na Palavra de Deus, nesta realidade aparentemente tão débil, o fundamento de tudo. Realista é quem constrói a sua vida sobre este fundamento que se mantém permanentemente. E, assim, aqueles primeiros versículos do salmo nos convidam a descobrir qual é a realidade e encontrar deste modo o fundamento da nossa vida, como construir a nossa vida.

O triste é encontrar alguns comentários ridículos sobre o assunto na internet, como se as palavras do Papa fossem uma intervenção autoritária e hipócrita em um assunto que não lhe diz respeito, ou como se algumas pessoas estivessem continuamente em “posição de ataque”, procurando qualquer coisa para criticar; porque, francamente, estas palavras do Santo Padre são tais que não deveriam desagradar ninguém que estivesse em seu estado normal. Mas isso a gente deixa pra lá… declinate a me maligni et scrutabor mandata Dei mei (Psalmorum 118, 115).

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page