Ministério da Saúde financia ABORTO na UNE!

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 8 meses 18 dias atrás.

Incrível: o Ministério da Saúde está promovendo o aborto com recursos públicos por meio da União Nacional dos Estudantes! Segundo notícia da Folha de São Paulo, o “Ministério da Saúde deslocou R$ 2,8 milhões, previstos no Orçamento deste ano para apoio à educação permanente de trabalhadores do SUS (Sistema Único da Saúde), para financiar a “Caravana Estudantil da Saúde”, organizada pela UNE (União Nacional dos Estudantes)”.

Quase três milhões de reais! Cabe perguntar – o que a UNE tem a ver com o Ministério da Saúde? Infelizmente, a única resposta que se apresenta é: a tal “Caravana Estudantil da Saúde” é um veículo de apologia descarada ao aborto. Está no site da UNE que esta Caravana é “uma iniciativa que pretende levar para as universidades debates sobre o aborto e demais temas relacionados à formação da juventude como drogas e alcoolismo”. E, para que não fiquem mais dúvidas sobre em quê está sendo aplicado o dinheiro público, o roteiro da Caravana do Ataúde é o seguinte (destaques meus):

RIO DE JANEIRO
14 – Quinta-feira – Estácio de Sá
Manhã – Drogas – Legalizar ou não?
Noite – Saúde, educação e cultura.

ESPÍRITO SANTO
18 – Segunda-feira – UFES
Manhã – Legalização do aborto: aspectos legais, morais, políticos sob a ótica da saúde pública.
Noite – Saúde, educação e cultura.

MINAS GERAIS

20 – Quarta-feira – UFMG
Manhã – Drogas – Legalizar ou não?
Noite – Saúde, educação e cultura.

22 – Sexta-feira – PUC
Manhã – Lei seca, avanço ou retrocesso?
Noite – Saúde, educação e cultura.

SÃO PAULO
26 – Terça-feira – USP
Manhã – Saúde e tolerância: homofobia, lesbofobia, sexismo, racismo.
Noite – Saúde, educação e cultura.

28 – Quinta-feira – UNINOVE
Manhã – UNINOVE – Lei seca, avanço ou retrocesso?
Noite – UNIP – Saúde, educação e cultura.

SETEMBRO

PARANÁ
01 – Segunda-feira – PUC
Manhã – Drogas – Legalizar ou não?
Noite – Saúde, educação e cultura

SANTA CATARINA
03 – Quarta-feira – UFSC
Manhã – Direitos sexuais e reprodutivos e a violência de gênero
Noite – Saúde, educação e cultura.

RIO GRANDE DO SUL
05 – Sexta-feira – UNISINOS
Manhã – Lei seca, avanço ou retrocesso?
Noite – Saúde, educação e cultura.

MATO GROSSO DO SUL
09 – Terça-feira – UFMS
Manhã – Saúde e sexualidade
Noite – Saúde, educação e cultura.

MATO GROSSO
11 – Quinta-feira – UFMT
Manhã – Legalização do aborto: aspectos legais, morais, políticos sob a ótica da saúde pública.
Noite – Saúde, educação e cultura.

RONDÔNIA
16 – Terça-feira – UNIR
Manhã – Saúde e sexualidade
Noite – Saúde, educação e cultura.

ACRE
19 – Sexta-feira – UFAC
Manhã – Legalização do aborto: aspectos legais, morais, políticos sob a ótica da saúde pública.
Noite – Saúde, educação e cultura.

AMAZONAS

23 – Terça-feira – UEA
Manhã – Saúde e tolerância: homofobia, lesbofobia, sexismo, racismo.
Noite – Saúde, educação e cultura.

RORAIMA

26 – Sexta-feira -UFRR
Manhã – Drogas – Legalizar ou não?
Noite – Saúde, educação e cultura.

AMAPÁ
30 – Terça-feira – UNIFAP
Manhã – Saúde e Sexualidade.
Noite – Saúde, educação e cultura.

OUTUBRO

PARÁ
03- Sexta-feira – UNAMA
Manhã – Legalização do aborto: aspectos legais, morais, políticos sob a ótica da saúde pública.
Noite – Saúde, educação e cultura.

MARANHÃO
08 – Terça-feira – UFMA
Manhã – Drogas – Legalizar ou não?
Noite – Saúde, educação e cultura

PIAUÍ
10 – Sexta-feira – UFPI
Manhã – Legalização do aborto: aspectos legais, morais, políticos sob a ótica da saúde pública
Noite – Saúde, educação e cultura.

CEARÁ
14 – Terça-feira – UFC
Manhã – Violência de gênero e exploração sexual.
Noite – Saúde, educação e cultura.

RIO GRANDE DO NORTE
17/10 – Sexta-feira – UFRN
Manhã – Saúde e sexualidade.
Noite – Saúde, educação e cultura.

PARAÍBA
21 – Terça-feira – UFPB – João Pessoa
Manhã – Lei seca, avanço ou retrocesso?
Noite – Saúde, educação e cultura.

24 – Sexta-feira – UEPB – Campina Grande
Manhã – Drogas – Legalizar ou não?
Noite – Saúde, educação e cultura

PERNAMBUCO
28 – Terça-feira – UNICAP
Manhã – Legalização do aborto: aspectos legais, morais, políticos sob a ótica da saúde pública.
Noite – Saúde, educação e cultura.

30- Quinta-feira – UFPE
Manhã – Saúde e tolerância: homofobia, lesbofobia, sexismo, racismo.
Noite – Saúde, educação e cultura.

NOVEMBRO

ALAGOAS
03 – Segunda-feira – UFAL
Manhã – Drogas – Legalizar ou não?
Noite – Saúde, educação e cultura.

SERGIPE

05 – Quarta-feira – UFS
Manhã – Legalização do aborto: aspectos legais, morais, políticos sob a ótica da saúde pública.
Noite – Saúde, educação e cultura.

BAHIA
07 – Sexta-feira – UFBA
Manhã – Saúde e tolerância: homofobia, lesbofobia, sexismo, racismo.
Noite – Saúde, educação e cultura.

11 – Terça-feira – UCSAL
Manhã – Drogas – Legalizar ou não?
Noite – Saúde, educação e cultura.

TOCANTINS
14 – Sexta-feira – UFT
Manhã – Lei seca, avanço ou retrocesso?
Noite – Saúde, educação e cultura.

GOIÁS
18 – Terça-feira – Católica de Goiás
Manhã – Saúde e Sexualidade.
Noite – Saúde, educação e cultura.

20/11 – Terça-feira – UFG
Manhã – Legalização do aborto: aspectos legais, morais, políticos sob a ótica da saúde pública.
Noite – Saúde, educação e cultura.

DISTRITO FEDERAL

27/11 – Quinta-feira – UnB – Encerramento
Saúde, educação e cultura

Ver o Ministério da Saúde financiando uma programação escandalosa dessas (e olhe que eu não destaquei as questões sobre a legalização das drogas e sobre a saúde e sexualidade, porque senão o cronograma ia ficar todo vermelho) é deprimente. Quem vê tem a impressão de que o SUS está esbanjando dinheiro, uma vez que pode direcionar parte do seu orçamento para fazer cirurgias de mutilação, parte para financiar um “passeio” Brasil afora de uma caravana com o objetivo de defender o aborto nas universidades.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

0 thoughts on “Ministério da Saúde financia ABORTO na UNE!

  1. sandra nunes

    Você só ficou sabendo da Caravana em razão da nota na Folha?

    Foi amplamente divulgado nas cidades onde aconteceram.

    Os debates em São Paulo, foram um sucesso de Público e de resultado, principalmente o da USP

    Parabéns ao Ministério da Saúde e a UNE, pela iniciativa.

    O debate faz parte do regime democrático!

  2. Jorge Ferraz

    Sandra,

    Bem-vinda. Estávamos já preocupados com você, que passou bastante tempo sem “dar as caras” e sem se despedir da gente.

    Sobre o assunto, não, certas coisas – como o assassinato de inocentes – não se debatem.

    O que a senhora acharia se debatêssemos – com dinheiro público – se devíamos ou não matar a senhora Sandra Nunes?

    Sugestão de Leitura: Por que não a Mamãe?

    Abraços,
    Jorge

  3. Pingback: Ainda o PT e os pró-vida « Deus lo vult!

  4. sandra nunes

    “O que a senhora acharia se debatêssemos – com dinheiro público – se devíamos ou não matar a senhora Sandra Nunes?”

    Sinceramente, não me importaria. ( Ainda bem que você só me matarão se tiverem verba pública, caso contrário meus filhos estariam órfãos de pai de mãe)

    Os debates em São Paulo, (pelo menos o que eu fui em agosto) o tema era SAÚDE E TOLERÂNCIA.

    Se fosse um debate sobre a PENA DE MORTE, eu também iria.

  5. andreaoli

    Só pra constar, na UFSC eles foram vaiados e expulsos pelos alunos e professores por estarem atrapalhando o andamento das aulas. Há vídeo no youtube no link abaixo:

  6. vanderley

    O governo tem dinheiro suficiente para os “comunas” da

    UNE, fazerem debates e caravanas.

    (Será que alguém fiscaliza ? ).

    Em compensação para o restante da população

    (principalmente os mais pobres) ,dá-lhe fila e atendimento

    em corredor de hospital.

    Dengue , Tuberculose, Hepatite para isto não temos

    prevenção ou o dinheiro é escasso.

    Mas para Racismo,Aborto, Lesbianismo e Homofobia tem .

    Lesbianismo e homofobia , quer dizer que eles encaram

    como questão de saúde.

    Depois, somos nós os preconceituosos, vá entender…

  7. Demerval Jr.

    Jorge,

    sandra “ghost” moomies espremeu:

    “Os debates em São Paulo, (pelo menos o que eu fui em agosto) o tema era SAÚDE E TOLERÂNCIA.”

    É como se ouvíssemos ela entoando:

    Boemiiiiia, aqui me teeens de regresso
    E suplicaaante lhe peço a minha nova inscrição
    Voltei, pra rever os amiiiiigos que um dia
    Eu deixei a choraaaar de alegria
    Me acompanha o meu violão

    Boemiiiiia, sabendo que aaandei distante
    Sei que esta geeente falante vai agora ironizar:
    Ela voltou, a boêêêêmia voltou novamente
    Partiu daqui tão contente
    Por que razão quer voltaaar?”

    Ai-ai…

  8. Pingback: UNE expulsa da UFSC « Deus lo vult!

  9. sandra nunes

    vanderley

    Dengue, pelo menos aqui no meu município é combatida pela Vigilância Sanitária.
    Têm campanhas, também, nas Comunidades, para não ter plantas aquáticas em casa, ou vasilhames com água no quintal, caixas d’agua descobertas, etc.
    A conscientização para que povo entenda, que o combate da dengue é em casa.

    Tuberculose, é uma doença que se transmite pelo ar.
    A vacina é aplicada EM TODOS OS BEBÊS paulistas, gratuitamente nos postos de saúde.
    Existem campanhas, regulares, nos ônibus, metros, nas escolas, e nas empresas, de como detectar a doença.
    Temos hospitais especializados no tratamento.

    Hepatite, com exceção a “Hepatite A” que é transmitida através de alimentos ou água contaminada, as Hepatites B e C estão nas doenças sexualmente transmitidas, portanto o uso da “camisinha” nas relações sexuais é uma forma de evita-las.
    As campanhas, dos governos do Estado e Federal, nesse sentido são amplas e alertam para o perigo de se contrair essas doenças, sem o uso da camisinha.
    O Instituto do Fígado em São Paulo do HC, é um hospital de referencia em todo o mundo.

    Pelo visto, o problema é regional, pois no Estado de São Paulo, é investido muito em campanhas e tratamentos.

  10. sandra nunes

    Jorge, estive ausente por uns dias, pois achei que a agressividade de algumas pessoas daqui temerosa.

    Depois fiquei sabendo que uma dessas pessoa faz parte de Pastoral da Sobriedade.

    Agora, entendo de onde vem tanta agressividade.

    Normalmente dependentes, em recuperação, são pessoas obsessivas e agressivas que mudam sua compulsão para outro alvo.

  11. Demerval Jr.

    Jorge,

    sandra “co-dependente” mumes, prevenindo, interveio:

    “Normalmente dependentes, em recuperação, são pessoas obsessivas e agressivas que mudam sua compulsão para outro alvo.”

    É certo que isso é uma confissão. Se de preconceito ou de condição (ou de ambos!), isto está ainda para ser respondido…

    Mas só o fato de ela saber da existência da Pastoral da Sobriedade já é um grande avanço! A sandra mumes pode contar com o auxílio do grupo de auto-ajuda mais próximo de sua casa para refletir lá as coisas que anda confessando aqui. Quem sabe, assim algumas nóias sejam curadas? Né não?

    Vale até mesmo uma sugestão para um post seu, irmão: o contexto da dependência ultrapassa em muito o uso de entorpecentes! Para a PS mesmo, dependências são sinônimos de PECADOS, qualquer um. E quem não os tem?

    A propósito: parece-me que a sandra mumes é viciada em fuçar a vida dos outros. Coisa feia… Mas tem cura!

    “Sobriedade e Paz, só por hoje, graças à Deus!”

  12. sandra nunes

    ORAÇÃO DA SERENIDADE

    “Concedei-me, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para distinguir umas das outras”.

    Esta Oração me tem proporcionado uma nova vida.

    1. ACEITAR AS COISAS QUE NÃO POSSO MODIFICAR:

    São muitas as coisas que não posso modificar; o passado, o futuro e nem outras pessoas.

    Preciso aceitar o fato de que posso ser atencioso e bondoso com meus familiares, porém não mais tempo do que se lhes esta reservado estar aqui na Terra. A perda de amigos deve ser aceita como se eles tivessem se mudado para muitas milhas de distância.

    Eu não posso modificar as pessoas, elas continuarão fazendo as coisas à sua maneira, apesar de que eu tente dizer-lhes, muitas vezes, qual é a melhor forma…(A MINHA). A quem posso eu mudar? A MIM MESMO.

    2. CORAGEM PARA MUDAR AQUELES QUE POSSO:

    Isto é, mudar minha maneira de ser.

    O Senhor! permita que eu mude os meus sentimentos em relação aos outros. Ao invés de criticá-los, devo aceitá-los como eles são e estar interessado em seus problemas, ao invés de ignora-los. devo ser afetuoso com os outros, ao invés de mostrar-me frio e insensível.

    Permita-me Senhor, que eu mude minhas emoções, colocando esperança, amor, coragem, paz e alegria em minha vida, em lugar de amargura, temor, desgosto, ódio e ressentimento. Todas estas coisas eu posso modificar, se for suficientemente inteligente para reconhecer a necessidade de fazê-lo.

    3. SABEDORIA PARA DISTINGUIR UMAS DAS OUTRAS:

    Se vejo coisas de que não gosto, é hora, é hora de examinar a MIM MESMO: minhas atitudes, minhas reações e reconhecer se necessito mudar algumas delas.

    Examinaremos uma vez, outra e mais outras, antes de criticar os outros. Compreendo que minha vida está intimamente ligada a outras vidas, mas estou tendo sabedoria suficiente para entender que não posso mudar os outros, mas posso mudar, minha maneira de pensar, atuar e reagir. Então, a resposta à minha Oração é DEVO E POSSO MUDAR SOMENTE A MIM MESMO.

  13. Demerval Jr.

    Jorge,

    Huuuuummmm… Ela sabe do “Amor Exigente”… Mas será que, biblicamente falando, o conhece?…

    Pelo exposto no texto acima, tudo indica que não!

    O que acha?…

  14. vanderley

    Sandra.

    Dinheiro da saúde é para saúde do povo, não para

    promover badernas e gastar com questões que não tem

    nada a ver.

    Estou referindo-me ao Ministério da Saúde, portanto,

    a questão é Nacional.

    É preciso descrever a calamidade que é a saúde

    neste país ?

    Falta de hospitais, remédios, médicos, vacinas, etc.

    Dinheiro do povo jogado no lixo com essa cambada

    de vagabundo.

  15. sandra nunes

    vanderley

    Não sei em que Estado da Federação você está.

    Com certeza, a saúde é precária. Uns mais que outros ( bem mais )

    Aqui no Hospital da Clínicas, temos pacientes que residem em todos os Estados da Federação.
    Os Governadores da maioria dos Estados, preferem por seus doentes em aviões, dos Correios, e mandar pra cá, do que investir em médicos, hospitais, insumos hospitalares ou mesmo na prevenção.

    Todavia, a prevenção é a base para que sejam evitadas as doenças.

    O custo da prevenção é MUITO inferior que o custo do tratamento.

    Como diz o velho ditado: “melhor prevenir que remediar”

    Como sempre, nossos avós estavam certos.