A apatia dos católicos clama aos Céus vingança

closeAtenção, este artigo foi publicado 6 meses 3 dias atrás.

As redes sociais divulgaram recentemente um vídeo, ao que parece feito em uma paróquia de Fortaleza, durante uma Missa, onde se vê um homem entrar na fila de comunhão, pegar a Eucaristia, jogá-La no chão e A pisotear. Muitas pessoas apontaram corretamente aquilo que é mais grave nas imagens: mais do que a profanação cometida pelo demônio em forma de velho, o que verdadeiramente choca e estarrece é a completa indiferença com a qual todos os presentes parecem encarar a situação.

Não se vê ninguém tomado da justa indignação que uma situação dessas exigiria. Não se vê ninguém procurando impedir o velho — visivelmente alterado — de entrar na fila da comunhão em primeiro lugar; não se vê ninguém reagindo quando ele, teatralmente, de forma macabra, cospe a sagrada partícula no chão. Não se vê ninguém esboçando a mais mínima reação quando ele dá as costas e vai embora — lançando imprecações inaudíveis no vídeo, imagino eu. E, mais assustador, não se vê a menor perturbação no processo maquinal de continuar distribuindo a Sagrada Eucaristia. O sacerdote permanece impassível enquanto a “ministra” tenta, sem sucesso, administrar a comunhão diretamente na boca do velho possesso; depois da profanação consumada, o padre desce do altar com vagar e normalidade. Limpa o chão por alguns instantes. Após, retorna, e a distribuição da Eucaristia prossegue como se nada houvesse acontecido.

São imagens verdadeiramente angustiantes, diante das quais é imperioso lembrar dois “pequenos” pontos. Primeiro: com a consagração do Pão e do Vinho, durante a Santa Missa, ocorre o fenômeno da transubstanciação, por virtude do qual as espécies consagradas não são mais pão e vinho, mas se tornam, real e substancialmente, o Corpo e o Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. Em cada minúscula partícula da Eucaristia está presente Cristo inteiro, com Seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade. Ou seja, o que está ali, jogado no chão, pisoteado e cuspido, é literalmente o Deus Todo-Poderoso, o Criador dos Céus e da Terra.

Não se trata de um símbolo nem de uma metáfora, não é força de expressão. É exatamente isto: aquele pedaço de pão é Deus. Seria já uma coisa grave, por exemplo, alguém pegar um objeto do culto católico — uma imagem, um crucifixo — e o deitar no chão; seria ofensivo e provocaria por si só um enorme mal-estar. Imagine-se alguém que entrasse na igreja revirando os bancos, quebrando as imagens dos santos, arrancando as toalhas do altar, chutando as velas e as flores: ofenderia a sensibilidade católica, sem dúvidas, e seria muito improvável que os fiéis permanecessem inertes diante de semelhante espetáculo iconoclasta.

O que se fez, no entanto, foi muito pior. Foi infinitamente pior. O demônio se voltou não contra um objeto dedicado ao culto de Deus, mas contra o próprio Deus. Ele não vilipendiou o templo, as imagens sacras ou os paramentos: foi muito além e jogou ao chão Aquele para cujo culto os paramentos foram tecidos, cuspiu n’Aquele para cuja glória as imagens sacras foram confeccionadas, pisou sobre Aquele para cuja honra o templo foi edificado. Não à toa existe uma excomunhão latae sententiae específica para quem profana a Santíssima Eucaristia: quem destrói as igrejas volta-se indiretamente contra Deus, mas quem profana as Sagradas Espécies ofende direta e substancialmente a Deus em Si mesmo.

E isso nos leva ao segundo ponto: há algo de muito, muito errado na nossa catequese. Quando os católicos ficam indiferentes diante de alguém que pisa e cospe na Eucaristia no meio de uma Missa é preciso reconhecer que estamos diante de um problema pastoral muito sério — e é legítimo até nos perguntarmos se ainda se crê realmente na presença real e substancial de Nosso Senhor sob o pão e o vinho consagrados.

Porque, afinal de contas, as nossas ações são um reflexo das nossas convicções. Quem acredita que somente Deus é digno de adoração não toma parte na incensação do Caesar ainda que ameaçado com o Amphitheatrum Flavium. Quem segue a lei de Moisés guarda o repouso sabático ainda sob a vigilância dos familiares do Santo Ofício. Quem acha errado matar animais para se alimentar não come nem jujuba depois que descobre que elas são feitas de pele de porco. Ora, se tudo isso é assim, como é possível que alguém que acredite na Presença Real possa agir com indiferença diante de uma profanação eucarística gravíssima como a que é mostrada no vídeo?

As reações mostradas na filmagem não são condizentes com pessoas que sabem que a Eucaristia é — não “simboliza”, não “representa”, mas verdadeiramente é — o próprio Deus. Não tem cabimento as pessoas, sabendo que a comunhão eucarística deve ser recebida com a dignidade que convém ao Todo-Poderoso, não se incomodarem com um sujeito sem camisa tumultuando a fila de comunhão. Não tem lógica a pessoa saber que está diante de Nosso Senhor e continuar agindo normalmente quando Ele é jogado no chão. Se fosse um animal o agredido pelo velho — se ele chutasse um cão sarnento, digamos — a reação dos circunstantes seria (muito!) mais enérgica. Como, então, ele cospe em Deus e ninguém faz nada?

A profanação ofende, sem dúvidas, mas os inimigos de Deus existirão sempre: é de se esperar que os incréus persigam a Religião, que os ímpios se levantem contra as coisas santas. Que os inimigos de Deus O ofendam não é algo propriamente espantoso: o que é de pasmar é que os pretensos amigos de Deus não façam nada! A apatia dos católicos clama aos Céus vingança mais alto que a profanação do velho endemoniado. Se nem os próprios católicos preocupam-se em respeitar as coisas sagradas, como é possível esperar que as respeitem os inimigos de Deus?

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

12 thoughts on “A apatia dos católicos clama aos Céus vingança

  1. João Jorge Peralta

    E horrível, terrível, chocante ver o vídeo. Como não há som, não dá para saber qual foi a reação do celebrante para condenar a ação daquele indivíduo vil. Apenas notamos:1) a surpresa e perplexidade da ministra da Eucaristia; 2) A atitude do celebrante recolhendo cuidadosamente a Hóstia consagrada e pisoteada pelo malfeitor; 3) que não se formou nenhum tumulto perigoso que piorasse a situação; 4) que após o incidente, a ministra continuou calmamente distribuindo a Eucaristia aos fieis. Também não sabemos que medidas posteriores o celebrante terá tomado para punir o agressor, denunciando-o às autoridades civis, para que fossem tomadas as providencias cabíveis e devidas contra aquele ato de profanação e agressão à Religião. Na Igreja o Padre, a meu ver, agiu com espírito de paz, de maneira que a grave agressão não teve consequências mais funestas. Espero que ainda durante a celebração tenha exposto aos fieis a gravidade do ato, e a repulsa veemente de todos contra o ato profanador, e que após a Missa, tenha tomado as devidas providências na esfera civil e criminal.
    Desejo que este triste e revoltante episódio, sirva para que se tomem providências no sentido de prevenir tais ocorrências, verificando a postura e comportamento de quem se aproxima da sagrada Eucaristia. Acredito que este cuidado teria evitado o acontecimento tão triste. Se o homem estava realmente sem camisa e apresentava sinais de embriaguês ou desiquilíbrio, jamais poderia ter recebido a Hóstia consagrada.
    Que esse homem se arrependa e Deus tenha piedade dele.

  2. Sandro de Pontes

    Prezado Jorge, bom dia.

    Bom texto, mas permita-me lhe dizer com a franqueza necessária que a situação exige: a mesma apatia se vê também de sua parte ao presenciar, sem reagir,

    a) ao escandaloso Encontro de Assis em 1987, incontestável ato público de apostasia;

    b) a Bento XVI participando ativamente de culto dominical luterano em 2015 na cidade de Roma (veja, ele não está em um culto ecumênico promovido pelas duas partes interessadas, mas sim participando ativamente do culto dominical luterano, o que o coloca, de acordo com a fé católica, no mínimo dos mínimos, como suspeito de heresia) (01);

    c) a Francisco aprovando universalmente comunhão para recasados (em “alguns casos”);

    Reaja, meu amigo, antes que o céu lhe cobre tanta apatia de sua parte nestes pontos que lhe coloco, entre muitos outros.

    Os abraços, como sempre, são cordiais.

    Sandro Pelegrineti de Pontes

    (01) https://www.youtube.com/watch?v=cS4USVBcBfg

  3. Gus

    Ora, Deus está morto também entre os católicos. Já não vejo quase ninguém entre nós que viva tendo realmente a presença de Deus como uma realidade diante de si. Para os católicos, Deus está morto, o que vale dizer: é somente questão de costume e de leve crença abstrata. Que dizer então da sagrada Eucaristia? Somente um “símbolo” dessa “crença”. É por isso que seremos dizimados pelos adoradores do demônio, os islamitas, que veem diante de si sua divindade em ato.

  4. Isac

    ISSO VEM DE LONGE…
    ELEGEM O DIABO PARA O PODER E DELE QUEREM O QUÊ?
    Explico: o Brasil esteve sob 8 anos sob os socialistas do PSDB, comunismo mitigado, mas o fim é o pleno comunismo; depois veio o PT do modelo stalinista, violento, truculento e, a começar de nossas mais altas autoridades eclesiásticas, qual delas exortou o povo precavendo os caóticos
    dos diabólicos comunistas, que odeiam o Senhor Deus e a Igreja, senão aqueles conhecidos nas redes de tão poucos, até nomeaveis?
    Nas manifestações das ruas, quem citou os governos maléficos dos saqueadores comunistas como causadores de todas as tragedias, senão aos pedidos de “quero educação, saúde, trabalho e outros bens materiais tão somente?
    Porque a CNBB que passa um ideia de representar os bispos – já que me consta nenhum deles a desafiar por seus comportamentos pro vermelhos – não precaviu o povo de conspirar contra si mesmo se votarem nos anarquistas e revolucionarios comunistas, responsaveis só no sec XX por mais de 150 000 000 de mortes, genocidas em potencial por serem abortistas, senão manter um “diálogo” com esses vampiros, que na realidade são as hordas satãnicas ambulantes, ainda encarnadas na terra?
    Um ministro(a) da S Eucaristia dar a S Comunhão a uma pessoas nessas condições de vestuario, sem camisas, também não pareceria nada correto pois as vestimentas deles estavam totalmente inadequadas!
    Nunca na minha vida até hoje ouvi nas homilias das centenas delas algum sacerdote ou mesmo bispo irrecomendar o povo a votar nos filhotes do Dragão Cor de Fogo por serem, além de maus elementos, quadrilheiros, aliados de todo tipo de bandidagens e conspiradores contra a Igreja católica – embora a favor deles dele tenha ouvido, incl nas redes, como D Sândalo Bernardino, D Hummes permitindo auto comunhão do comuno-abortista lula e coisa horripilantes desses, recentemente, e varios mais desses, velhos nossos conhecidos assumidos ostensivamente pró comunistas!
    Sempre digo e repito: instalam o diabo no poder e dele esperar o quê, senão diabruras?

  5. JB

    Depois de 50 anos de Vaticano II, incluindo quatro de Francisco, já é um milagre que ainda haja quem vá a missa. Querer que ainda acreditem na transubstanciação aí já é demais. Na Europa, segundo o Pe. Paulo Ricardo, há estudos mostrando que 50% ou mais dos sacerdotes(!) já não acredita na Presença Real.

    Numa sociedade feminil, com uma igreja emasculada, o que não faltam são mocinhos catoliquinhos, armados de paninhos quentes, a apregoar as virtudes da moderação aos poucos que ainda se indignam.

  6. Estamos aqui

    Jorge,

    Os católicos sabem que a Catedral de Brasília foi atingida ontem nas manifestações de ontem?

    https://www.youtube.com/watch?v=IX2C0KpbSuY

    https://www.youtube.com/watch?v=f1pq__ag-Gk

    http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/manifestantes-causam-depredacao-em-predios-na-esplanada-dos-ministerios.ghtml

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-05/com-depredacao-de-ministerios-e-confronto-ato-em-brasilia-reune-45-mil-pessoas

    https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2017/05/25/passeata-terminou-com-depredacao-e-feridos.htm

    Os católicos se manifestaram?

  7. Conceição Couto Netto

    Nenhuma novidade. Todos viraram zumbis. A agenda revolucionária teve pleno êxito no Brasil. Nunca os católicos estiveram tão idiotizados, apáticos como almas penadas. Anos e anos de propaganda contra o Cristianismo, nos livros, nos filmes, nas faculdades e sobretudo na TV, deram nisso que está aí, apodrecendo a olhos vistos. Materialismo furioso, controle do imaginário popular,
    propaganda massiva de valores anticristãos: depois disso, vcs queriam o quê? CRUZADOS??? O espírito de sacrifício e o ânimo para “combater o bom combate”, onde estão? Vivemos uma ditadura mental, a pior de todas. Cristão envergonhado, cristão com medo de defender sua fé, cristão tímido, encabulado, tíbio, não é cristão. Como dizia S.PAULO, “falta de convicção é pecado…” medo de quê se Deus está conosco? Abram a boca e partam para a defesa daquilo em que acreditam!
    Não deixem espaço para o “porcaria”, à LUTA!!!