Corte americana decreta: fotógrafos cristãos não têm o direito de recusar trabalhos em “casamentos” homossexuais

closeAtenção, este artigo foi publicado 4 anos 24 dias atrás.

Foi com profunda consternação que eu fiquei sabendo desta decisão de uma corte americana de obrigar fotógrafos cristãos a trabalharem em “casamentos” de homossexuais. A notícia diz também que uma pesquisa realizada em julho constatou que 85% dos americanos acreditam que um fotógrafo cujas crenças se oponham ao “casamento” homossexual deve ter o direito de se negar a trabalhar em uma cerimônia desse tipo, contra só 8% que acham que ele deve ser obrigado a isso. Na contramão dos verdadeiros direitos humanos (como as justas liberdades individuais), do bom senso mais elementar e da esmagadora maioria dos cidadãos do país, contudo, um tribunal se acha no direito de obrigar um pobre fotógrafo a trabalhar numa cerimônia que ofende as suas convicções mais íntimas!

Já antevejo os sofistas que aparecerão por aqui para me perguntar se o fotógrafo se recusasse a tirar fotos de um casal negro. Respondo de imediato: primeiro, que as duas coisas não são de nenhuma maneira da mesma espécie (o que por si só impede a comparação), uma vez que características físicas não podem ser equiparadas a comportamentos sexuais. O adultério, p.ex., é outro comportamento sexual condenado pela moral cristã, e é bastante lógico que um fotógrafo católico não pode ser obrigado a produzir o álbum das “segundas núpcias” de ninguém. Se alguém tivesse a cara de pau de comparar divorciados recasados com negros, não provocaria senão risos da platéia, uma vez que o descabimento da comparação ficaria patente. Comparar sodomitas com negros não é menos descabido. Em qualquer um dos casos, tem-se uma característica física de um lado contra um comportamento sexual do outro, duas coisas que evidentemente não têm nada a ver uma com a outra.

Segundo, que não existe uma única religião na face da terra que considere que a “negritude” ofende profundamente as suas crenças, e portanto a referência a situações hipotéticas inexistentes só demonstra o desespero dos promotores da causa gay, que precisam aventar situações que só existem nas suas cabeças para desqualificar o direito à liberdade de crença por meio de um rótulo odioso sem correspondência com a realidade.

Terceiro, que se fosse um ator ateu recusando-se a fazer o papel de Jesus Cristo ou um publicitário homossexual recusando uma campanha de promoção da Família Tradicional não apareceria um único palhaço para perguntar se seria certo eles se recusarem a interpretar um personagem negro ou a fazer uma peça publicitária para a valorização da cultura negra. Todos defenderiam alegremente o direito destes profissionais de não realizarem trabalhos que contrariassem as suas convicções, sem recorrer a sofismas de botequim para pintar direitos legítimos como se fossem discriminações odiosas.

A despeito de tudo o que se possa dizer em favor desta arbitrariedade e deste abuso de poder das autoridades de Justiça, o fato é que esta sentença da Suprema Corte do Novo México vai na contramão dos direitos e garantias individuais conquistados a tanto custo no decurso dos séculos. Se as pessoas não reagirem de imediato e com veemência contra esta sanha totalitária dos tribunais modernos, serão terríveis os dias que estão por vir.

Hoje é o dia do Martírio de São João Batista. O santo foi preso e posteriormente decapitado por denunciar as relações indecorosas entre o rei Herodes e a esposa do seu irmão, Herodíades. Naquela época não era lícito compactuar com a iniqüidade, mesmo que para isso fosse necessário confrontar os maus costumes dos reis. Atualmente, as coisas não mudaram: ainda não é lícito ser conivente com as imoralidades contemporâneas. Mesmo que para isso seja necessário desafiar os poderosos dos dias de hoje. Mesmo que isso nos custe a honra, a liberdade e a vida. Que São João Batista mártir interceda por nós.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

22 thoughts on “Corte americana decreta: fotógrafos cristãos não têm o direito de recusar trabalhos em “casamentos” homossexuais

  1. Sdnei

    Ontem (29/08/2013, dia do martírio de São João Batista), foi apresentando no programa na (I)Moral da Rede Globo de televisão do falastrão do Pedro Bial um debate sobre o aborto que mais parecia uma atividade masturba tória, 5 contra um, no caso foram 4 pois faltou um, eram eles: o ateu e queridinho da rede globo draúzio varela, uma abortista das falsas católicas pelo direito de decidir, uma atriz da globo e o próprio apresentador que deveria ser imparcial, mas, se tratando da globo não foi, e não precisa dizer que todos foram a favor do aborto, e o outro, coitado, um boca mole, bispo auxiliar do Rio de Janeiro, o único contra o aborto. Trago isto para demonstrar que a globo colocou suas garras de fora, mostrou sua cara e escancaradamente, se pronunciou a favor do aborto, agora, será questão de tempo em que o aborto será implantado no país, pois aonde a rede globo coloca suas mãos, o suflo da morte toma conta de tudo, e seu poderio que é maior que da Igreja será mais uma vez sentida em todo o país. E dá-lhe criança (sem) esperança.

  2. Gustavo

    Um caso parecido aconteceu na novela das 8, um médico cristão se recusou a atender uma jovem que havia tentado cometer aborto. No fim das contas ela morreu devido a dogmas religiosos.

  3. Renan

    Já que os comunistas são satanistas, atentam contra tudo que é de Deus e lei natural, isso acima é o mínimo que poderiam fazer, tudo isso graças a muitos falsos e comunistas religiosos que subverteram milhões de pessoas com as ideologias marxistas, desde o grande impulsionador, o marxista D Hélder que participou da criação do embrião do PT, assim como seus seguidores socialistas, como D Casaldáliga, D Balduíno, D José Maria Pires, etc. – Marx no coração, pé na missão – também todos ligados á esquerdista Teologia da Libertação do Boff/Betto & Cia.
    É evidente que os eleitores também têm seu quinhão de participação, por serem cristãos sem fé e não se preocupam com quem elegem, daí todos compartilharem de suas diabruras.

  4. Sidnei.

    “Um caso parecido aconteceu na novela das 8, um médico cristão se recusou a atender uma jovem que havia tentado cometer aborto. No fim das contas ela morreu devido a dogmas religiosos.”

    Mais um fiel seguidor da Rede Globo de Televisão, como tem gente que segue esta [CENSURADO] de rede de televisão. E sobre este assunto o Reinaldo Azevedo já tratou em um de seus post: “http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/merchandising-pro-aborto-na-novela-paginas-da-vida-da-globo-mente-mistifica-doutrina-e-demoniza-a-religiao-e-um-atentado-ao-bom-senso-aos-fatos-e-a-educacao-dos-telespectadores/”, apesar de não morrer de amores pela Veja e a Editora Abril que também, são escancaradamente a favor do aborto, no entanto, o único que se saval, como algumas resalvas, ainda é o Reinado Azevedo, mas aos prós abortos não se preocupem não, agora com um aliado de peso (A Rede Globo) a legalização do aborto no país será uma questão de tempo, e a opinião da maioria, bem…, bem…, bem…, que se lixem.

  5. Wilson Ramiro

    ” Um caso parecido aconteceu na novela da 8…” .

    Caro Gustavo.
    Um médico católico jamais deixará de salvar uma vida, e não existe dogma religioso que permita perder uma vida.

    Um médico católico jamais fará um aborto e se um procedimento abortivo for levado a efeito a sua revelia e isto conduzir a um risco de vida da criança ou da mãe, ele deverá tratar e salvar ambas, se possível.

    “No fim das contas ela morreu devido a dogmas religiosos.”
    Não, Não. Se a morte foi consequência do assassinato premeditado de sua própria filha, a destruição da criança foi mau executada e diabolicamente justificada por VOCÊ, mas isto jamais seria dogma católico.

  6. Carlos Pantoja Filho

    É interessante como os católicos podem ter sua religião contanto que não sigam seus valores fielmente: quando o fazemos, somos os “fanáticos”, os “carolas”, os “papa-hóstias” irritantes e “fascistas” (mal sabem os “mudernos” o que Mussolini realmente pensava da Santa Igreja). Tenho 17 anos e sou filho de pais não-católicos: minha mãe é ex-protestante e meu pai um excomungado maçom. Eles dizem respeitar minha escolha pelo catolicismo, mas não hesitam em classificar meus pensamentos e visão de mundo como “beatice” ou “carolice”. Minha mãe inclusive disse que não haveria mulher para agüentar minha “carolice”, e as vezes fico triste com isso. Ao mesmo tempo, sinto que eles sem querer contribuem para a mística da santificação, uma vez que Nosso Senhor Jesus Cristo bendisse aqueles que eram e seriam perseguidos por amor à Ele. Desculpe pelo comentário desnecessário, não sabia com quem falar. Repito o pedido que muitas vezes nosso Santo Padre, o Papa Francisco fez: rezem por mim.
    Pax Christi

  7. Gustavo

    A questão principal não é o aborto, mas sim o fato de que os cristão não podem se negar a atender pessoas que eles consideram pecadores. Isso é totalmente imoral e ilegal, conforme a Suprema Corte Americana.

  8. Adriana

    Carlos Pantoja Filho, que o Espírito Santo te fortaleça, te conduza e te dê discernimento na peregrinação que é a vida para que você continue crescendo em graça e sabedoria diante de Deus e dos homens. Continue no caminho de Deus e peça que Ele lhe dê equilíbrio e que Ele cuide também do coração de seus pais. Você é novo ainda, pode ter certeza de que encontrará uma esposa virtuosa que lhe dará muito valor. Paz de Cristo.

  9. Gustavo BNG

    Guerra é paz, LIBERDADE É ESCRAVIDÃO, ignorância é força…

  10. Wilson Ramiro

    …cristão não podem se negar a atender pessoas que eles consideram pecadores.

    Caro Gustavo, se um fotografo for convidado para registrar atos libidinosos sejam entre quem for, ou atos contrários ao seu discernimento de certo é claro que ele pode se recusar e se isto o fez perder tempo pode e deve ainda requerer ressarcimento por perdas.

    Se alguma pessoa puder ser coagida por qualquer suprema tolice de qualquer país a agir contra sua conduta então deveríamos obrigar a todos os gays a serem internados compulsoriamente para tratamento.

    A argumentação que permitiria forçar alguém a, agindo contra sua natureza, executar tarefas que ele acha contra sua liberdade, também esta mesma argumentação serviria para condenar transviados de conduta a uma vida cativa até que assimilassem a forma correta de viver.

  11. Daniel

    @ Gustavo – A mesma suprema corte que um dia alegou que escravidão era questão de consciência, e que se você não fosse a favor da escravidão, que não tivesse escravos.

    Então temos que obrigar o publicitário gay a fazer uma campanha a favor da família tradicional e o ateu a interpretar Jesus, certo?

    Sério, toda vez que abro um post, esse Gustavo está lá, dizendo alguma asneira. Certamente tem problema mental.

  12. Gustavo

    Daniel

    Foi a suprema corte dos EUA que igualou os direitos de todos, independente de raça. Ela teve que fazer isso porque os políticos americanos se negavam a legislar a respeito da igualdade racial.
    Se um publicitário gay recebesse um cliente cristão, ele deveria realizar a campanha conforme a vontade do cliente. Desde que não envolvesse nada ilegal.

    Wilson

    Um casamento gay é como qualquer outro, então não vejo sentido nenhum na tua argumentação. Tu gostaria de trancafiar os homossexuais baseado no teu conceito de moralidade e normalidade? Então você deve ser favorável ao massacre de cristãos no Egito.

  13. Sidnei

    “Um casamento gay é como qualquer outro, então não vejo sentido nenhum na tua argumentação”

    O casamento gay é como qualquer outro para o mundo, não para nós cristãos, quem quer impor de goela a abaixo que o casamento gay é como outro qualquer são os defensores deste tipo de união, vocês já venceram no supremo, nos congresso, nos raios que os parta, ótimo, mas agora não satisfeitos querem, por que querem, que todo mundo haja isto a coisa mais normal do mundo. Não!!!, chamais alguém poderá querer que uma boa parte dos cristãos reconheçam que tais tipos de uniões são do mesmo nível da união entre um homem e uma mulher, dizem porque dizem são os cristãos que querem que apenas os casamentos heteros sejam reconhecidos como os únicos verdadeiros, mas são justamente os que dizem isto é que agora querem que todo mundo aceite isto numa boa, e sem oposições. Primeiro só queriam casamento civil, agora querem impor casamento nas igrejas como esta ocorrendo na Inglaterra: http://juliosevero.blogspot.com.br/2013/08/dupla-gayrecorre-aos-tribunais-para.html.
    Se esta onda de imposições continuar, não restará aos cristãos se não outra coisa, que começar uma guerra como a dos cristeros (http://www.deuslovult.org/2013/09/05/para-que-os-sinos-voltem-a-badalar-a-guerra-dos-cristeros/) para acabar com esta palhaçada, isto não é uma ameaça, mas quem quer impor isto sem respeitar a opinião e a liberdade alheia de aceitar ou não aceitar estas uniões, não terá outro remédio que partir para a guerra, já que esta sendo implantada uma ditadura das minorias neste país e no mundo. A paciência já esta esgotando.

  14. Marta

    O que mais apavora nessa história é o desrespeito crescente aos direitos e garantias individuais. Nessa escalada, chegará o dia em que as pessoas deverão temer por cada palavra que disserem ou por cada ato , porque tudo será distorcido e usado contra elas. Apavorante. Entendo que aceitar ou não um trabalho, faz parte das liberdades mínimas garantidas ao indivíduo. Ninguém deveria ser constrangido a trabalhar para alguém sem que o queira fazê-lo. E não estou falando, obviamente, de trabalhos essenciais como como os da área da saúde e outros do tipo. No caso dos fotógrafos, trata-se de um serviço supérfluo que poderia ser resolvido de muitas outras maneiras. Fica clara e evidente a intenção de subjugar consciências. A partir disso, qualquer um se tornará um suspeito e poderá ser arrastado para os tribunais.

  15. Gustavo BNG

    “Um casamento gay é como qualquer outro”

    Nunca vi um homem grávido!

  16. Pingback: Aborto: Globo mostra ficção e esconde a realidade | Deus lo Vult!