Aborto no Rio

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 10 meses 8 dias atrás.

Boas notícias: a polícia fechou ontem (segunda-feira, 13 de outubro) uma clínica de aborto no Rio de Janeiro. Ninguém foi preso, porque os funcionários do estabelecimento fugiram pela porta dos fundos quando a polícia entrou, evitando o flagrante; no entanto, aconteceu uma coisa curiosa:

Apesar de não terem feito nenhuma prisão em flagrante [nem] encontrado nenhuma paciente no local, agentes atenderam pelo menos 30 telefonemas de mulheres querendo marcar consultas para abortar. O preço da consulta, segundo a polícia, era de R$ 40 e a cirurgia para a retirada do feto, R$ 450.

Incrível! Não sei quanto tempo os policiais ficaram por lá, mas provavelmente não foi o dia inteiro, e chegaram a atender trinta telefonemas de potenciais assassinas! Quantos abortos será que a clínica realizava por dia? É urgente acabar com tamanha impunidade. O histórico do médico responsável pela clínica – Bruno Gomes da Silva – é o seguinte:

O médico já possui duas passagens pela polícia, pelos crimes de prática de aborto e lesão corporal. Já o pai dele, que também é médico e atende pelo mesmo nome, possui 11 passagens pela polícia.

Kyrie, eleison!

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

0 thoughts on “Aborto no Rio

  1. sandra nunes

    “É urgente acabar com tamanha impunidade.”

    Jorge, vou fazer 52 anos e não conheço nenhum médico e nenhuma mulher que foi pra cadeia pela prática do aborto.

    Amanhã essa clinica será reaberta em outro local…

  2. Frater Henrique, sjs

    Realmente é impressionante esta impunidade em nosso paìs. As pessoas estão cada vez mais gindo de forma inescrupulosa e sem princìpios. E o pior é que tudo acaba em pizza!