CNBB em solidariedade ao Papa

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 4 meses 23 dias atrás.

Fonte: CNBB

Nota de solidariedade ao Papa Bento XVI

O povo católico de todo o mundo acompanha, com profunda dor no coração, as denúncias de inúmeros casos de abuso sexual de crianças e adolescentes praticado por pessoas ligadas à Igreja, particularmente padres e religiosos. A imprensa tem noticiado com insistência incomum, casos acontecidos nos Estados Unidos, na Alemanha, na Irlanda, e também no Brasil.

Sem temer a verdade, o Papa Bento XVI não só reconheceu publicamente esses graves erros de membros da Igreja, como também pediu perdão por eles. Disso nos dá testemunho a carta pastoral que o Santo Padre enviou aos católicos da Irlanda e que pode se estender aos católicos de todo o mundo.

Mais do que isso, Bento XVI não receou manifestar seu constrangimento e vergonha diante desses atos que macularam a própria Igreja. Firme, o Papa condenou a atitude dos que conduziram tais casos de maneira inadequada e, com determinação,  afirmou que os envolvidos devem ser julgados pelos tribunais de justiça. Não faltou ao Papa, também, mostrar a todos o horizonte da misericórdia de Deus, a única capaz de ajudar a pessoa humana a superar seus traumas e fracassos.

Às vítimas o Papa expressou ter consciência do mal irreparável a que foram submetidas. Disse Bento XVI: “Sofrestes tremendamente e por isto sinto profundo desgosto. Sei que nada pode cancelar o mal que suportastes. Foi traída a vossa confiança e violada a vossa dignidade. É compreensível que vos seja difícil perdoar ou reconciliar-vos com a Igreja. Em seu nome expresso abertamente a vergonha e o remorso que todos sentimos”.

Essa coragem do Sucessor de Pedro nos coloca a todos em estado de alerta. Meditamos sobre esses atos objetivamente graves, e estamos certos de que – como fez o Papa – devem ser enfrentados com absoluta firmeza e coragem.

É de se lamentar, no entanto, que a divulgação de notícias relativas a esses crimes injustificáveis se transforme numa campanha difamatória contra a Igreja Católica e contra o Papa. Deixam-nos particularmente perplexos os ataques freqüentes e sistemáticos, ao Papa Bento XVI, como se o então Cardeal Ratzinger tivesse sido descuidado diante dessa prática abominável ou com ela conivente. No entanto, uma análise objetiva dos fatos e depoimentos dos próprios envolvidos nos escândalos revela a fragilidade dessas acusações. O Papa, ao reconhecer publicamente os erros de membros da Igreja e ao pedir perdão por esta prática, não merecia esse tratamento, que fere, também, grande parte do povo brasileiro, que  sofre com esses momentos difíceis, e reza pelas vítimas e seus familiares, pelos culpados, mas também pelas dezenas de milhares de sacerdotes que, no mundo todo, procuram honrar sua vocação.

De fato, “a imensa maioria de nossos sacerdotes não está envolvida nesta problemática gravemente condenável. Provavelmente, não chegam a 1% os envolvidos. Ao contrário, os demais 99% de nossos sacerdotes, de modo geral, são homens de Deus, dignos, honestos e incansáveis na doação de todas as suas energias ao seu ministério, à evangelização, em favor do povo, especialmente a serviço dos pobres e dos marginalizados, dos excluídos e dos injustiçados, dos desesperados e sofridos de todo tipo” (cf. Cardeal Cláudio Hummes, 12ºENP).

No momento em que a Igreja Católica e a própria pessoa do Santo Padre sofrem duros e injustos ataques, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil manifesta sua mais profunda união com o Papa Bento XVI e sua plena adesão e total fidelidade ao Sucessor de Pedro.

A Páscoa de Cristo, que celebramos nesta semana, nos leva a afirmar com o apóstolo Paulo: “Somos afligidos de todos os lados, mas não vencidos pela angústia; postos em apuros, mas não desesperançados; perseguidos, mas não desamparados; derrubados, mas não aniquilados” (2Cor 4,8-9). Nossa fé nos garante a certeza da vitória da luz sobre as trevas; do bem sobre o mal; da vida sobre a morte.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

13 thoughts on “CNBB em solidariedade ao Papa

  1. Vinícius

    Alguém pode me esclarecer quem haqueou o site da CNBB?

    Deo Gratias

  2. Rafaela

    Estou em choque!

    A nota prova que ainda há alguma esperança na CNBB. Faz tempo que não vejo uma nota tão católica da nossa conferência.

    Roguemos a Deus que esse mesmo Espirito que os auxiliou na redação e publicação continue a iluminar o caminho dos nossos pastores!

  3. Emerson

    Bravo CNBB!

    .”a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil manifesta sua mais profunda união com o Papa Bento XVI e sua plena adesão e total fidelidade ao Sucessor de Pedro.”

    É assim que deveria agir; sempre.

  4. Paulo

    Não tenho nada em especial contra o papa, mas navegando pela net entrei no link abaixo e, considerando que a informação parte de um ex-seminarista que está em vias de desistir da fé católica devido ao nível de “sujeira”, homossexualismo e outras coisas terríveis que presenciou no seminário, não consigo entender a situação atual como uma “campanha difamatória” contra a igreja, mas sim como uma notícia de algo que é tão claro e evidente que é de conhecimento dos próprios católicos romanos que não vivem cegos pela tradição.
    http://www.montfort.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=polemicas&artigo=20061011012858&lang=bra

  5. Candido Rubim Rios

    Sr. Paulo a fé católica nada tem haver com homosexuais nos seminários que é muito menor do que nos quartéis e até mesmo dentro das famílias do mundo. Se o seminarista abandonar por isso, para onde ele vai? Talvez more só.

  6. Olegario

    A CNBB quer ser solidária com o Papa?

    Ótimo. E muito justo.

    Por que então não explicar aos fieis que sendo católicos não devemos votar em nenhum político do PT?

    Por que não dizer ao povo – já que essa agremiação adora política – que o MST é um movimento terrorista, que rouba, pilha e depreda bens alheios?

    Por que não orientar aos homens de boa vontade que não devemos ser compassivos intelectualmente com o gayzismo?

    Por que não coibir os abusos litúrgicos que já passaram – e muito – dos limites da tolerância?

    Por que não defenestrar de vez esse terrível e nefasto movimento das “Católicas pelo direito de decidir”?

    Por que não passar uma dura reprimenda em padres hereges, como frei Betto, que confundem e destroem a fé dos mais simples destilando absurdos em cada entrevista ou artigo?

    Por que não impor regras de conduta ao padres cantores – modelos – artistas – gianechinis e brad’s pitt’s da vida?

    Por que não esquecer um pouco de temas sociais e terrenos como Amazônia, borboleta da asa amarela, colibri do bico dourado, asfalto, metrô, favela, e falar das coisas do “alto”?

    Por que não facilitar a vida de sacerdotes piedosos que almejam santamente celebrar o rito latino?

    Por que não propiciar ao brasileiros católicos uma quaresma mais santa, ao invés de manchá-la com temas políticos e “libertadores” de odor marxista?

    Esses são alguns bons exemplos que a CNBB poderia adotar em solidariedade ao Papa…

    Ah, sim. Ela emitiu um texto.

    Então tá bom, né…?

    Olegário.

  7. Olegario

    Pessoal,

    Desejo a todos uma santa Páscoa.

    Que Deus abençoe a todos.

    Olegário.

  8. Renato Lima

    Olegario, é a tática que a CNB do B faz para enganar os idiotas uteis e continuar implantando a sua cartilha marxista.

    E tem católico bobo que ainda acredita na CNB do B!

    Santa Páscoa para todos com a Graça de Deus.

  9. Renato Lima

    Abr
    01
    Enquanto os imbecis perdiam tempo com BBB10, outros tentam PERDER NOSSOS FILHOS
    Ana Maria Nunes

    Conae: Livros didáticos e escolas TERÃO de incluir temática LGBT

    Quer saber quem apoiou:

    Segundo Reis, entidades nacionais apoiaram os projetos, entre elas a CUT (Central Única dos Trabalhadores), a CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) e a Fasubra (Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras).

    Veja

    Visto na comu Santo Agostinho do orkut

    Agoraaaaaaa, o mais estranho, o estranhíssimo é a cnbb vir em rede de tvs Católicas dizer que é aliada, defende e está com o Papa Bento XVI. Éé mesmo???? Por que não defende o Cristianismo nesse País??

    Pergunta que não quer calar: por que a cnbb não enfrenta os petralhas????

    Respondo: porque ELA elegeu petralhas no País inteiro e em Brasília. Fizeram, dos presbitérios, palanques dos petralhas.

    O cerco está se fechando, só não vê quem não quer!!

    http://sucessaoaapostolica.blogspot.com/2010/04/enquanto-os-imbecis-perdiam-tempo-com.html

  10. Renato Lima

    Abr
    03
    Eis o décimo segundo :(((
    Ana Maria Nunes

    Analisem a arrogância dessa foto. No quadro há onze Apóstolos, dá a entender que o décimo segundo é o cara! Veja:

    Foto no link abaixo.

    “Uberaba tem uma religiosidade muito forte e presente na vidas das pessoas. Seja espiritismo ou catolicismo, todos nós somos cristãos e é isso que sempre vai nos unir”

    …Não se pode levar em conta o distanciamento entre a filosofia do espiritismo e a do catolicismo.

    Veja

    Aiai!! Enquanto isso, tá assim ó de católico soltando fogos pela palavras da cnbb se dizendo ao lado do Papa Bento XVI. Só rindo!

    A cnbb não quis perder o bonde de estar mídia!!!

    Vou evitar comentários porque é sábado santo.
    Link enviado por leitor do Sucessor.

    http://sucessaoaapostolica.blogspot.com/2010/04/eis-o-decimo-segundo.html