O ditador e a perspectiva da morte

closeAtenção, este artigo foi publicado 6 anos 1 mês 10 dias atrás.

Alguém dizia recentemente que não existem ateus em aviões atravessando uma turbulência. Eu até concedo que, talvez, haja algum ateu fanático particularmente fundamentalista a ponto de sufocar a voz da própria consciência até mesmo em situações extremas como diante da morte; mas aposto que a maior parte dos ateus renegaria rapidamente a sua fé quando se visse na iminência de deixar o único mundo que ele se permite acreditar.

Porque a morte é um mistério que sempre provocou – e sempre há de provocar – espanto nos seres humanos. A possibilidade de deixar de existir repugna à inteligência humana. Pelo fato de ser racional, o homem sabe que é superior à matéria, mesmo à orgânica, uma vez que inteligência não escorre de pedras nem se sintetiza em laboratório. O homem almeja continuar existindo, ainda que insista em dizer a si próprio que isto são fábulas de gente ignorante. Na iminência da morte, penso que o desejo natural há de falar mais alto (pelo menos na maioria das vezes) do que a mentira artificial auto-contada nos momentos de prazer – quando o futuro (aparentemente) longínquo é fácil de ser ignorado.

Pensava nisso quando via o Chávez recebendo a Extrema-Unção. O ditador comunista perseguidor da Igreja descobre não apenas que não é imortal (isto, afinal de contas, é fácil), mas que pode morrer em muito breve. Esta característica profundamente cristã da brevidade da vida, onde não somos capazes de adicionar um côvado sequer aos nossos dias sobre a terra, é um poderoso fator de aperfeiçoamento próprio. Quem toma consciência de que pode morrer hoje mesmo vai procurar ser hoje mesmo alguém melhor. Ao contrário, quem não pensa nunca na morte e passa a vida empregando esforços para se convencer de que o poeta mentiu ao dizer que a mágoa acompanha o homem ainda “quando esse homem se transforma em verme”… tem muito mais facilidade em deixar “para depois”. A propósito, os que entendem inglês não deixem de ler isto.

Claro, é perfeitamente possível que o Chávez esteja somente fazendo uma jogada de marketing hipócrita. Isto, aliás, é até bastante provável. Mas eu gosto de pensar que ele – que enfrentou recentemente um câncer, segundo a notícia – tenha talvez se dado conta de que é tempo (ou já passou há muito do tempo) de fazer conta. Porque, diante da perspectiva da morte, todas as vaidades da vida perdem o sentido; e, se não provocaram a conversão, talvez tenham provocado ao menos a tomada de consciência da necessidade da conversão. Diante da morte, talvez Chávez tenha tremido e temido. Talvez este Sacramento lhe possa fornecer as graças necessárias à redenção.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

26 thoughts on “O ditador e a perspectiva da morte

  1. Angelica

    “Quanto maior o pecado, maior direito tem á misericórdia”,disse Jesus á Santa Faustina.
    Quem sabe ele se deixou tocar pela graça de Deus?
    O tempo dirá,se sim ou se não.
    Queira Deus que sim.Nunca é tarde.

  2. Alexandre Magno

    A poesia referenciada pelo Jorge não estava abrindo. Segue.

    ETERNA MÁGOAAugusto dos Anjos

    O homem por sobre quem caiu a praga
    Da tristeza do Mundo, o homem que é triste
    Para todos os séculos existe
    E nunca mais o seu pesar se apaga!

    Não crê em nada, pois, nada há que traga
    Consolo á Mágoa, a que só ele assiste.
    Quer resistir, e quanto mais resiste
    Mais se lhe aumenta e se lhe afunda a chaga.

    Sabe que sofre, mas o que não sabe
    E que essa mágoa infinda assim, não cabe
    Na sua vida, é que essa mágoa infinda

    Transpõe a vida do seu corpo inerme;
    E quando esse homem se transforma em verme
    E essa mágoa que o acompanha ainda!

  3. Angelica

    “Eh,parece que a doença o humanizou…Deus seja louvado.
    “Chávez, que prevê ser candidato nas eleições presidenciais de 2012 e conseguir um terceiro mandato de seis anos, admitiu que a doença lhe ajudou a admitir “erros fundamentais” e a ver a vida de outra forma.

    “Me sinto melhor do que nunca. Estamos em tempo de ressurreição (…). Este ser humano está em um processo de renovação espiritual”, disse.”….
    fonte site noticias yahoo

  4. Carlos

    Dizem que Chávez tem uma bactéria mortal.
    Como disse alguém no Orkut, devemos rezar muito por essa bactéria, para que ela tenha muita saúde e cumpra a sua missão.

  5. Guilherme Ferreira

    Será que ele recebeu o Sacramento nas devidas condições, ou seja, em estado de graça?

  6. Artur

    Na verdade Chávez é católico (à sua maneira, é claro). Ele nunca afirmou ser ateu. Inclusive em seu gabinete há um imenso crucifixo de madeira.

  7. roberto quintas

    Chavez recebeu a extrema-unção.
    quem dá a extrema-unção aos Papas? }|D

  8. Jorge Ferraz Post author

    Qualquer padre pode dar a Extrema Unção em qualquer pessoa. O Papa provavelmente a recebe de algum cardeal.

    – Jorge

  9. Messias

    “Qualquer padre pode dar a Extrema Unção em qualquer pessoa. O Papa provavelmente a recebe de algum cardeal.”

    E isso vale para a confissão também.
    O Papa sendo o dirigente da Igreja na Terra não implica que ele não precise dos sacerdotes para lhe ministrar determinados sacramantos como qualquer fiel.

  10. olegario

    Carlos,

    Essa eu não resisti.
    Tive que postar ( Lí no site do ópera ):

    “Cancer chega a Cuba para segunda fase do tratamento contra Hugo Chaves”

    Sem mais…

  11. Geraldo D. Nora

    Quanta mentira e desinformação nestes comentários sobre Chavez! Pergunto a quem postou este comentário se alguma vez esteve na Venezuela, se conhece o Chavez ou sua familia, se sabe com certeza que ele é comunista ou ateu? Para sua informação eu lhe digo que trabalhei na Venezuela na construção da ponte do Orenoco, uma das maiores da Am. Latina, para uma empreza brasileira, durante 6 anos e analisei a personalidade de Chavez, e o porque das classes conservadoras, entre elas a alta hierarquia da igreja católica da Venezuela serem ferozmente contra o Chavez, em primeiro lugar ele sempre foi e ainda se declara Católico e nunca fez nada contra a Igreja, mas o que incomoda os altos prelados e a determinação dele em promover o bem estar dos mais pobres, tirar da miséria milhões de pessoas, lhes dar ao menos uma esperança de dias melhores, distribuir um pouco do que os previlegiados de sempre tem de sobra, promover social e culturalmente o povo humilde das favelas, e isto incomoda os que sempre viveram e ainda vivem a custa da miséria de milhões. Eu pergunto por exemplo: O que tem a ver a reforma agraria contra a doutrina de Cristo? onde em algum evangelho ou na Biblia tem algo contra isto, Existe na Venezuela um projeto para a infancia e adolescentes chamado de “O Sistema”, é um projeto que visa atravez da musica incutir na juventude mais pobre e marginalizada valores morais e éticos,muito bem conduzido e estruturado pelo maestro Hernandes Abreu, tendo recebido aplausos de muitas organizações internacionais, (inclusive americanas) mas até isto é combatido pelas classes dominantes e a alta hierarquia católica, chegam a punir padres que apoiam tal iniciativa, (e muitos apoiam). Então eu peço a quem escreve neste Blog: Deixem de mentir, Chavez nunca perseguiu a ICAR, o contrário é que é verdadeiro, pois ele sendo eleito legitimamente foi tentado um golpe contra ele com o apoio destes fanáticos, Felizmente o povo o trouxe de volta nos ombros, e os golpistas continuam lá, nem presos foram, alguns fugiram, Queria ver se fosse o contrario o que fariam, ass. Geraldo Dalla Nora – [email protected]

  12. Cristiane Pinto

    Caro Geraldo D. Nora
    Você não sabe o que diz. Hugo Chavez bonzinho? Desde quando? Ele é comunista, meu caro. Por aí está cheio de gente que se diz católica e é comunista, são os teólogos da libertação, que de católicos não tem nada. Eles deturpam o cristianismo, deturpam a doutrina da Igreja. E o que você chama de promover o bem estar aos mais pobres, distribuir riquezas? Faz-me rir… As pessoas não precisam de dinheiro e de bens materiais, meu caro, elas precisam é de Deus. E olha que quem está te dizendo isto é uma pessoa pobre. Eu sou pobre, nem por isso defendo a partilha dos bens. Dinheiro não é tudo nesta vida. Que adianta as pessoas terem boas condições financeiras, se elas não têm Deus? Como você fala besteira. O que seu queridinho Hugo Chaves promove é apenas o bem estar material, mas não procura promover o mais importante, que é o bem estar espiritual. É somente isso que a Igreja critica. A Igreja não vê a riqueza como um mal em si mesma, o que ela condena é o mau uso da riqueza, mas nunca condenou o fato de alguém ser rico. Claro, sou a favor de melhores condições de vida para os pobres, mas não sou a favor da extinção das classes sociais, não sou a favor da tomada do poder pela classe proletária através da força, não sou a favor da partilha dos bens, não sou a favor da extinção da propriedade privada, que é os comunistas defendem. Não sou a favor de nada que os comunistas defendem. Não vejo o menor problema no fato de pessoas terem melhores condições financeiras e mais bens materiais que eu, porque para mim o que é mais importante é Deus, o que mais importa para mim é a minha fé. Viver sem fé para mim é pior, muito pior que morrer de fome. Claro que sou a favor de estar sempre ajudando os pobres, sou a favor dos pobres levarem uma vida melhor, mas não sou comunista. Quem vê a pobreza como um mal em si mesma são pessoas como Hugo Chavez, Fidel Castro e outros. A pobreza só é um mal na sua cabeça. As pessoas não precisam de partilha de bens, não precisam de luxos, precisam apenas do suficiente para viver com dignidade. E que fique bem claro, critico o capitalismo, sempre critiquei, mas nunca fui a favor do comunismo. Não sou de direita nem de esquerda. Para mim, tanto o capitalismo quanto o comunismo não prestam. Mas entre capitalismo e comunismo, prefiro o primeiro. E quanto à reforma agraria, faça-me o favor… Então você é a favor daqueles sem-terra invadirem terra de outros? Na Bíblia mesmo está os mandamentos: não roubar, não cobiçar as coisas alheias… O que o senhor me diz disto? Cristo não era comunista não, meu caro. Cristo condenava o mau uso da riqueza, não a riqueza em si. Mas pelo jeito, para você os bens materiais são mais importantes do que bens espirituais…

  13. Cristiane Pinto

    E você vem com que liguagem, hein, senhor Geraldo? Classe dominante… Um comunista disfarçado.

  14. olegario

    Sr. Geraldo,

    Eu até estava gostando do sr.
    Agora já não estou mais.
    E quem postou esse humor negro foi lá no site do ópera.
    Eu só repassei a frase para o meu amigo Carlos.
    E cá entre nós, esse discurso do sr de ” excluidos, favelas, elite americana, distribuição de renda”…é o velho sopão mal cozido do comunismo.
    Lembra que eu lhe disse no outro post que o sr não era ateu…ainda?
    Pois é.
    Bingo!
    Olegario.

  15. Cristiane Pinto

    Tem razão, senhor Olegario. Se o Geraldo ainda não é ateu, com certeza vai se tornar. O fato de ele não acreditar nas religiões, colocando todas no mesmo patamar, como se nenhuma prestasse, ou seja, sendo relativista deste jeito, é o primeiro passo para o ateísmo.

  16. Alexandre Magno

    Respondendo ao Geraldo D. Nora, Cristiane Pinto concluiu seu comentário nessa linha:

    E que fique bem claro, critico o capitalismo, sempre critiquei, mas nunca fui a favor do comunismo. Não sou de direita nem de esquerda. Para mim, tanto o capitalismo quanto o comunismo não prestam. Mas entre capitalismo e comunismo, prefiro o primeiro. E quanto à reforma agraria, faça-me o favor…

    Eu também procuro me posicionar assim. Com uma diferença: mesmo convivendo com o capitalismo, no coração eu simplesmente o odeio. Mais com o sentimento mesmo, que falo. Pois objetivamente, trata-se de escolha realmente menos ruim do que a outra.

    Cristiane exagerou com algumas expressões. Começa:

    As pessoas não precisam de dinheiro e de bens materiais, meu caro [Geraldo], elas precisam é de Deus.

    Na realidade, precisamos de dinheiro e de bens materiais, sim. O material pode até nos ajudar a experimentarmos o bem espiritual. Só que, antes de qualquer coisa, como principal, precisamos de Deus e [nesse sentido] somente d’Ele. Temos um corpo (material).

    A leitura da primeira terça parte do comentário de Cristiane surpreendeu-me. Felizmente, tendo-o como um todo, podemos compreender melhor os significado de algumas afirmações. Por exemplo, ela escreve:

    Eu sou pobre, nem por isso defendo a partilha dos bens.

    Ora! Lendo somente isso, que raios de conversa é essa?! Cristo quer que partilhemos os bens, tantos os materiais quantos os espirituais. Ele quer comunhão, fraternidade, boas ações. Nesse assunto, o que um cristão não deve defender é a “partilha involuntária dos bens”. Esta não nasce da caridade, nasce da opressão.

    Complementa:

    Não sou a favor de nada que os comunistas defendem.

    Eu não sou comunista. Como católico que pretendo ser, não devo ser comunista, nem muito menos anarquista. Contudo, prezo por vários dos valores que comunistas e anarquistas prezam. A diferença é que considero uma ordem de valores, e sou mais seletivo (de acordo com a minha consciência em formação), tentando trabalhar isso a partir de uma criteriologia católica.

    Ela continua:

    Não vejo o menor problema no fato de pessoas terem melhores condições financeiras e mais bens materiais que eu, porque para mim o que é mais importante é Deus, o que mais importa para mim é a minha fé.

    E considero simplista, essa análise.

    Não me agrada nem um pouco quando as diferentes condições financeiras são extremadas. Considero que existe, sim, um problema na cultura que alimenta o distanciamento das condições financeiras das pessoas. É por isso que odeio o capitalismo. A tal cultura é intrínseca a esse sistema.

    Sim, “Deus é o que mais importa”. Porém, considero que eu seria um lixo se ficasse repetindo isso sem estar insatisfeito com o capitalismo. Do comunismo e do anarquismo, nem preciso falar, a opressão e a desgraça constituem o primeiro passo exigido aos revolucionários.

    Cristiane afirma:

    Viver sem fé para mim é pior, muito pior que morrer de fome.

    Também considero. Mas não me sinto tão a vontade para declará-lo. A teoria tem valor pra mim, e por isso considero como a Cristiane. Entretanto, de fato, nunca sofri o mal da fome.

    Sobre a forma de ver pobreza, ela diz:

    Quem vê a pobreza como um mal em si mesma são pessoas como Hugo Chavez, Fidel Castro e outros.

    A pobreza só é um mal na sua cabeça. As pessoas não precisam de partilha de bens, não precisam de luxos, precisam apenas do suficiente para viver com dignidade.

    Mas a pobreza é um mal em si!

    Ela não é o Mal. Claro que não. O detalhe é: precisa-se considerar com justeza a pobreza, como um mal. Existe uma ordem para os julgamentos. Algumas noções, sejam elas aprovações ou desaprovações, são mais importantes do que outras. Existem males maiores do que outros…

    Se você não sofre o mal da pobreza, então você não é pobre. E não precisa ser rico. Pode ter apenas o suficiente.

  17. Ygor

    Sr. Geraldo D. Nora,

    O sr. deveria tomar mais cuidado ao defender qualquer político, ainda mais o Hugo Chaves. Pela convivência, o sr. concluiu que Chaves é bem intencionado…bom, pode até ser, mas qual a qualidade e intensidade desta “boa ” intenção?

    O discurso de Chaves claramente se alinha com a teologia da libertação. Esta é uma mistura de cristianismo com marxismo. São incompatíveis já nos fundamentos e por isso a Igreja não o apoia. Ama das metas da TL é a partilha, a qualquer preço, do pão. Partilhar é uma coisa boa? A princípio sim mas pode ser ruim. Não há passagem alguma na Bíblia que mostre Deus obrigando alguém ou algum rico a partilhar seus bens mas tão somente orientando sobre como agir para chegar ao Reino. E a partilha da TL é por imposição e isto já não é bom. Além disso, como disse Jesus, nem só de pão vive o homem…

    Outra observação, o sr. lembra daqueles discursos de Chaves? Seu apoio a Ahmadinejad? Sua intervenção na mídia venezuelana? Será que o que ele faz de bom supera o que faz de ruim? Será que ajudando alguns pobres podemos considerá-lo bom? E quem realmente ganha com essa ajuda que só dá pão e nada mais?

    Se o sr. observar os prós e os contras, se não quer criticar o Chaves tudo bem, mas defendê-lo, fica difícil.

  18. Cristiane Pinto

    Senhor Alexandre Magno, apenas para esclarecer, porque talvez não tenha deixado bem claro o meu ponto de vista:
    “Na realidade, precisamos de dinheiro e de bens materiais, sim. O material pode até nos ajudar a experimentarmos o bem espiritual. Só que, antes de qualquer coisa, como principal, precisamos de Deus e [nesse sentido] somente d’Ele. Temos um corpo (material).”
    Sim, realmente, precisamos de dinheiro e bens materiais, mas não precisamos somente disto. E quero deixar claro, não sou contra a matéria em si mesma. Apenas não sou materialista. Você mesmo disse, temos um corpo material, a matéria foi criada por Deus. Eu apenas não dou valor aos bens materiais mais do que aos bens espirituais, não dou valor aos bens materiais mais do que à vida eterna com Deus. O que eu condeno é a inversão de valores, o que quis dizer é que não devemos dar valor somente ao dinheiro e aos bens materiais, que devemos é buscar a Deus, e que não devemos buscar o dinheiro como um fim em si mesmo. Que precisamos de Deus antes de qualquer coisa. O que eu quis dizer é que não precisamos necessariamente de luxos, apenas do necessário para viver com dignidade. Mas de dinheiro precisamos, sim. Até mesmo eu preciso, apenas quis dizer que dinheiro não é tudo nesta vida.
    “Não me agrada nem um pouco quando as diferentes condições financeiras são extremadas. Considero que existe, sim, um problema na cultura que alimenta o distanciamento das condições financeiras das pessoas. É por isso que odeio o capitalismo. A tal cultura é intrínseca a esse sistema.”
    Também critico o capitalismo, nunca concordei com o capitalismo, que chega a ser desumano. Também penso que há um problema nesta cultura que distancia a economia da moral. Este é o problema, distancia-se a economia da moral. Tem gente que é gananciosa e por causa disso, por buscar o lucro a qualquer preço, até se esquece de ser humana. Também não concordo com isso. Nunca concordei com o fato deste sistema deixar muitas pessoas morrerem de fome. Por isso mesmo que afirmei lá em cima que sou a favor sim, muito a favor, de melhorias para os pobres, de melhores condições de vida para pessoas que estão em condições de extrema pobreza. Muita gente não tem nem mínimo necessário para sobreviver, e é claro que acho isso um absurdo. Agora, o que não sou a favor é da extinção das classes sociais, da abolição da propriedade e da tomada do poder pela classe proletária. Para mim, o capitalismo já é uma opressão, o comunismo é pior ainda, porque é uma outra forma de opressão, só que procura enganar ainda mais as pessoas, fazendo-as pensar que o comunismo tornaria um mundo melhor e que elas estariam salvas da opressão dos capitalistas. Quando na verdade não estariam salvas coisa nenhuma, seriam oprimidas novamente, só que pelos comunistas. Comunismo é ainda pior que capitalismo. Comunismo é filho do capitalismo, se não fosse o capitalismo, jamais teria surgido o comunismo. Eu disse que preferia o capitalismo porque seria uma opção menos ruim que a outra. O que não quer dizer que concordo com tudo o que o capitalismo faz. Nunca fui a favor da sociedade ser tão consumista, do lucro a qualquer custo, mesmo a Igreja sempre condenou isto. Eu também odeio o capitalismo, só que odeio ainda mais o comunismo, porque até com a religião o comunismo pretende acabar. O comunista quer impor sua ideologia a todos. Se dependesse dos comunistas, todos seriam comunistas, todos seriam ateus.
    “Sim, “Deus é o que mais importa”. Porém, considero que eu seria um lixo se ficasse repetindo isso sem estar insatisfeito com o capitalismo. Do comunismo e do anarquismo, nem preciso falar, a opressão e a desgraça constituem o primeiro passo exigido aos revolucionários.”
    Concordo plenamente com você, talvez não tenha deixado muito claro e talvez por isso você possa não ter entendido muito bem, mas foi isto o que eu quis dizer, também não estou satisfeita com o capitalismo, também vejo muita injustiça neste sistema. Mas para mim o comunismo seria muito pior.
    “Mas a pobreza é um mal em si”
    Se fosse isso, não haveria gente fazendo voto de pobreza, com apenas o necessário para viver, sem luxos. Veja São Francisco de Assis, por exemplo. Depende do que você chama de pobreza. Para mim, o mal não é a pobreza, é a extrema miséria, que faz com que muitas pessoas morram de fome. Eu, por exemplo, sou pobre, porque estou longe de ser rica. Não tenho luxos, nem posses, nem nada. Mas na verdade não sou paupérrima, eu sou mais remediada digamos assim, porque também não estou em extrema miséria. Apenas acho que não tenho de me envergonhar por ser pobre. Só que os comunistas parecem pensar que é vergonhoso ser pobre, do contrário não defenderiam a partilha de riquezas. Claro que eu gostaria de ter melhores condições financeiras, mas busco antes a Deus do que ao dinheiro. Na verdade, não vejo mal na pobreza nem na riqueza. Mesmo porque em algum lugar da Bíblia está escrito que a pobreza só é má para os ímpios. Além do mais, os comunistas falam como se ser rico fosse condenável, como se todos os patrões necessariamente explorassem seus empregados, e isso é um absurdo. Hora, Deus fez o rico e o pobre. Abraão era muito abençoado por Deus e era rico. Logo, Deus não condenava a riqueza em si, e sim o mau uso da mesma. Ao contrário do que muitos pensam, Jesus não era nem nunca foi comunista.
    “Existem males maiores do que outros…”
    Foi isso que eu quis dizer lá encima, que existem coisas piores, muito piores do que a pobreza e a miséria…
    “Se você não sofre o mal da pobreza, então você não é pobre. E não precisa ser rico. Pode ter apenas o suficiente.”
    Eu sofro algumas privações sim, embora nem tanto quanto muitas pessoas. Mas claro que eu sei que tem gente que vive em condições piores que eu. Não chego a passar fome, mas tenho de morar com os meus pais, porque trabalho só meio período e não ganho o suficiente para me sustentar sozinha. Mas tenho esperança de mais tarde encontrar um emprego melhor. Eu ganho pouco, mas estou fazendo faculdade, estudo numa universidade pública. Eu estudo para poder ter uma vida melhor. Também passo privações, muitas vezes não tenho condições financeiras para sair, ir ao cinema, muitas vezes não posso comprar nem mesmo um livro. Para comprar um livro, tenho de economizar. Não tenho tempo nem dinheiro para estas coisas. Muitas vezes preciso tirar xérox de apostilas para a faculdade, e muitas vezes não tenho dinheiro nem para isso, então tenho de me virar. Para mim está difícil até mesmo comprar um lanche na faculdade. Mas nem por isso vou defender o que os comunistas defendem.
    “A diferença é que considero uma ordem de valores, e sou mais seletivo (de acordo com a minha consciência em formação), tentando trabalhar isso a partir de uma criteriologia católica.”
    Eu só aprovo a partilha dos bens se as pessoas fizerem isso por livre e espontânea vontade, como os cristãos primitivos fizeram nas primeiras comunidades cristãs. As pessoas devem fazer isso de livre vontade, não por obrigação, por imposição. Os comunistas querem obrigar as pessoas a partilhar os bens, além de impor sua ideologia a qualquer custo, por meio da força, e eu não concordo com isso. Isto para mim é ditadura. E os valores que eles defendem é a igualdade. Ora, a Igreja nunca defendeu a igualdade, e sim a desigualdade. Deus fez tudo de modo desigual. Ninguém é igual a ninguém, é outra mentira que o comunismo prega. E outra, comunistas e anarquistas são contra a hierarquia, e isso os coloca contra a Igreja, que é hierárquica. Não vejo mal na hierarquia. A hierarquia é um bem. Ser contra a hierarquia é ser contra Deus, porque quem é contra a hierarquia não admite que haja alguém superior. Imagine se os animais se revoltassem contra a “opressão” e resolvessem lutar por seus direitos, para serem tratados iguais aos humanos. Isso seria até ridículo de se imaginar. Não me interprete mal, não estou dizendo que pobres são inferiores, longe disto. Pobres NÃO são inferiores. Os pobres só são diferentes dos ricos nas condições financeiras, pobres são seres humanos também, tanto quanto os ricos e têm direitos. O exemplo que eu dei é para explicar que não existe esta igualdade que os comunistas pregam. Não existe igualdade, o que existe são semelhanças. Nos acidentes, as pessoas são diferentes. Os pobres, apesar de NÃO serem inferiores, são diferentes dos ricos, têm uma cultura diferente, além de terem poucas condições financeiras. As pessoas são diferentes entre si, umas são altas, outras baixas, algumas têm olhos claros, outras têm olhos escuros, olhos puxados, alguns são mais fortes, outros mais fracos… Não vejo nenhuma igualdade nisso. É assim, não existe nenhuma igualdade como os comunistas pregam. A Bíblia em nenhum momento defendeu a igualdade.

  19. Cristiane Pinto

    Alexandre Magno
    Continuando…
    “Ora! Lendo somente isso, que raios de conversa é essa?! Cristo quer que partilhemos os bens, tantos os materiais quantos os espirituais. Ele quer comunhão, fraternidade, boas ações. Nesse assunto, o que um cristão não deve defender é a “partilha involuntária dos bens”. Esta não nasce da caridade, nasce da opressão.”
    Justamente, não defendo a partilha dos bens que não nasça da caridade. Se a partilha dos bens não vem da caridade, para mim não vale de nada. São Paulo mesmo disse que não importa o que a gente faça, se não for por amor, não vale de nada. E os comunistas não defendem a partilha dos bens por livre e espontânea vontade, por caridade, o que eles querem é oprimir. Cristo quer que partilhamos os bens materiais e espirituais, quer comunhão, fraternidade, boas ações, mas não era nem nunca foi comunista. O que eu condeno é a visão comunista, tem muitos teólogos que deturpam a doutrina. Apenas sou contra a teologia da libertação. Jesus veio para todos, não veio só para os pobres. Partilhar os bens não deve ser obrigação, os primeiros cristãos não faziam por obrigação. É neste sentido que eu quis dizer. E para mim a partilha dos bens espirituais vale bem mais do que a partilha dos bens materiais. Jesus mesmo disse que não somente de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. Sou a favor de partilha de bens, desde que não seja por obrigação. Em nenhum momento disse que era contra partilha de bens em qualquer situação.
    “Não vejo o menor problema no fato de pessoas terem melhores condições financeiras e mais bens materiais que eu, porque para mim o que é mais importante é Deus, o que mais importa para mim é a minha fé.”
    O que eu quis dizer com isto é que procuro não ser gananciosa nem invejosa. Não vou odiar os ricos por terem melhores condições financeiras que eu. Porque é isso que os comunistas fazem, eles fazem com que os pobres se revoltem contra os ricos, fazem com que os pobres odeiem os ricos. Eles colocam pobres contra ricos. E eu não concordo com isso, em hipótese alguma. Um dos mandamentos da lei de Deus é não cobiçar as coisas alheias. Os comunistas criticam os capitalistas por serem gananciosos, mas eles são tão ou mais gananciosos que os capitalistas, porque desejam tirar o que é dos outros. Eles querem riquezas para todo mundo, como se dinheiro fosse um fim em si mesmo, como se dinheiro fosse tudo nesta vida. Eles não acreditam em Deus, não acreditam na vida eterna, para eles o que existe é só matéria. Por isso que eles querem riquezas a qualquer custo. Está na cara que o comunismo é filho do capitalismo, um é tão ruim quanto o outro. O comunismo chega a ser pior. A diferença do comunismo para o capitalismo é que no capitalismo a riqueza fica concentrada nas mãos de poucos, a riqueza é individual. No comunismo, a riqueza seria coletiva. Isso se houvesse riqueza, claro. O que eu acho é que com o comunismo todo mundo ficaria ainda mais pobre. O que os comunistas defendem é igualdade econômica, eles acham uma enorme injustiça alguém ter condições financeiras melhores do que eles. E eu não penso assim, não defendo igualdade econômica, defendo melhores condições para os pobres viverem melhor, com dignidade, com o necessário para se sobreviver, mas não sou comunista.

  20. Cristiane Pinto

    Alexandre Magno
    “As pessoas não precisam de dinheiro e de bens materiais, meu caro, elas precisam é de Deus.”
    Você tem razão, nesta afirmação eu realmente exagerei, a gente precisa de bens materiais sim, mas precisamos mais de Deus do que de bens materiais. Foi isso que quis dizer, mas exagerei. Fiquei tão indignada que nem pensei direito. Mas se você for olhar o resto da mensagem, o que eu falei é que não defendo a partilha de bens de acordo com a visão comunista, e sim de acordo com a visão do cristianismo.
    Um forte abraço e fique com Deus

  21. Alexandre Magno

    Cristiane Pinto escreveu:

    Fiquei tão indignada que nem pensei direito. Mas se você for olhar o resto da mensagem, o que eu falei é que não defendo a partilha de bens de acordo com a visão comunista, e sim de acordo com a visão do cristianismo.

    Pois é. Eu já havia escrito:

    A leitura da primeira terça parte do comentário de Cristiane surpreendeu-me. Felizmente, tendo-o como um todo, podemos compreender melhor os significado de algumas afirmações.

    Parabéns, Cristiane! Nos comentários que você escreveu respondendo-me você escreveu muitíssimo claro e bem. “Podíamos até casar…” (Brincadeirinha gente. Nós dois nem nos conhecemos além dessa página.)