O Papa vai à Canção Nova

closeAtenção, este artigo foi publicado 5 anos 9 meses 2 dias atrás.

De novo o Emerson de Oliveira, sempre mordaz e rápido no nanquim! Cliquem para ampliar. E vamos de ridendo castigat mores, enquanto isto ainda não nos foi tirado.

Vejam também esta aqui, recém-saída do forno.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

25 thoughts on “O Papa vai à Canção Nova

  1. Emerson de Oliveira

    Ehehehe. Obrigado, Jorge, pelos elogios e publicação. É para a glória de Deus mesmo. Ele me deu este talento e só estou devolvendo, com juros:)

  2. Miguel Carqueija

    Mas o que é isso… a Canção Nova é o meu refúgio, onde eu coloco para fugir dos Faustões, Gugus e Silvios Santos da vida, e assisto a escola da Fé. o Padre Paulo Ricardo que é super-ótimo, e o próprio Bento XVI que é mostrado a toda hora.
    Não gosto de certas cantorias, é fato. Mas nos outros canais tem coisas muito piores (Ivete Sangalo e dai para baixo).

  3. Miguel Carqueija

    Ah, sim. Li agora a matéria sobre Edinho Silva. Confesso que é a primeira vez que ouço falar nisso, não posso opinar ainda. Ainda não vi essa pessoa na CN.

  4. Olegario

    melhor que Rush, é Creedence, INXS…
    Desculpem, sou saudosista…

    Olegário.

    Em tempo: Hora ou outra, como uso de cilício e penitência, escuto Restart.

  5. Artur

    Rush é FODA. E não precisa de saudosismo, Rush é do mesmo tempo de Creedence. Decada de 60 e 70 do mesmo jeito :P

    Indo direto ao assunto: a charge tá muito boa. HAhaHAHahAHahAHahAHahAHah

  6. Leandro S.

    Gente, não desviem o tema… tá certo que este negócio da Canção Nova já virou palhaçada, mas deixem os malabares, monociclos e narizes vermelhos para eles.

  7. Olegario

    Leandro S,

    Concordo contigo.
    Peço desculpas a voce e demais leitores.
    Fica com Deus.
    Olegario.

  8. Alan Ramalho


    Já que tocaram no assunto, gostaria de saber sobre o que é ‘salutar’ ouvirmos em termos de música.
    ?
    Quer dizer, depois de ler a seguinte carta do Maestro Fernando Schlithler O rock pode ser usado para a evangelização?, fiquei pensando em quais músicas profanas (no sentido de não-sacras, mas que pretendem o enaltecimento da família, do valor da amizade, aventuras… e não sua forma pejorativa, secular) poderíamos utilizar na vida social, sem medo. Isto é, levando-se em conta o interesse em viver de forma mais santa, procurando aquilo que também é bom e nos leva ao céu.
    A resposta do maestro me pareceu bem coerente.
    Encontrei músicas galego-portuguesas e tenho apreciado muito. Não sei se a dos trovadores entram nesse perfil…

    O que vocês me dizem?

    O Jorge poderia começar outro tópico para organizar os comentários, se julgar necessário. Sua visão sobre o assunto é requisitadíssima, grande!
    E também sinto necessidade de compreender tudo isso…

    Grato!
    Em Maria, Arca da Nova Aliança!!!

  9. Leandro S.

    Messias, a notícia foi um alívio. Agora só falta tirar o Fábio de Melo, cabo eleitoral do Chalita… >:-)

  10. Janete Costa dos Santos

    Alan!
    Ótima discussão levantada!
    Meio fora de tópico, kkk, mas já que esses gravatas saíram de cena, acho que os leitores podem se debruçar nesse novo tema.
    Ei, Jorge! Gentee!!!

    As músicas de antigamente eram realmente feitas com mais apuro, técnica, harmonia. Assim como devem ser todas as obras dos filhos de Deus, em imitação a do Supremo Artista, nosso Senhor.
    O que gera uma enorme dúvida quanto às novas produções;
    ainda mais lendo a carta do tal maestro Fernando Schlithler, que por sinal, muito convincente…

  11. Emerson Silva

    Olha, que interessante!
    Tenho uma filhinha de cinco meses, Maria Clara. Querendo educá-la na Santa Fé e com bons costumes desde cedo, me vi até há uns dias procurando canções que realmente possam trazer um misto de beleza e entretenimento, mirando o que de melhor pode haver para Deus. E, como um tanto atento católico, penso que é bem distante desse século que posso encontrar criações mais esmeradas e moralizadoras para minha família.
    Na verdade, gosto muito desse ar de família tradicional, como quando leio a biografia de alguns santos e relatos de seus convívios caseiros.
    Enfim, encontrei esse cd infantil, que bateu um pouco com as descrições acima do necessitado Alan. Dá pra ouvir uma das músicas aqui.
    Bom, se minha filha não entende muito, eu to adorando!rs
    Sinceramente, senti essas composições como um alívio, pois é muito difícil encontrar criações com essa temática para crianças. Recomendo!
    Janete, concordo com você.

  12. Alien

    “As músicas de antigamente eram realmente feitas com mais apuro, técnica, harmonia.”
    Por isso que adoro o rock progressivo setentista…

  13. Judá de Rocha Freitas

    “Tarde te odiei, ó desgraça tão antiga e tão nova, tarde te odiei! Eis que procuravas perder-me de mim mesmo; e eu, fora de mim, a ti entregar-me. Hipnotizado, lançava-me sobre estas negras chamas que criaste. Tocavas para mim, e eu curtia contigo! Chamavas-me ora susurradamente… noutra hora já sentia minha surdez. Maria brilhou, cintilou e logo afugentou a minha cegueira. Exalaste tu enxofre: suspirei por me ver livre de ti. Eu me desenganei, e agora tenho náuseas e vômitos ao te ouvir. A Santíssima me curou, e agora refestelo-me nas notas musicais que me levam à paz, ao Senhor.”
    (confissões de um bom amigo sobre o rock)
    ECPS

  14. Janete Costa dos Santos

    Poxa… realiza meu pedido de Natal, Jorge!

    Eu to perdida em relação à música pra se ouvir por aí, comemorações, festinhas, família. Basicamente, a mesma dúvida do Alan aí de uns comments atrás (que ficou no vácuo, rs)
    Navegando, achei um blog mui interessante:

    http://aboamusicacat.blogspot.com

    Logo na apresentação do blog, o autor cita algo pra lá de harmônico (no linguajar musical, rs) com o texto que o Alan linkou do Fernando Schlithler:

    “…toda e qualquer obra das ‘artes do belo’ que se desvie ou faça desviar, de qualquer modo, da reta ordem moral e, pois, do fim último, será má, e o será na mesma medida em que deles se desviar ou fizer desviar.”

    Alguém ajuda, por favoor!!!

  15. Jonas Rodrigues

    Triste……………
    Peço a Deus que os ajude a servir a Igreja sem fomentar divisões dentro dela!

  16. Leniéverson Azeredo

    Jonas Rodrigues, vou te deixar uma frase de Santo Agostinho: “Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem”. Aprenda com ele, quem sabe tire alguma conclusão.