O rei está nu!

closeAtenção, este artigo foi publicado 6 anos 2 meses 2 dias atrás.

Alvíssaras! A despeito dos descalabros do STF, ainda resta um mínimo de bom senso no judiciário brasileiro: um juiz de Goiás cancelou um registro de “união estável” feito por uma dupla de sodomitas em Goiânia. O gesto é pequeno – aliás, certamente será derrubado nas instâncias superiores – e o meritíssimo juiz provavelmente sofrerá, a partir de agora, a implacável perseguição da Gaystapo; mas tem uma força simbólica muito grande. Houve em Goiás quem não quisesse abaixar a cabeça diante dos despautérios que vêm de Brasília. Houve em Goiás quem se recusasse a queimar alguns grãozinhos de incenso diante dos deuses do Novo Olimpo. Houve em Goiás quem não abrisse mão da sua consciência nem da sua capacidade de pensar e, na contramão do mundo, afirmasse claramente que o branco é branco, a despeito do Supremo Tribunal Federal insistir em dizer que é preto. Houve em Goiás um juiz digno da toga que veste!

O magistrado [juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública Municipal e Registros Públicos de Goiânia, Jeronymo Pedro Villas Boas] contestou a decisão do Supremo, e disse que a Corte não tem competência para alterar normas da Constituição Federal. O artigo 226 traz em seu texto que, “para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão”. Esta seria a norma que o juiz entendeu inviolável.

Alvíssaras! Para ser possível viver em sociedade, é fundamental haver respeito à autoridade e à hierarquia; mas existem algumas situações nas quais o absurdo é tão gritantemente manifesto (lembremo-nos de que o STF decretou que a Consituição era inconstitucional, agindo deliberadamente contra tanto a letra do texto constitucional quanto contra a manifesta intenção da Assembléia Constituinte) que os subordinados precisam se levantar contra os seus superiores e lhes chamar à razão. E assim teve a coragem de dizer um juiz em Goiás: “a Corte não tem competência para alterar normas da Constituição Federal”! Disse o que era evidente e que todo mundo já sabia, mas ninguém tivera ainda a coragem de o dizer; como, no conto, todos fingiam admirar a “roupa que os tolos não eram capazes de ver” do monarca envaidecido, e ninguém tinha coragem de gritar que o rei estava nu [créditos ao pe. Lodi pela analogia].

Enquanto isso, encerra-se o prazo de recurso para o PDC 224/2011 (que sustava “a aplicação da decisão do Supremo Tribunal Federal (…) que reconhece a entidade familiar da união entre pessoas do mesmo sexo”), e ninguém apresenta recurso. A matéria foi devolvida ao relator. Os gestos dos descontentes com o golpe de Estado dado pelo STF em 05 de maio p.p. são tímidos, como se houvesse um medo de ferir susceptibilidades ou de se parecer retrógrado, homofóbico… ou tolo. Mas os que mantêm o seu bom senso intacto perfazem a imensa maioria dos cidadãos de bem deste país, a despeito do que decidam onze lunáticos (não eleitos pelo povo, é sempre bom frisar) lá em Brasília. É preciso ter a coragem de defender os valores inegociáveis. É preciso mostrar o descontentamento com as arbitrariedades dos poderosos. É preciso gritar que o rei está nu.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

29 thoughts on “O rei está nu!

  1. tht

    Se vale o livre exame, vale para todos. Solo STF e Sola Constituição. Parabéns a esse juiz!

  2. humanitatis

    Parabéns pela presteza da informação, Jorge. O movimento gay vive de mentiras e dos favores da lei. Temos que denunciar suas artimanhas.

    Abraço!

  3. nubes silva

    jorge a migos o que mais irrita é que se vive denunciando na Arquidiocese alguns Padres homossexuais (omito nomes por piedade) e nosso querido Bispo nada faz.

  4. Demerval Jr.

    a despeito do que decidam onze lunáticos (não eleitos pelo povo, é sempre bom frisar) lá em Brasília.

    Na verdade, eles não são lunáticos. São muito piores que isso: eles são luLáticos!

    Deus nos defenda dessa corja, togada ou não…

  5. Benjamin Bee

    Que conversa… Está na cara que o juíz preferiu trocar a toga por uma cadeira no Legislativo. Tudo por dinheiro.

    Só deu continuidade à visibilidade da decisão do STF. Bom pra quem?

    Eu, hein…

  6. Molina

    Não se preocupe Bee, logo a decisão deste juiz preconceituoso e desinformado vai ser derrubada.

  7. Pingback: Magistrado goiano diz não a união homoafetiva « Ecclesia Una

  8. Bruno

    Este website é um escrúpulo! Se seu deus tão perfeito fosse contra o homossexualismo, não acham que isto não existiria?
    É no mínimo uma prova de que o estado deve ser 1000% separado da igreja, que não faz nada além de manipular a verdade de que TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI. Nenhum ser mágico audacioso pode alterar isto.
    O Brasil vive, hoje, o status de um dos países mais democráticos de globo terrestre, e são pessoas como vocês que desvirtuam a liberdade em que vivemos.
    ESTADO LAICO JÁ! OU ENTÃO A MORTE DESTE.

  9. johanes

    Curioso como seu deus criou um monte de padre pedófilo e gay enrustido e jogou dentro da sua igreja pra guiar o seu rebanho de ovelhas cegas, surdas, mudas e ignorantes. E sem dúvidas há pelo menos um gay na sua familia – e se voce disser que nao tem, observe com olhos mais atentos que voce encontra.

  10. Ygor

    Bruno,

    Me desculpe mas o seu primeiro parágrafo já está mau. Você disse:

    ” Se seu deus tão perfeito fosse contra o homossexualismo, não acham que isto não existiria?”

    A começar, por que deus e não Deus? Desrespeito gratuito dentro de uma casa (eletrônica) católica?

    Mas o pior não é isso! Veja, se seu raciocínio, acima destacado, está correto, então posso afirmar que se Deus é contra alguma coisa, esta coisa não existe???? Logo, se algo existe é porque Deus é a favor. Daí conclui-se que Deus é a favor do roubo, da violência e tudo o que o mundo apresenta de ruim e do que é bom também. CONTRADIÇÃO TOTAL E ABSOLUTA. Desconsiderei o restante do seu comentário.

    É melhor você tomar mais cuidado antes de entrar numa casa, ofender o Dono e vomitar incoerências.

  11. Jorge Ferraz Post author

    Johanes,

    Deus não “criou um monte de padre pedófilo e gay enrustido”. Isto é Satanás semeando joio em meio ao trigo.

    Agora, eu sou contra a pederastia entre os sacerdotes. Para mim, padre pedófilo tinha que ser jogado em um buraco (aljube), possivelmente pelo resto da vida. Isto, sr. Johanes, é coerência.

    Já o senhor é extremamente incoerente, porque vem atacar os padres gays ao mesmo tempo em que – a julgar pelo teor da intervenção – defende os gays que não são padres. Curioso, não?

    – Jorge

  12. Emanuel

    Quem te deu o direito (e a moral) de julgar teu irmão? Busque o amor de Deus e correção para sua vida infeliz.

    “O hipócrita com a boca destrói o seu próximo, mas os justos se libertam pelo conhecimento.” (
    Provérbios 11:9)

    “E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se, e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela.” (João 8:7)

    “Ou como podes dizer a teu irmão: Irmão, deixa-me tirar o argueiro que está no teu olho, não atentando tu mesmo na trave que está no teu olho? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então verás bem para tirar o argueiro que está no olho de teu irmão.” (Lucas 6:42)

  13. BEEE

    Olhem…enquanto a bancada religiosa tenta barrar a felicidade dos gays, os seus padres e pastores transam com outros homens, abusam sexualmente de crianças. Lembram do caso Lucas Terra da Bahia da Igreja Universal?Imaginem o pai do menino que pensando que o filho estav seguro dentro da igreja, quando na realidade foi entregue a um pedófilo miserável.
    Quanto à igreja católica, estava conversando com um amigo de sampa, quando o mesmo me disse que teclava com um padre naquele momento.Advinha onde ele vai transar no prx domingo? Na casa paroquial, dentro da igreja e logo após a missa das 18 horas. Igrejas do Brasil, abaixo a hipocrisia. Não basta o dinheiro do dízimo que roubam dos miseráveis com alienação mental? E ainda querem atormentar a vida alheia?

  14. Bruno

    Só para constar, o TJ “tornou sem valor” a anulação do Juíz maluco. Viva a liberdade!

  15. Jorge Ferraz Post author

    Bruno,

    Se seu deus tão perfeito fosse contra o homossexualismo, não acham que isto não existiria?

    Não, não acho, uma vez que existem ladrões, exitem adúlteros, existem fornicadores, existem ateus, existem assassinos e existem homossexuais. Seria bem estúpido pensar que não existiriam as coisas contra as quais fosse Deus. Só mesmo um ateu para ter uma idéia idiota dessas…

    O Brasil vive, hoje, o status de um dos países mais democráticos de globo terrestre, e são pessoas como vocês que desvirtuam a liberdade em que vivemos.

    Não vivemos em “liberdade”, meu caro, vivemos em depravação – são duas coisas bem diferentes.

    Aliás, o PLC 122 (a Lei da Mordaça Gay) existe justamente para tolher a liberdade de expressão dos cristãos; e o senhor, cuja coerência escorre dos seus textos, provavelmente é a favor desta imoralidade também.

    BEEE,

    Olhem…enquanto a bancada religiosa tenta barrar a felicidade dos gays, os seus padres e pastores transam com outros homens, abusam sexualmente de crianças

    Dois problemas aí. Primeiro que ninguém quer “barrar a felicidade dos gays”, o que queremos é manter a moralidade pública e não introduzir injustiças no ordenamento jurídico brasileiro.

    Segundo que, como eu já disse, para mim um padre sodomita deveria ser jogado em um buraco a pão e água para meditar sobre seus pecados [possivelmente até o fim dos seus dias]. Incoerência é a de vocês, que criticam os padres gays ao mesmo tempo que louvam e defendem os gays que não são padres!

    Advinha onde ele vai transar no prx domingo? Na casa paroquial, dentro da igreja e logo após a missa das 18 horas

    Primeiro que a vida sexual dos gays não me interessa e aposto que tampouco interessa a nenhum dos leitores do blog. Sugiro que procure um fórum gay para postar estas horrendas aventuras sexuais contra a natureza.

    Segundo que, salvo alguma disposição arquitetônica totalmente inusitada, a casa paroquial não fica dentro da igreja.

    Bruno (de novo) e Molina,

    Pois é, eu também tinha dito isso.

    – Jorge

  16. Cristiane Pinto

    Jorge
    “Incoerência é a de vocês, que criticam os padres gays ao mesmo tempo que louvam e defendem os gays que não são padres!”
    Assino embaixo, concordo plenamente com você. Eles criticam os padres gays, mas aprovam e defendem os gays que não são padres. Defendem o fim do celibato, mas ao mesmo tempo parecem esperar que os padres sejam celibatários. É natural que nós, que somos cristãos, nos indignemos com padres pedófilos ou homossexuais, é natural que o que esperamos dos sacerdotes é que todos sejam celibatários e vivam a castidade, e que vivam uma vida santa. Para mim, um padre sodomita deve ser jogado num buraco, como você mesmo diz. Mas o que me surpreende é que essas pessoas que tanto apóiam o homossexualismo e a causa dos gays e que são contra o celibato ficam criticando padres que cometem essas práticas pecaminosas, ficam indignadas com sacerdotes que praticam o homossexualismo e abusam de crianças. Se apóiam tanto o homossexualismo, se acham o homossexualismo coisa normal e natural, se defendem tanto a causa dos gays, então por que criticam sacerdotes homossexuais? Não se pode defender o homossexualismo e ao mesmo tempo criticar padres homossexuais, não se pode ser contra o celibato, defender o casamento para sacerdotes e ao mesmo tempo esperar que todos os sacerdotes sejam realmente celibatários. Gozado que do Dalai Lama ninguém fala, ninguém põe em dúvida o celibato dele, acham até chique, fashion. Agora, se é um padre católico, aí a coisa muda de figura, padre celibatário não pode, acham isso impossível, acham que isso faz padre ser pedófilo… Quando na verdade nem há provas científicas de que celibato causa pedofilia, e há muito mais homens casados pedófilos do que padres. Há muitos homens casados que são pedófilos, nem por isso essas pessoas acham que o casamento deixa de ser válido. Agora, no caso do celibato a coisa muda de figura, o celibato deixa de ser válido só porque existem padres pedófilos ou homossexuais. E as mesmas pessoas que defendem o fim do celibato e o homossexualismo criticam padres homossexuais. Isso é pura hipocrisia. Incoerência é a deles mesmo, não nossa.

  17. Paulo Santos

    Caro Johanes, se tiver competencia para ler em ingles, sugiro o livro Goodbye, good men – de Michael S. Rose e voce vera o porque a igreja está cheia de padres gays e pedofilos. Ja te adianto: a culpa não é dos heteros.

  18. Bruno

    Por que que ao invés de criticar a vida dos gays, vocês não vão cuidar das sua? Tem muito problema para se solucionar na sociedade e a liberdade dos homossexuais está longe de ser um problema..
    Se você considera o homossexualismo um erro, ou um problema, ótimo! É a sua opinião. Mas você não tem o direito de suprimir a liberdade destas pessoas apenas por que elas são ou vivem de maneira contrária do que você pensa ser certo. Isso se chama respeito.

  19. Wilson Ramiro

    Caro Bruno

    São duas coisas distintas:

    1) Pessoa com tendência a ter atração física por pessoas do mesmo sexo, e que vivem sua vida de forma particular, como deve ser levada a vida de qualquer ser humano. Esta pessoa deve ser respeitada, como pessoa e ajudada quando solicitar. A prestação de contas dela é com Deus não conosco.

    2) Gays militantes, bichinhas depravadas, pessoas de qualidade moral inaceitável, pessoas que não compreendem que a sexualidade tem objetivo, na criação divina. Estas pessoas querem ACABAR com a democracia e querem ACABAR com a liberdade, da mesma forma como um madeireiro gostaria de impedir críticas à destruição que faz da natureza.

    Não vejo ninguém criticar a vida (particular) de gays.

  20. Gustavo Jobim

    Cristiane

    Não tenho problema nenhum com o fato de um padre ser homossexual ou heterossexual. Apenas acho que um padre não pode ser sexualmente ativo.

  21. Jorge Ferraz Post author

    Bruno,

    Por que que ao invés de criticar a vida dos gays, vocês não vão cuidar das sua?

    Sugiro que o senhor siga o seu próprio conselho e vá cuidar da própria vida, ao invés de vir aqui vomitar parvoíces em um site católico.

    Mas, só para ciência, eu não estou “criticando a vida dos gays”. Estou criticando a promoção estatal da imoralidade gay, bem como o golpe de Estado do STF que, no mês passado, inventou uma interpretação contrária tanto à letra da Constituição quanto à intenção expressa dos constituintes.

    Tem muito problema para se solucionar na sociedade e a liberdade dos homossexuais está longe de ser um problema..

    De novo, a “liberdade” dos homossexuais não está e nem nunca esteve em discussão. Homossexuais não vão presos por serem homossexuais.

    O que está em discussão é o emprego de políticas públicas e de dinheiro público para promover o gay-way-of-life. E, sim, isto é um problema.

    Se você considera o homossexualismo um erro, ou um problema, ótimo! É a sua opinião.

    Ótimo! Então

    1] deixe-me manifestar minha opinião em paz; e

    2] ao invés de ficar perturbando aqui, vá protestar contra o PLC 122/2006, que criminaliza a liberdade de expressar a própria opinião.

    Mas você não tem o direito de suprimir a liberdade destas pessoas apenas por que elas são ou vivem de maneira contrária do que você pensa ser certo.

    Mais uma vez, não tem “liberdade” nenhuma sendo “supressa” aqui.

    Isso se chama respeito.

    Outra coisa que também se chama “respeito” é entender o ponto de vista do contenedor e, se for discordar dele, tomar o cuidado de não lhe atribuir coisas distintas das que ele defende. Isto se chama respeito e honestidade.

    – Jorge

  22. Felipe

    O STF não tem competência para legislar e ponto. A sociedade brasileira paga por falta de conhecimento da massa. Independentemente da opção que um cidadão faz por confrontar sua natureza, a existência da lei se faz para empregar ordem à sociedade, portanto a Constituição Federal não pode ser simplesmente revogada por meras questões pessoais do legislativo. A classe de magistrados deveria seguir o mesmo exemplo do juiz. A tal “afronta” não partiu do juiz em manifestar sua decisão, cujo embasamento está na própria constituição, em anular uma união estável que, em verdade, não existe, mas sim do STF em assumir posição que não lhe compete e impor tal decisão à sociedade. Onde está a democracia quando o congresso não participou da votação para tal projeto de lei? Qual a função do Congresso exercida nessa aprovação? Aliás, se o STF pudesse aprovar leis, por que temos um congresso ou para que elegemos candidatos que debateriam projetos de leis em prol do bem-estar e segurança da República? A atitude além de absurda é também INCONSTITUCIONAL.

  23. Cristiane Pinto

    Gustavo

    “Cristiane

    Não tenho problema nenhum com o fato de um padre ser homossexual ou heterossexual. Apenas acho que um padre não pode ser sexualmente ativo.”
    Quanto a padres homossexuais, a Igreja já assumiu uma posição. Existe um documento da Igreja Católica que diz que fala da incompatibilidade entre homossexualidade e sacerdócio. Ficou estabelecido que não podem ser admitidos ao seminário e às Ordens sacras aqueles que praticam atos homossexuais, os que apresentam tendências homossexuais “profundamente radicadas” e aqueles que aderem à chamada “cultura gay”. Quais são os motivos para essa tomada de posição? A ocasião dessa intervenção, certamente, foi dada por escândalos sexuais em ambientes eclesiásticos, largamente difundidos pela imprensa. Na convicção da Igreja, o sacerdócio não equivale ao exercício de uma profissão, em vista de algumas funções, mas é um chamado para uma especial “configuração com Jesus Cristo”, mediante a ação do Espírito Santo. E isso requer, entre outras condições, maturidade afetiva, equilíbrio na vida sexual e a capacidade de estabelecer uma relação fecunda de paternidade espiritual com todos – homens e mulheres.
    A Instrução afirma que, embora respeitando as pessoas homossexuais e condenando qualquer injusta discriminação em relação a elas, a Igreja considera que a tendência homossexual profundamente radicada é objetivamente desordenada e sinal de imaturidade afetiva séria; e os atos homossexuais são intrinsecamente contrários à natureza e, por isso, imorais (n. 2), não podendo ser aprovados.
    O Documento, porém, observa que a tendência homossexual transitória, sinal de uma adolescência ainda não plenamente passada, não exclui da ordenação sacerdotal, contanto que o candidato tenha dado prova segura de ter superado essa tendência, pelo menos, três anos antes de receber a ordenação diaconal. O discernimento cabe aos formadores.
    E também tem muita gente que não concorda que homossexuais possam exercer o sacerdócio, acha que padres não podem ser homossexuais, e eu também penso assim, por causa do fato de padres homossexuais serem muitas vezes praticantes, infelizmente, é difícil haver um homossexual que não pratique. E um sacerdote não pode ser sexualmente ativo, e muito menos com pessoas do mesmo sexo. Aliás, a minha posição é a mesma que a Igreja. Se antes de entrar no seminário a pessoa superar a tendência, não se deixar levar, tudo bem. Mas o problema é que esses escândalos, em sua maioria, são causados por padres homossexuais. A Igreja sempre condenou o homossexualismo. Mas quero deixar claro que a Igreja condena o homossexualismo em si, não o homossexual. Em parte a culpa é dessa sociedade mesmo, ninguém incentiva os homossexuais a viverem a castidade, e sim a praticarem o homossexualismo. Claro que castidade não é somente para homossexuais, é para heterossexuais também, e digo isso para não pensarem que há injustiça nisso. Essa sociedade hedonista também não ajuda em nada, não incentiva à castidade, ao contrário, fica ridicularizando quem quer ser casto e puro, vive zombando da virgindade. Existe muito preconceito quanto a isso. Se a pessoa ainda é virgem, é motivo de chacota, e não acho isso justo, porque todo mundo já foi virgem, não tem ninguém que não tenha sido virgem um dia e, além do mais, se a pessoa quer realmente esperar até o casamento, tem todo o direito e as pessoas devem respeitar a decisão, a opção dela. Se há homossexuais que praticam a castidade, são poucos. Se há padres homossexuais que causam escândalos sexuais, ou padres héteros que têm os seus casinhos, a sociedade tem uma parcela de culpa, porque as pessoas não incentivam à castidade nem à pureza, e muitas vezes, infelizmente, entre essas pessoas estão aquelas que se dizem católicas. Como se esperar que haja bons padres se ninguém educa para a castidade, para a pureza, para a santidade? Como esperar que se tenha bons padres se nem há incentivo à castidade, muito pelo contrário, as pessoas zombam da castidade, e até mesmo na mídia há incentivo de todos os lados para as pessoas terem uma vida sexual mais liberada? Se há tantas meninas grávidas, tantos jovens contraindo aids e outras doenças sexualmente transmissíveis, a culpa é da sociedade. O fato de aumentarem os casos de aids, não é culpa da Igreja, que proíbe o preservativo, e sim da sociedade. Sim, porque tem gente que chega ao cúmulo de culpar a Igreja pelo aumento dos casos de aids. A Igreja proíbe o preservativo, mas incentiva a abstinência, a castidade. E não impõe isso a ninguém, a Igreja proíbe somente os cristãos de usarem o preservativo. E ela só proíbe porque incentiva à castidade, e a castidade e a abstinência são o meio mais eficaz para prevenir a aids e outras doenças, a camisinha não é 100% segura. Ninguém pega aids por ser casto. E a sociedade, o que faz? Incentiva o uso da camisinha, mas a mídia fica fazendo apelos eróticos o tempo todo. Daí é claro que não adianta nada dizer para usar camisinha. No calor da paixão, alguém vai lembrar de usar camisinha? Hoje em dia raramente alguém educa os filhos para a castidade, infelizmente. Mesmo os que se dizem cristãos. Esses padres são frutos da revolução sexual. Só que as pessoas, em vez de assumirem sua parcela de culpa, jogam a culpa para cima da Igreja. Não digo que não havia escândalos antigamente, mas com certeza não havia tantos assim, e depois da revolução sexual, ficou pior, porque daí é que surgiu cada vez mais padres que se opõem à Igreja, falam contra o celibato, contra a oposição da Igreja em ordenar homossexuais praticantes,e se colocam contra a Igreja por ela se opor ao casamento gay. Certamente os padres que se opõem ao celibato é porque eles querem ter seus casinhos sem culpa, sem dor na consciência.

  24. Cristiane Pinto

    Gustavo
    E a questão que eu tinha dito não era se os padres devem ser homossexuais ou heterossexuais, o que eu estava criticando é que as mesmas pessoas que apóiam o homossexualismo criticam os padres homossexuais, desaprovam o fato de haver padres homossexuais na Igreja. Essas pessoas apóiam a prática do homossexualismo, mas não apóiam os padres que praticam. Ou seja, elas defendem a prática do homossexualismo apenas para quem não é padre. Isso é hipocrisia. Nós cristãos é que somos coerentes, assumimos que somos contra o homossexualismo, e não apoiamos quem o pratica, seja quem for, padre ou não. E o que eu tinha dito é que sou contra aqueles padres homossexuais praticantes. Tinha dito que um padre que pratica a sodomia deve ser jogado num buraco, porque a prática do homossexualismo é um pecado gravíssimo que não deve ser cometido por ninguém, muito menos por um sacerdote. E o fato de ter sido cometido por um sacerdote torna a coisa pior. Se os padres há muito tempo tivessem superado uma tendência transitória, conforme está escrito no documento da Igreja,não haveria nenhum problema. É que um sacerdote não pode praticar homossexualismo, nem fazer parte da cultura gay. Cultura gay é incompatível com o cristianismo, com a vida cristã.

  25. O dia que os legisladores começarem a trabalhar o Judiciário não precisará se manifestar.

    Ademais a decisão do Mm. Juiz já foi suspensa pela Corregedoria.

    Um Juiz que julga pela vontade divina e não pela legislação não pode exercer sua função. Ele tem que julgar por todos os cidadãos independentemente de credo.

  26. Olegario

    Jorge e amigos.

    Relutei muito em postar esse vídeo por aqui.
    A principio, o espanto e o choque me foram tão intensos que não ousei assistí-lo duas vezes.
    Apenas uma só vista na insanidade doentia dos gays já me bastou.
    A minha temeridade e duvida em não postar essa aberração no seu blog Jorge, se deu pelo tamanho e grandeza da blasfêmia contra Nosso Senhor.
    Que essa gente queira lá seus “direitos” compreendemos até certo ponto…
    Mas usar dessa fragorosa aberração contra Cristo é de uma insensibilidade e doença irreversível.
    Não sou homofóbico.
    Aliás, nem sei bem qual a extensão que esse termo significa…
    Mas penso que o mundo concorre a passos largos para uma guerra de proporções desatrosas entre héteros e gays.
    A essses malditos, o sentimento agora, nesse instante é de revolta.
    Mas vai passar…
    Porque sei e acredito na justiça de Deus…
    E por Ela ( a Justiça divina ) o inferno os aguarda.

    Vejam:

    http://www.youtube.com/watch?v=gW6NM586-mE

    Em tempo: Jorge, recebi isso por e-mail. Sintá-se a vontade se quiser removê-lo do blog.

  27. alguem

    O problema e que os gays não querem ser só gays , eles querem evangelizar suas doutrinas, a alguns anos antraz eu tinha um estabelecimento comercial, uma lam house , e havia um rapaz homossexual que a frequentava. Sabe ele sempre se vangloriava de ter [CENSURADO] um rapaz que morava nas vizinhanças um rapaz de 16 anos, ele sempre falava para as garotas sobre a boate gay que ele frequentava e que la era muito bom e que tinha muitos dançarinos gostosos e que la também tem héteros. Ele também chegou a assediar alguns garotos que frequentavam o estabelecimento mas pelo menos entro os garotos todos olhavam para ele com olhar de desprezo ao contrario das garotas que querem saber detalhes das aventuras sexuais que ele adorava contar.
    Eu acabei entrando varias vezes em atrito com este cliente , ele procurava não debater comigo pois eu sempre o colocava em maus lençóis uma vez ele falando para nos sobre o dia do orgulho gay ,eu perguntei para ele de que os gays tinham orgulho , porque para se ter orgulho tem que se ter algo ou ter alcançado algum objetivo nobre pelo menos na minha concepção de logica , de que os gays tem orgulho? de [CENSURADO]