Curtas sucintos

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 1 mês 25 dias atrás.

– A coisa está ficando feia em Honduras. Após a intervenção militar e o exílio do presidente Manuel Zelaya, Evo Morales denunciou o “golpe militar”, a Venezuela denunciou o “seqüestro de três embaixadores”, Hugo Chávez cedeu um avião para que o presidente Zelaya fosse se encontrar com ele, e o presidente Lula condenou o golpe e rejeitou o novo governo. O presidente do Democratas, Rodrigo Maia, também escreveu sobre o assunto, dizendo que Chávez está “fazendo intervenção explícita em Honduras”. É necessário intensificar as orações por este país.

– Escândalo Episcopal I: Bispo Emérito e Consultor Jurídico da CNBB profere palestra em Maçonaria. “Dom Lelis disse várias inverdades: Que a posição da Igreja sobre a Maçonaria teria mudado após o Concílio Vaticano II (com a justificativa de que o Código de Direito Canônico de 1983 não pune mais a associação à Maçonaria com a excomunhão), que depois do concílio o objetivo da Igreja é só aproximar de todas as pessoas do mundo sem preconceito (falso. O objetivo da Igreja continua o mesmo: evangelizar todos os povos), entre outras“.

– Escândalo Episcopal II: Santa Sé decidirá futuro do Bispo uruguaio acusado de má conduta sexual. Caiu na internet uma foto do bispo fazendo sexo com dois presidiários (obviamente, a foto não está neste link – podem clicar) que “estavam extorquindo dinheiro do bispo para que a foto não fosse divulgada”.

– Continuamos pedindo, neste ano sacerdotal, que a Virgem Santíssima alcance um milagre para o clero da Santa Igreja. Na Colômbia, os católicos fizeram uma campanha “adota um sacerdote”. A campanha do Veritatis Splendor já tem blog próprio. Intensifiquemos as nossas orações pelos sacerdotes do Deus Altíssimo.

Barack Obama e o fim da objeção de consciência, publicado no Mídia Sem Máscara. “Nos EUA a objeção de consciência tem se transformado em uma grande arma democrática e liberal contra o autoritarismo do aborto. Além disso, essa arma está se espalhando pelo mundo. O próprio Papa Bento XVI recomenda a utilização da objeção de consciência como arma anti-aborto. Para combater a cultura de morte nada melhor do que a livre consciência”.

Estudo detalha os altos custos econômicos do divórcio. Da série “a Igreja tem razão mais uma vez”: “um relatório de fevereiro de 2009 da Fundação Britânica de Relacionamentos, descrita como não-partidária, dedicada a reforçar e melhorar as relações de uma sociedade mais forte, assinalou o custo da ruptura familiar em 37,03 bilhões de libras esterlinas ($ 61,07 bilhões) anualmente. Outro relatório, do Centro Social da Justiça de Londres, colocou o custo da ruptura familiar, no Reino Unido, a uma taxa anual de 20 bilhões de libras esterlinas ($ 32 bilhões)”.

– Outra agência de adoção católica fecha as portas na Inglaterra, por causa da legislação que proíbe “a todas as agências do setor no Reino Unido rejeitar a adoção de crianças a casais homossexuais”. Triste.

– “Há vezes em que um aborto é necessário. Eu sei disso. Quando você tem um negro e uma branca. Ou um estupro”. A frase é de Richard Nixon, ex-presidente americano, e foi publicada recentemente nos Estados Unidos. Foi proferida em 1973. Espero que esteja bem claro para todo mundo que o primeiro “motivo” da necessidade do aborto citado pelo ex-presidente é repugnante. Sonho com o dia em que o segundo seja considerado por todos igualmente inaceitável.

– Encerrou-se o Ano Paulino. O Papa Bento XVI anunciou que os restos mortais contidos na Basílica de São Paulo Fora dos Muros – e venerados como sendo do Apóstolo das Gentes – foram analisados e se chegou à conclusão de que pertenciam a uma pessoa “que viveu entre o primeiro e o segundo século”. Afirmou ainda o Pontífice: “Tudo parece confirmar a unânime e incontrastável tradição de que se tratam dos restos mortais do apóstolo Paulo, o que nos enche de profunda emoção”. São Paulo, rogai por nós.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

20 thoughts on “Curtas sucintos

  1. R. B. Canônico

    Poucos lugares comoveram-me tanto, em Roma, como a Basílica de São Paulo Fora dos Muros.

    Há um efeito inexplicável que aquele lugar causa nas pessoas, e imagino que a causa seja justamente os restos mortais do Apóstolo.

  2. Felipe

    “Santa Sé decidirá futuro do Bispo uruguaio acusado de má conduta sexual”
    O futuro dele bem que poderia ser a fogueira…

  3. Fernando Caminha

    “Sonho com o dia em que o segundo seja considerado por todos igualmente inaceitável.”

    Trocando em miúdos: estuprar, pode; abortar, não.

  4. Jorge Ferraz Post author

    Senhor Fernando “Analfabeto Funcional” Caminha,

    Para o senhor:

    Pra aprender a ler,
    pra isso não tem hora…

    Pode ser de dia,
    pode ser de noite,
    pode ser agora…

    – Jorge

  5. Alien

    Jorge, o uso da objeção de consciência não pode ser objetado pelos defensores do aborto como um “tiro mortal” nas discussões, visto que substitui argumentos lógicos por argumentos emocionais (consciência)? Pelo menos foi o que entendi do conceito – me corrija se eu estiver errado…

  6. Jorge Ferraz Post author

    Alien,

    Note que a objeção de consciência não é “um argumento”, e sim um direito. Um médico católico tem o direito de não realizar um aborto nem mesmo nos países onde ele é permitido. Ninguém pode obrigá-lo a agir contra a sua própria consciência.

    Abraços,
    Jorge

  7. vanderley

    1 – Bispo na Maçonaria – é no mínimo vergonhoso.

    Mas não é o primeiro a fazer isso..

    Lamentável !!!

    Fica a dúvida: Será que ele não é maçom também ??

    Quando se advoga uma causa e porque existe certo
    comprometimento com ela.

    2 – Bispo do Uruguai – aliás, um bispo “progressista”, diga-se esquerdista.

    Horror ao cubo !!

    Aqui , parece-me um problema de extrema gravidade,

    dado que existe uma infiltração do “gayzismo” dentro de

    toda sociedade, e na Igreja tambem….

    É mais uma consequência do “liberalismo ” ou ”

    “progressismo” que penentrou na Igreja, já nos anos

    anteriores ao CV.

    Não sei dizer, exatamente, quando foi.

    Ainda darão muita dor de cabeça à Igreja.

  8. Fernando Caminha

    “Trocando em miúdos: estuprar, pode; abortar, não.”

    Essa a verdade, para os católicos; voce que não quer dizer de um modo claro, prefere tergiversar.

    Tem medo de assumir?

  9. Jorge Ferraz Post author

    Senhor Caminha,

    “Trocando em miúdos: estuprar, pode; abortar, não.”

    Essa a verdade, para os católicos; voce que não quer dizer de um modo claro, prefere tergiversar.

    Ah, sim, claro. O que os católicos dizem de si próprios não importa; quem sabe o que é a verdade para os católicos é um anti-clerical baderneiro, né?

    Vá procurar o que fazer. Ou o senhor prova esta calúnia, ou pede desculpas pela mentira, ou desaparece da nossa vista. Minha paciência com a calhordice intelectual está limitada nos últimos dias.

    Contradições da cristandade:

    Blá-blá-blá de hereges protestantes de quinta categoria. Não, não há necessidade de se travar um “debate” com quem não veio se apresentar para tal, para responder a questões caducas que já foram mais de um milhão de vezes cabalmente refutadas.

    Estou esperando a prova, a desculpa ou o adeus.

    – Jorge

  10. lucas

    Só porque o custo do divorcio é caro a Igreja tem razão em ser contra? Eu acho que de todos os argumentos usados pela igreja esse é o menos importante.
    Vou frizar bem NÃO ESTOU DIZENDO QUE A IGREJA NÃO TENHA ARGUMENTOS VÁLIDOS CONTRA O DIVORCIO, CONCORDO COM VARIOS ARGUMENTOS DELA.

  11. Jorge Ferraz Post author

    Lucas,

    Não, não, não é isso. Acontece que a Lei Natural – defendida pela Igreja e que prega, entre outras coisas, o casamento monogâmico indissolúvel – sempre foi apresentada como sendo a melhor opção para o Estado independente da Fé [ou falta de Fé] de seus cidadãos. Este estudo do divórcio mostra que – como a Igreja sempre disse – é melhor para os Estados que as suas famílias permaneçam intactas.

    De fato, ainda que existisse alguma situação em que o divórcio fosse vantajoso para o Estado, a Igreja continuaria sendo contrária a ele.

    Abraços,
    Jorge

  12. Fernando Caminha

    “Ou o senhor prova esta calúnia”

    Claro que eu provo, grandessíssimo [CENSURADO]. Se uma coisa (o estupro) tem um castigo apenas pro forma – num pretenso céu em outra vida – e outra (o aborto) tem castigo até dizer “basta”, onde a pessoa é vilipendiada ainda em vida, entregue ao ostracismo por haver sido criada desde o princípio de sua vida daquele modo, claro que aquele – para a igreja – pode; o outro, não.

    Claro que no seu “arrodeio para dizer que é corno” voce vai arranjar mil desculpas para satisfazer os outros “viadinhos e sodomitas” como voce, mas é querer continuar a tapar o sol com a peneira. Ainda bem que, a cada dia que se passa, voces são mais desmascarados.

    Ah, e quer saber de uma coisa? [CENSURADO]!

  13. Jorge Ferraz Post author

    Senhor Caminha,

    E em que mundo, grandessíssima anta, um estuprador tem “honrarias até dizer basta”, é “ovacionado ainda em vida”, é “entregue ao glamour por haver sido criado desde o princípio de sua vida daquela forma”?!

    Onde é, seu mau-caráter, que uma pessoa que estupre alguém não é “vilipendiada ainda em vida, entregue ao ostracismo por haver sido criada desde o princípio de sua vida daquele modo”?

    Além de um gritante non sequitur (porque é óbvio que da discrepância de penas não segue que uma das coisas seja lícita e a outra não), ainda tem a cara-de-pau de mentir para sustentar a calúnia. Que coisa mais feia. Vá arrumar o que fazer, seu desocupado, que aqui já encheu.

    – Jorge

  14. Fernando Caminha

    Agora é minha vez, idiota. Qual a pena que a igreja prescreve para o estuprador? Responda, deixe de ser covarde!

  15. Jorge Ferraz Post author

    Anta caminhante,

    Pena canônica? Nenhuma. Nem também para o assalto à mão armada, ou o latrocínio, ou o seqüestro relâmpago. A Igreja, sua anta, não é delegacia de polícia nem o Código de Direito Canônico é um Código Penal. Pela tua lógica, então, todas essas coisas podem ser feitas por católicos, não é?

    Mais: qual a pena que o ateísmo prescreve para o estuprador? Santa Mãe de Deus, NENHUMA! Conclusão caminhante: os ateus defendem o estupro!!!

    Tchau, mau-caráter.

    – Jorge

  16. Pedro

    No site protestante citado pelo Caminha, há um link para um artigo segundo o qual os cristãos primitivos consideravam o aborto um dos piores pecados.

  17. Artur

    O cara para usar um argumento como esses do Caminha, tem que estar muito mal intencionado. Um debate é enriquecido na medida que os debatedores estão com a mente aberta para a possibilidade de estarem errados. Agora, se o cidadão vem apenas para fazer provocações, sugiro a expulsão do mesmo seguida de uma boa resposta sem precisar perder as estribeiras.

  18. Messias

    De certa forma, a ideologia abortista acaba sendo pior do que o próprio estupro, uma vez que o aborto visa matar o feto (inocente) e não o estuprador (culpado).
    Já vi por exemplo, feministas (geralmente abortistas) defenderem que mulheres grávidas por estupro que desejassem abortar, não devam precisar de apresentar provas do estupro.
    O que vemos aqui? Neste caso, a proteção ao estuprador.
    Um inocente morrer é mais importante do que um tarado ser preso.
    Alguém já viu feministas fazerem campanha para pena de morte para terados?
    Para elas (e seus simpatizantes) fetos têm é que morrer, mas, estupradores não. Devem ser é protegidos.

  19. Lampedusa

    A obliteração mental desse Caminha só pode ser explicado pelo ódio, ressentimento e preconceito. Pela lógica dele todo crime com pena inferior à máxima prevista na lei é, então, permitido…