Estadão – “Bispo barra manifesto pró-PT”

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 9 meses 29 dias atrás.

O Estado de São Paulo publicou uma interessante reportagem, na qual são colocados os pingos nos i’s sobre o ridículo assunto do manifesto – supostamente assinado, entre outras pessoas, por alguns padres – de apoio à candidata gayzista e abortista Marta Suplicy. Bispo barra manifesto pró-PT é o seu título, e foi publicada na edição de hoje do Estadão. Restam, contudo, ainda algumas dúvidas e interrogações

Um dos principais auxiliares de Lula no Planalto, ele lembrou que a carta, assinada pelo Fórum de Católicos pela Justiça, em Favor dos Mais Pobres, também não expressa a posição oficial da Igreja Católica, mas, sim, de alguns setores.

O tal fórum aparentemente não existe. Não apareceu ninguém que dele fizesse parte para dar declarações à mídia; não tem site, não tem referências no google (agora, após a baderna, deve ter; pelo menos aqui no Deus lo Vult! já tem), não tem CNPJ, não tem nada. Se não for uma mentira pura e simples, parece ter sido criado única e exclusivamente para assinar um manifesto ridículo com o qual ninguém quis se comprometer colocando a própria assinatura. Curioso, não?

“Só lamento que em nenhum momento tenha havido manifestação oficial da Igreja sobre o site de Gilberto Kassab (DEM), que ostenta fotos com bispos e padres”, argumentou Carvalho, numa referência ao prefeito, candidato à reeleição.

Bom, antes de mais nada, que fotos são essas? Não entrei em todas as galerias existentes no site do Kassab, mas não vi a “ostentação” à qual se refere o ex-seminarista. Agora, ainda que haja, se o chefe de Gabinete do sr. Presidente não sabe a diferença entre uma foto (nunca conheci um padre ou bispo que se negasse a tirar uma foto com quem quer que seja!) e um manifesto de apoio explícito, então o esquerdismo dele já está num estágio no qual a cura só pode vir por milagre. A menos, é claro, que haja uma foto de um bispo com um monte de adesivos escritos KASSAB 25 – coisa que eu duvido.

Tanto Mesquita [padre Tarcísio Marques Mesquita] como Carvalho admitiram que Marta enfrenta rejeição de setores da Igreja e de evangélicos por defender a ampliação do direito ao aborto e a união civil entre homossexuais. Ressalvaram, porém, que a prefeitura não cuida desses temas. “Claro que não sou a favor do aborto, mas não discutimos isso. Também não ficamos em celeumas sobre opção sexual. Tratamos de questões mais sublimes, como saneamento básico e centros de saúde”, garantiu Mesquita.

Quero acreditar que haja algum erro gritante nesta matéria, porque simplesmente não sou capaz de conceber um padre dizendo que “saneamento básico e centros de saúde” são “questões mais sublimes” (!!!!) do que aborto e apologia do vício homossexual.

Eu, ao contrário, acredito que os responsáveis por esta palhaçada, se católicos forem, mereciam uma punição exemplar por parte das autoridades eclesiásticas responsáveis.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

0 thoughts on “Estadão – “Bispo barra manifesto pró-PT”

  1. Miriam

    Caro Jorge,

    Aqui está a foto do apoio do Pe. Marcelo Rossi e do Bispo D. Fernando ao candidato Kassab, ainda no primeiro turno. O Kassab estava presente na missa no dia do aniversário, foi chamado ao altar e estranhamente apareceu um bolo para cantarem parabéns. No mínimo inusitada essa coincidência!

    Veja a imagem e a matéria: http://www.kassab25.com.br/noticias/kassab-%C3%A9-homenageado-na-missa-do-padre-marcelo

    Me impressiona a reação violenta de parte dos cristãos contra o manifesto com a argumentação de que o apoio foi a uma candidata abortista. Essa discussão não está em pauta quando se trata da administração da cidade de São Paulo. E mesmo se estivesse, o que reitero não acredito, por que não questionar o fato do atual prefeito ter no quadro de secretários um executivo que, quando deputado, foi um dos autores do projeto de lei nº 1.135/1991 que tinha por objetivo suprimir o artigo 124 do Código Penal que define o aborto provocado como crime? Dois pesos e duas medidas.

  2. Jorge Ferraz

    Miriam,

    Obrigado. Tem razão, os “parabéns” cantados no final de uma missa são inadequados. Não sei com qual freqüência existem “bolos e parabéns” no Santuário Bizantino mas, de qualquer maneira, foi uma atitude inconveniente.

    No entanto, se isso puder ser chamado de “apoio”, você há de convir que o manifesto é incomparavelmente maior e mais explícito.

    E, se apoiar um candidato é errado, apoiar uma candidata gayzista e abortista é escandaloso. Leia, p.ex., o que alguns bispos americanos escreveram sobre a eleição nos Estados Unidos:

    «Não importa quanta razão tenha um candidato sobre estes temas [como os imigrantes, a assistência à saúde, a economia, o cuidado e a preocupação pelos pobres, a guerra e o terrorismo], se não superar a posição inaceitável a favor de um mal intrínseco, como o aborto ou a proteção dos direitos do aborto».

    Sobre “o fato do atual prefeito ter no quadro de secretários um executivo que, quando deputado, foi um dos autores do projeto de lei nº 1.135/1991”, desconheço. Se isto existe, tal fulano é condenável. Com a mesma medida que a Marta é condenável.

    Abraços,
    Jorge

  3. Rubens

    Jorge, concordo com a Miriam: a questão do aborto não está colocada em pauta para a prefeitura de São Paulo. O que está em disputa são dois “projetos”.

    De um lado, um candidato da neodireita que exclui e marginaliza o povo de Deus, valoriza quem tem, em prejuízo dos mais pobres, afetando negativamente inclusive as ações sociais que a nossa Igreja desenvolve com tanta dificuldade.

    De outro, a candidata que mais benefícios sociais trouxe para a cidade, como o bilhete único, corredores de ônibus, uniforme e material escolar grátis para as crianças da rede pública, escolas modernas e aparelhadas (CEUs) etc. etc.

    Defender a Vida, como aprendemos com nosso Mestre Jesus, é assumir posição, ter lado, mesmo que isso incomode alguns. Ele deu exemplo e testemunho e foi morto na cruz, condenado pelos poderosos de seu tempo…

    O que o “Fórum de Católicos” fez foi ser coerente com a fé cristã!

    Por fim, gostaria de esclarecer que para produzir um manifesto não é necessária a autorização de nenhum bispo, pois ele assumidamente NÃO foi redigido em nome da instituição Igreja, da Arquidiocese de São Paulo ou da Região Episcopal Belém – até porque a cidade de São Paulo inclui outras dioceses. O documento reflete uma posição assumida em nome de uma consciência religiosa, que não permite a omissão nem compactuar com o mal.

  4. William Murat

    Creio que as principais reações foram devidas à participação de padres e religiosos em baixa política partidária, lançando manifestos, etc. E tudo isto passando por cima do conselho de um bispo, que lhes havia solicitado a não comparecerem à tal reunião.

    Este é um ponto. E estaria errado tanto para o apoio a um candidato quanto para o outro.

    Só que neste caso há ainda a parte sórdida do histórico da candidata que deles recebeu apoio, pró-aborto e pró-homossexualismo. A um fato ruim juntou-se um outro pior ainda. E tudo isto sem contar o histórico do partido da candidata em questões fundamentais, tais como a defesa da vida e da família. Eis a receita para o escândalo que estamos presenciando.

    Se há pontos na parte contrária que merecem denúncia, pois que os mesmos sejam trazidos à luz. O que não pode é quando estoura um escândalo destes um monte de gente vir com o discurso de que “vejam só o que eles fazem também!”. Fariam muito melhor se tivessem denunciado tais fatos antes de estourar algo que lhes é contrário.

    É como se em vez de corrigir o que está errado muitos preferissem mostrar um erro da parte contrária para que seu próprio erro seja esquecido. Isto é que não dá e é por atitudes assim que estamos no meio de tanta confusão.

    []´s

  5. William Murat

    A questão do aborto não está em pauta? Humm…. Informação do grande Pe. Lodi da Cruz:

    “Coube ao PT em 1989, durante a gestão de Luíza Erundina como prefeita de São Paulo, o pioneirismo na implantação da prática do aborto em um hospital público: o Hospital Dr. Arthur Ribeiro de Saboya (Hospital Jabaquara).”

    Ou seja, engana-se — e muito! — quem pensa que o aborto está longe quando o que está em jogo é uma eleição municipal, principalmente quando falamos de uma cidade como São Paulo.

    []´s

  6. William Murat

    “Defender a vida é assumir posição”? Não coloque palavras na boca de Nosso Senhor Jesus Cristo, por favor. Não: defender a vida é defender a vida. Se a afirmação do amigo estivesse certa, no caso de Marta, o “defender a vida” para ela seria ser a favor do aborto, o que é absurdo.

    Tudo bem entre uma posição e outra? É isto mesmo? Isto é relativismo, meu caro, em estado puríssimo.

    O caso é que os padres, pelo simples comparecimento à tal reunião mostraram, em maior ou menor grau, desobediência ao senhor bispo, que declarou que lhes havia aconselhado a não comparecerem. E isto, mais uma vez, sem contar a participação partidária, o histórico da candidata e de seu partido. Uma salada que só poderia resultar no que estamos vendo.

    []´s

  7. Rubens

    William, na minha opinião não há nenhum erro em apoiar um candidato, particularmente no segundo turno quando não se trata de uma questão partidária.

    O que não convém neste momento é a instituição Igreja assumir uma candidatura, o que de fato ela não fez, como deixou clara a nota de d. Pedro Luiz. Mas os padres são cidadãos, com direitos e deveres, e livre arbítrio para fazer coisas boas e ruins.

    Portanto, não acho um “escândalo” a produção do manifesto. Ao contrário, escândalo seria a omissão dos católicos num momento decisivo – ou, pior ainda, o apoio ao “demo”.

  8. Jorge Ferraz

    Rubens,

    Favor ler o que os bispos americanos escreveram sobre as eleições americanas. O contexto é outro, mas os princípios católicos são idênticos.

    Não adianta ter maravilhas de projetos sociais e ser abortista. O veneno sórdido contamina todo o resto. Não é moralmente aceitável aceitar uma abortista, ainda que ela fosse a melhor coisa do mundo.

    O “Fórum de Católicos” – se existir, porque até agora NINGUÉM apresentou-se para falar em nome dele – agiu em completa incoerência com a Fé Cristã e em flagrante desobediência ao Bispo.

    Ser “omisso” e “compactuar com o mal” é eleger uma abortista. Vide a informação, muitíssimo oportuna, que o Murat trouxe: para um abortista, a questão do aborto está sempre em pauta.

    Abraços,
    Jorge

  9. William Murat

    Rubens:

    Os padres fariam muito melhor se da forma adequada lutassem pela Justiça, como muito bem lembrou o bispo. Ser desobediente não é uma delas… E lhes é vedada a participação partidária. Meu caro, em eleições é sempre uma questão partidária.

    Os padres serem cidadãos não é desculpa para que deixem seus deveres como sacerdotes. Quando deixam isto de lado é a receita para escândalo.

    E veja bem: não se apóia a omissão, mas tampouco pode-se usar isto como desculpa para criar a confusão que se criou.

    []´s

  10. Rubens

    O fundamentalismo e a intolerância historicamente só resultaram em coisas muito ruins, anticristãs até… Rotular uma pessoa também não ajuda em nada.

    Desculpem, mas o que Jesus pregou e viveu não foi isso!

    William, defender a Vida não é tomar posição? O testemunho do Mestre foi sempre coerente com sua pregação, mesmo que isso questionasse leis opressoras e o poder da época – portanto, marcado por posições firmes.

    Se há tanta preocupação com relação ao aborto, que se pressionem as instâncias corretas. O que a Prefeitura de São Paulo fez na gestão Erundina foi garantir que os hospitais públicos atendessem os casos previstos em lei – se não concordamos com a lei, façamos pressão para mudá-la. O poder municipal não tem esse poder.

    Quanto ao fórum, fiquem tranqüilos, ele existe sim – eu fui convidado a participar da reunião de lançamento do manifesto (e só não compareci por problema de agenda); e o convite partiu de católicos de carne e osso.

    Um fórum não precisa ter CNPJ, site nem deve obediência a um bispo específico para existir (se fosse o caso, a qual bispo, o de Santo Amaro, que abençoa o atual prefeito, o de São Miguel, o de Campo Limpo, o arcebispo de São Paulo ou ainda o auxiliar de alguma região episcopal?). Mas é uma boa idéia lançar um site democrático, livre, para reflexão com tolerância e abertura, sem cair na tentação dos fundamentalismos.

    FIQUEM COM DEUS!

  11. Jorge Ferraz

    Rubens,

    Sobre fundamentalismo, cito de novo o Papa Bento XVI, na sua última homilia como Cardeal Ratzinger: ter uma fé clara, segundo o Credo da Igreja, muitas vezes é classificado como fundamentalismo.

    Se o aborto é empurrado goela abaixo das pessoas em todas as instâncias, deve-se-lhe fazer oposição em todas as instâncias. Isso inclui a municipal. Não existe aborto “previsto por lei”, isso é mentira de abortista. TODO ABORTO É CRIME, a diferença é que alguns (restritíssimos) casos não se punem, ex post facto, o que de maneira alguma é uma autorização para abortar. Recomendo mais uma vez a leitura do que dois bispos americanos disseram sobre eleições e aborto.

    Abraços, em Cristo,
    Jorge Ferraz

  12. William Murat

    Caro Rubens:

    Eu estava mesmo já esperando para você começar a tirar os clichês da cartola. Lembremos das palavras de S.S. Bento XVI sobre a confusão que muitos fazem, com má-fé ou não, entre uma fé clara e o rotulamento de “fundamentalismo”.

    Defender a vida é tomar a única posição que é possível: defender a vida. Você dizer que uma abortista pelo simples fato de que tenha tomado uma posição equivale a “defender a vida” é um absurdo que apenas mostra a confusão de tua argumentação que cai de cabeça no relativismo tão combatido.

    Remeto você novamente ao Pe. Lodi da Cruz: não há casos previstos em Lei para aborto. O que há são casos em que o mesmo não é punido. Fazer disto uma licença para abortar é coisa que só mesmo uma Erundina e companheiros podem fazer. Sim, você está certo, não concordo com a Lei e faço a pressão a meu modo. Um destes modos é justamente não dar meu voto a gente que se assemelhe a, digamos, uma Erundina. Entendeu?

    O testemunho de Nosso Senhor Jesus Cristo foi sempre coerente, concordamos novamente. Ele foi coerente quando fundou uma Igreja, certo? Então, ela deve ser obedecida. Que tal dizer isto para os padres que viraram a cara para o que disse o bispo?

    A mim, pouco importa que exista o fórum formal ou informalmente. Esta estrovenga já começou jogando lama no nome “católico”, isto é o que temos.

    Mais um vez você vem aqui a desfiar erros dos outros como forma de justificar outros erros. Que tal, ao invés de ficar colecionando fatos errados para que sejam utilizados em momento apropriado, procurar que os erros sejam consertados assim que você deles souber? A Igreja só tem a ganhar.

    []´s

  13. franc1968

    Ao ler os comentários do Rubens, me veio à mente que eles, os esquerdistas em geral, são, como disse o Murat, presos a clichês… Não vivem sem uma frase feita!

  14. Rubens

    Clichê é a expressão “fundamentalismo”, mas “abortista” não? Hum…

    Claramente, pensamos diferente, mas eu aprendi a respeitar isso. A tolerância aliás é algo que se deve almejar como uma virtude e que tive o privilégio de conhecer em verdadeiros cristãos.

    Eu prefiro seguir Jesus Cristo à Igreja, instituição formada por homens, alguns santos e muitos pecadores.

    Por defender a Vida, não aceito o aborto e o considero uma pena de morte, com a qual também não concordo em nenhuma hipótese. Mas insisto que o tema não está em pauta na eleição de São Paulo.

    E por isso reafirmo, como CATÓLICO, os termos do manifesto de apoio à candidatura de Marta Suplicy! Com fé, convicção e consciência tranqüila!

  15. William Murat

    Claro que abortista não é clichê. Você parece ser uma pessoa inteligente e sabe muito bem o que isto significa objetivamente, tanto que vota em uma. Ou se é pró-vida ou pró-aborto. Pró-vida é que Marta não é…

    Eu te desrespeitei de alguma maneira? Mostrei intolerância? Estrou mostrando objetivamente tua argumentação cambaleante. Por favor, sem vitimismo, este vício de nossos dias.

    Preferes seguir Cristo à Igreja? Hummm… Sei… Então gostas do fundador e não da obra que ele cria? Por que? Os atos do fundador não são perfeitos para você? Ele errou? Percebes a besteira teológica de proporções astronômicas que escreveste? Querer separar Nosso Senhor Jesus Cristo de Sua amada Igreja é querer negar toda a História da Salvação. Sinto informar, mais tua argumentação ficou mais confusa ainda.

    Pois é… És contra o aborto e não vês nada de errado em votar em uma abortista? Já mostrei aqui o que Erundina, também favorável ao aborto, fez. Se você prefere olhar para o lado enquanto os bebês são higienicamente trucidados no hospital do lado, isto é contigo. Para os atos dela contribuíram todos os que nela votaram. Podem espernear, fazer beicinho e qualquer outra coisa, mais foi isto, objetivamente, o que fizeram.

    Creio que foi S.S. Bento XVI também que escreveu que um cristão não pode simplesmente ir direta e claramente contra os ensinamentos da Igreja em matérias graves e depois vir proclamar-se de consciência tranqüila, como se esta fosse alguma forma de passe especial para o erro. Não sei ao certo que tenha sido ele, mas, de qualquer forma, permanece a correção da afirmação. Erro que, em casos assim, é claro como a luz do Sol.

  16. franc1968

    Chumbo trocado não dói. O que dói é a ingenuidade com que determinados setores ditos católicos abraçam a bandeira petista e se esquecem do dizer de Pio XI que afirmou que socialismo e catolicismo são termos contraditórios.
    E por isso reafirmo, como CATÓLICO, os termos do que disse o Papa Pio XI! Com fé, convicção e consciência tranqüila!

    O PT é socialista. E o socialismo é responsável por matanças homéricas. Vide os gulags soviéticos, o salto para frente de Mao, os paredóns de Guevara e Fidel. Por isso esse desprezo pela vida do nascituro. E pela falta de pejo em destruir o outro em nome de uma “causa”. A dona Marta vai perder e, espero em Deus, que esta seja a derrocada do petismo, essa quimera.

  17. sandra nunes

    Rubens, não gaste seu verbo, meu irmão.

    Eles têm de cor e salteado o discurso.

    É pura intolerância…

    Deixa, pra lá nós sabemos que o “Demo” dá continuidade à política que a Luiza Erundina, do “Planejamento Familiar” com palestras e se o casal decidir com vasectomia e laqueaduras realizadas pelos hospitais da PMSP.

    Eles não moram aqui e acham que o Kassab é Catolico praticante…

    ELE É POLÍTICO!

    Podemos, deitar e dormir o sono dos justos.

    Oremos que, democraticamente, respeitar o vencedor do pleito e pedir ao Padroeiro de nossa cidade, São Paulo, que olhe por nós.

    Sou do Carrão, portanto da Região Belém.

    E que Deus proteja nossa amada e querida Cidade.

    Sandra Ap. Costa Nunes

    “Católica Pela Justiça, em favor dos mais pobres”

  18. Rubens

    Objetivamente, não é preciso apelar aos adjetivos para debater argumentações.

    Mas o tom das conversas neste blog é pra lá de intolerante. Meus caros, aceitem a diferença e não se sintam donos da verdade. A humildade aliás é uma virtude – mais uma que tive o privilégio de conhecer no testemunho de alguns cristãos de verdade.

    Não vejo “besteira teológica” nenhuma em afirmar que a Igreja é formada por homens, alguns santos mas muitos pecadores. A obra do Criador não é perfeita porque os homens não o são. Por isso mesmo, prefiro seguir Jesus à Igreja.

    Reforço que sou contra o aborto por princípio e voto sim em Marta Suplicy porque me preocupo com a Vida em todos os sentidos: com o povo da rua sendo maltratado pela Guarda Metropolitana (da atual Prefeitura) ou mesmo queimados covarde e impunemente; com as crianças pobres que não conseguem vaga nas creches ou escolas municipais; com as que são humilhadas por falta de material escolar (que era gratuito na gestão anterior de Marta); com as que perdem oportunidade de estudar porque ficaram sem transporte grátis e com tantas outras situações que o atual prefeito renegou a segundo, terceiro ou sabe Deus que plano.

    Minha consciência segue tranqüila porque votar na Marta é ser fiel aos ensinamentos de Cristo na defesa da Vida de todos os irmãos e irmãs, especialmente os mais pobres, pelos quais fizemos uma opção evangélica.

  19. William Murat

    “Abortista”, no caso, nada tem a ver com adjetivação, você bem o sabe. Não há nada de “apelação”, é uma classificação bem conhecida. Se ela é pró-aborto, milita pelo aborto, está em um partido que busca a liberação do aborto a todo custo, ela é o que? Pró-vida? Ora, francamente…

    Se você quer votar nela assim mesmo, apesar de abortista, ok. Isto é contigo. Assuma que vota em abortista. Afinal, qual é o problema para você, não é mesmo?

    Repito: indique a intolerância de minha parte. Creio que você não precisa ficar bancando a vítima aqui, faça-me o favor…

    Tua besteira teológica só ganhou maiores proporções com tua nova mensagem… Sem contar que nem mesmo sabes repetir o que você mesmo escreve. Eu te ajudo:

    “Eu prefiro seguir Jesus Cristo à Igreja, instituição formada por homens, alguns santos e muitos pecadores.”

    Que a Igreja é formada por homens é coisa por demais óbvia. Obrigado por lembrar… Só que você escreveu coisa bem diferente. Opuseste Nosso Senhor Jesus Cristo à Sua Santa Igreja. E ela, a Igreja, é Santa, Imaculada, e nós, que dela fazemos parte, é que somos os pecadores. Nossa mancha não passa para a obra perfeita que Nosso Salvador fundou.

    Um pouco de Eclesiologia te faria muito bem. Muito melhor do que vir aqui afirmar que segues a Cristo mas não à Sua Igreja. Se assim fosse possível, qual seria a diferença entre você e um protestante?

    Meu caro, quer você vote em Marta ou não, isto é lá contigo. Dizer que isto é ser a favor da vida, aí a coisa é bem diferente. Você quer mesmo ser levado a sério?

    []’s

  20. vanderley

    “Por isso mesmo, prefiro seguir Jesus à Igreja”.

    Incrível, para defender a abortista, os ditos “católicos”

    socialistas proferem tamanho insulto.

    O que você está fazendo dentro da Igreja ?

    Voce não comunga com a Igreja ?

    Quanto absurdo! Falsos católicos !

  21. Antonio

    Rubens,

    Não há nenhum problema em ser intolerante para com um erro tão grave quanto a defesa do aborto e outros temas vinculados ao programa do PT e seus candidatos. Poder-se-ia, em tese, até relevar um erro se estivesse em questão um mal menor. Mas haveria bem maior que justificasse permitir/apoiar a ceifa de vidas inocentes como as de nascituros e atacar valores morais e familiares incitando o homossexualismo e outros vícios e desvios? Creio que não.

    Independentemente dessa comparação, os candidatos que hoje defendem o aborto, tem esse e outros interesses não como tópicos periféricos, acidentais ou reformáveis em seus programas de governo, e sim como núcleo duro de sua doutrina anti-cristã. E aí que se justifica também a intransigência católica a tais candidatos. O amor de Deus a essas criaturas, assim como a mim, pobre pecador, está na misericórdia do perdão que advém de um ato de contrição bem feito e da submissão à santificante Confissão. Para pecadores públicos como a Marta e todo um conjunto de leigos e sacerdotes que lhe dá consciente apoio, é também de se esperar que eles cessem o vício e parem de ensinar/promover o erro, preferivelmente ensinando no lugar o que é certo. Antes que isso aconteça, é de se considerar, sim, suas excomunhões (relembro o link abaixo) e, por prudência, não lhes dar o voto que pode os eleger:

    http://www.montfort.org.br/index.php?secao=documentos&subsecao=decretos&artigo=anticomunismo&lang=bra

    Quanto ao carismatismo que pode estar apoiando Kassab, esse é o outro lado da mesmíssima moeda (gnosticismo) que assola o catolicismo. De um, o racionalismo materialista da TL e simpatizantes, que instrumentaliza a fé para defender suas posições ideológico-marxistas; de outro, o pseudo-misticismo irracionalista dos carismáticos que se dizem católicos, com matizes que vão desde os pseudo-conservadores até os assumidamente mais progressistas, que se pode aferir também entre vários movimentos leigos e sacerdotais.

    A virtude está no meio… de dois (ou mais) erros. E não necessariamente num ponto intermediário de uma escala graduada entre seus extremos, como se a dosagem deles (dos erros) pudesse corrigir o mal que eles, os extremos, causam. O verdadeiro catolicismo é uma terceira coisa; na verdade, primeira, pois foi instituído por Deus.

    Abraços,

    Antonio

  22. Rubens

    Meus irmãos, repito abaixo as palavras de um padre amigo:

    Chega de tanto rancor, raiva, ódio, palavras injuriosas, maledicências, calunias. Isso não convém ao cristão como sempre nos lembra São Paulo. Vivamos pelo amor e para o amor (1Cor 13,1-13). Lembremo-nos que, como nos diz S. João: “O amor vem de Deus e leva para Deus, pois Deus é Amor”.

    Não imitem os fariseus, saduceus e doutores da Lei, que por subserviência aos poderes constituídos, entregaram o próprio Jesus. Esforcem-se por quererem-me bem como eu os quero, pois temos um longo caminho pela frente que é o de construir e testemunhar na terra os sinais do Reino de Deus revelado em Jesus Cristo Nosso Salvador.

    Que nosso Bom Deus nos inspire, nos guarde, nos anime e abençoe a todos, de um modo especial, a vocês que estão tão incomodados e infelizes, Vamos nos preocupar com aquilo que realmente preocupa Deus: NOSSO POVO SOFRIDO E HUMILHADO.

  23. William Murat

    Caro Rubens:

    Você reclama de rotulamentos e não sei onde foi que os viu aqui. No entanto, você rotula aos outros na maior sem-cerimônia. “Não imitem os fariseus, saduceus e doutores da Lei (…)”?? Francamente…

    Você caiu exatamente no que S.S. Bento XVI apontava: fica chamando de “fundamentalistas” a quem apenas mostra clareza de Fé.

    Aponte a calúnia, por favor. Aponte a mentira.

    O caminho, como você bem disse, é longo. Adiciono, porém, que este caminho jamais será percorrido à revelia da Igreja. É um erro muito grande pensar que fulano ou sicrano fazem tais ou tais obras ***apesar*** da Igreja, ou, como você prefere escrever, “instituição de homens”. Se algo de bom fazem, fazem com Cristo e Sua Igreja.

    Bem… Em uma coisa você está certo mesmo: eu me incomodo. Incomoda-me saber que existam católicos que relativizem a obra abortista de uma Erundina sob o fácil discurso de que ela cumpria uma lei, coisa que nem mesmo é verdade.

    Incomoda-me ler conselhos para que lutemos contra uma conjuntura, enquanto a mesma pessoa que dá tais conselhos repete o erro que outros cometeram há anos e que lamentavelmente contribuíram para que, no mesmo hospital em que muitos nascem, outros achem o destino do lixo hospitalar.

    Eu me incomodo com o povo humilhado e sofrido, mas coisa que procuro não fazer é virar o rosto quando os mais inocentes e frágeis são tratados como lixo.

    []’s

  24. Léo

    “Cristo é a cabeça do seu corpo: a Igreja.” (Efésios 5,23) . É possível separar a cabeça do corpo?

    Abraços e fiquem com Deus,

    Léo

  25. Pingback: Não dá para entender… « Deus lo vult!