Posse de S.E.R. Dom Fernando Saburido

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 5 dias atrás.

Salvum fac servum tuum!

Salvum fac servum tuum!

Hoje é a posse de Sua Excelência Reverendíssima Dom Fernando Saburido, novo Arcebispo de Olinda e Recife. Que a Virgem Santíssima, Onipotência Suplicante, cuja Assunção nós hoje comemoramos, possa transformar o seu episcopado em um milagre. O Jornal do Commercio prenuncia uma era de mudanças em Olinda e Recife; eu rogo à Virgem Mãe de Deus que Se digne exaltar a Igreja de Nosso Senhor, para a maior glória de Deus.

Vou às cerimônias. Mais tarde, comento.

℣. Oremus pro antistite nostro Ferdinando.
℟. Stet et pascat, in fortitudine tua, Domine, in sublimitate nominis tui.
℣. Salvum fac servum tuum.
℟. Deus meus sperantem in te.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

10 thoughts on “Posse de S.E.R. Dom Fernando Saburido

  1. Captare

    Caro Jorge, Laudetur Dominus!

    Depois de uma gestão como a de Dom José, sempre ficamos meio ressabiados com o que possa vir pela frente.

    Não sei como anda as coisas em Recife, mas espero que a notícia do Jornal do Commercio seja apenas o que parece: o típico triunfalismo progressista; e que não seja um reflexo da realidade!

    Deus abençoe o novo Arcebispo Dom Fernando!

  2. Domingos de Oliveira

    Só mesmo um milagre,pq pelo que lí,todos os seguidores da TL,estão radiantes com o novo Arcebispo.

  3. Captare

    Caro Artur, Laudetur Dominus!

    Você sabe de alguma coisa que os TL e o Jornal do Commercio não sabem?

    Tem boas referências ou fontes sobre o pensamento e as ações do novo Arcebispo?

    De qualquer forma, Deus queira que você esteja certo.

    Não faço parte da Diocese de Recife, não estou nem perto de lá. Mas acompanhei algumas polêmicas envolvendo D. José. Temo que possa acontecer à memória da obra dele o que aconteceu em Anápolis, GO, onde o novo bispo se esforça para apagar a memória da obra do bispo anterior.

    Pax et Salutis

  4. André Víctor

    Sr. ‘Captare’.

    Pax!!

    O senhor conhece a diocese de Anápolis? Estou em Goiânia, e estudei em Anápolis, e o próprio Dom Manuel foi meu professor, que acredito ser o ‘bispo anterior’ a quem se referiu no comentário anterior.

    Abraços e até mais ‘ver’.

    André Víctor

  5. Captare

    Caro André, Laudetur Dominus!

    Dom Manuel, isto mesmo. Aliás, você poderia confirmar esta informação? Já que faz parte da diocese de Anápolis, você sabe o que tem acontecido aí.

    Acontece que li por alto que o novo bispo tem se esforçado para mudar muito do que Dom Manuel fez. É verdade?

    Pax et Salutis

  6. André Víctor

    Caríssimo ‘Captare’!!!

    No início de seu governo, o do Dom João, obtive informações de que ele mandara ‘quebrar’ os altares fixos (voltados para Deus!) em muitas Igrejas e Capelas.
    Lá em Anápolis, mesmo as celebrações da Santa Missa na forma ordinária, era bastante comum isso, o de o sacerdote ficar voltado para Deus e não para a assembléia.

    Mas mesmo assim, ainda continuam as Missas na forma extraordinária, ou seja, no rito Tridentino. Apesar de que houve também uma certa diminuição.

    Era bastante comum, ver e presenciar padre em toda a cidade trajando sua batina preta. O que ocorre hoje com um pouco menos freqüência, mas ainda assim continua bastante visível nas ruas.

    Outro aspecto é as das ordenações sacerdotais. No mesmo ano em que Dom Manuel deixou o governo, foram ordenados em um só ano dez (10) novos sacerdotes. O que era um tanto normal esta situação. Mas, por informações que obtive de alguns padres e amigos desta diocese é que o número de seminaristas tem diminuído e conseqüentemente o número de ordenações por ano também.

    Outro fato, e que este eu presenciei pessoalmente, foi o fato da então Faculdade de Filosofia São Miguel Arcanjo – FAFISMA, ter mudado seu nome para Faculdade Católica de Anápolis. E nesta mudança, onde antes havia uma capela, mais especificamente uma sala reservada como oratório, onde os vários padres que por lá transitavam, (mas não transitam mais em quantidade como antes), atendiam confissões e celebravam, quando em vez a Santa Missa. Para minha surpresa, quando voltei ao prédio da antiga FAFISMA, com uma ‘nova cara’, não encontrei mais a específica sala, onde muitas vezes, fiz minhas orações e fui perdoado de meus pecados. Nada mais restava. Não encontrando a tal ‘sala’, fui perguntar a um funcionário antigo: ‘Onde fica a capela? Mudaram de lugar com a reforma? – perguntei com a esperança de ter sido construída uma nova sala mais ampla e mais adequada para tamanha função – e o que obtive de resposta me frustrou muito: “Aqui não existe mais uma capela. Isto aqui agora é uma instituição laica” (Sic!) Com meu espanto veio imediatamente uma indagação, quase que de ‘bate pronto’: “Se ISSO aqui é uma instituição laica, não quer dizer que seja ATEIA, e mesmo que assim fosse, então peça para retirar da fachada do prédio o nome de CATÓLICA, pois seria bem melhor ter continuado com o nome de FAFISMA, pois assim se tinha verdadeiramente uma instituição católica”.

    E é isso caríssimo ‘Captare’. Tenho alguns amigos sacerdotes por lá e um deles é bastante combatido, devido a sue zelo pela ortodoxia católica, tão bem e caprichosamente anunciada, ensinada e defendida pelo saudoso Dom Manuel Pestana.

    Vendo a ‘despedida’ de Dom José Sobrinho, me lembro de quando pude falar com Dom Manuel, pouco antes de sua saída. Dizia-lhe de que o sentimento de que eu me nutria naquele momento era uma espécie de estar perdendo o ‘ultimo dos moicanos’. Ao qual me responde Dom Manuel, com seu sorrisinho simples, humilde e bem humorado: “Meu filho, você me fez lembrar de quando estava em reunião com os bispos do Brasil, tempos atrás, e estava eu com meu amigo também bispo (não me lembro o nome), e só nós dois de batina pelos corredores do prédio, onde ele coloca seu braço sobre meu ombro e me diz: ‘É amigo Pestana, acho que somos uma raça em extinção’” . E com isso deus aquela gargalhada marota. (rs) Que saudades tenho daqueles tempos. (Sic!)

    Espero muito mesmo que não aconteça o mesmo com Recife e Olinda. Vendo as fotos de Dom José, que assim como Dom Manuel é bem pequenininho (rs) em estatura, mas gigantes em amor a Santa Igreja e sua Sã Doutrina. São nossos pequenos gigantes (rs).

    Bom! Já escrevi demasiadamente.

    Que Nossa Senhora possa nos cumular de Graças, junto ao seu Filho-Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo, Eterno Sacerdote, que neste ano Sacerdotal possa ‘brotar’ no coração de tantos jovens (e adultos também) forem necessários para abraçar o ‘posto’ de sacerdote do Altíssimo e poder ser no futuro outros Dom Manuel e Dom José.

    Abraços e até mais ‘ver’.

    André Víctor.

  7. Captare

    Caro André Víctor, Laudetur Dominus!

    Muito obrigado pelos esclarecimentos! Muito triste o que você conta sobre a FAFISMA! Tiraram a oração de São Miguel da Missa e o tiraram até do nome da faculdade. Acontece que São Miguel Arcanjo é um símbolo fortíssimo na luta contra os modernistas, que não acreditam no demônio e por isso procuram banir sua referência de todos os lugares, masmo que seja na oração ao Santo Arcanjo.

    Grande abraço e amém a tudo o quanto você pediu em oração no seu comentário!

    Pax et Salutis

  8. Manuel Pereira

    Que Deus abençoe D. Fernando, que Deus abençoe o pastor e o seu rebanho. O Pastor é o que entra pela porta, o que entra pela janela é ladrão e salteador. E é o que parte na noite e não regressa sem encontrar a ovelha perdida. E é o que anuncia a Boa Nova de Nosso Senhor Jesus Cristo. Esse mesmo que disse “raça de víboras”, esse que fez um chicote de cordas e derrubou as mesas dos cambistas enquanto dizia “a minha casa é casa de oração e vós fizestes dela um covil de ladrões”. Esse tal também que disse “onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome EU ESTAREI NO MEIO DELES”, sem dizer nem na parede, nem a oriente, nem onde o querem pendurar arrumadinho. Que nem falava latim, nem vestia batina, nem lia o código de direito canónico. E acho que aquela raça de víboras o pendurou numa CRUZ por causa do que ele dizia, até coisas como “os teus pecados te são perdoados, vai e não voltes a pecar” e “eu não vim por causa dos justos mas dos pecadores”. E fizeram-lhe como os pais deles faziam aos profetas. Ainda bem que agora já não há quem faça disso.
    Deus abençoe D. Fernando e coloque no seu coração e na sua mente um amor muito grande ao Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Não é preciso mais.
    Deus abençoe D. Fernando.

  9. Pingback: Deus lo Vult! » Celebração – 10 anos de Episcopado de Dom Fernando Saburido