Curtas diversos

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 4 meses 28 dias atrás.

– Sobre os preservativos e a AIDS, parece que a ONU finalmente deu o braço a torcer e condescendeu com o óbvio: fidelidade e abstinência previnem HIV. Como a Igreja sempre disse. Não tive, contudo, acesso ao comunicado original; ao que parece, a ONU continua insistindo, sim, no uso dos preservativos. Tem gente que não aprende nunca…

– Olavo de Carvalho falou sobre o deus dos palpiteiros; não entendi muito bem a parte positiva da argumentação dele, que me pareceu aliás subjetivista e errônea (Longe de poder ser investigado como objeto do mundo exterior, Deus também é definido na Bíblia como uma pessoa, e como uma pessoa sui generis que mantém um diálogo íntimo e secreto com cada ser humano e lhe indica um caminho interior para conhecê-La. Só se você procurar indícios dessa pessoa no íntimo da sua alma e não os encontrar de maneira alguma, mesmo seguindo precisamente as indicações dadas na definição, será lícito você declarar que Deus não existe.); mas a parte negativa está precisa: “Se Deus é definido como onipotente, onisciente e onipresente, é desse Deus que você tem de demonstrar a inexistência, e não de um outro deus qualquer que você mesmo inventou conforme as conveniências do que pretende provar”.

– Vale muito a pena também conhecer a Declaração de Madrid contra o aborto, excelente “manifesto dos 300” que já conta com mais de 1200 assinaturas de “professores de universidade, pesquisadores, acadêmicos, e intelectuais de diferentes profissões”. Um aborto não é só a «interrupção voluntária da gravidez», mas um ato simples e cruel de «interrupção de uma vida humana»: eis os fatos como eles são. Que Deus nos livre do aborto; como diz a mesma declaração, “[u]ma sociedade indiferente à matança de perto de 120.000 bebês ao ano é uma sociedade fracassada e doente”.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

5 thoughts on “Curtas diversos

  1. Marcelo

    Jorge,
    a idéia de divindade do Olavo é diferente da apresentada pela Sata Igreja. Essa história do caminho interior parece coisa de New Age ou de gnose.
    Porém, a crítica que ele faz de Dawkins é procedente: o valente criou uma definição própria de Deus e partiu para verificar a sua validade. Não conseguindo (nem teria como, pq. construiu a idéia para isso mesmo), afirmou que Deus não existe.
    Sds.,
    de Marcelo.

  2. Renato Lima

    Mais o Olavo de Carvalho é um esotérico e gnostico!

    É só ver como ele defende o gnosticismo protestante americano.

  3. Claudemir Júnior

    Mais o Olavo de Carvalho é um esotérico e gnostico!

    Renato,

    a despeito desta afirmação do Olavo soar um tanto estranha aos ouvidos católicos, é importante lembrar que ele não é mais um “esotérico gnnóstico”, a não ser que ele tenha mentido sobre sua conversão à Igreja de Cristo. O fato é que, recentemente, ele se converteu à Fé Católica, mas, nada impede que ainda possam permanecer nele alguns resquícios do pensamento esotérico. Deus queira que ele vá, no tempo certo, perdendo estas e outras velhas manias.

    Abraços,
    Claudemir Júnior.

  4. Renato Lima

    Claudemir, eu agradeço a sua informação. Mas eu acho estranha esta idolatria que o sr. Olavo de Carvalho faz ao protestantismo americano!

    Se ele realmente se converteu à fé católica, ele deveria em primeiro lugar mostra a verdade e beleza da única Doutrina de Nosso Senhor Jesus Cristo (Doutrina Católica), e não ficar colocando pitbulls de batons (Sarah Palin – que nasceu de uma família católica, mas hoje é protestante!) como ”exemplo” de moralidade e honestidade!

    Agradeço pela informação.

    Salve Maria.

  5. Idres Sha

    Um tanto estranho aos ouvidos católicos é chamar um muçulmano de católico. Um esotérico, astrólogo, gnóstico de católico!

    Sabe o que faz um convertido quando vira católico e cometeu pecados publicamente? Pede perdão publicamente pelos seus erros e pára de ser gnóstico, pára de ser astrólogo, pára de ser esotérico.

    O Sítio dele mudou? retirou essas pautas gnósticas/astrológicas/de procura da união transcendental inexistente entre as três religiões monoteístas? Continua xingando todo mundo com linguagem homossexual (sempre de conotativo anal).

    Acho que Olavo de Carvalho não é católico.

    Quero saber mais: sua esposa continua protestante? Quantas vezes se casou? Já casou na Igreja Católica no passado e separou-se? Está unido em matrimônio atualmente?

    Que conversão é essa?

    Ainda acha que Deus só existe porque ninguém pode provar que não existe como um gnóstico costuma falar? Quando o católico sabe que, pela razão natural, se pode provar – efetivamente – que Deus existe.

    A Igreja Católica não tem sessão de descarrego da IURD, onde o sujeito entra igual e sai pior.

    Não confunda a Igreja de Cristo com uma Igreja de esquina. E não force muito o cérebro daqueles que sabem um homem da inteligência do Olavo não tem o álibe da ignorância para seu estado de conversão meio esquisita.

    Lembre-se que, pela teologia moral, a confissão é um sacramento somente válido para aqueles que tem crêem nos seis mistérios da fé e um deles é que Jesus Cristo é Deus (não alguém que tem “centelha divina” como dizem os gnósticos). Deus mesmo, nosso redentor. A confissão de um muçulmano não é válida no seio da Igreja. A confissão de alguém que se converte do islamismo para o catolicismo sim, porque este crê que Jesus é Deus e nosso Redentor.